Formatos de Conteúdo

39 formatos de conteúdo para alavancar sua estratégia!

Saiba como encantar e engajar sua audiência com formatos diversificados de conteúdo.

Você já ficou com aquela sensação de ter produzido um conteúdo em um formato que não combinou muito com a história ou com a persona?

Sabe aquele blog post que poderia ter rendido mais se fosse feito em vídeo ou em infográfico?

Então, ao conhecer melhor os diversos formatos de conteúdo, você poderá resolver esse tipo de problema. Assim, será mais fácil de encontrar as abordagens certas para falar sobre determinados assuntos e agradar sua audiência.

Além disso, sua produção de conteúdo se tornará mais diversificada e interessante para o público, o que poderá resultar em mais tráfego, engajamento e conversões.

Mas é bom não confundir formato de conteúdo com tipo de post, hein!

Formatos são extensões maiores que permitem variações.

Por exemplo, o filme é um formato de conteúdo. Nessa categoria, existem os filmes de terror, de ação, de comédia e de outros gêneros, ou seja, são tipos de filme. Ficou mais claro agora?

Bom, então é hora de conhecer a lista com os 39 formatos que selecionamos para trazer mais inspiração para suas postagens. Confira!

1. Blog posts

Esse é o formato mais utilizado nas estratégias que envolvem produção de conteúdo, como o Inbound Marketing.

Os blog posts também são abrangentes ao ponto de permitirem a inserção de diversos formatos, como textos (que são os mais predominantes), imagens, vídeos, gifs e áudios.

Além disso, há a vantagem de eles serem personalizáveis, ou seja, você pode falar sobre o que quiser e da forma que bem entender. O critério é seu se escreverá, por exemplo, um texto de 500, 1.000 ou 2.000 palavras.

Nesse formato, recomenda-se criar posts educativos, informativos e relevantes para sua persona. Eles são bons para trazer mais visitas no blog, posicionar melhor suas páginas nos motores de busca e gerar mais leads.

2. Áudio Posts

Os áudio posts nada mais são do que blog posts para serem ouvidos. Tratam-se de narrações humanas (e não com as vozes do Google) em forma de leitura de um texto publicado em sua página.

Eles são muito práticos e ideais para o público que não pode se distrair ou perder tempo lendo um texto.

Claro que fazer uma narração para todos os posts pode dar bastante trabalho. Por isso, procure fazer alguns testes com os principais conteúdos do seu blog.

3. Vídeos

Os vídeos, segundo relatório da Cisco, já são o formato de conteúdo mais consumido da internet e serão ainda mais. Até 2021, a expectativa é de que eles representem 82% do tráfego global.

Plataformas como YouTube, Facebook, Instagram, Snapchat, Periscope, Netflix, HBO Go e sites de notícias alimentam sua audiência com vídeos sobre todos ou quase todos os seus conteúdos.

Vídeos são mais dinâmicos, populares e seus conteúdos são mais rápidos de serem consumidos pelo público.

Sabe aquele conteúdo mais complicado de ser compreendido em um texto? Que tal transformá-lo em um vídeo explicativo de 2 minutos e postar em seu canal no YouTube?

Esse é só um entre inúmeros exemplos que podem ser aplicados nesse formato. Portanto, use e abuse da sua criatividade nessas horas!

4. Podcasts

Os podcasts são como programas de rádio gravados e compartilhados com o público pela internet.

Esse é um formato que tem se popularizado bastante nos últimos aqui no Brasil. Aliás, talvez você já tenha ouvido falar nos podcasts Nerdcast (do Jovem Nerd), Café Brasil, Braincast ou até mesmo do nosso RockCast.

Podcasts são legais para debater temas e realizar entrevistas com personalidades relevantes do seu universo temático.

O público pode ouvir na hora que bem entender e sem prejudicar tanto a realização de outras atividades.

5. Videocasts

Como você deve imaginar, os videocasts ou vodcasts são adaptações em vídeo para os podcasts ou programas de rádio.

