Landing pages: um guia para gerar páginas que convertem

O marketing digital só dá resultados quando visitantes se transformam em leads, que podem ser conduzidos pelo funil de vendas até se tornarem clientes.

Nesse esforço, usar landing pages é essencial, porque essa ferramenta, apesar de muito simples, é bastante poderosa para gerar leads.

Mas, a pergunta é: você sabe como criar e manter landing pages que realmente convertem?

É justamente isso que vamos abordar nesse guia, que vai deixar claro todos os caminhos para ter sucesso com essa ferramenta.

Continue lendo para se tornar um mestre no assunto!

Neste post você aprenderá:

 

O que é uma landing page?

A landing page, também conhecida como página de conversão, é uma página que traz uma oferta para os visitantes, e tem uma única missão: convencê-los a aceitar essa oferta.

Mas, quando falamos em oferta, não queremos dizer que a landing page só vai ser usada para vender produtos ou serviços.

Pelo contrário, é muito comum — principalmente no marketing de conteúdo — usar landing pages para oferecer algum material gratuito, como e-books, ferramentas, etc.

Nesses casos, a moeda de troca são algumas informações pessoais, que podem ser usadas mais tarde para estreitar o relacionamento com os leads e ajudar a qualificá-los.

O modelo da landing page a diferencia das demais páginas de um site. Em geral ela tem título, oferta, formulário e CTA.

Elementos de navegação — como menus e barras de pesquisa — , e links, tanto para o próprio site quanto para outros, não são usados.

Eles são considerados distrações, e não colaboram para o objetivo principal.

A landing page é um recurso muito importante para o marketing digital e marketing de conteúdo.

Ainda assim, mesmo entre os profissionais da área, nem todos entendem o que ela é.

Uma certa confusão é causada principalmente por causa do nome, já que “landing page” significa, em Inglês, página de aterrissagem.

Embora estranho, esse nome pode ser entendido como a página que um internauta vê primeiro, ao chegar no seu website.

Porém, a landing page não é necessariamente a página através da qual o visitante chega ao seu site.

Na verdade, a landing page é uma página que tem algum tipo de formulário ou questionário, e que existe unicamente para capturar informações sobre o usuário.

Talvez essa seja uma brincadeira com outro significado da palavra “landing”: conseguir, ou obter.

“Landing a job” significa conseguir um emprego. Já landing page é uma página focada em conseguir informações sobre os visitantes, para aumentar a geração de leads.

E por que chamamos a landing page também de página de conversão?

O motivo é simples.

Como já explicamos, você faz uma oferta ao usuário, em troca das informações que precisa (nome, e-mail ou até telefone).

Portanto, o objetivo é converter aquela oferta em uma resposta positiva do usuário.

Finalmente, é importante não confundir a landing page com a sales page. Em boa parte dos casos, elas não são a mesma coisa.

A landing page costuma ser aplicada no começo do funil de vendas, para conseguir meios de estreitar o relacionamento com seu lead e qualifica-lo para uma venda.

Já a sales page, ou página de vendas, é o estágio final do funil. Ela só deve ser aplicada quando seu lead já conhece sua solução e está pronto para fazer a compra.

Mas, por que vale a pena usar páginas de conversão? Não tem outra forma de oferecer esse conteúdo? Veja a seguir!

Por que landing pages são importantes para a sua estratégia digital

A landing page é mais do que um canal de oferta para seus visitantes, apesar de ser ótima para isso também.

É possível usá-la bem em diferentes situações.

Veja alguns exemplos:

Para segmentar suas ofertas

Essas páginas são uma boa maneira de diferenciar suas propostas sem que nenhuma delas perca a eficácia.

Por exemplo, suponhamos que você tenha 5 e-books produzidos e venda 3 produtos diferentes em seu site. Como oferecer tudo isso sem um espaço dedicado a cada coisa?

Para segmentar sua audiência

Às vezes o mesmo produto ou material pode ser útil para diferentes tipos de pessoa.

Nessas horas, a melhor solução é usar diferentes landing pages.

Cada uma pode destacar os pontos que chamam mais a atenção daquela persona específica, mesmo ambas oferecendo a mesma coisa.

Isso ajuda a aumentar ainda mais a conversão, em vez de simplesmente oferecer uma solução generalista, tentando convencer todo mundo.

