Marketing de Conteúdo para Arquitetos

Marketing de Conteúdo para arquitetos: aprenda em 4 dicas como essa estratégia trará benefícios para o seu negócio

O marketing de conteúdo pode ser muito benéfico para alavancar seu negócio em arquitetura. Descubra como!

Se você está lendo esse conteúdo agora com dicas de marketing de conteúdo para arquitetos é porque você faz parte de uma grande parte da população que busca por educação, conhecimento e entretenimento online.

Mas será que você é daqueles que se enquadra no ditado popular “faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”?

Você deve estar se perguntando: “como assim”? Vou te explicar…

Se você é uma pessoa que busca informações online, que faz pesquisas, comparações, que lê artigos e vários guias antes de comprar ou fazer algo, você é adepto do marketing de conteúdo na sua vida.

Entretanto, será que você é adepto do marketing de conteúdo na sua empresa?

Será que você faz para o seu cliente o que você gosta que outras marcas façam para você?

Se sua resposta for não, então você precisa continuar comigo e entender a importância do marketing de conteúdo para arquitetos e como isso vai mudar sua estratégia de captar clientes a partir de hoje.

Antes de entrarmos nas dicas, que tal um pouco de contexto?

Se você não está fazendo, alguém está

Se você ou sua empresa não estão educando o mercado, provavelmente alguém está.

E será essa pessoa ou empresa que virará referência naquele assunto e será lembrada por todos quando algo em relação àquele tema surgir.

Tenho certeza que se eu falar esponja de aço, lâmina de barbear, goma de mascar, curativo adesivo, entre tantos outros, você provavelmente associou todos eles a alguma marca.

Isso aconteceu porque essas marcas estão na sua mente, porque essas empresas fizeram um excelente trabalho de educação do mercado.

Mesmo assim, você pode estar dizendo agora: “hummm… mas isso são grandes empresas, não funciona para mim…” Será mesmo?

Se você digitar marketing no Google, o primeiro resultado orgânico (aquele que não tem a tag de anúncio) será da Rock Content, empresa referência em marketing.

Se você digitar automação de marketing no google, o primeiro resultado orgânico será da Resultados Digitais, empresa referência em automação de marketing.

Se você digitar decoração no google, o primeiro resultado orgânico será do Viva Decora, empresa referência em decoração.

Você entendeu a ideia né?

O caso do Viva Decora responde bem a questão se marketing de conteúdo é somente para grandes empresas.

Competimos contra nomes renomados do mercado como Etna, Mobly, Grupo Abril, Revista Casa e Jardim, Americanas, Leroy Merlin e ainda assim estamos em primeiro lugar.

Então, será mesmo que marketing de conteúdo para arquitetos só funcionaria se você tivesse um grande escritório ou um nome renomado no mercado?

A excelente notícia é que não. E melhor do que isso é que vamos ensinar como começar essa estratégia de conteúdo.

4 dicas para começar sua estratégia de conteúdo

1. Não é sobre você. É tudo sobre o seu público alvo

Muitas vezes você está assistindo televisão e algum comercial aparece de forma intrusiva e você reclama porque aquele conteúdo não é direcionado para você e, ainda por cima, está te separando do programa que você estava assistindo antes.

Certo?

Pois bem, da mesma forma que você se sente chateado o seu usuário também fica.

Ao entrar no seu site ou blog e ver que não existe um conteúdo focado na necessidade dele, na dor dele, que não é um “remédio” para o que ele está sentindo, ele vai embora e provavelmente não volta mais.

Então, o ideal é parar de escrever ou de postar nas redes sociais sobre você, sobre o seu projeto, sobre o seu portfólio, sobre as suas vitórias, sobre o seu premiado projeto etc…

Não estou dizendo para você nunca fazer isso, estou dizendo para que, se você fizer isso, faça com um enfoque no seu usuário. Vamos ver como isso funciona na prática?

Exemplo 1: Você escreve um conteúdo mostrando todos os detalhes técnicos de um projeto (uma sala para home office) seu que foi premiado na Casa Cor, por exemplo.

Você mostra a planta, as especificações, os materiais usados, como você fez aquilo etc.

Você realmente acha que isso é apelativo para alguém que não sejam seus amigos e outros arquitetos?

Exemplo 2: Nesse mesmo cenário você escreve um texto explicando as vantagens de se fazer home office, os principais benefícios para produtividade, saúde mental e felicidade pessoal e profissional.

Mostra ainda como empresas estão adotando essa prática ao redor do mundo e tendo melhores resultados.

E, depois de focar em todas as dores e benefícios, você apresenta o seu projeto.

Muito maior a chance de alguém se interessar por esse segundo exemplo, certo?

Ninguém compra uma furadeira, as pessoas compram um buraco na parede feito de forma perfeita em alguns segundos.

Tudo isso explicado acima se resume na sua persona.

Então, antes de escrever pense muito bem em como, porquê, quando, onde e com quem você vai se comunicar.

Uma excelente forma criar uma comunicação com seu público é usando a metodologia do Círculo Dourado.

Dica de ferramenta para criar sua persona: O Fantástico Gerador de Personas

2. Pesquise Temas e Palavras Chaves

Novamente quero te lembrar que é sobre o seu público alvo.

Estou falando isso porque nessa etapa muita gente comete o engano de escrever conteúdos que elas acham interessante, sobre os temas que elas gostam e da maneira que elas estão habituadas a escrever.