Aliás, diversas emissoras de rádio fazem o streaming de seus programas no YouTube para a audiência acompanhá-los, também, por vídeo.

O canal Jovem Pan Notícias no YouTube é um exemplo disso.

6. Ebooks

Os ebooks entram na categoria dos formatos de materiais ricos. A propósito, é um dos conteúdos mais publicados pelas empresas que investem em marketing de conteúdo quando o objetivo é a geração de leads.

Esse formato é como se fosse um livro digital, só que, na maioria dos casos, com menos palavras. A média gira em torno de 2.000 a 3.000 palavras por ebook.

Muitas vezes, os ebooks possuem o mesmo tamanho de um blog post. A diferença é que eles se aprofundam mais nos temas e possuem uma diagramação que favorecem a leitura.

Aqui, nós gostamos tanto de ebooks que não daria para listar todos, mas podemos trazer alguns exemplos, como:

7. Audiobooks

Os audiobooks são parecidos com os áudio posts, isto é, são narrações de ebooks que permitem a audição e não só a leitura dos conteúdos.

Esses formatos de áudio simplificam a vida de quem, por exemplo, está dirigindo ou está no transporte público e não pode ler um texto.

Basta dar um play no audiobook, no podcast ou no áudio post e acompanhar tudo perfeitamente.

8. White papers

Os white papers também são considerados materiais ricos. Aliás, eles são parecidos com os ebooks, só que costumam conter menos páginas – não mais do que 5 ou 6.

De forma concisa e objetiva, os white papers são usados para abordar temas mais complexos, conteúdos técnicos ou estudos de caso.

É indicado que eles sejam oferecidos para consumidores que já tenham alguma familiaridade com sua empresa, especialmente em estratégias de nutrição e qualificação de leads.

9. Gráficos

Os gráficos são representações visuais usadas para ilustrar resultados de pesquisa.

É muito comum vermos esse formato em telejornais para mostrar os dados de pesquisas eleitorais, sociais e econômicas.

Na internet, uma referência no uso de gráficos é o portal Statista. Veja o exemplo desse gráfico que expõe o número de usuários ativos de redes sociais em todo o mundo.

É importante que os dados sejam expostos de forma clara o suficiente para o público entendê-los mesmo sem precisar de um texto para explicar.

10. Infográficos

Os infográficos são formatos que trazem mais dinamismo, criatividade, beleza e atratividade aos gráficos.

São formatos que também destacam dados e números, só que de uma forma diferenciada – com mais cores, desenhos e pequenos blocos de texto para explicar as informações.

Uma vantagem dos infográficos é que eles são altamente compartilháveis, fazem sucesso nas redes sociais (especialmente no Pinterest) e são bons gatilhos para gerar leads.

11. Webinars

Os webinars são como conferências, palestras ou chats realizados online e ao vivo para um grupo de espectadores virtuais.

Eles, assim como os ebooks e infográficos, são um dos materiais ricos mais utilizados por serem eficientes para gerar e qualificar leads.

Os webinars podem ser usados para demonstrações, treinamentos e seminários sobre um tema de interesse comum ao público que assiste.

Além da transmissão em tempo real, os webinars podem ser gravados e disponibilizados posteriormente para os inscritos que não puderam acompanhar o vídeo ao vivo.

12. Relatórios de pesquisa

Em vez de apenas apresentar gráficos ou infográficos com as informações de uma ou mais pesquisas, que tal anexar comentários e explicações sobre esses dados?

Pois bem, é para isso que servem os relatórios de pesquisa. Eles trazem uma abordagem mais completa sobre temas relevantes para o público.

Aliás, no blog Inteligência Rock Content, você poderá encontrar uma série de relatórios sobre marketing e vendas.

13. Quizzes

Os quizzes ou enquetes são um dos formatos mais engajadores da internet.

As pessoas gostam de desafios, de responder perguntas e de fazer testes. É quase que um instinto humano.

O site Buzzfeed é craque na publicação de questionários capazes de engajar milhares de visitantes e seguidores de suas redes sociais.