Para gerar expectativa

Ao divulgar um produto, serviço ou evento que está por vir, a landing page pode ser usada para captar o interesse do público e, mais do que isso, criar expectativa.

Muitas empresas, inclusive, fazem certo mistério em torno do que será lançado, dando apenas algumas pistas de vez em quando.

Desse modo, prendem a atenção mesmo antes de finalizar o produto, e já garantem que no lançamento haja bastante repercussão.

Para direcionar visitantes que clicaram nos seus anúncios

Se você resolveu investir em links patrocinados com certeza vai querer ver seu investimento dar retorno, certo?

Então, em vez de direcionar os interessados que clicaram no anúncio para a página inicial do seu site, use uma landing page.

Essa estratégia é útil porque o fato de um internauta clicar no seu anúncio, e chegar ao seu website, não garante nada.

Ele pode entrar e sair sem comprar nada, sem tentar fazer contato, sem ler os seus conteúdos.

Porém, se antes de entrar no site propriamente dito, ele deixar uma informação como nome e e-mail, a situação muda.

Mesmo que este visitante saia rapidamente, você poderá inclui-lo em sua mailing list e desenvolver um relacionamento através de e-mails, oferecendo conteúdos.

Futuramente, ele pode voltar mais vezes ao seu website e efetuar uma compra.

Benefícios reais

Usar uma página específica com foco na conversão não é apenas uma forma de parecer mais profissional, mas traz benefícios reais.

Na verdade, uma landing page bem feita e otimizada pode fazer maravilhas pelo seu negócio —  desde que faça parte de uma estratégia sólida, é claro.

Quer ver apenas alguns benefícios? Por meio delas, você consegue:

Por outro lado, você já deve ter ouvido a famosa frase do gênio Albert Einstein:

“Todo mundo é um gênio. Mas, se você julgar um peixe por sua capacidade de subir em uma árvore, vai gastar toda a sua vida acreditando que ele é estúpido.”

No caso das landing pages é parecido: se usá-las do jeito errado, vai passar a vida achando que elas não servem para nada.

Por isso, veja a seguir o que não é papel das landing pages.

O que uma landing page não pode fazer por você

É verdade que a landing page é uma ferramenta poderosa e versátil dentro do kit de marketing, mas até ela tem limitações.

Usado de forma errada, mesmo o recurso mais incrível vai falhar em trazer os resultados que você espera.

Por isso, vamos deixar claro o que uma landing page não é.

Assim, você vai conseguir focar os esforços somente no que ela faz melhor, e aí sim ter sucesso.

De modo geral, podemos dizer que uma página de conversão não é:

Uma forma de forçar vendas

Muitos pensam que pela característica de convencer os visitantes a tomar uma ação, a landing page é a forma perfeita para forçar um produto em cima deles.

Muito pelo contrário, a ideia é apenas fazer com que a pessoa interessada avance no seu funil de vendas e comece a se beneficiar do que a sua empresa tem a oferecer.

Se tentar usar a página para forçar uma venda, pode deixar uma impressão negativa e perder a oportunidade de gerar leads preciosos.

Uma estratégia isolada

Se engana quem pensa que basta criar a página e colocá-la no ar para ter bons resultados pelo resto da vida.

Esse é apenas um passo entre vários que fazem parte de um planejamento de marketing digital eficiente.

Além disso, é importante continuar experimentando e estudando o que converte mais, tanto por observar seu próprio desempenho quanto o mercado de forma geral.

A substituta para um atendimento personalizado

Não dá para criar um processo de vendas só a base de landing pages, por mais atrativo que isso possa parecer.

Apesar desse ser um modo automatizado e eficiente de gerar valor para as personas, não dá para subestimar o valor de um contato personalizado com os leads.

Quanto mais perto o lead estiver de se tornar um cliente, mais importante é oferecer o contato pessoal, a fim de ajudá-lo a decidir.

O que isso quer dizer?

Bem, depois que o lead tenha demonstrado interesse na sua oferta e preenchido seu formulário, você basicamente ganhou uma “autorização” para manter contato de maneira mais próxima e regular.

