designer gráfico

Designer gráfico: como contratar ou se tornar um profissional qualificado para o mercado?

Uma vez que você está lendo esse artigo, permito-me concluir que você possui um par de olhos em funcionamento — a não ser que faça uso de leitores de tela para cegos.

Sendo assim, sendo agraciado pelo sentido da visão, o design gráfico está presente bem aqui. Alí. Acolá.

Quase todos os lugares para onde o seu olho estiver apontado nessa tela emitindo luz na sua frente (e em boa parte do mundo físico fora dela) possui design gráfico aplicado.

Essa premissa inicial poderia já ser o bastante para expressar a importância do design gráfico no mundo, mas infelizmente nem sempre é dada ao design a sua devida importância.

Vê-se muito no mercado – principalmente em empresas menores – pessoas pouco qualificadas exercendo a função de designer gráfico (designer é aquele que executa o design). Mas um design bem feito, por um profissional que sabe o que está fazendo, tem uma eficiência muito maior.

De acordo com um estudo realizado pela Ethos3 – We Live In A Visual World – apontou que:

  • 90% da informação enviada ao cérebro é visual;
  • Recursos visuais são processados pelo cérebro 6 mil vezes mais rápido;
  • O ser humano retém, em média, 80% do que vê, 20% do que lê e 10% do que ouve;
  • Conteúdos visuais estão 40 vezes mais suscetíveis a serem compartilhados nas redes sociais que os demais tipos de conteúdo.

Viu como é muito importante ter um material gráfico bem feito?

Está interessado em ser um guerreiro dos pixels?

Um artista de vanguarda disfarçado de empreendedor?

O cara mais cool e antenado do escritório?

Ou você quer contratar esse profissional para melhorar a forma que as pessoas veem a sua empresa?

Vamos te explicar tudo o que você precisa saber para mergulhar de cabeça no mundo do design gráfico!

Além disso, saiba também:

O que faz um designer gráfico?

Desenhos legais no computador, certo?

Errado!

O designer gráfico é responsável pela criação, desenvolvimento e manutenção de estratégias do marketing e de produção de conteúdo para apoiar os produtos e outras metas.

Do conceito à execução, esse profissional vai ajudar a melhorar a experiência do usuário, trazendo vida à marca e mantendo a sua mensagem consistente em todos os canais.

A maior responsabilidade de um designer se dá pelo fato de que ele faz  “a cara” da marca.

Tudo o que é visto pelo público foi feito por um designer.

E cabe a ele manter essa aparência condizente com as necessidades e linguagem da persona, estabelecendo uma comunicação clara e objetiva.

  • O designer vai analisar necessidades;
  • Pesquisar referências;
  • Definir as diretrizes para os projetos: metodologia, cores, fontes, estilos, formatos, etc;
  • Executar a criação dos materiais gráficos: ícones, imagens, panfletos, folders, banners, posters, revistas, livretos, ebooks, ilustrações, infográficos, animações, sites, templates, apresentações, etc;
  • Se certificar de que há conformidade entre todos esses materiais (o público deve bater o olho no material e reconhecer a marca)
  • Manter-se atualizado para que os materiais sigam estilos que sejam bem aceitos pelo público.

Vamos explicar melhor cada um desses tópicos abaixo.

Análise de necessidades

Suponhamos que você contrate um designer e a sua primeira tarefa para o mesmo seja:

  • Precisamos divulgar o nosso produto. Faremos isso através de panfletos.

A primeira tarefa do designer não é a de criar o tal panfleto. É a de analisar se esse panfleto é de fato necessário.

Será um panfleto a melhor alternativa de divulgação para a sua marca?

Uma pesquisa bem feita pode indicar que, na verdade, panfletos serão apenas um grande desperdício de dinheiro e que o retorno será muito pequeno em relação ao custo que vai gerar.

Essa mesma pesquisa pode indicar que a melhor estratégia para divulgar a sua marca/produto seja a criação de uma página no Facebook, que gera ZERO de custo em impressão.

