diferença entre conteúdo e marketing de conteúdo

Você sabe a diferença entre conteúdo e marketing de conteúdo?

“Sua empresa precisa criar conteúdo relevante para o público”, “só o bom conteúdo pode salvar o seu negócio”, “o conteúdo é rei”. Em épocas de marketing de conteúdo o que não falta é gente espalhando esse tipo de mensagem pela internet.

Mas será que conteúdo e marketing de conteúdo são a mesma coisa?

Bem, a principio pode até parecer, mas olhando de perto, dá para ver que existem grandes diferenças entre esses dois termos.

Diferenças que, inclusive, devem ser conhecidas por todo profissional e empresa que queira apostar e lucrar com os benefícios do marketing digital.

Ficou interessado em saber quais são elas?

Então confira o nosso post e entenda melhor sobre o assunto.

O conteúdo puro e simples

De maneira bastante simples, qualquer página, blog ou até filme que traga alguma informação – seja ela qual for – pode ser considerado como algo com conteúdo.

E dai não importa se estamos falando de uma peça premiada em Cannes, de um filme do Quentin Tarantino ou daqueles folderzinhos que você pega na entrada no supermercado: tudo isso é conteúdo.

Só que ninguém, ou melhor, nenhuma empresa, quer ter um conteúdo genérico como esse dos folders.

Todo mundo quer produzir conteúdos relevantes que chamem a atenção do público para a marca, certo?

Certíssimo, só que, no final das contas, isso acaba sendo um problema.

Um problema bastante acentuado graças aos smartphones e as redes sociais.

A (falta de) atenção e o problema do conteúdo feito só para marcas

diferença entre conteudo e marketing-de-conteudo, homem sentado olhando para celular

No começo de 2015 o fotógrafo Eric Smith ganhou uma certa notoriedade na web ao fotografar um sujeito sentado na popa de um barco, digitando em seu smartphone enquanto uma gigantesca baleia passava calmamente sem ser notada ao seu lado.

Uma imagem que, segundo o próprio Eric, mostrava o “sinal dos tempos”.

E ele tem razão: se nem as baleias conseguem mais ganhar a briga pela atenção contra os celulares e a timeline do Facebook, imagina um conteúdo sem graça produzido pelas marcas!

De acordo com um estudo feito pela Microsoft no Canadá, hoje as empresas tem menos de 8 segundos para capturar a atenção do público com seu conteúdo, seja ele qual for.

E aí, se uma empresa está apenas produzindo conteúdo só com intuito de falar diretamente sobre os seus produtos e sua marca, provavelmente ela está perdendo tempo e dinheiro.

Algo que obviamente é um problema.

Ou melhor: um problema para aquelas que ainda não estão adotando estratégias de marketing de conteúdo, que é outra coisa bem diferente.

O marketing de conteúdo

 

Para Seth Godin, autor de livros de negócios como “Sundae de Almôndegas e Quebre as Regras e Reinvente – Qual Foi a Última Vez Que Você Fez Algo Que Nunca Fez?” o marketing de conteúdo é a resposta de mercado que sobrou para o marketing tradicional.

diferença entre conteudo e marketing-de-conteudo, capa do livro de seth godin

Agora, claro que é possível definir isso de uma maneira menos dramática.

Como já explicamos no blog, o marketing de conteúdo é uma ferramenta que uma pessoa ou empresa tem para engajar com o público-alvo e fazer crescer sua rede através da criação de conteúdo relevante, atraindo, envolvendo e gerando valor para as pessoas.

Não algo que, como acontece na mídia tradicional, é feito apenas para ficar gritando a sua mensagem para todos os lados esperando que em algum momento encontre a pessoa certa.

Conseguiu perceber qual é a diferença entre o conteúdo do marketing de conteúdo e o conteúdo puro e simples gerado para uma empresa?

É o foco que aqui nós temos ao criar algo de relevante para as pessoas e não para os donos daquele negócio.

Colocando a audiência em primeiro lugar

Já deu uma passadinha no site da Red Bull? Não? Então vá até lá qualquer dia e veja como a empresa trabalha seu conteúdo na web.

diferença entre conteudo e marketing-de-conteudo, site da red bull

Assim como acontece no blog do Guia Bolso – um grande app de controle financeiro aqui do Brasil -, todo post e material gerado pelas empresas é direcionado para o público, seja para divertir ou instruir ele a respeito de alguma coisa.

Com isso, e com tanto conteúdo relevante sendo criado, é claro que as pessoas que passam por ali acabam se engajando mais com as marcas, não dando apenas 8 segundos de sua atenção para elas.

Ou seja: no final das contas, a grande diferença entre conteúdo e marketing de conteúdo, é a maneira com que direcionamos uma determinada mensagem.

A diferença está no uso da mensagem

CEO do Marketing Insider Group, o norte-americano Michael Brenner escreveu uma vez uma definição bastante interessante sobre qual seria uma das maiores utilidades do marketing de conteúdo: ser “uma solução estratégica para um problema estratégico”.

