marketing direto

Marketing Direto: o que é e como utilizá-lo em seu negócio

Você já parou para pensar que o marketing é uma das principais atividades realizadas no mundo inteiro, desde… sempre?

Veja bem, marketing é nada mais nada menos que um esforço para divulgar uma ideia, causa, produto ou serviço.

Então, seja por meio de uma megacorporação internacional que cria campanhas gigantescas de publicidade ou de um vendedor ambulante gritando frases de efeito na rua, o marketing está presente.

Aqui mesmo no blog, nós já falamos sobre diversas formas, como marketing de conteúdo, de guerrilha e até algumas mais inusitadas, como marketing verde e de nostalgia.

Mas, você já ouviu falar em marketing direto? Então veja tudo que precisa saber sobre o assunto e como se dar bem com ele!

Neste post você vai ver:

  • O que é marketing direto, mesmo?
  • Como usar o marketing direto na sua estratégia
  • 6 exemplos de marketing direto bem feito
  • 5 dicas para fidelizar clientes com o marketing direto

O que é marketing direto, mesmo?

Antes de mais nada, vamos entender bem do que se trata o marketing direto, e o primeiro ponto que você precisa saber é que o conceito mudou com o passar dos anos.

Antigamente, falar em marketing direto passava obrigatoriamente por ideias como mala direta, telemarketing, televendas, etc.

É verdade que todos esses métodos ainda existem, mas há também novas formas de praticar o marketing direto, como e-mail marketing e outras ações digitais personalizadas.

Agora, o que não mudou é a essência do marketing direto, ou seja, a busca por pessoas que já têm interesse no que você vende.

É mais fácil convencer uma pessoa já interessada do que ter de fazer o trabalho do zero, e é nisso que essa abordagem se destaca.

Por isso, o custo das ações pode ser menor e os resultados mais rápidos, já que as campanhas costumam ter um ar de urgência a fim de converter mais clientes.

Como usar o marketing direto na sua estratégia

Agora que já esclarecemos o conceito de marketing direto, vamos te explicar como colocar a mão na massa e acertar nas campanhas junto ao seu público.

Para isso, montamos um passo a passo, com 6 ações que você deverá tomar para criar campanhas bem-sucedidas. Veja quais são eles:

Identifique o público-alvo

O primeiro passo é, naturalmente, identificar quem é seu público-alvo. Como estamos falando de pessoas que já têm interesse na sua marca, é bom ter um banco de dados à disposição.

Essa é uma boa hora de acessar seu CRM ou cadastro de clientes, e separar informações como:

  • Sexo;
  • Idade;
  • Renda;
  • Interesses pessoais;
  • Localização geográfica;
  • Entre outras.

Além disso, se certifique de que tem mesmo a permissão dessas pessoas, seja para mandar e-mails, fazer ligações ou enviar correspondências.

Caso contrário, sua ação direta será considerada como uma invasão de privacidade e a pessoa dificilmente comprará qualquer coisa.

Decida qual a melhor abordagem

Agora que já tem o público em mente, é hora de escolher qual a melhor abordagem, ou seja, se vai ligar, mandar e-mail, etc. O que determina isso?

Detalhes como a idade e as preferências do seu público certamente vão ajudar na tomada de decisão.

Por exemplo, um público mais jovem e conectado talvez ache mais interessante receber suas ofertas por meios digitais, enquanto alguém mais tradicional goste do toque pessoal de uma carta impressa.

Em alguns casos você pode até usar mais de uma forma de contato a fim de causar uma impressão mais forte nos clientes.

Afie suas ferramentas

Agora que já decidiu qual abordagem usar, é hora de escolher suas ferramentas e, se ainda não sabe, aprender a usá-las.

O e-mail marketing, por exemplo, possui várias ferramentas ótimas que você pode testar.

Se decidir apostar no remarketing, por exemplo, há ótimos recursos nas redes sociais e sites de busca que você precisa conhecer bem.

Deseja ligar para os clientes? Então veja tudo que precisa para caprichar no inside sales!

Enfim, seja qual for seu método de contato, escolhas as ferramentas certas e aprenda a usá-las bem.

Invista no senso de urgência

Um dos elementos que fazem parte do marketing direto é o senso de urgência, que precisa ser explorado da forma certa para dar resultados. Como assim?

Por exemplo, quando uma oferta tem um tempo curto de expiração não há tempo para indecisão, o que faz os clientes se sentirem mais inclinados a aceitá-la.

Por outro lado, se tiver tempo demais, ela vai não vai dar tanta importância ao assunto, e é provável que acabe até esquecendo da oferta em questão.