No seu caso, você pode experimentar a criação de enquetes ligadas a temas populares e fazer uma relação com o seu segmento de mercado.

Veja os nossos exemplos:

14. Templates

Templates são modelos prontos de organização de processos que costumam ser repetitivos.

Esse formato, além de ser uma mão na roda para resolver problemas simples da sua persona, é uma ótima fonte de geração de leads.

Aqui no blog, já disponibilizamos, por exemplo, templates para landing pages e para calendário editorial.

15. Fotos

As fotos são um dos principais formatos de conteúdo para complementar textos e para postar nas redes sociais, especialmente no Instagram.

Publicar fotografias que mostrem as pessoas que trabalham em sua empresa, os processos internos e os eventos que ela organiza ou participa pode humanizar a marca e, com isso, criar uma proximidade maior com o público.

16. Newsletters

As newsletters são o principal formato de envio de conteúdo por email. Por meio delas, você pode enviar posts do blog, novidades da empresa e materiais ricos para sua base de contatos.

Dois dos principais benefícios das newsletters são a comunicação direta com as pessoas e a possibilidade de escolher a dedo quem receberá cada mensagem, ou seja, seu alto poder de segmentação.

17. Posts em redes sociais

O nome é bem autoexplicativo e, assim como os blog posts, as postagens em redes sociais costumam ser bem amplas.

Dependendo do funcionamento de cada plataforma, é possível publicar vídeos, imagens, textos, enquetes, memes, gifs e diversos outros formatos.

O sucesso dos seus posts estará de acordo com a relevância do tema para os seguidores. Quanto mais eles se engajarem com as publicações, maior será o alcance delas.

18. Memes

Tudo bem que os memes são formatos mais simples e que dificilmente educam o mercado ou convencem alguém a converter uma oferta.

No entanto, eles podem divertir e entreter seus seguidores nas mídias sociais ou seus leitores no blog.

E o bom humor é um dos valores mais compartilhados e apreciados pelo público. Logo, quando os memes forem compatíveis com uma situação, não hesite em utilizá-los.

19. Gifs

Os gifs animados geralmente são utilizados em prol do humor, mas, diferentemente dos memes, eles podem passar mais informações valiosas.

Tudo dependerá do trecho de vídeo recortado ou das imagens montadas para construir o gif.

Os gifs podem, também, complementar ou ilustrar as mensagens contidas em um post de texto.

Aprenda como criar gifs aqui!

20. Estudos de caso

Os estudos de caso ou cases de sucesso são ótimos materiais para serem usados no fundo do funil de vendas.

Isso acontece porque ele geralmente retrata e detalha uma história real de um cliente que sua empresa ajudou a superar um problema e a produzir bons resultados.

Motivados por histórias e referências reais e positivas, os clientes tendem a confiar mais na solução da sua empresa e a fechar negócio com ela.

21. Desenhos e ilustrações

Esses formatos seguem a linha dos infográficos quando a intenção é passar ou complementar uma informação de forma mais lúdica.

Nessa categoria, ainda podemos citar os quadrinhos e os cartoons, que são extremamente funcionais para contar histórias.

22. Perguntas e respostas

Esse é um dos formatos mais populares e interativos de conteúdo na internet. Aqui, cabe a você ou a algum representante da sua empresa fazer um post para responder as principais dúvidas enviadas pelo público.

Isso pode ser feito por meio de vídeo, podcast ou em um blog post. De toda forma, não se esqueça de pedir para seus leitores ou seguidores enviarem questões para serem respondidas nos posts.

Dica importante: se o seu blog ou página em alguma rede social ainda não tiver uma audiência significativa, esse formato pode não trazer resultados significativos.

Só depois de formar uma base engajada que os posts de perguntas e respostas passam a fazer mais sentido.

23. Games

Chegamos ao formato mais dinâmico e participativo da lista. Pode até não parecer, mas bons conteúdos também podem ser transformados em jogos.

