homem de negócios errando o alvo

Os 20 maiores erros de marketing nas redes sociais

Falamos muito por aqui sobre o que deve ser feito para a sua empresa, com dicas para conseguir obter o melhor e como conquistar o melhor espaço para a sua empresa dentro das maiores redes sociais da atualidade.

Porém, o mundo não é feito apenas de acertos e sucessos. Todo gestor e empreendedor sabe que as falhas, os defeitos, os erros… todos também fazem parte do universo do Marketing Digital. Afinal, são eles que indicam outros caminhos e criam questões que levam a melhoras na sua estratégia.

Portanto pesquisamos, elegemos e listamos aqui os vinte maiores e mais comuns erros de marketing nas redes sociais cometidos por empresas na hora de seguir caminhos dentro das redes sociais. Aprenda com eles a crescer e conquistar o sucesso.

1. Não ter uma estratégia

Em primeiro lugar, a mais essencial de todas as falhas: achar que basta criar uma conta para ver o que acontece.

Nada disso. Assim como você elaborou um plano de negócio, com objetivos e passos para aumentar sua participação no mercado e para conquistar o respeito do público pela sua marca, você deve ter o mesmo cuidado para desenhar sua estratégia nas redes sociais.

Esse projeto requer um investimento não apenas na implantação, mas também na manutenção cuidadosa. Existem riscos a serem levados em consideração e outras situações que você nem imagina que podem acontecer. A interação com o público é muito próxima e chegar a esse espaço sem um plano cuidadoso pode ser desastroso.

2. Não integrar esforços de marketing digital

Uma conta em uma rede, uma newsletter, revista digital, site… vários esforços de marketing digital correndo separadamente sem uma integração de esforços.

É fundamental levar em consideração que os canais e as possibilidades podem – e devem – se casar para somar esforços e conquistar, com mais força, os objetivos de forma separada e em comum.

É um erro manter perfis e páginas em ilhas sem conexão, pois isso diminui – e muito – o alcance de suas campanhas. É como no ditado popular: a união faz a força.

3. Falta de supervisão e acompanhamento

Outra falha bem comum é não supervisionar o que está sendo postado. Calma, isso não significa necessariamente uma censura feroz sobre tudo, mas um cuidado e seleção no conteúdo.

Isso significa estar atento para que erros simples – como falta de correção gramatical – não caiam nos olhos do público.

Apagar sem rastro uma postagem é praticamente impossível. Uma vez na rede, a voz da sua empresa pode ser copiada e compartilhada. Então, formar continuamente os profissionais responsáveis pelas postagens é algo que evita mais tarde dores de cabeça com erros e crises.

4. Respostas inapropriadas às interações negativas

Como dissemos logo no início do post: a adoção de redes sociais significa estar próximo ao seu público. E isso significa interação. É lindo quando ela vem em forma de elogios e propaganda espontânea, mas a situação muda de figura quando o que é compartilhado não é muito positivo.

Muitas empresas, aliás, têm grande dificuldade em identificar e treinar a equipe para lidar com essas situações.

Alguns erros podem ser contornados facilmente, outros vão requerer um esforço maior da equipe. Isso não quer dizer o fim do mundo e uma crise de comunicação nas redes sociais não invalida um projeto inteiro.

Uma interação negativa pode acabar se transformando em uma oportunidade para crescimento ou indicar uma melhoria fantástica na sua empresa. Assim, você deve pensar em como lidar com as interações negativas de modo a transformar esse consumidor insatisfeito em um cliente que pode voltar a fazer negócios e recobrar a confiança na sua marca.

5. Não ter atenção ao conteúdo postado

Às vezes temos uma dificuldade em equilibrar a balança entre quantidade e qualidade para conseguir se tornar relevante. O vídeo do gatinho fofinho pode ser um verdadeiro fenômeno de visualizações, mas nem por isso adianta compartilhar esse material na sua rede.

Lembra que falamos logo no início sobre estratégia?

Pois então. É ela quem vai nortear suas postagens e interações. Entendemos que nas redes sociais o ambiente é mais relaxado, menos formal, porém isso não significa que estamos livres para fazer uso de qualquer coisa pela audiência.

Seja relevante. Pois o mesmo botão que curte é o que deixa de curtir.

Pior ainda: o Facebook tem um botão para que o usuário identifique o que é SPAM.

