Como lidar com a taxa de rejeição

É hora de aprender a lidar com a taxa de rejeição: saiba como melhorar a do seu site e engaje mais usuários!

A taxa de rejeição é uma métrica muito temida em Marketing Digital. Aprenda a descomplicá-la e melhorar esse número para o seu negócio.

Mesmo já trabalhando com Marketing Digital há alguns anos, ao entrar na Rock Content eu me surpreendi com a infinidade de possibilidades e ideias que essa área permite.

O tempo todo alguém está pensando em um novo produto ou descobrindo uma forma de otimizar nossos conteúdos e melhorar os resultados dos nossos clientes.  Nosso ambiente de trabalho é um constante teste A/B. E isso é incrível!

Por atender diversos segmentos, nós conseguimos vivenciar as mais diversas situações em nosso dia-a-dia.

Cada mercado tem suas peculiaridades e cada empresa tem uma realidade. E é exatamente o trabalho com as singularidades que torna a Rock tão plural.

Resolvi escrever esse artigo para falar sobre a taxa de rejeição, uma situação que enfrento em meu dia-a-dia como Analista de Sucesso do Cliente.

Sei que é algo muito recorrente para todo mundo que tem um site ou blog. Fui aprendendo a lidar melhor com essa métrica e entendi que ela não é uma medida “de dor e sofrimento”.

Como lidar com a taxa de rejeição? - Gif do Bob Esponja triste

Como eu lidava com a taxa de rejeição antes de entrar na Rock.

É comum ao se deparar com uma taxa de rejeição alta, não saber como agir.

Por isso, neste post vou falar sobre o que essa métrica representa, qual o valor aceitável e como fazer para diminuí-la.

Começando pelo começo: O que é a taxa de rejeição?

A taxa de rejeição, ou bounce rate, representa o percentual de visitantes que chegou até o seu blog ou site, visualizou apenas uma página e saiu sem nenhuma interação.

O cálculo é feito com a divisão das sessões de página única por todas as sessões.

Como lidar com a taxa de rejeição? - Print de uma taxa de rejeição de 81.37% no Google Analytics

A sensação de ter uma taxa de rejeição alta no seu blog ou site chega bem perto daquela causada pelo “visualizar e não responder” no WhatsApp.

Afinal, ela indica que o visitante viu o seu conteúdo, mas não quis interagir com ele.

Taxa de rejeição é a mesma coisa que taxa de saída?

É muito comum que exista uma confusão com esses dois termos, mas é importante guardar que são conceitos bem diferentes.

Enquanto a taxa de rejeição, como já falamos, mostra quantos visitantes entraram e saíram de uma página, sem nenhuma interação, a taxa de saída indica quantos visitantes saíram em determinada página.

Sendo assim, a taxa de rejeição está relacionada à página de entrada. Já a taxa de saída, como o nome indica, se relaciona com a página em que o visitante deixa o blog ou site.

Você sabe o que é uma interação do usuário?

Você já sabe que a rejeição está ligada a interação do usuário. Mas você sabe o que o Google considera uma interação?

Por default, o Analytics faz os cálculos da rejeição apenas quando o visitante não vai da página de entrada para outra, através de clique.

Além disso, você pode mapear através de eventos o que o visitante faz em sua página e informar ao Google sobre outros tipos de interações. Por exemplo:

  • Dar play em um vídeo;
  • Compartilhar o conteúdo em redes sociais;
  • Fazer um donwload;
  • Deixar um comentário;
  • Cadastrar um email.

Você pode e deve informar ao Google Analytics que todas essas ações são interações e que ao executá-las, o usuário não está rejeitando determinada página. Para informar, você precisa cadastrar tags de seus eventos.

Para aprender como fazer esse cadastro e utilizar outras funcionalidades do Analytics, você pode acessar nosso guia definitivo sobre essa ferramenta.

Minha taxa de rejeição é alta, devo entrar em pânico?

Como lidar com a taxa de rejeição? - Gif do Scooter (Muppets) respirando fundo

Não! Você deve analisar com calma todos as outras métricas e começar as ações necessárias para melhorá-la, mas nada de pânico.

Vale lembrar que uma taxa alta nem sempre indica que a qualidade do seu conteúdo é ruim. Pense comigo:

Quando a taxa de rejeição é calculada, não importa quanto tempo o visitante permaneceu em sua página.

Por exemplo, imagine que um visitante entra na home do seu blog, fica por uma hora — o tempo máximo padrão de uma sessão — lendo os conteúdos que estão disponíveis nela e depois sai. Isso será considerado taxa de rejeição.

Agora, se outro visitante também entra na home, clica em um link, abre a página de um artigo e sai alguns segundos depois, ele não será contabilizado como rejeição.

Para avaliar a qualidade do conteúdo, é importante sempre analisar outras taxas de engajamento em conjunto, como o tempo médio de permanência na página.

E claro, é preciso entender o seu negócio e o comportamento do visitante, que varia de um blog para um e-commerce, por exemplo.

Nós nunca podemos analisar a rejeição de forma isolada, precisamos considerar todos os fatores envolvidos, tanto o que nós estamos oferecendo quanto o que o visitante busca.

Qual a taxa de rejeição aceitável?

Não existe uma fórmula exata para calcular o valor ideal da taxa de rejeição, ele depende de uma série de fatores.

Ela pode variar de acordo com os objetivos do site ou blog, o mercado de atuação da empresa e o tipo de conteúdo oferecido, por exemplo.

