como monetizar aplicativo

Descubra como ganhar dinheiro com o seu aplicativo agora!

É impossível negar o poder do mobile. Os aparelhos móveis—smartphones e tablets — chegaram para ficar.

É impossível negar o poder do mobile. Os aparelhos móveis—smartphones e tablets — chegaram para ficar.

Afinal, eles são a solução mais compatível com nosso estilo de vida atual: sempre na rua ou nos deslocando, e com vontade de estar conectados a qualquer momento e em qualquer lugar.

E, junto com o mobile, chegaram os apps.

A diversidade é impressionante. Existem apps para diversão, informação, comunicação ou produtividade no trabalho, entre várias outras categorias.

Para quem desenvolve um app, ele representa o potencial de tornar-se uma fonte direta de dinheiro. É isso que vamos ensinar neste artigo.

Quer saber como monetizar app? Então, confira nossas dicas sobre o Google Admob, a rede de públicos do Facebook e outras formas de capitalizar a popularidade de um aplicativo.

Boa leitura!

Como monetizar app usando ads

Você pode usar o app como veículo para campanhas de ads. É um conceito similar aos ads que você já está acostumado a ver em websites. O potencial deste tipo de marketing é muito alto.

Uma pesquisa da Juniper Research demonstrou que, em 2018, as estimativas indicam que os anúncios in-app (dentro de aplicativos) serão da mesma proporção, ou até superiores, aos anúncios em navegadores mobile.

Esse tipo de predição faz sentido. Os usuários optam pelo uso de aplicativos, em vez de sites mobile, porque é mais funcional.

Um bom exemplo são os apps de internet banking: são mais fáceis de visualizar e navegar do que o site móvel do próprio banco.

Uma vez que os usuários estão migrando para os apps, a publicidade também está. E existem ferramentas voltadas para permitir o desenvolvimento de campanhas de ads otimizadas para este canal.

Dentre essas ferramentas, duas delas têm grande destaque: o Google Admob e a Rede de Públicos do Facebook.

Google Admob

Você já viu que é viável monetizar um aplicativo através de anúncios. Então, resta a pergunta: como?

É aí que entra o Google Admob. Essa é uma ferramenta do Google voltada exatamente para criar ads e distribuí-los em uma rede de apps afiliados. Assim, ele permite:

  • Monetizar – colocando ads no seu app
  • Promover – criando seus próprios anúncios para colocar em vários apps. É importante mencionar que o Admob promove apenas aplicativos

O Admob está disponível para as duas maiores plataformas mobile: Android e iOS.

Monetizando seu app com o Google Admob

Primeiro, vamos falar para você, que quer saber como monetizar app com o Admob.

Em primeiro lugar, é preciso escolher os ads que vão ser exibidos. Mas, fique tranquilo: o Admob permite controlar através de filtros de categorias gerais. Assim, você pode garantir o alinhamento entre o ad e o conteúdo do seu app.

Outra opção é usar a Central de Revisão de Anúncios. Com ela, você pode rever anúncios individualmente, antes que eles sejam exibidos dentro do seu app.

Outra preocupação importante que você deve ter em mente ao usar o Admob é a questão do formato. O formato de anúncio deve ser adequado para garantir que a experiência do usuário com o seu aplicativo não será prejudicada.

O Admob oferece uma variedade de formatos: anúncios em banner, intersticiais ou vídeo.

  • Os anúncios em banner ficam na parte de cima ou de baixo da tela, e são redimensionados de maneira inteligente para se adaptar à tela.
  • Os anúncios intersticiais ocupam a tela toda e aparecem em intervalos ou transições naturais da dinâmica do app.
  • Os anúncios em vídeo podem ser ignorados pelo usuário após cinco segundos.

Finalmente, outro ponto importante é o próprio valor que você receberá para exibir ads no aplicativo.

Como esse valor é definido?

Através dos lances dos anunciantes. Eles pagam no modelo CPM – custo por mil impressões, ou mil exibições, do ad.

Quanto maior for a concorrência, maiores serão os lances e, também, seu potencial de monetização.