Como você vai fazer isso? Depende muito do ramo do seu negócio e, claro, do perfil da sua persona. Mas uma sugestão segura é enviar um e-mail personalizado, trazendo informações que possam interessar à persona ou pedindo mais informações sobre ela.

O foco do contato, neste primeiro momento, é permitir que este lead conheça mais sua empresa e, ao mesmo tempo, que sua empresa possa conhecer melhor o lead.

8 dicas para criar uma landing page matadora

Agora que você já sabe exatamente o que é uma landing page e o que ela pode ou não fazer pelo seu negócio, está em melhores condições de usá-la.

Mas ainda falta aprender o que compõe uma página de conversão realmente eficiente.

Quer saber mais?

Então veja essas 8 dicas infalíveis que vão te ajudar:

1. Mostre o valor da oferta o tempo todo

O ponto principal numa página de conversão é a apresentação da oferta. Se isso não for bem feito, nada mais vai adiantar.

Pensando nisso, você precisa mostrar o valor dela o tempo todo.

Mas, como?

Por pensar bem no conteúdo que vai apresentar, criar um título atrativo, usar imagens de qualidade que se relacionem com o que está apresentando, etc.

Oferecer provas sociais — como colocar depoimentos de pessoas que já se beneficiaram da oferta ou indicar o número de downloads já feitos — é outra maneira de convencer o público.

2. Remova qualquer distração

O recomendado é que uma landing page não tenha menus de navegação ou links de ajuda no rodapé, como as outras páginas de um site. Mas, por quê?

Links e botões representam opções de ações que o visitante pode tomar na página.

E quanto mais opções, mais distante ele fica da sua oferta.

As distrações não param por aí. Em alguns casos, na tentativa de criar algo atraente e inovador, é possível usar recursos que, apesar de muito bonitos, não ajudam na conversão.

Por exemplo, animações complexas ou fundos de vídeo devem ser usados com cuidado, especialmente se tiverem som.

3. Pense em SEO

O SEO, ou otimização para motores de busca, é essencial para que a sua página seja facilmente encontrada através de sites como o Google.

Otimizar o SEO envolve pensar na intenção do público que você deseja atrair, e como ele pesquisaria o assunto. Como assim?

Pense no seguinte: alguém que pesquisa “Como montar um processo de vendas” pode estar iniciando um negócio e precisa de um guia básico.

Ele não se interessaria por uma página com o título “Como otimizar seu processo de vendas”, mais indicada para alguém mais avançado no assunto, pois a sua intenção seria outra.

Entenda a intenção da sua persona e direcione tudo para atendê-la: título, conteúdo, palavras-chave e até o alt text das imagens.

4. Tome tempo para criar o CTA

O CTA, ou Call-to-action, é um dos elementos mais importantes da página. Digamos que ele é o gancho final, a chamada à ação que vai capturar de vez o interesse do visitante.

Essa chamada precisa ser clara e entusiástica, algo que motive a pessoa. Por isso, frisamos que você deve tomar tempo para escolher.

Mais ainda, teste diferentes CTAs para ver o que converte melhor. Às vezes, uma simples troca de palavras é suficiente para melhorar o desempenho da página toda.

5. Não faça o público pensar demais

É impossível reforçar o bastante a importância de não forçar o visitante a tomar a ação desejada, mas sim convencê-lo a fazer isso.

Porém, é importante não fazer com que seu público pense demais, ou seja, colocar obstáculos que dificultem a tomada de decisão.

Formulários muito longos ou invasivos, falta de contraste nos botões de CTA e conteúdo ambíguo são formas de deixar a conversão lá embaixo.

A solução? Seja claro e conciso, crie uma hierarquia de informações bem definida para a página e não deixe o visitante na dúvida em momento algum.

6. Solicite informações relevantes

Não há dúvidas de que o formulário é o item central da landing page. É através dele que você poderá coletar as informações de que precisa sobre seu visitante.

Portanto, se você pedir informações irrelevantes, ele perde todo o propósito e utilidade.

Na dica anterior nós já reforçamos que não é interessante criar um formulário muito longo. Isso pode desestimular o visitante, fazendo com que ele desista da sua oferta.

Muitos sites bem sucedidos possuem apenas um único campo no formulário e nada mais.

Essa concisão só é possível se você souber qual (ou quais) informação será mais útil para você, tendo em mente que o objetivo é fazer o visitante avançar no funil de vendas.