6. Usar espaço apenas com publicidade e propaganda

Não adianta publicar apenas os seus produtos e preços. Pela definição, as redes sociais são espaços de interação. E fica difícil interagir com “Batata – R$ 2,90/kg”.

Amplie os horizontes do seu público-alvo com materiais que eles gostam. Dê acesso àquilo que eles desejam conseguir. Se você vende batatas (aproveitando o exemplo), que tal mostrar receitas interessantes ou dicas maravilhosas sobre como prepará-las?

Então, atenção. Menos da metade do seu conteúdo deve ser propaganda. Quer uma dica? Invista naquilo que você gostaria de ler sobre o assunto do seu negócio e comece a produzir e compartilhar material mais diverso e interessante. O público agradece.

7. Falta de consistência

Também não adianta muito investir em redes sociais para simplesmente deixá-las abandonadas depois que o ímpeto inicial se esgota. É fácil manter apenas por algumas semanas e deixar que os esforços se escorram.

Seja consistente e invista na continuidade do projeto para conquistar os almejados resultados. Senão você para nas primeiras dezenas de seguidores, pois ninguém deseja tomar parte em algo que não acrescenta nada de novo.

8. Copiar + colar respostas

Todo mundo já viu isso acontecer. Um amigo faz aniversário e, quando vamos ver o mural, vemos que a pessoa curtiu e escreveu a mesma mensagem para todo mundo. Não é nada bonito.

É a mesma coisa quando falamos das interações automatizadas nas redes sociais. Copiar respostas e colar como forma de comunicação não apenas é falho, como também é indicativo de uma falta de atenção para com o seu público. Saia do automático para que possa existir, de fato, a comunicação com o cliente e não a resposta pronta para o consumidor.

9. Achar que é um projeto fácil

Basta pesquisar por artigos sobre as redes sociais para perceber que o assunto é mais complexo do que pode parecer.

Aliás, muitas pessoas acham que pela popularidade e pelo ambiente mais descontraído é fácil criar e manter uma estratégia de uso dessas plataformas. Um enorme engano por parte deles.

Cada vez mais as sutilezas nas relações são percebidas e trabalhadas e a conquista desses usuários passaram a ser importantíssimas para alavancar vendas e ampliar o leque de consumidores de empresas dos mais variados portes.

10. Não desenhar e entender seu público-alvo

Repetimos: não é um projeto fácil. O público das redes sociais não interage, necessariamente, da mesma forma que os clientes na sua loja ou site. Ali o universo é outro. Existe uma espécie de economia movida pelas expectativas e popularidade e respeitar essa configuração é o que vai garantir para a sua empresa resultados mais positivos.

Quem são as pessoas que você deseja atingir? O que elas querem e como elas se comportam? Quais os horários em que acessam as redes e através de quais meios (smartphones, tablets, computadores…)? Entenda bem suas personas para desenhar postagens e escolher imagens que as conquistem.

11. Não conhecer a concorrência nos canais usados

Seus concorrentes também usam as redes sociais? Não sabe? O seu desconhecimento significa a perda de uma valiosa oportunidade para saber como melhorar sua estratégia e como focar seus esforços para conquistar melhores resultados.

Estude e descubra o que ele está fazendo de certo, de errado e até mesmo para saber qual o público que ele atinge. Assim você e sua equipe podem (re)desenhar suas ações para que se tornem cada vez mais eficazes para, quem sabe, ultrapassar a concorrência também nesse universo.

12. Muitas contas, pouco a dizer

Outro erro é achar que, quanto mais contas, mais conectado.

Na verdade, muitas contas sem conteúdo pode ser pior do que não ter conta nenhuma. Repetimos que a atualização constante é base para a construção de uma relação eficaz com o público para conquistar clientes.

Se você está começando eleja até duas redes – as que tenham mais a ver com o seu público – e coloque seus esforços para fazer com que elas funcionem plenamente, sozinhas e em conjunto.

13. Uso ineficaz de hashtags

Uma mania hoje em dia é usar hashtag para tudo. É muito desconfortável ver linhas e linhas de hashtags para apenas uma imagem.

Aliás, essa é uma ferramenta que deve ser usada para fortalecer a marca e não apenas para mostrar que sua empresa está conectada e é moderna.

Criar uma campanha com um hashtag pode ser uma ótima oportunidade de medir a sua força dentro das redes sociais e garantir uma maior interação. Porém, o uso ineficaz só pulveriza uma informação que poderia ser relevante e interessante por ela mesma.