Isso é ótimo para tornar seu marketing mais divertido e aumentar o envolvimento com o público. Afinal, games podem recompensar, desafiar, distrair, aliviar stress e também educar os jogadores.

E eles não precisam ter uma elaboração complexa. Sistemas parecidos com os de jogos como quizzes, cartas e tetris, desde que utilizem elementos relacionados ao seu mercado, podem gerar resultados incríveis.

24. Aplicativos

Os aplicativos e ferramentas seguem uma linha parecida com a dos templates: facilitar a vida dos usuários.

A diferença é que, nesse caso, os aplicativos possuem sistemas próprios de inteligência para executar suas tarefas. Não é só jogar alguns dados sobre um modelo pronto.

Aqui na Rock, por exemplo, já criamos o Gerador Mágico de Títulos em parceria com a Resultados Digitais. Vale a pena conferir!

25. Slides

Pensou que bom e velho Power Point não seria útil para produzir bons conteúdos?

Então, os slides devem ser lembrados quando você fizer alguma apresentação em eventos, no Slideshare ou em webinars, por exemplo.

Os slides casam bem com pesquisas e conteúdos mais complexos que precisam ser resumidos ou simplificados para o público.

27. SMS

Os SMS são interessantes para enviar lembretes, dicas rápidas, cupons promocionais e links para conteúdos.

Sua função é parecida com a da newsletter, só que, no SMS, você terá menos de 140 caracteres para enviar uma mensagem para os contatos da sua lista.

28. Listas

As listas são um dos formatos mais organizados, populares e fáceis de consumir.

Um post em forma de lista é mais agradável visualmente de ler, já que o texto pode ser quebrado em várias seções, como neste texto que você lê.

Em infográficos e vídeos, as listas também fazem muito sucesso e possuem boas taxas de compartilhamento.

29. Entrevistas

Uma entrevista é sempre uma boa oportunidade de compartilhar histórias interessantes e conhecimentos relevantes com o público.

Esse tipo de formato se popularizou na mídia tradicional, especialmente TV e rádio, e segue funcionando muito bem na internet.

Claro que esse formato depende muito do entrevistado e do tema, mas se as escolhas forem acertadas (importância do convidado + relevância do assunto), os resultados tendem a ser positivos.

30. Reviews

Os reviews são avaliações técnicas e/ou opinativas sobre um determinado objeto. As análises podem ser feitas sobre notícias, produtos, serviços, pesquisas, eventos e outras tantas coisas.

Esse formato é bacana para ensinar o público a utilizar alguma ferramenta, passar uma lição, esclarecer dúvidas e ajudar os consumidores a tomarem uma decisão de compra mais acertada.

Inclusive, você pode fazer reviews sobre seus próprios produtos. Em uma estratégia de fundo de funil, isso pode dar certo, só que é preciso ter cuidado para não elogiar demais o produto e pecar pela parcialidade excessiva.

31. Guias

Os guias são conteúdos que se aprofundam em temas relevantes para sua persona. Eles geralmente trazem uma abordagem mais completa e detalhista sobre esses assuntos.

É comum o uso de guias para explicar conceitos importantes da sua área, ensinar como utilizar ferramentas comuns ao seu público e mostrar como determinados processos podem ser realizados.

Em nosso blog, já publicamos, por exemplo, o guia para a criação de briefings, o guia para criar campanhas efetivas no Facebook Ads, o guia definitivo do branding e outros tantos exemplos.

32. Notícias

Se você trabalha para uma empresa ou em um mercado que sempre têm novidades para mostrar ao público, a notícia é o formato mais adequado para apresentar esses conteúdos.

Pode ser uma nota rápida, uma reportagem mais completa ou uma entrevista. O importante mesmo é passar uma notícia pontual e de interesse da sua audiência naquele momento.

Assim, você manterá o público bem informado e mostrará que sua empresa está por dentro do que há de novo no mercado.

33. Prints

Os prints estão presentes em quase todos os conteúdos visuais que podemos imaginar, principalmente em slides, guias, vídeos e webinars.