Na imensa maioria dos casos, isso significa que você terá de pedir o e-mail do visitante – para que, depois, seja possível enviar outros conteúdos, convidá-lo a retornar ao seu site, estreitar o relacionamento.

Porém, em alguns casos muito específicos, pode ser que você precise de informações complementares.

Isso acontece principalmente no caso de negócios que estão começando e ainda não conhecem completamente o perfil de seus visitantes.

Faz diferença saber informações como o sexo, idade ou localização? Você pode incluir itens como estes no seu formulário, desde que eles sejam absolutamente relevantes e que a praticidade do preenchimento não seja comprometida.

7. Esteja atento aos dispositivos móveis

Já se foi o tempo em que todo mundo navegava na internet através de computadores de mesa ou notebooks.

Hoje em dia, a coisa mais comum é realizarmos nossas atividades online em smartphones e tablets ou, em alguns casos, até em mais de um aparelho ao mesmo tempo, não é mesmo?

Justamente por isso é crucial prestar atenção aos dispositivos móveis na hora de criar uma página de conversão.

Caso contrário, dificilmente vai ver conversões de usuários desses aparelhos, que provavelmente representam uma parcela enorme do seu público.

O design responsivo, que deixa um site adaptável a qualquer tamanho de tela, é ideal não apenas para a sua landing page, mas para seu site e blog também!

8. Use bem as páginas de agradecimento

E se a pessoa gostar do que viu e aceitar sua oferta, fim de papo? Nada disso! Use uma página de agradecimento, a chamada “Thank you page”.

Será que vale a pena mesmo? Com certeza.

Por meio dessa página você tem a oportunidade de reforçar brevemente o que a pessoa ganhou com a oferta.

Desse modo, as chances dela realmente fazer uso do material são maiores.

Além disso, você fica com o caminho aberto para fazer uma nova oferta, que ajuda a avançar ainda mais o lead pelo funil.

Se a pessoa baixou um e-book, que tal oferecer outro material complementar? Ou quem sabe disponibilizar um formulário para que ela fale com um consultor?

5 erros que você vai querer evitar a todo custo

Sempre é bom aprender com nossos erros, ainda mais no marketing digital, que muda rapidamente e exige uma resposta à altura para quem quer se sair bem.

Apesar de o objetivo ser sempre de converter, não devemos fazer isso a qualquer custo, o que inclui usar táticas “black hat” e prejudicar a experiência dos usuários.

Por isso, vamos apresentar alguns erros que prejudicam o desempenho de uma landing page e como evitá-los.

Veja!

1. Usar pop-ups invasivos

Pop-ups estão entre os elementos mais usados para aumentar as conversões, e sem dúvida muitos testes podem até confirmar isso.

Mas, tome cuidado para não prejudicar demais a experiência do usuário com pop-ups invasivos.

Além disso, na maioria dos casos, esse tipo de recurso nem faz sentido. Afinal, que oferta o pop-up fará além do que já está na página?

Com um trabalho bem feito, como já mostrado até aqui, o que não vai faltar é interesse em saber mais sobre o que você tem a oferecer.

2. Enganar os visitantes

Talvez você esteja se perguntando: “De que forma eu poderia enganar um visitante?” Acontece que há várias maneiras sutis de fazer isso.

A primeira delas é por não cumprir o que promete.

Não adianta nada criar uma página fantástica, cheia de soluções para a persona, se o material não estiver à altura das promessas.

Outro problema seria usar os dados pessoais — principalmente o e-mail — para enviar spam ou, pior ainda, vendê-lo para quem cria as famosas listas de e-mails.

3. Deixar a pessoa sem saída

Nós passamos tanto tempo fazendo com que as pessoas resolvam entrar na página de conversão que pode ser difícil vê-las sair.

Mesmo assim, respeite a opção de cada um por não dificultar que procurem outra solução.

Ainda é bem comum ver táticas que fazem de tudo para impedir os visitantes insatisfeitos de deixar uma página, como os já comentados pop-ups, além de scripts que deixam tudo mais lento e frustrante.

E quando a pessoa se converte, mas resolve que aquilo não era pra ela? Não deixe de incluir a opção dela sair da sua lista de e-mails.