14. Não ouvir seu público

A voz do povo é a voz de Deus. Nem tanto, mas o ditado tem sua razão.

Falamos em hashtags,  que leva aos trending topics do Twitter. Quem decide o que vai para o topo são os usuários da rede. Ou seja: é deles o poder.

Então é impossível deixar de ouvir o seu público nas redes sociais e achar que apenas vale postar coisas interessantes para que você obtenha sucesso na empreitada. Esse mesmo público que indica o que ele deseja ler e indica para a sua equipe quais assuntos que podem ser abordados nos seus espaços.

Ao invés de quebrar a cabeça pensando em novidades, leve em consideração o que ele tem a dizer.

15. Uso inadequado de imagens

Hoje em dia não tem mais desculpa: postar imagens feias e de baixa qualidade deveria ser uma atitude banida do universo das redes sociais. Valorize a imagem da sua marca investindo em material de qualidade para o fundo do perfil, avatar, fotos para matérias e afins.

Outra atenção deve ser no uso de emoticons. A descontração tem um limite, saiba o que funciona para sua marca, sem exagerar. Evite a busca pelo bonitinho e invista no essencial para não errar. Deixemos as imagens bonitas para os perfis pessoais e para os elogios dos fãs e seguidores.

16. Não obedecer um padrão de comunicação

Lembra que falamos acima sobre perfis que se tornam ilhas, sem comunicação com o continente? Os esforços de comunicação de uma empresa não podem ser fragmentados, mas segmentados e regidos por uma mesma linha de pensamento.

Seja nos assuntos, na linguagem e nas próprias informações repassadas ao público, é fundamental ter atenção para que a comunicação da empresa seja forte e unificada, para conquistar o respeito de quem te ouve.

17. Focar apenas na quantidade

A facilidade em usar a internet e as redes sociais em prol da interação pode acabar sendo um tiro no pé. É fácil acabar postando de tudo, sem limites, e pulverizar resultados consistentes que postagens mais focadas poderiam obter.

A dica aqui é equilibrar quantidade e qualidade para obter o máximo de cada postagem. Estude os melhores dias e horários para conseguir o sucesso.

18. Falta de personalidade

Cada empresa acaba criando, dentro das redes, uma persona. Ou seja, um personagem digital que indica para o público um perfil de postagens. Mas algumas insistem em manter tudo muito frio e acabam não conquistando os usuários para fazerem parte da sua rede.

Investir em formatos – design, texto – que construam uma identidade é fundamental para que se estabeleça a relação entre você e o público.

19. Mesma mensagem – muitos canais

Lembra que falamos do copiar + colar? Então. Existem empresas que fazem o mesmo com o seu conteúdo, sem perceber as particularidades de cada rede. Alguns precisam de imagens, outros de uma chamada matadora.

Diferentes tipos de pessoa procuram diferentes lugares e cada um desses espaços requer uma atenção na mensagem – e no formato.

Por isso, estude e entenda cada rede em que sua empresa participa.

20. Não converter seguidores/fãs/amigos em clientes

E, por último, falaremos sobre uma situação que pode, inclusive, vetar projetos de marketing digital nas redes sociais.

Não adianta ter mil seguidores se eles são apenas seguidores. É necessário convertê-los em clientes para a sua empresa e garantir retorno aos seus esforços.

Lembre-se de que as redes sociais, para as empresas, fazem parte do funil para captação e venda e utilize-os com esse objetivo. Desloque-os da rede para o seu site com uma chamada atrativa que termina com um call-to-action que vai transformá-los em leads qualificados para que sua equipe possa entrar em contato e transformar aquela curtida inocente numa venda espetacular.

Lembre-se de que com consistência e persistência se vai ao longe. Erre, mas corrija a rota. O sucesso é de quem batalha por ele.

 

 
Autor(a)

Escrito por: Redator Rock Content Este artigo foi produzido por um dos mais de 5000 redatores da base da Rock Content. Quer conteúdo legal assim no seu blog? Fale com um consultor!



    Deixe um comentário

    Certificações em Marketing Digital - Universidade Rock Content
    Vagas em Marketing e Vendas - Rock Jobs
    Ebook Inbound Marketing - O Guia Definitivo

    A Rock Content é líder em marketing de conteúdo no Brasil. Ajudamos centenas de empresas a atingirem seus objetivos de marketing. Queremos ajudar você também!