Logotipos Famosos

Veja 10 logotipos famosos para usar de inspiração

Inspiração: muitas vezes é isso o que nos falta na hora de produzirmos os nossos logotipos — as marcas que podem evocar sensações e passar informações valiosas sobre uma empresa.

Neste post, veremos como 10 logotipos famosos podem te ajudar a produzir o seu logo.

Confira esses diferentes tipos de logo:

⒈ Nike

Phill Knight, fundador da Nike, encontrou com o então estudante de design gráfico Carolyn Davidson em um corredor de uma universidade.

Phill precisava de alguns modelos, pois deveria mostrá-los para representantes japoneses que queriam conhecer o projeto. Ele disse que gostaria de algo com a ideia de movimento.

Carolyn mostrou vários modelos, mas nenhum agradou o dono da empresa. Com pouco tempo para produção, preferiu-se o hoje famoso swoosh.

O designer ganhou apenas 35 dólares pelo seu projeto original.

A história do logo simbólico da empresa nos mostra que nem sempre são necessários grandes investimentos para produzir um logo mundialmente conhecido e aceito.

Ainda que a falta de tempo tenha sido determinante para a escolha, a criação é limpa e simples. Isso foi fundamental para o seu sucesso.

⒉ Jumpman

Lançado em 1988, o Air Jordam Ⅲ foi o 1º tênis da série apresentando o logotipo Jumpman.

A imagem foi criada utilizando uma foto de Jordan e inspirada em uma imagem publicada na revista Life de 1984.

Embora a imagem sugira outra coisa, no momento da foto, ele ficou no chão, pulou e abriu as pernas. Ele nem mesmo estava correndo.

Essa logo simbólica nos ensina a procurar inspiração nos mais variados canais, como revistas e, agora, internet.

Imagens sem grandes pretensões podem se tornar parte de marcas conhecidas mundialmente.

⒊ Levi Strauss

Em 1873, a principal utilidade dos jeans da Levi Strauss era a resistência.

A roupa deveria ser útil para o trabalho duro da época, e as pessoas precisavam saber o quanto o material da roupa era forte e de qualidade.

Para que isso acontecesse, pensaram em uma imagem com 2 cavalos que puxavam em direção oposta o mesmo jeans. Porém, nada acontecia com o material.

Na verdade, a logo foi além disso: eles queriam uma imagem útil para os analfabetos.

Uma logo simbólica garantiria que um simples trabalhador pudesse se deslocar a uma loja da Levi Strauss e pedir “o jeans que não se parte” ou “o jeans dos 2 cavalos”.

Logos são mais do que ideias ou sensações.

Leve em consideração qual é o seu público e quais são os seus desejos e os seus objetivos — assim como a marca fez.

Se a sua persona não sabe ler, faça que a sua logo diga tudo por si só.

⒋ Vans

Diferentemente do caso anterior, a logo da Vans foi aleatória e inicialmente entendida como uma faixa de jazz.

A linha ondulada começava no início da frente do sapato e terminava apenas atrás. A falta de especificidade, porém, transformou-se em um símbolo icônico.

Nem sempre a marca nasce de uma pesquisa profunda. Isso não é necessariamente um problema.

Primeiramente, a marca pode transmitir informações que você nem mesmo tinha planejado.

Depois, outros fatores — como qualidade e comunicação — podem fazer com que as pessoas lembrem da sua logo.

⒌ Playboy

Pensado pelo 1º diretor de arte da revista, Art Paul, o coelho da Playboy está ligado ao mundo da moda.

Para ele, o animal possui conotação sexual e humorísticaO smoking, por outro lado, garantia maior sofisticação.

Além disso, ele procurava por uma logo que fosse realmente distinta das demais, visto que os principais concorrentes utilizavam símbolos de homens.

Embora muitos princípios e objetivos estivessem na mente de Paul, ele não gastou muito tempo na produção: foram apenas 30 minutos de desenho.

Isso mostra que nem sempre produzimos a nossa marca como queríamos, mas ela pode ser perfeita para os usuários.

⒍ Le Coq Sportif

A marca francesa com mais de 130 anos de história sempre teve um galo como tema.

Já com 10 logos diferentes, a empresa continua utilizando o chanteclair (nome coloquialmente dado ao galo).

Ele é o assunto não só da marca, mas também da nação desde a Revolução Francesa. Atualmente, o logo é de Ron Arad e passa a sensação de dinamismo.

Entender as origens da empresa pode ser útil na hora de produzir o seu logotipo.

Da mesma forma que o galo lembrará a França e a revolução, a sua marca pode sugerir diversos elementos.

⒎ Adidas

Embora as 3 listras da Adidas estejam mantidas desde o início, a marca evoluiu de acordo com o mercado em que atuava.

Em 1971, a empresa utilizou o trevo. Ele surgiu da expansão da empresa para os mercados de lazer e de vestuário. Além disso, a forma geométrica com interseção tripla era símbolo da diversidade da marca.

Já em 1997, Peter Moore utilizou as barras de forma que também representavam uma montanha. Agora, o foco estava nos desafios a serem enfrentados e os objetivos que deveriam alcançar.

Desde de 2005, as listras ocupam posição horizontal e evocam velocidade e dinamismo.

Como a Adidas, nossas marcas precisam mostrar quais são as suas evoluções — seja nos objetivos, seja no mercado.

⒏ Lacoste

O nascimento da marca não tinha nada de empresarial.

O francês René Lacoste era um grande jogador de tênis (número 1 do mundo entre 1926 e 1927) e era chamado pela imprensa de Jacaré, depois de apostar uma mala de pele de jacaré em uma partida.

Após algum tempo, o jacaré foi substituído pelo crocodilo. Um amigo desenhou o animal, e ele mandou que um blazer fosse bordado com o desenho.

As marcas podem nascer de fatos que marcaram a nossa vida e que nos fazem reconhecidos pelo mundo.

Atentar-se ao que acontece em nosso dia a dia pode ser um fator decisivo para futuras empresas.

⒐ Asics

A faixa moderna da Asics foi utilizada nos 5º Jogos Asiáticos, em Bangonk. O desejo era reproduzir as listras encontradas em um tigre.

Nem sempre as marcas refletirão demandas das empresas. Às vezes, mostram eventos, culturas ou outros fatos que ligam um povo.

⒑ Apple

A empresa criou a famosa maçã da forma que conhecemos por um motivo bem simples: para não parecer com uma cereja.

Porém, a escolha da fruta é uma referência a história bíblica de Adão e Eva.

Além de representar a árvore do conhecimento, apresentava um trocadilho entre byte e bite (mordida, em inglês).

Apelar para o conhecimento popular é uma estratégia interessante. Ainda assim, o diferencial da sua empresa pode ser apenas o de não parecer com uma cereja.

Entender sobre a composição de marcas conhecidas é valioso. Além disso, você pode se inspirar. Os logotipos famosos não são reconhecidos pelo público à toa, não é mesmo?

Agora que você se inspirou, veja como produzir seu logo com os 9 melhores aplicativos para criar marcas incrível!