4. Conteúdo em excesso

Muito se diz por aí que conteúdo é rei, tamanha sua importância.

E isso não é exagero, afinal é o conteúdo que vai persuadir o público.

Por outro lado, exagerar na quantidade de material apresentado pode certamente colocar tudo a perder.

Por “falar demais” você corre o risco de transformar uma landing page em uma longa proposta de negócios, sem qualquer poder de conversão.

Nessa hora, vale o pensamento do famoso autor Steve Krug:

“Corte seu texto pela metade, e depois jogue fora metade do que sobrou.”

5. Conversa de vendedor

De certo modo, podemos comparar uma landing page a um show de mágica.

Todo mundo procura descobrir como o truque é feito, mas na realidade quer se maravilhar com a ilusão criada.

Quem se depara com a sua oferta desconfia um pouco mas, no fundo, quer aceitar a oferta. A linguagem usada pode tanto eliminar como reforçar essa desconfiança.

A chamada conversa de vendedor não tem tanta credibilidade, e pode comprometer seriamente a conversão.

As pessoas querem consultores, facilitadores, amigos, e a imagem do vendedor — só tem o interesse em vender — parece se distanciar disso.

Reparou como são todos erros de abordagem, simples de corrigir?

Muitas vezes é nos detalhes que se desperdiça o potencial de uma boa campanha de marketing. Por isso, atenção é tudo!

Como fazer sua landing page converter

Talvez você se pergunte: “como assim, seguir as dicas anteriores não é suficiente para fazer minha página converter?”

O que já mostramos é fundamental, mas não é tudo.

Os 5 passos abaixo vão te mostrar como levar a página de conversão ao mais alto nível de desempenho. Interessou? Então vamos lá!

Atraia o maior tráfego possível

Sem tráfego, não há conversão, então você deve prestar muita atenção e gastar parte do seu tempo atraindo tráfego para a sua página.

Existem várias formas de fazer isso, como:

Todos essas opções facilitam o direcionamento de tráfego, tanto explorando sua base atual de fãs e seguidores quanto os canais pagos disponíveis para isso.

Faça testes A/B

Como saber qual o melhor CTA? E que dizer da imagem de fundo? Será que a cor dos botões ou o tamanho das fontes faz alguma diferença? Qual frase passa a mensagem desejada de maneira mais clara?

Tudo, absolutamente tudo, em uma landing page pode ser testado. Aliás, é isso que nós te recomendamos: para saber o que converte melhor, faça testes A/B!

Eles funcionam de forma bem simples: você escolhe um elemento da página — mais do que isso pode comprometer suas descobertas — e testa duas variações dele.

Por exemplo, pode testar 2 títulos diferentes durante o mesmo período (metade dos visitantes visualiza cada um quando acessa a página). Ao fim do teste, compara as conversões.

O que funcionar melhor é mantido.

Acompanhe métricas e KPIs

Métricas e KPIs (Termo inglês para “Indicadores-chave de desempenho”) têm um papel de destaque nas conversões.

Se, por um lado, os testes A/B são importantes para comparar variações da mesma solução, são as métricas que vão ajudar a validar a escolha da melhor.

Os KPIs vão além, dando uma noção completa de como está o andamento da estratégia, o que precisa ser revisto, etc.

Mantenha o foco na sua persona

Realmente, para criar uma landing page que converte há muitas ferramentas e recursos a explorar, boas práticas a seguir e perigos dos quais temos de desviar.

Mas, uma das coisas mais importantes que você deve fazer é manter o foco na persona.

Se fizer isso, aumentará muito as chances de tomar decisões acertadas em qualquer mudança que decidir realizar, seja na página em si ou na estratégia como um todo.

Continue se reinventando

Por fim, nunca pare de estudar e aprender as últimas técnicas de conversão, o que faz sucesso no mercado ao qual pertence e, principalmente, continue testando formas de ser inovador e gerar valor para suas personas.

Dá para ver que há muito mais por trás de uma landing page do que pode parecer.

Para se sair bem com elas, você tem que se planejar, pensar nas personas e simplificar ao máximo a mensagem.

Mas, quando bem feita, essa única página vai ser capaz de trazer um enorme retorno para seus esforços de marketing.