As perspectivas são boas: como existe muita demanda de anunciantes, os lances por CPM no Admob cresceram 200% desde o ano de 2013.

Para completar, o Admob também conta com excelentes taxas de preenchimento. Em outras palavras, a alta demanda de anunciantes garante que não vai faltar ads para colocar no seu aplicativo.

Na maioria das vezes, o Admob consegue preencher 100% dos “espaços” disponíveis para veiculação de anúncios.

Vale a pena mencionar que o Admob conta com um recurso de mediação.

Ele permite gerenciar várias redes de anúncios para escolher, de maneira dinâmica, os mais lucrativos. Assim, você pode otimizar seus ganhos com in-app ads.

E como funcionam os pagamentos?

No Google Admob, você recebe seu pagamento após o 21o dia do mês seguinte. Portanto, a renda que você gerou em Janeiro será calculada até o dia 21 de Fevereiro e paga logo em seguida.

Existe um limite mínimo para “resgatar” seus ganhos. Esse valor muda conforme a moeda que você utiliza no Admob. Se você não atingir esse limite, seu saldo fica acumulado para o próximo mês.

Criando uma campanha com o Google Admob

Agora, vamos falar para quem quer promover seu app através do Admob.

A conta do Google Admob é conectada à conta do Google Adwords para que você possa criar suas campanhas de ads. Essas campanhas visam a conseguir que mais pessoas façam o download do seu app.

As campanhas de anúncios in-app permitem aplicar palavras-chave e filtros para direcionar melhor o público-alvo, da mesma maneira que em uma campanha de ads regular do Google Adwords.

Depois de criar a campanha, é possível acompanhar seu desempenho. Nesse caso, a taxa de conversão é baseada no volume de instalações do seu app. Para isso, o Admob integra-se ao Google Analytics. Você pode usar todas as métricas relevantes, como engajamento ou receita.

Outra ideia interessante é segmentar sua audiência. Desta forma, você pode ter uma perspectiva mais detalhada sobre como os usuários estão usando seu app.

Rede de públicos do Facebook

Mas o Google Admob não é a único opção para monetizar seu app. Você também pode participar da Rede de Públicos, que é voltada para divulgação de ads usando o sistema do Facebook.

É interessante mencionar que a Rede de Públicos do Facebook tem um funcionamento bastante parecido com o Admob—da mesma maneira que o Facebook Ads tem um funcionamento semelhante ao Google Adwords.

Vale a pena reforçar que tanto apps Android quanto iOS possuem suporte à Rede de Públicos.

Você pode aderir à Rede de Públicos como desenvolvedor, para monetizar, ou como anunciante, para promover. Vamos ver mais detalhes?

Monetizando seu app com a Rede de Públicos

Para isso, você precisa integrar seu app à Rede de Públicos, o que pode ser feito através de um SDK.

Em seguida, é preciso determinar as posições em que os ads serão exibidos. Os formatos de anúncios, aliás, são os mesmos que vimos no Admob: banner, intersticial ou vídeo.

O terceiro passo é enviar seu app para análise do Facebook—um processo que leva 48 horas, mas é feito automaticamente.

Com esses três passos e o seu app ativo para download e visualização pelos usuários, você já começa a gerar receita.

Mas, afinal, quais são os anúncios que serão veiculados no seu app?

Basicamente, são as campanhas de Facebook Ads em que o anunciante optou por usar a Rede de Públicos.

Para os anunciantes essa é uma opção interessante, porque permite que eles sejam vistos pelos mesmos usuários em duas plataformas diferentes: Facebook e apps. Assim, as oportunidades para se conectar com o consumidor duplicam.

Para você, o processo também é tranquilo. Os usuários do seu app só verão ads relevantes, direcionados através de filtros demográficos.

Um recurso valioso da Rede de Públicos é a mediação – outra similaridade com o Admob. Ele permite que você gerencie mais de uma rede de anúncios, para garantir os melhores resultados. Assim, você pode definir regras que vão dar prioridade a uma rede ou outra.

Dessa maneira, a taxa de preenchimento é otimizada – pois, se a primeira rede da sua lista não puder oferecer um ad, a próxima será automaticamente acionada. Por consequência, sua receita também aumenta.

