algoritmo do facebookConteúdos em vídeo estão fazendo mais sucesso do que nunca na internet.

">

Algoritmo do Facebook: como ele funciona e como aumentar o seu tráfego orgânico

O Facebook, rede social líder em número de usuários ativos diariamente, é ainda uma das mais importantes ferramentas para o marketing digital.

Com seus mais de 1,18 bilhões de acessos únicos por dia, a rede já conta com 85,6 milhões de usuários apenas no Brasil.

Consegue imaginar isso? As chances de seu público estar conectado no Facebook nesse exato momento são altíssimas!

Por isso, é fundamental entender como funciona a dinâmica dessa rede, principalmente se você for partidário da busca por acessos orgânicos, ou seja, acessos que não dependam de anúncios ou pagamentos por fora para a rede, mas apenas do interesse dos usuários e do seu conhecimento sobre a rede.

Aqui no país, o Facebook está em primeiro lugar no ranking de redes sociais mais usadas e, ao que tudo indica, ainda está longe de ser desbancado pelo Whatsapp ou Youtube, considerados ávidos concorrentes pela tela do seu smartphone.

Mas, você sabe como manter as suas postagens na rede em primeiro lugar para que, pelo menos uma parcela desses 85,6 milhões de usuários no país, possa encontrá-la?

Dominar os segredos do Facebook é o diferencial de um profissional de social media, e pode ser o que faltava para que sua próxima estratégia digital dê certo!

Ficou curioso? Continue lendo porque hoje ensinaremos tudo o que há para saber sobre os algoritmos do Facebook.

O que é o algoritmo do Facebook?

O algoritmo do Facebook é um recurso utilizado para, principalmente, determinar o que é posto em primeiro no seu feed da tela principal.

Estima-se que um usuário médio tenha acesso a, pelo menos, 1500 posts diários, mas que, no final, presta atenção em apenas 20% disso.

Para entender o que realmente lhe interessa, a rede utiliza uma série de fatores individuais (mais de 100.000!) que tentam traduzir o que esses 20% tinham de diferente de todo o restante, e com os dados coletados, ele passa a buscar combinações, definindo o que deve, ou não, vir a figurar na sua tela inicial.

Boa parte desses fatores leva em conta não apenas os interesses do usuário, mas o seu comportamento na rede, quanto tempo permanece em determinado tipo de postagem, o uso dos recursos disponíveis (como reações, compartilhamentos, denúncias etc.) e na interação com seus amigos.

Basicamente, são 4 fatores que servem como introdução à possibilidade do conteúdo ser ou não apresentado ao usuário em um primeiro momento:

Quem postou

Já percebeu que depois de stalkear um usuário é comum que ele esteja no topo de seu feed? Não precisa fingir que não sabe do que estou falando.

O Facebook leva em consideração o nível de interações entre usuários, e isso conta quantas vezes você o pesquisou na rede, quantas vezes vocês trocaram mensagens, curtiram postagens um do outro etc.

Quando postou

Quanto mais recente a postagem, maiores as chances dela aparecer no seu feed. Mas lembre-se que a rede leva ainda em conta a última vez que você conferiu as últimas atualizações.

Tipo de conteúdo

O que você prefere ver no seu feed? Você costuma curtir mais fotos, vídeos ou textões?

O Facebook se lembrará disso na hora de organizar o seu feed, colocando em primeiro o tipo de conteúdo com o qual você mais interage.

Engajamento com o post

Como sua rede de amigos interagiu com uma postagem? Eles curtiram, comentaram ou compartilharam algo de maneira massiva? Então as chances desse post subir no seu feed são grandes.

5 regras de categorização

Além desses 4, porém, existem ainda uma série de fatores como base para a categorização das postagens, o Facebook preserva 5 regras para decidir o que é ou não importante para o usuário na hora do rankeamento.

Para entender melhor, imagine um usuário que chegou ao Facebook pela primeira vez. Sua única ação, até agora, foi aceitar solicitações de amizades.

Como o Facebook fará para organizar o seu feed?

Essas 5 regras abaixo devem ajudar nesse primeiro momento em que os dados de interação do usuário ainda não estão disponíveis para análise:

1. Família e amigos têm prioridade: Uma das prioridades da rede, acredite ou não, é de manter o contato dos usuários com pessoas que compartilhem os seus interesses, por isso, postagens de familiares e amigos (nessa ordem) sempre terão espaço antes das postagens de páginas e empresas curtidas.

2. Informação: A postagem é informativa? Se sim, ela deve vir antes. Esse recurso é otimizado mais tarde com os dados de interação, que ajudarão o Facebook a entender em que tipo de notícia o usuário tem mais interesse.

3. Entretenimento: mas é claro que não só de notícias é feito o Facebook. Para organizar o seu feed, a rede também levará em conta uma boa parte de postagens voltadas para o entretenimento, sejam elas fotos de artistas ou vídeos que seus amigos já curtiram.