Ferramentas para criar uma landing page

Então você agora já sabe o que é uma landing page, o que ela pode (e não pode) fazer, os principais erros e as melhores práticas. Mas como criar uma landing page?

Bem, neste processo, há algumas ferramentas muito importantes das quais você vai precisar. Conheça estas ferramentas agora:

1. Ferramentas para criar o design da página

Existem vários serviços disponíveis, pagos ou gratuitos, que permitem desenvolver sua própria landing page.

Esses serviços oferecem uma forma simples de criar o design da landing page a partir de alguns templates, o que pode ser mais acessível do que contratar um desenvolvedor.

É claro que também há vantagens em trabalhar com uma landing page completamente personalizada então, no final das contas, trabalhar com uma destas ferramentas ou com um desenvolvedor é uma questão de investimento.

Você pode querer testar os resultados da landing page para a sua estratégia de marketing com uma opção simples feita através destes serviços online, antes de se comprometer com um investimento mais alto em um design profissional.

Agora, veja alguns exemplos de soluções para criar a landing page:

Unbounce 

Com essa ferramenta você pode criar o design da sua landing page selecionando itens em um menu lateral e arrastando para a posição que você preferir.

Permite criar designs responsivos, para garantir melhores resultados quando a landing page é acessada via mobile.

Também possibilita facilmente realizar Testes A/B e acompanhar os resultados.

Com o Unbounce, você pode partir de um template ou também começar do zero.

É uma das opções mais caras no mercado, com planos de $49 por mês; mas você pode testá-lo gratuitamente por um período de 30 dias.

Instapage

É muito parecido com o Unbounce, especialmente porque também funciona através do modelo “clique e arraste”.

A principal diferença é que o editor é mais simples, o que pode ser bom para quem ainda não tem prática nessa atividade.

Essa ferramenta facilita a realização de Testes A/B e permite criar landing pages responsivas.

Ainda oferece três opções para a publicação da sua landing page:

  • O domínio da própria Instapage, caso você não tenha um (embora não seja recomendado);
  • Diretamente no seu domínio personalizado;
  • Ou através do WordPress, usando o plugin da Instapage.

Tem uma opção gratuita com algumas limitações, e um plano básico por $29/mês.

LeadPages 

Essa ferramenta oferece uma ampla variedade de templates, que podem ser filtrados de acordo com a taxa de conversão.

O editor usado para construir a página é mais robusto e taz opções para configurar um pop-up, fazendo com que ele apareça quando o visitante clica em um link no seu site.

Permite também fazer Testes A/B e analisar os resultados.

É a opção mais cara do mercado, já que, além do preço do serviço, muitos dos templates também são pagos.

Mesmo assim, o LeadPages é um dos serviços de criação de landing page mais usados pelos principais blogueiros e empresas online.

Launchrock 

O Launchrock é usado para landing pages focadas em gerar curiosidade, por exemplo, quando você quer avisar aos visitantes do seu site que algo será lançado “em breve”.

O editor é extremamente simples e o preço é muito mais acessível — se comparado a usar uma das opções anteriores para esse tipo de finalidade.

O plano profissional do Launchrock custa apenas $5 por mês.

2. Ferramentas para coletar feedback dos seus visitantes

Depois de criar e lançar sua landing page, o trabalho acabou? Na verdade, não.

É importante que você faça ajustes e melhorias continuamente, para conseguir resultados — ou seja, taxa de conversão — cada vez melhores.

E essas modificações serão bem mais assertivas se forem baseadas nas dúvidas e críticas dos próprios visitantes.

A maneira mais prática de conseguir esse feedback, e em tempo real, é instalando uma pequena janela de chat no seu website.

Provavelmente, você vai receber mensagens com comentários como “não estou conseguindo achar esta informação” ou “eu queria saber mais sobre isso”.

E essas mensagens certamente também refletem os pensamentos de muitos visitantes que não estão usando o chat.

Uma última dica: procure serviços de chat que possam ser ativados somente quando você estiver online.

Afinal, você não quer deixar seus visitantes esperando uma resposta enquanto você não está disponível para atendê-los, não é mesmo?

Uma boa sugestão de serviço de chat para websites é o Olark.

O Olark tem a função on/off, mencionada acima, e ainda permite escolher pacotes em que você pode ter mais de uma pessoa no atendimento.