Esse é um papel importantíssimo do designer.

Ele não apenas executa. Ele também opina e orienta, embasado em dados.

Cabe também ao contratante dar ouvidos ao designer. Não trate o designer como “o cara que desenha no computador”. Ele tem conhecimentos que vão muito além disso e podem ajudar você a economizar muito dinheiro!

Pesquisa de referências

Pesquisar referências faz parte do dia a dia do designer.

As informações voam na velocidade da internet (que é muito mais rápida que a luz) e o designer precisa estar antenado a tudo o que está acontecendo.

Qual é a cor da moda? Qual é o estilo de ilustração que tem sido usado? Qual é o novo código que está ajudando as grandes marcas a gerarem milhões em receitas?

O designer possivelmente sabe responder (ou pelo menos sabe onde encontrar respostas) para todas essas perguntas.

Diretrizes

Para gerar a tão esperada conformidade entre os materiais desenvolvidos, regras precisam ser determinadas.

A primeira é a metodologia. Metodologias ajudam a otimizar tempo. Não existe uma receita de bolo no design, mas ter padrões pré estabelecidos para executar tarefas facilita e agiliza o dia a dia do profissional.

O designer também deve definir as cores e as fontes que vão representar a empresa. Ter uma paleta de cores pré estabelecida e usar sempre as mesma tipografia, são fatores primordiais na hora de fortalecer a sua marca.

O estilo que a marca vai adotar para se comunicar com a persona também é papel do designer. As imagens serão fotos reais? Ilustrações? Essas ilustrações vão ser coloridas e com efeitos? Ou vão ser mais minimalistas e com cores chapadas? Pesquisas e testes feitos pelo designer vão ser ferramentas para estabelecer essas regras de estilo.

Quais formatos serão utilizados? Imagens estáticas são mais fáceis e rápidas de serem feitas, mas animações e vídeos podem ter um grande poder de engajamento nas redes sociais. O designer também define esses formatos e inclusive a frequência de produção de cada um desses materiais.

Execução

Essa é a parte mais operacional do design gráfico e é considerada, pelos mais desavisados, como a única função real dos designers.

É aqui que a mágica acontece. Os desenhos no computador são feitos nessa etapa.

Mas é bom lembrar de que nem todo designer é desenhista (ou ilustrador, como gostam de ser chamados).

Na verdade, muitos desse materiais exigem do designer conhecimentos específicos e poucos designers no mercado são polivalentes o bastante para dar cabo de todas elas.

Podemos encontrar designer que são excelentes ilustradores, mas que não saber nada de web design ou animação.

Via de regra, em quanto mais áreas o designer atua, mais alto o seu valor de mercado.

Conformidade

Cabe ao designer verificar se os materiais executados estão “conversando entre si”. Essa conformidade visual faz com que o público reconheça a marca à primeira vista.

Atualização

Designers devem ser atentos a tudo o que acontece. Sendo nas áreas de tecnologia, na área da moda, sobre cultura pop… tudo isso influencia num bom design e na potência de conversão do mesmo.

Quanto ganha um designer gráfico?

Segundo survey da Love Mondays, a média de salário de um designer gráfico gira em torno de R$ 2.303 por mês. O salário pode variar de R$ 600 (provavelmente estágio ou part time) a R$ 14.550.

Esta estimativa salarial tem base em 928 salário(s) postados por funcionário(s) no Love Mondays para este cargo.

Quais as qualificações necessárias para ser designer gráfico?

Para se trabalhar como designer existe aqui um ponto fora da curva. Não necessariamente você precisa ter graduação formal/acadêmica na área.

Graduação é um belo diferencial, mas experiência de trabalho na área (como in-house ou agência, por exemplo) pode ser o suficiente.

Caso você tenha um portfólio matador que justifique a sua contratação e deixe claro que você vai conseguir trazer boas soluções paras as demandas diárias de design, não é a ausência de um diploma que vai te prejudicar.