Agora, algumas informações práticas.

O pagamento da Rede de Públicos é feito mensalmente—em geral, na terceira semana do mês seguinte. Ou seja, o que você ganhar em Janeiro provavelmente será liberado na terceira semana de Fevereiro.

Porém, atenção: o crédito só é liberado quando o valor disponível é superior a 100 dólares, no total. No caso de quem monetiza mais de um aplicativo, é preciso ter mais de 100 dólares de receita para todos os apps juntos. Do contrário, seu saldo fica acumulado para o próximo mês.

Criando uma campanha com a Rede de Públicos

Se a sua intenção não for somente monetizar, mas divulgar seu app, você também pode usar a rede de públicos.

Você pode criar os anúncios a partir da sua página no Facebook, do Gerenciador de Anúncios ou do Power Editor.

O elemento mais interessante é a possibilidade de direcionar os ads com riqueza de detalhes, em relação à localização, demografia e interesses. Você também pode usar o recurso de Públicos Semelhantes para “copiar” um perfil que já existe.

Principais diferenças entre Google Admob e Rede de Públicos do Facebook

Nós dissemos que essas duas ferramentas são similares. Mas, assim como no caso do Google Adwords vs. Facebook Ads, nem tudo é igual.

Hoje, a principal diferença entre eles é a taxa de preenchimento – que é maior no Google Admob. A documentação do Facebook lista, pelo menos, quatro justificativas para a baixa taxa de preenchimento.

Outra diferença interessante é que o usuário precisa ter o app do Facebook instalado no seu aparelho para que a Rede de Públicos preencha os espaços com anúncios. O Admob não tem essa exigência.

É muito importante lembrar, também, das diferenças relativas ao sistema de pagamento. O Google Admob não faz pagamentos via Paypal, mas pode usar sua moeda nativa. Enquanto isso, a Rede de Públicos trabalha com o Paypal, mas só faz pagamentos em dólar. Cabe a você analisar qual opção é mais vantajosa.

E vale a pena retomar a questão da abrangência.

A Rede de Públicos pode abranger os usuários do Facebook – cerca de 1 bilhão de pessoas por dia. Enquanto isso, o Admob pode abranger todas as pessoas que usam aplicativos, já que ele não tem exigências para que o usuário possa visualizar os anúncios.

Para você, que quer monetizar seu app, isso faz toda a diferença. A segunda opção tem mais potencial de gerar receita, baseada no maior volume de impressão de ads.

Qual é o potencial de ganhos com anúncios in-app?

Talvez você esteja imaginando que os ganhos com anúncios in-app são pequenos, e que essa alternativa para monetizar seu aplicativo é apenas uma forma de ganhar alguns “trocados” no final do mês.

Porém, o potencial de ganhos com ads é tão alto quanto o potencial de sucesso do seu aplicativo!

Aqui vai um case interessante: o jogo Angry Birds, que viralizou no ano de 2009, chegou a faturar US$1 milhão por mês com o Admob.

Existem outras formas de monetizar meu app?

Com certeza!

Uma estratégia bastante comum é criar duas versões do mesmo app. Uma delas é gratuita, com anúncios. A outra é paga, mas sem os anúncios.

Assim, os usuários que não gostam do efeito que os ads têm sobre a experiência com o aplicativo podem optar por uma versão mais compatível com sua preferência. E você continua monetizando com as duas versões.

Tenha em mente que a versão paga provavelmente vai apresentar um volume de downloads bem menor. Por isso, você precisa ajustar seu preço para que seja atraente  aos usuários, mas, ainda assim, traga uma margem de lucro interessante.

Neste artigo, você conheceu o Google Admob e a Rede de Públicos do Facebook. Falamos sobre como monetizar app com essas ferramentas, e também sobre como criar suas próprias campanhas de ads. E apresentamos algumas diferenças importantes entre as duas alternativas.

Mas, calma! Essa é apenas uma visão geral do assunto. Quer aprender ainda mais? Então, confira nosso artigo sobre como monetizar seu blog!