4. Multiplicidade de ideais: Uma das maneiras encontradas para organizar o feed é a de justamente conectar usuários que compartilhem de pontos de vista semelhantes, principalmente quando falamos de ideais políticos ou religiosos. Assim, a rede observa as tendências de interação do usuário (e de seus contatos) e prioriza postagens que reflitam algo no qual você também acredita.

5. Autenticidade: A rede também leva em consideração a existência de conteúdos autênticos, que sejam capazes de se comunicar verdadeiramente com os usuários na hora de estabelecer os critérios de organização do feed. Isso significa que conteúdos considerados Spam, falsos, boatos ou sensacionalistas tendem a descer no ranking quando identificados.

Qual a importância do algoritmo para sua estratégia de marketing?

Entender como funciona o algoritmo do Facebook é o primeiro passo para a otimização do conteúdo disponibilizado pela sua empresa, garantindo que ele permaneça por muito mais tempo no topo e tenha chance de ser encontrado por seu público.

Você não quer ter uma página recheada de postagens que levam 1 a 2 likes cada, não é?

À medida que a rede cresce, cresce também a competição por um espaço no feed de cada usuário. Portanto, é seu papel estar ciente do que pode levá-lo ao topo e garantir mais acesso sem que seja necessário depender de anúncios ou mais dinheiro investido em propaganda.

Esse tipo de conhecimento também garante uma ótima vantagem competitiva na hora de fazer os seus posts, que precisam disputar não apenas com a concorrência, mas também com os amigos das suas personas e seus outros interesses na rede.

Lembre-se de que páginas ativas, e com bom conteúdo, têm um lugarzinho reservado no feed de todo mundo.

Estar ativo, porém, não significa floodar o Facebook com seu conteúdo. Se você quer estar em primeiro, mas sem perder a classe, entender os algoritmos da rede é o seu melhor atalho.

3 dicas rápidas para manter suas postagens sempre no topo

Foque na qualidade

Já falamos isso por aqui, mas nunca é demais reforçar: Qualidade, qualidade e qualidade! É nisso que você precisa pensar antes de montar qualquer tipo de novo conteúdo, independentemente do formato desejado.

Não pense, porém, que qualidade significa ter o último modelo de máquina fotográfica ou câmera filmadora.

Apesar de isso fazer muita diferença, o seu foco deve estar mais na qualidade do conteúdo e menos na sua forma.

Os textos, imagens, vídeos e áudios que você produz são realmente relevantes para sua persona?

Você pode descobrir isso não apenas observando o comportamento dela diante do seu conteúdo, mas entendendo se o que você disponibiliza é realmente capaz de responder a uma dúvida no momento exato em que o seu público precisa tê-la sanada.

Conteúdos capazes de informar, inspirar e servir à persona no momento em que ela necessita ter acesso àquilo têm muito mais chances de ficar no topo do feed de qualquer usuário.

Fuja do spam

Postar continuamente a respeito de um assunto pode causar problemas para a exibição do seu conteúdo.

Isso porque o Facebook tem recursos para encontrar e identificar conteúdos que possam ser considerados spam na rede, e daí a chance de retornar ao topo é bem pequena.

Para não ser categorizado como spam, esteja atento ao critério de relevância daquele conteúdo.

Clickbait, por exemplo, precisa ser evitado a todo custo. Bem como títulos sensacionalistas e conteúdos que prometem demais no título e incapazes de cumprir com a expectativa levantada.

Evite fazer postagens que peçam para o usuário curtir ou compartilhar, por exemplo. É permitido sim esse tipo de conteúdo, mas em demasia logo acaba sendo penalizado pelo Facebook.

Esteja atento à melhor configuração de cada postagem

Monitorar o seu conteúdo é a chave para melhorar os resultados na sua página no Facebook. Acompanhe a performance de suas postagens e observe quais os horários com maior índice de engajamento e alcance.

Entenda que formato de conteúdo seu público mais gosta, e saiba construir CTAs adequados à sua persona.

Evite posts apenas com texto. Integrar com imagens, vídeos ou links sempre ajuda a dar um boost para o seu conteúdo e colocá-lo mais alto no feed dos usuários.

Outra dica importante é a de utilizar links encurtados nas suas postagens para fins de monitoramento. Assim você consegue dados precisos sobre o engajamento de sua persona e de onde está vindo o tráfego para o seu conteúdo.

O segredo para permanecer no topo está, justamente, em conhecer e dominar as ferramentas dadas pelo próprio Facebook.

Quer saber mais? Então aproveite para ler também sobre a criação de públicos personalizados no Facebook e garanta resultados muito mais precisos com a sua persona!

  • Vergilio Toledo Silva

    Boa..