Gerente de vendas

Descubra o que faz um gerente de vendas e saiba como contratar um

“Gerente de vendas é apenas um vendedor em um cargo mais alto.” Você já ouviu essa frase? Muito utilizada no meio, ela está completamente equivocada.

Os profissionais do ramo devem ser muito mais do que vendedores, eles devem auxiliar em questões técnicas e emocionais.

Dessa maneira, a função é estratégica, e todo o desempenho da empresa pode ser prejudicado caso escolhes incorretas sejam tomadas.

No post de hoje, veremos quais são as funções que o gerente de vendas desempenha, qual é a importância da profissão, quais são as habilidades necessárias e como contratá-lo.

Acompanhe:

​Função desempenhada

Um bom gerente de vendas deve planejar, organizar, dirigir e controlar as funções de vendas da empresa.

Vejamos como o profissional deve exercer seu cargo:

Planejamento

  • Fazer uma análise de cada aspecto concernente a parte de vendas;
  • delegar cada função do trabalho, isto é, definir os papéis dos empregados;
  • definir prazos para conclusão das tarefas;
  • definir quais são os objetivos e as métricas utilizadas. Assim, deixar claro onde a empresa deseja chegar.

Organização

  • Colocar cada pessoa em seu devido lugar para que possa desempenhar melhor as suas habilidades;
  • distribuir cada tarefa do setor;
  • delegar autoridade, sempre que necessário;
  • definir quais são as normas e as regras para as tarefas.

Direção

  • Criar um ambiente de trabalho que seja harmonioso e profissional;
  • animar e entusiasmar todos os profissionais da equipe;
  • apoiar e orientar a equipe para que todos os funcionários possam melhorar a eficiência da empresa.

Controle

  • Acompanhar o desempenho da equipe e avaliar os resultados diariamente;
  • corrigir rapidamente os erros apresentados, sejam individuais ou coletivos;
  • focar no controle dos resultados e nos procedimentos, e não das pessoas.

Habilidades necessárias

Algumas habilidades são essenciais para o gerente de vendas.

Organização

Para organizar o trabalho de uma equipe inteira, é necessário que o próprio gerente seja organizado. Assim, ele precisa planejar e controlar todas as atividades para que sejam cumpridas no tempo adequado.

Caso o próprio profissional não seja organizado, a chance de que o setor como um todo não consiga cumprir as metas e os prazos estipulados é grande.

Liderança

Como o cargo pressupõe ser líder de uma equipe, o profissional não deve se posicionar como um chefe, mas como um líder. Dessa maneira, deve saber o momento certo de agir e intervir nas decisões.

Ouvir bem

Antes de decidir alguma coisa, é importante que o líder consiga ouvir os liderados, sabendo de tudo o que precisam e de informações que podem ser úteis para o bom andamento dos trabalhos.

Treinamento

O profissional deve ser capaz de passar informações com clareza e paciência. O objetivo é que todos os funcionários entendam bem tanto as questões técnicas quanto metodológica dos processos.

Gestão de crises

Como na maioria das equipes, desentendimentos acontecem. Assim, o profissional deverá se preparar para resolver conflitos que envolvam outros funcionários, desmotivação quanto ao trabalho e aos resultados, além de problemas pessoais.

Por isso, independentemente do que aconteça, ele deverá elevar o moral da equipe e criar um ambiente que seja alegre e gostoso de se trabalhar.

Importância

O gerente de vendas é muito importante, uma vez que precisa treinar, motivar e dirigir a sua equipe. Além disso, ele deve avaliar os pontos positivos e maximizá-los, bem como os negativos, tentando resolvê-los.

Por isso, um profissional ruim não auxiliará adequadamente os funcionários. Isso traz insegurança, e não otimização dos resultados.

Sendo assim, escolher bons profissionais garante que a empresa possa caminhar rumo a melhores resultados.

Por fim, ele também deve treinar os seus funcionários para que possam fazer as suas tarefas adequadamente e ter práticas condizentes com a missão e com o objetivo da instituição.

Diante desses fatos, o líder deve estar apto a tomar todas as decisões importantes da corporação com objetividade, e não só por instintos de vendedor.

Média salarial no Brasil

De acordo com o Sine, a média salarial de um funcionário depende essencialmente de 2 fatores: tamanho da instituição e nível do profissional.

Empresas de pequeno porte

Nas empresas menores, o valor pago médio varia de R$ 2.962,00 (trainee) a R$ 8.460,00 (master). O funcionário júnior recebe cerca de R$ 3.850,00, enquanto o pleno, R$ 5.006,00 e o sênior, R$ 6.508,00.

Empresas de médio porte

As empresas de médio porte começam com salários médios de R$ 4.443,00 para os trainees. Os profissionais da categoria júnior faturam R$ 5.776.43, enquanto o pleno, R$ 7.509.36. R$ 9.762.17 é o valor recebido pelo sênior, e R$ 12.690.82, pelo master.