Sendo assim, ter um portfólio é primordial para concorrer a essa vaga;

O mínimo que será esperado de você é a criação de imagens estáticas para transmitir mensagens rápidas à persona e gerar engajamento com o mesmo.

Contudo, existem algumas habilidades que podem destacar você na multidão.

Quais as habilidades que um Designer Gráfico deve ter?

  • Ter noções de web design e design de experiência, sabendo lidar com a criação de peças gráficas que sejam responsivas para mobile, tablet, desktop e oferecem uma experiência ao usuário compatível com as três telas;
  • Ilustração e noções de animação, podendo trabalhar com motion graphics em projetos de vídeo, gifs animados e infográficos;
  • Modelagem 3D;
  • Diagramação e tipografia;
  • Dominar ao menos os três principais programas da Adobe Creative Suite (Photoshop, Illustrator e InDesign) ou outras tecnologias similares;
  • Conhecimento de programação em HTML, CSS e JavaScript.

Como contratar um designer gráfico?

Encontrar designers competentes, experientes e polivalentes não tem sido uma tarefa fácil, principalmente se você não pode oferecer ao seu profissional um salário competitivo.

Por salários inferiores você conseguirá um estagiário dedicado, mas sem muita experiência.

Logo, para atrair o profissional adequado para dar cabo das demandas geradas pela sua marca, deve haver um equilíbrio entre as habilidades do candidato e quanto você pode pagar a ele.

Veja abaixo o nosso template para a contratação de um designer gráfico.

Template e descrição da vaga

DESIGNER GRÁFICO

O designer gráfico é responsável pela criação e manutenção de estratégias do marketing e de produção de conteúdo para apoiar o produto e outras metas do marketing.

Do conceito à execução, esse candidato melhorará a experiência do nosso usuário, trazendo vida à nossa marca e mantendo nossa mensagem consistente em todos os canais.

RESPONSABILIDADES:

  • Colaborar com o marketing e com o marketing de produtos para apoiar o design do site e dos outros diversos canais da empresa (blog, redes sociais, etc);
  • Ajudar a trazer novas ideias de design e de produção de conteúdo para o time através da sua experiência e expertise na área;
  • Criar templates para aumentar a eficiência do nosso time de marketing em suas rotinas de redes sociais, blog, email e outros canais;
  • Gerenciar outras necessidades do design, como apresentações, detalhes gráficos e outros.

REQUISITOS:

  • Graduação ou experiência de trabalho na área;
  • Experiência como um designer in-house ou agência. É necessário ter um portfólio para concorrer a essa vaga;
  • Essa posição exige a criação de peças gráficas para nosso time web que sejam responsivas para mobile, tablet, desktop e oferecem uma experiência ao usuário compatível com as três telas;
  • Ser um expert no Adobe Creative Suite ou outras tecnologias similares;
  • Conhecimento de HTML, CSS e JavaScript é um grande diferencial;
  • Certificação em marketing de conteúdo.

Análise de currículo e portfólio

Nessa etapa você deve separar o joio do trigo. Analise friamente os dados contidos no currículo.

As habilidades, aptidões e experiência são compatíveis com a vaga disponível?

Depois disso, analise muito bem os portfólios, pois — no caso dos designers — ele conta muito mais que um currículo. Temos diversos casos onde profissionais práticos apresentam portfólios muito melhores do que o de profissionais com ensino formal. Não tenha preconceito.

Com conhecimento de design ou não, você deve ter uma compreensão sobre a sua própria marca e sobre a sua persona. Analisando o portfólio você vai conseguir identificar se o profissional em questão possui uma linguagem que vai agregar valor à sua marca e vai se comunicar com a sua persona de forma clara e objetiva.

Tarefa pré-entevista

Você recebeu diversos currículos e portfólios, certo? Esperamos que sim. Agora é a hora de selecionar os seus favoritos e pedir aos candidatos um teste técnico para que as habilidades que te encantaram no currículo e portfólio sejam aplicadas às suas reais necessidades.