Este post do QuickSprout apresenta os valores mais encontrados nos principais mercados:

  • Blogs – 70 a 98%
  • Sites de conteúdo – 40 a 60%
  • Landing pages simples – 70 a 90%
  • Portais (exemplo: MSN, G1) – 10 a 30%
  • Sites de serviço/FAQ – 10 a 30%
  • Venda de serviços (geração de leads) – 30 a 50%
  • Varejo – 20 a 40%

O que fazer para diminuir a taxa de rejeição?

Agora que você já conhece melhor essa métrica, é hora de falar sobre como diminuí-la.

Eu sempre “pego no pé” dos meus clientes em todas as análises de resultados em que a taxa de rejeição está alta. Eu sempre repito: “precisamos trabalhar a linkagem interna e incluir CTA’s em todos os artigos!”

Essas duas formas são bem eficientes para fazer o visitante interagir em uma página. Vamos analisá-las e apresentar outras.

1. Pense na experiência do usuário

Você pode ter um artigo em seu blog com um conteúdo rico em informações. Porém, se ele não for amigável para o usuário, a chance dele sair da página sem nem começar a ler o artigo é grande.

Evite artigos sem formatação e com grandes blocos de texto, sem subtítulos, imagens e marcadores. Além disso, elimine o excesso de banners e pop-ups.

Invista na escaneabilidade do seu texto e torne a leitura mais fácil. Você precisa organizar as informações para que o visitante percorra o melhor caminho e compreenda a sua mensagem.

2. Insira CTA’s eficientes

Se as suas páginas tiverem um call-to-action eficiente, que atrai a atenção dos visitantes, eles vão interagir mais e, consequentemente, a taxa de rejeição vai diminuir.

Você pode usar CTA’s para oferecer materiais ricos— como eu sempre recomendo para os meus clientes—, uma assinatura de newsletter ou até mesmo uma conversa com especialista.

3. Não abuse dos pop-ups

Nós sabemos que pop-ups são ótimos para conversão — aqui na Rock mesmo sempre usamos nos blogs e no site.

Mas é preciso ter moderação para não deixar sua página com cara de spam ou vírus.

O excesso de pop-ups pode tornar a navegação difícil e interromper o visitante na leitura, o que afeta negativamente a experiência dele com seu conteúdo.

4. Sempre insira links internos

Quando você escreve um conteúdo e já existe algo relacionado no seu site ou blog  insira um link entre eles— como acabamos de fazer!

Assim você oferece ainda mais informações para o visitante e faz com que ele interaja com o seu site.

5. Crie chamadas atrativas

Não deixe seu site ou blog configurado para exibir informações demais na página principal.

Se é um artigo, insira uma chamada atrativa, um resumo e um “leia mais”. Assim, o visitante vai escolher o que mais o interessa e seguir para a página.

6. Fique de olho na velocidade de carregamento

Quando uma página demora muito para carregar, a probabilidade do visitante abandoná-la é grande.

Você pode perder uma visita para um concorrente por 2 segundos. Existem várias ferramentas para ajudar a mensurar esse tempo, como o PageSpeed, por exemplo.

7. Tenha conteúdo responsivo para dispositivos móveis

Hoje em dia, é cada vez mais comum que as pessoas acessem sites e blogs através de dispositivos móveis.

Se o seu site não está preparado para se adaptar ao mobile, o visitante vai encontrar as informações desorganizadas e não vai querer interagir.

A lista de boas práticas para diminuir a taxa de rejeição é grande e está sempre crescendo, afinal o algoritmo do Google é atualizado constantemente. É preciso ficar sempre atento e focar na experiência do visitante.

Coloque-se no lugar do visitante e pense: “se eu estivesse visitando essa página pela primeira vez, teria motivos para interagir?”.

Cuidado com a configuração errada do Google Analytics!

Taxa de rejeição - Warning (cuidado)

No meu dia-a-dia como Analista de Sucesso do Cliente, é muito comum encontrar blogs com taxas de rejeição muito variada— elas podem ser de 5% ou 100%.

Com alguns valores já sabemos que tem algo estranho acontecendo só de bater o olho.

Na maioria das vezes, o que acontece é a inserção errada do código de rastreamento do Google Analytics no seu site. Isso faz com que os dados da taxa de rejeição sejam mostrados de forma alterada.

Se você inserir códigos diferentes nas páginas do seu site, por exemplo, por mais interações que o visitante faça, tudo será considerado rejeição.

Dica: lembre-se que nesse post já falamos sobre o guia do Google Analytics. Além dele, você pode usar o Tag Assistant para ver se está tudo certo.

A taxa de rejeição não é um “bicho de sete cabeças”. Só é preciso saber como lidar com ela e nunca analisá-la de forma isolada.

É necessário levar em conta todos os fatores que interferem nessa taxa e melhorá-los em conjunto.

Está mais tranquilo em relação à essa métrica tão temida? Agora está na hora de colocar em prática o que ensinamos e encaixar essas táticas no seu blog ou site!

Se você quer diminuir a taxa de rejeição, também pode estar interessado em como aumentar a taxa de permanência na página, certo? Temos um post detalhado sobre o assunto. Confira!

 

  • Paulo Vitor Nascimento

    A taxa de rejeição sempre foi um grande desafio, principalmente para modelos sites que estão cada vez mais populares como “one page”. O artigo ficou ótimo Talita, parabéns!

    • Talita Maria

      Obrigada, Paulo!
      Que bom que você gostou!