Empresas de grande porte

O valor médio pago para um trainee (R$ 6.665.12) é maior do que normalmente recebem os profissionais sênior de empresas pequenas. O funcionário júnior fatura R$ 8.664.65, enquanto o pleno, R$ 11.264.04. Por fim, o sênior tem média de R$ 14.643.25, e o master, R$ 19.036.23.

Vale lembrar que os dados acima são apenas médias. A região do empregado também tem influência no salário recebido.

Dicas de contratação

Antes do processo seletivo

Defina objetivos

Antes de começar o seu processo seletivo, entenda bem quais são as principais necessidades e carências da instituição quanto ao setor. Onde a empresa deseja chegar? Quais são as metas?

Analise os problemas

Aprender com a experiência é um fator primordial para a contratação. Quais são os atuais problemas da corporação? Pense em contratar um funcionário com o perfil adequado para resolver os problemas.

Considere os pontos positivos

Depois de analisar tudo quanto deve ser modificado, considere aquilo em que a empresa já caminhou bem. Sendo assim, selecione pessoas que sejam compatíveis com os acertos da empresa.

Descrição da vaga

Após refletir sobre os pontos destacados acima, leve em consideração questões como formação, experiência e perfil do profissional e especifique-as na descrição da vaga.

Em cada uma dessas áreas, o tamanho da instituição e a complexidade das tarefas demandará uma escolha diferente.

Por exemplo: pequenas empresas podem não necessitar de profissionais com muita experiência, doutorado na área e cursos no exterior.

Por outro lado, corporações maiores, com desempenho estratégico e diferentes práticas do que normalmente é encontrado, podem exigir mais dos seus candidatos.

Além disso, registre qual deve ser o perfil do candidato, quantas horas semanais serão exercidas e quais línguas estrangeiras e nível de fluência são exigidos.

Por fim, a descrição deve conter os benefícios básicos que os funcionários possuirão na sua instituição. Há plano de saúde, vale-transporte e alimentação? Participação nos lucros da empresa? Bonificação por metas?

Descreva a vaga de forma que ela chame a atenção dos possíveis candidatos para que eles queiram trabalhar na corporação.

Onde encontrar os profissionais

Os profissionais podem ser encontrados de diversas formas. A escolha depende essencialmente da urgência da vaga e dos perfis desejados.

Uma forma de divulgar a sua vaga está em sites de emprego como o Rock Jobs ou a Catho. Com eles, diversos profissionais que estão empregados ou desempregados receberão rapidamente a proposta da vaga. Assim, poderão se inscrever para o processo seletivo.

Outra forma é divulgar apenas para profissionais indicados. Dessa forma, apenas indivíduos que têm a qualidade de seu trabalho atestada por pessoas de confiança poderão participar do processo.

Por fim, uma das principais formas de encontrar profissionais é cadastrar sua vaga em agências de RH e no Sine local. Eles farão a divulgação de forma eficaz. Além disso, no 1º caso, poderão fazer todo o processo seletivo e economizar tempo da empresa.

O que deve ser avaliado

Na hora da avaliação, os principais tópicos devem estar relacionados à formação, experiência e perfil profissional.

Formação Educacional

Lembre-se de que contratar um profissional com boa formação será muito útil para gerar respeito e credibilidade com o restante da equipe.

Além disso, a avaliação da formação deve ser utilizada. Isso faz com que o seu gerente esteja atualizado com as melhores práticas do mercado e incentive os outros a se atualizarem e a continuarem com o seu aprendizado.

Por fim, é importante que você separe o gerente do vendedor. Quanto melhor a sua formação, maior será o seu conhecimento estratégico quanto aos processos, sistemas e gestão de crises. Obviamente, cargos diferentes precisam ser analisados de maneira diferente.

Experiência e habilidades

Dê preferência para candidatos que já tiveram sucesso em situações parecidas com as propostas pela sua corporação. Esse é um grande diferencial.

Assim, eles demonstram que conhecem as principais técnicas utilizadas e que sabem orientar bem a equipe quanto às estratégias de vendas.

Pergunte sobre o entendimento deles sobre política de vendas, estruturação e desenvolvimento de uma equipe e como fortalecer o pós-venda.

Atitudes

Muitas instituições fazem análises superficiais e levam em consideração apenas fatores como a formação e a experiência. Porém, o perfil e as atitudes do candidato são essenciais para a contratação.

Como o perfil e o ambiente da empresa são diferentes, profissionais com sucesso em alguma corporação podem não tê-lo na sua.

Além de utilizar análise de perfis, entrevistas e dinâmicas, leve em consideração as atitudes demonstradas em todo o processo e até mesmo em um possível período de experiência.

Tente forçá-los a tomar decisões que demonstrem a sua postura, os seus comportamentos éticos e a análise crítica — fatores que demonstram quais são os profissionais mais adequados para a sua instituição.

Você compreendeu a importância de um profissional treinado, antenado nas novidades do ramo e qualificado para treinar e resolver problemas?

Então, não exite em escolher o melhor funcionário possível para a função. Você não quer pagar para ver, não é mesmo?

E, falando em novidade, confira quais são as métricas que sua empresa deve avaliar!