A complexidade da tarefa deve ser condizente com o cargo. Não faz sentido pedir à um candidato a vaga de estágio em design a mesma tarefa solicitada a candidato a vaga de designer pleno.

Tenha em mente qual o tipo de trabalho o seu futuro designer deve executar e a importância deles na sua estratégia.

Dê ao candidato um prazo justo para a execução das tarefas. Você quer um designer bom e veloz, claro, mas essa agilidade pode ser medida mesmo com um prazo um pouco mais extenso.

Uma vez em que ele não está acostumado com as suas diretrizes e estratégias, explique tudo muito bem e dê tempo o bastante para que ele crie algo satisfatório.

Analisando o teste técnico você vai notar se a arte foi feita às pressas ou se foi feita com esmero e dedicação.

Uma semana é um prazo honesto.

Na hora de elaborar o teste técnico, certifique-se que o que está sendo pedido foi muito bem explicado.

Dar várias opções ao designer também é uma boa estratégia. Mas lembre-se de estipular uma tarefa em comum para todos, isso facilita a análise.

Sendo assim, envie aos candidatos um email seguindo o exemplo abaixo:

 

Olá, xxxx! Parabéns!

Recebemos muitas candidaturas para nossa vaga de Design e você foi um dos selecionados para a próxima etapa.

Para a próxima fase pediremos, então, que você realize um pequeno exercício técnico.

Um dos nossos maiores desafios é criar imagens para [fins específicos] que gerem engajamento e uma alta taxa de conversão. Portanto, sua missão é criar duas artes:

1. OBRIGATÓRIO

Imagem A

Deve ser entregue no formato de X x Y (especifique a unidade de medida) em (especifique resolução em dpi) em (especifique o formato).

Recomendamos uma breve pesquisa nos nossos materiais para que a sua criação fique alinhada ao nosso padrão visual. (deixe o link para acessar os materiais, caso não haja, dê referências e explique o que você espera das artes)

2. ESCOLHA UMA DAS OPÇÕES A SEGUIR

a) Imagem B

Deve ser entregue no formato de X x Y (especifique a unidade de medida) em (especifique resolução em dpi) em (especifique a extensão).

Essa imagem será usada para (explique a utilidade da imagem). Mais uma vez, fique atento ao nosso padrão visual.

b) Imagem C

Deve ser entregue no formato de X x Y (especifique a unidade de medida) em (especifique resolução em dpi) em (especifique a extensão).

Essa imagem será usada para (explique a utilidade da imagem). Mais uma vez, fique atento ao nosso padrão visual/criação livre.

O público-alvo é formado por pessoas (defina o seu persona).

Conteúdo

O conteúdo é por sua conta, pois acreditamos no seu potencial de criação e pesquisa / Especifique o conteúdo a ser utilizado.

Nossa marca vetorizada se encontra nesse link/anexa.

A entrega poderá ser feita até às XXhXX do dia XX/XX, próxima xxxx-feira. Quando estiver tudo pronto, você deve enviar a imagem para os seguintes e-mails: xxxxx@nomedaempresa.com, yyyyy@nomedaempresa.com e zzzzz@nomedaempresa.com.

 

Quando receber os teste práticos, faça uma análise cuidadosa das peças recebidas e então, selecione os candidatos que passarão para a próxima etapa da entrevista presencial.

Entrevista presencial: faça as perguntas certas

Na entrevista presencial, algumas perguntas são chavões. Mas durante o processo de seleção de um designer gráfico, algumas perguntas são imprescindíveis.

Pergunte sobre o processo de trabalho do candidato

Organização é algo importante em qualquer carreira.

No design especificamente, o conceito de metodologia é muito básico e é introduzido logo no início de qualquer curso.

Mesmo que o candidato não tenha ensino formal, ele provavelmente já ouviu falar disso e possui os seus métodos próprios de trabalho.

Por mais que você não entenda nada de design, se o candidato for capaz de explicar o método dele, explicando rapidamente as suas etapas e deixando claro como é que ele faz uma ideia se tornar o projeto gráfico, então ele tem uma boa metodologia de trabalho.