Uma estratégia em resumo seria: usar o conteúdo como uma maneira de atrair as pessoas, engaja-las com a marca e só depois tentar lucrar com o interesse delas em algum produto ou serviço.

Algo bem diferente do que acontece quando uma empresa tenta apenas criar informações (e não conteúdo) sobre ela mesma.

Agora, trabalhar com o conteúdo correto, voltado para o marketing, não é algo tão simples de ser feito. E por isso mesmo merece toda a nossa atenção para que funcione corretamente.

Como trabalhar com o marketing de conteúdo

Tudo bem, existe uma diferença óbvia entre criar conteúdo para a minha marca e fazer marketing de conteúdo.

Então vem a pergunta: como fazer esse marketing? Como encontrar o tom certo para o seu conteúdo on-line? De que forma ele pode ajudar nos resultado da sua empresa?

Simples: focando nos seguintes pontos que iremos abordar a seguir.

Encontre a missão do seu conteúdo

Provavelmente você já deve ter ouvido falar sobre a missão de uma empresa – inclusive, é até possível que o seu negócio tenha definido isso lá atrás, logo no começo das atividades.

Mas o que seria essa missão?

Podemos dizer que isso tem a ver com a história da empresa.

É onde contamos como ela surgiu, porque surgiu e onde ela deseja chegar no futuro.

E aí, quando pensamos em criar um conteúdo que seja relevante para o público de uma empresa, nada mais justo do que pensar nesse conteúdo levando em conta que ele deve ser condizente com a missão do seu negócio.

Isso, claro, sem esquecer que todo o foco deve estar no cliente e não na empresa.

Determine o quão publicitário será o seu conteúdo

Onde você irá veicular seu marketing de conteúdo? No próprio site da empresa? Em um blog? Em uma página separada, com nome e domínio diferentes? Pensar nesses pontos também é de suma importância para o sucesso de uma ação de marketing digital.

Tenha em mente que é muito importante apresentar os seus materiais de uma maneira “pouco publicitária”, mas que, no final das contas, também precisam converter o usuário em cliente.

E aí, ter um design focado nessa conversão pode ajudar bastante no processo.

Foque em ter um design voltado para a conversão

Quando você tem um site, blog ou até canal do Youtube voltado para o marketing de conteúdo, tantos os textos quanto o design devem ser voltados para a conversão dos visitantes das páginas.

E por conversão entende-se: clicar em um link para ler outro texto, assinar uma newsletter, baixar um e-book ou até fazer um orçamento.

Algo que pode ser desenhando com os seguintes pontos:

  • Usar bastante imagens – vídeos, infográficos, desenhos ou fotos.
  • Botões de ação (ou Call to Action – CTA ) incentivando o leitor a fazer algo dentro da página.
  • Indicação de outros conteúdos bastante procurados pelos visitantes.
  • Botões de compartilhamento nas redes sociais.
  • Data de publicação do material em destaque para mostrar que aquele endereço é bastante atualizado.
  • Design responsivo para que o site funcione corretamente em qualquer tipo de aparelho e qualquer tamanho de tela (e que ainda, de quebra, fique com o SEO super otimizado).

Pense em como você irá mensurar os resultados

Sim, a gente sabe como é lindo ver milhares de pessoas acessando uma página diariamente através do Google Analytics.

No entanto, para uma boa estratégia de marketing de conteúdo, só medir a quantidade de acessos não quer dizer muita coisa.

As perguntas que você tem que se fazer são:

  • Quanto tempo essa galera está ficando em seu site?
  • De onde eles estão vindo?
  • Qual é a idade média da maioria?
  • Tudo isso tem convertido?

Lembre-se que pensar no que deve ser mensurado (incluindo nas redes sociais) é um passo extremamente importante para qualquer ação na web.

E aí, se precisar de algumas dicas sobre análise de resultados, a dica é conferir o post que fizemos com 3 análises de Google Analytics que você deve fazer para melhorar os resultados do seu blog.

Ou nosso post sobre as métricas mais importantes de marketing que você deve acompanhar.

Como você pôde ver por aqui, existem grandes diferenças entre conteúdo e marketing de conteúdo, por isso, saber quais são elas e entendê-las pode ser o fator decisivo para o sucesso ou o fracasso de sua estratégia de marketing digital.

Portanto, de agora em diante você já sabe: foque no público, mas não deixe de conferir a conversão por trás das páginas.

Curtiu o nosso post? Que ótimo!

Então aproveite para baixar o nosso e-book sobre como montar um planejamento de marketing digital para 2016.

 
Autor(a)

Escrito por: Redator Rock Content Este artigo foi produzido por um dos mais de 5000 redatores da base da Rock Content. Quer conteúdo legal assim no seu blog? Fale com um consultor!



    Deixe um comentário

    Certificações em Marketing Digital - Universidade Rock Content
    Vagas em Marketing e Vendas - Rock Jobs
    Ebook Inbound Marketing - O Guia Definitivo

    A Rock Content é líder em marketing de conteúdo no Brasil. Ajudamos centenas de empresas a atingirem seus objetivos de marketing. Queremos ajudar você também!