Os prints nada mais são do que recortes de uma imagem ou vídeo. Eles normalmente são usados para complementar e facilitar o entendimento de uma informação passada em um conteúdo.

Por exemplo, em nosso Guia do SEMrush, utilizamos vários prints para ajudar a explicar o uso dessa ferramenta.

34. Revistas digitais

As revistas digitais ou e-magazines são formatos que se aproximam muito dos ebooks. Uma distinção é que, no caso das revistas, as versões online podem ter o mesmo tamanho das versões físicas.

O conteúdo das revistas digitais pode conter entrevistas, notícias do seu mercado, reviews, guias, listas e outros tantos formatos textuais e visuais que já conhecemos.

35. Lives

As lives são transmissões ao vivo via streaming na internet. É um formato de vídeo que tem sido cada vez mais aproveitado por usuários normais, empresas e, principalmente, pessoas famosas.

Essas transmissões são comuns de serem feitas via YouTube, Facebook, Instagram e Periscope (que é uma rede social feita só para esse tipo de transmissão).

Você pode usar as lives para bater um papo com seus seguidores, fazer uma entrevista, exibir os bastidores da empresa ou transmitir um evento.

36. FAQs

Os FAQs (Frequently Asked Questions) são conteúdos que listam as perguntas mais frequentes feitas por sua audiência em relação a sua empresa, produto, serviço, mercado ou qualquer outro objeto de interesse do público.

Essas perguntas são dispostas em uma página e respondidas ali mesmo. É importante que elas sejam atualizadas à medida que mais dúvidas comuns e pertinentes surjam.

Você pode levantar essas questões observando os comentários dos leitores nos posts ou fazendo pesquisas de opinião com eles.

37. Comentários

Não é em todo formato de conteúdo que você fica do lado de quem produz. Participar como leitor ou espectador também é uma forma de expressar suas ideias e atrair o interesse de algumas pessoas.

É interessante participar em fóruns e grupos de discussão no Facebook, LinkedIn ou Google +, comentar nas publicações de outras empresas e usuários nas redes sociais ou responder artigos em outros blogs do seu mercado.

No entanto, atente-se para não ficar fazendo promoção da sua empresa. Comente só quando você tiver uma contribuição para aquele debate e para os demais participantes da conversa.

38. Filmes

Os filmes são um dos formatos mais usados na história da publicidade e do marketing.

Obviamente, não estamos falando de longa metragens, mas sim dos bons, velhos e atuais comerciais.

Os filmes comerciais são ótimas maneiras de contar histórias divertidas, encantadoras, inspiradoras, emocionantes e capazes de repassar uma série de outras sensações.

Uma dica legal é usar os filmes para promover valores e não só seus produtos ou serviços.

Pegue o exemplo do filme Remove labels this Ramadan, da Coca-Cola. O vídeo foca na questão da construção equivocada e imaginária de aparências e não no refrigerante em si.

Vídeos assim são mais compartilhados e geram mais fãs, visualizações e percepções positivas para a marca.

39. Músicas

Uma arte tão popular quanto os filmes é a música. Na publicidade, muitas marcas apostam em canções e em jingles com o objetivo de fixar sua mensagem na mente dos consumidores.

A Coca-Cola (olha ela mais uma vez) caprichou com o Taste The Feeling e a Vivo com a pegajosa paródia #pegabem.

Você pode criar uma música para ser a mensagem principal de um conteúdo ou servir de trilha sonora para um filme.

Com tantos formatos de conteúdo, difícil agora é ficar sem ideia para elaborar seus posts. Diante da possibilidade de usar textos, vídeos, imagens, áudios, games e tantas outras extensões, sua produção de conteúdo certamente se tornará mais rica e produtiva.

No entanto, trate de analisar bem cada formato para saber qual se encaixa melhor com a proposta daquele conteúdo, com o seu calendário editorial e, principalmente, com as preferências das suas personas.

Se você quiser buscar novas inspirações para os seus posts e conferir mais dicas sobre marketing de conteúdo em seu email, aproveite para assinar a nossa newsletter.