Isso tem alguns riscos:

  • O tema pode não ser relevante para seu público alvo;
  • O assunto pode não ter procura nenhuma no google;
  • A forma de que você está escrevendo não é a mais adequada para seu público (ex: escrever usando palavrões se seu público é mais formal e polido);
  • Você não terá resultados concretos, pois ninguém lerá seu conteúdo.

Então, depois de ter sua persona criada, chegou a hora de você começar a pesquisar sobre quais temas irá escrever.

Uma boa maneira de procurar temas para escrever é analisando o site dos seus concorrentes e ver para quais palavras-chaves eles estão rankeando no Google.

Isso já dá um bom ponto de partida sobre o que escrever.

A ideia, depois de analisar quais conteúdos estão na primeira posição do Google para o que você deseja, é escrever um conteúdo mais completo e melhor. Você pode usar alguns planejadores de palavra chaves para te ajudar nessa tarefa.

Um ponto que pode parecer simples, mas faz uma grande diferença é você começar focando em palavras-chaves long tail. O que isso significa?

Normalmente as pessoas não fazem uma pesquisa no Google usando apenas uma palavra.

Elas até podem usar, mas normalmente somente uma palavra abrangente pode não trazer o tráfego que você gostaria, além de ser muito mais difícil de rankear no google.

Ao invés de você querer rankear para “decoração”, você pode tentar rankear para “decoração para escritórios”, por exemplo. Ou ir ainda mais a fundo no long tail como: “decoração para escritórios pequenos”.

Quanto mais específico você for, maior sua chance de trazer um tráfego de qualidade e mais engajado com o seu conteúdo. E também, na maioria das vezes, menor a dificuldade de você aparecer nas primeiras posições do Google.

3. Escreva um conteúdo de qualidade e focado em SEO

Note que ainda não falamos nada sobre escrever o conteúdo em si.

Esse é um dos grandes erros de quem começa uma estratégia de marketing de conteúdo: querer começar a escrever no primeiro momento.

Escrever é muito mais do que inspiração. É técnica, é trabalho, é processo e é análise de dados.

Então, agora que você já entendeu que deve focar em um público alvo específico, que deve resolver uma dor real e também que deve escrever sobre um tema relevante e que é pesquisado no Google, chegou, finalmente, a hora de colocar a mão na massa e escrever conteúdos de qualidade.

Para você alcançar as primeiras posições no Google seu conteúdo deve obedecer algumas boas práticas de SEO e escrita, como essas abaixo:

  • Crie um conteúdo único
  • Ser otimizado para a intenção do usuário e satisfação dele
  • Ter um conteúdo escaneável
  • Conter um título que gere interesse de leitura
  • Introdução Matadora – Hooks
  • H1, H2, H3 e H4 otimizados
  • Meta Description
  • Alt tag nas imagens
  • URL Amigável
  • Palavra chave otimizada
  • LSI
  • Links internos
  • Links externos
  • CTA’s para download de e-books, ferramentas, trial etc.
  • Imagens chamativas (checar se estão no tamanho correto do blog e se não estão sendo cortadas ao serem compartilhadas em redes sociais)

Mais detalhes em: 9 erros de SEO On Page que estão sabotando os seus rankings

4. Tenha Canais de Distribuição

Tão importante quanto um conteúdo de qualidade e focado em SEO é a distribuição desse conteúdo.

Um dos fatores que o Google leva em consideração ao indexar uma página é a quantidade de visitas que ela tem, a quantidade de compartilhamentos em redes sociais e também a quantidade de links que apontam para aquela página.

A probabilidade de você atingir o primeiro lugar do google tendo um conteúdo perfeito em qualidade e em SEO, mas sem distribuição, é quase zero.

Gerar público para seu site ou redes sociais é tão importante quanto o seu conteúdo em si. Não adianta ter o melhor texto do mundo se ninguém tiver a chance de ler ele.

Então, para ter uma estratégia forte de marketing de conteúdo você precisa ter um site, um blog, redes sociais e se relacionar com o seu cliente por email.

Não necessariamente ao mesmo tempo, pois trata-se de uma construção.

Muita gente tem medo de começar, pois ainda não tem um designer, ou não entende tanto de programação ou acha que marketing de conteúdo é complicado demais para se fazer sozinho.

Existem diversas empresas ou profissionais especializados que podem te ajudar com essa estratégia e tudo com um preço extremamente justo.

Veja como criar sua estratégia e ser independente: 22 Ferramentas de marketing digital para arquitetos

Colocando a mão na massa

Essas 4 dicas de marketing digital para arquitetos são os pilares para o começo da sua estratégia e vão guiar toda sua trajetória.

Entretanto, você precisa lembrar que existem outras etapas como análise de dados, otimização de email marketing, performance nas redes sociais etc.

Se você quiser mais detalhes de todas as etapas da jornada, nós criamos o Ciclo do Encantamento, que é o jeito Viva Decora de atrair público e clientes.

Depois de testar internamente e alcançarmos resultados expressivos nós decidimos compartilhar com você 12 etapas para encantar clientes antes, durante e depois do projeto executado.

Está pronto para virar uma referência em conteúdo no mercado?

Esse post foi escrito por Pedro Renan, gerente de marketing B2B do Viva Decora, o maior portal de decoração e design de interiores do Brasil.