3. Serviços para otimizar o aproveitamento do tráfego

Você tem uma excelente landing page, que vai garantir altas taxas de conversão.

Você consegue atrair tráfego qualificado para o seu website, gerado, por exemplo, através de anúncios pagos.

Então, o segredo para verdadeiro sucesso com a landing page é colocar essas duas coisas juntas.

Para isso, o Crazy Egg será uma ajuda bem-vinda.

Criado por Neil Patel, guru do Marketing Digital, é uma ferramenta que permite visualizar como os visitantes usam seu website através de um heatmap – um mapa de calor.

Os links que têm mais cliques são marcados em uma escala de cores, do azul e verde ao amarelo, laranja e vermelho.

[img crazy egg]

Como você pode imaginar, faz mais sentido colocar uma landing page ou um pop-up por trás de um link que recebe mais cliques, e o Crazy Egg permite fazer esse reconhecimento.

4. Ferramentas para criar pop-ups

Se você está optando por criar pop-ups para capturar o e-mail dos seus visitantes, vai precisar de uma ferramenta capaz de fazer com que ele apareça no momento certo e na parte certa da página.

Por exemplo, existem pop-ups que aparecem exatamente quando seu visitante está prestes a fechar a aba do navegador e sair do seu website. Eles são chamados de exit pop-ups.

Uma das melhores ferramentas do mercado é o PopUp Domination, tanto por ser muito completo quanto por ser bem acessível.

Ele conta com muitos recursos, e não estamos falando apenas de exit pop-ups.

Você também pode segmentar, criando pop-ups específicos para diferentes páginas do seu website; para diferentes localizações geográficas do visitante; e até para diferentes sites de origem de tráfego.

Se você quiser um preview, pode informar o domínio do seu site para ver como um dos templates ficaria posicionado.

O plano mais básico do PopUp Domination custa apenas $9 por mês, e você tem uma garantia de satisfação de 60 dias.

5. Serviços para gerenciar os dados coletados

Depois que um visitante aceita sua oferta e preenche o formulário, o que acontece com as informações que você coletou?

Elas precisam ser devidamente armazenadas no seu banco de dados de leads. Para isso, você precisa integrar o formulário com um serviço de mailing list.

O serviço mais conhecido de mailing list é o MailChimp.

Ele é tão popular que a maioria das ferramentas que nós mencionamos – como Unbounce, Instapage e LeadPages – já oferecem integração total com ele.

Por isso, não dá muito trabalho sincronizar sua landing page com sua conta no MailChimp, e todo o processo de transferência das informações coletadas é automático.

Como você sabe, a landing page é o começo do funil de vendas.

Depois de conseguir a informação do lead, você terá que conduzi-lo pelo funil, construindo um relacionamento através de comunicação e do envio de conteúdos de qualidade.

O MailChimp permite automatizar este processo, já que você pode criar gatilhos para o envio de e-mails, acionados através de dados comportamentais de cada lead.

Para completar, o MailChimp também conta com bons planos. Por exemplo, para listas com até 2000 contatos, e até 12000 e-mails por mês, o plano é gratuito.

Mas, se você quiser conhecer outras alternativas, mais baratas, para gerenciar sua mailing list, existem também:

Estas são algumas das ferramentas básicas que você vai precisar para criar uma landing page funcional, capaz de gerar conversão e de aumentar sua mailing list.

Depois disso, você pode dar o próximo passo: avançar no funil de vendas e qualificar seus leads.

Se você gostou desse guia sobre landing pages, com certeza quer saber mais, não é?

Então, aproveite para tirar a sua certificação em Marketing de Conteúdo e se tornar um mestre em conversões!

 
Autor(a)

Escrito por: Redator Rock Content Este artigo foi produzido por um dos mais de 5000 redatores da base da Rock Content. Quer conteúdo legal assim no seu blog? Fale com um consultor!



    Deixe um comentário

    Certificações em Marketing Digital - Universidade Rock Content
    Vagas em Marketing e Vendas - Rock Jobs
    Ebook Inbound Marketing - O Guia Definitivo

    A Rock Content é líder em marketing de conteúdo no Brasil. Ajudamos centenas de empresas a atingirem seus objetivos de marketing. Queremos ajudar você também!