Prazo x Qualidade

Dê ao candidato uma ocasião hipotética onde ele tenha um grande volume de trabalho e um prazo curto.

Ele pode escolher entre duas opções:

  • a de entregar todo o trabalho no prazo estipulado, mas sacrificando a qualidade do produto final por não ter tido tempo para esmiuçar e desenvolver todos os detalhes;
  • ou então o de entregar apenas parte do trabalho, mas com uma qualidade mais próxima do que considera o ideal.

A resposta correta varia de acordo com o que a cultura da sua empresa considera como primordial.

Pergunte sobre experiências anteriores

Se o candidato já tem experiência no mercado, deixe-o falar a respeito.

Isso vai ajudar numa análise sobre como ele se relaciona no trabalho, como ele pensa enquanto trabalha, possíveis falhas e/ou acertos cometidos em outras empresas e até mesmo perceber que ele não se deu bem em algum emprego passado por uma simples incompatibilidade de cultura, mas que cairia como uma luva na seu time. 😉

Faça perguntas mais técnicas

Se você possui conhecimento de design, ou se tiver uma equipe de design já formada com um gestor definido, não hesite em fazer perguntas técnicas.

Faça perguntas sobre fontes, sobre a importância de alinhamentos, hierarquia de informações, pesos e medidas.

Pergunte sobre habilidades especiais como ilustração, animação ou modelagem tridimensional.

Coloque o candidato na fogueira se constar no currículo do mesmo que ele tem domínio avançado sobre alguma ferramenta.

Isso tudo vai esclarecer diversos pontos:

  • O candidato foi honesto ao fazer seu currículo?
  • O candidato de fato domina tudo o que ele diz dominar?
  • Ele tem habilidades técnicas para compartilhar?
  • Ele admitiu não ter conhecimento sobre algo mas demonstrou-se disposto a aprender?

Ao fim dessa entrevista, certamente você estará apto a escolher o melhor candidato para a vaga disponível, equilibrando os resultados do teste técnico, do portfólio e do quão o candidato se encaixa na cultura da empresa.

Qual a importância de um Designer Gráfico para a minha empresa?

O designer é um profissional criativo, mas muito metódico e racional. Muitos pensam que a sua função é apenas a de embelezar as coisas, mas design tem muito também a ver com método e processo.

O designer gráfico então, não só vai criar belas peças gráficas, mas vai também desenvolver uma conformidade entre todas elas, criando padrões e regras que darão força para a sua marca e que vão ajudar na otimização dos processos.

Tudo fica mais rápido, prático, bonito e funcional com a presença de um designer competente.

Ter um bom designer ajuda a sua marca a se destacar de forma consciente. Imagens e elementos gráficos passam a ser parte da sua estratégia baseando-se em teorias comprovadas, e não em achismos.

Entendeu como é importante ter um designer gráfico no seu time e como o trabalho desse profissional é extremamente complexo e importante? Ótimo! Ainda não ficou claro? Leia esse artigo que conta tudo sobre design gráfico no marketing de conteúdo.

E se você quer procurar bons profissionais dessa área ou até mesmo conseguir oportunidades de trabalho em marketing, vendas e design, não deixe de conhecer o RockJobs!

designer gráfico

 
Autor(a)

Escrito por: Zuk Chagas Analista de Marketing e Designer Gráfico na Rock Content. Faz três coisas desde que nasceu (e certamente continuará fazendo até o fim dos tempos): desenha, toca guitarra e torce pro São Paulo. É nerd desde quando ser nerd não era tão legal assim.



    Deixe um comentário

    Certificações em Marketing Digital - Universidade Rock Content
    Vagas em Marketing e Vendas - Rock Jobs
    Ebook Inbound Marketing - O Guia Definitivo

    A Rock Content é líder em marketing de conteúdo no Brasil. Ajudamos centenas de empresas a atingirem seus objetivos de marketing. Queremos ajudar você também!