Faça o primeiro teste

Você já tem tudo que precisa para a campanha, mas antes de dar o pontapé inicial, separe um grupo menor do seu público-alvo e teste a iniciativa com ele antes.

Dessa forma, poderá observar os resultados e encontrar possíveis problemas na segmentação, na abordagem ou na oferta em si.

Se encontrar problemas nessa fase será mais fácil corrigi-los sem sacrificar o resto da campanha, o que aumenta muito as chances de sucesso da iniciativa como um todo.

Mensure os resultados

Por último, não existe sucesso no marketing digital sem o acompanhamento dos resultados.

Com isso em mente, mensure os resultados de cada fase da campanha, desde o número de pessoas impactadas pelo contato inicial até quantas são realmente convertidas.

Fazer um acompanhamento detalhado de métricas bem escolhidas é fundamental para saber qual foi o ROI da campanha.

Mas, além disso, é vital também para determinar como deve ser o planejamento das próximas ações de marketing direto, o que deu certo, quais erros devem ser evitados, etc.

6 exemplos de marketing direto bem feito

Nada como ver na prática alguns exemplos de marketing direto para nos inspirar e ter uma noção melhor de como implementá-lo, não é mesmo?

É justamente por isso que separamos 6 exemplos— na verdade você verá que não são apenas 6— de empresas que têm feito uso dessa estratégia com sucesso.

Veja quem vale a pena imitar:

Redes de fast food

Algumas das maiores redes de fast food do mundo, como McDonald’s, Bob’s e Burger King, são mestres no marketing direto, e usam diferentes versões do mesmo recurso: cupons de desconto.

Cada uma com uma abordagem diferente: enquanto o Bob’s exige que os fãs se cadastrem no site para pegar cupons, o Mc dá opção de baixá-los por código QR ou em pdf.

Já o BK dá cartelas de cupons a cada cliente que compra em suas redes, e as vezes usa o método “Tire um print e receba o desconto”.

O fato é: a tática é super simples, barata e eficiente.

Catálogos de cosméticos

Que dizer das marcas de cosméticos como Avon e Mary Kay, que têm em seus catálogos de produtos um método de venda direta e bem-sucedida já por décadas?

Todo mundo já conhece como funciona: a vendedora deixa o catálogo com as clientes, que marcam o que desejam comprar e esperam chegar o pedido.

É um modo de marketing direto e muito rentável, dado o número de marcas menores que decidiram adotar o mesmo estilo de venda.

Lojas de e-commerce

Que dizer das lojas de e-commerce? Estas usam não uma, mas várias técnicas de marketing direto.

Desde o e-mail marketing e o remarketing, já citados aqui, até outras opções como enviar catálogos impressos junto com um produto.

Se pensarmos no Shoptime, por exemplo, uma das maiores redes de varejo eletrônico do país, temos ainda outro caso de marketing direto: o canal de TV da empresa.

Por divulgar preços mais baixos que os do site e abusar do senso de urgência, o canal é um caso clássico de marketing direto bem feito.

Domino’s

A Domino’s Pizza, o maior delivery de pizza do mundo, também é mestre no marketing direto, e faz uso consistente do e-mail marketing para isso.

Em datas especiais como Black Friday e Natal, por exemplo, eles enviam mensagens personalizadas aos clientes cadastrados em seu site, incentivando os pedidos.

Mas não é só isso, a empresa também realiza ações em que dá vales vips a alguns clientes “sumidos”, para experimentarem novos sabores e reacenderem o amor pela marca.

Méliuz

O Méliuz é um site de compartilhamento de descontos, ou seja, podemos dizer que ele é quase uma plataforma de marketing direto.

Centenas de lojas, dos mais variados segmentos de mercado, anunciam cupons de desconto por meio do Méliuz.

Assim que alguém pega um cupom e compra na loja em questão, o Méliuz é pago pela loja, e repassa parte do valor de volta para o cliente.

Com isso, o Méliuz consegue ainda fidelizar os clientes, que além dos descontos vão sempre querer receber parte do dinheiro de volta.

Google

Se lembra que falamos sobre como é possível misturar as abordagens para aumentar o impacto sobre os clientes?

É justamente isso o que o Google faz para promover o seu programa de anúncios, o Adwords.

Em vez de simplesmente enviar um e-mail, a empresa envia cartas com cupons de R$50,00 ou R$100,00 para usar no Adwords.

Imagine o impacto de receber um envelope com o selo do Google! Isso dá uma forte impressão e reforça para o destinatário o valor da oferta.

Esses cupons também são enviados junto com algumas edições de certas revistas de negócios, já que o público que assina essas revistas normalmente se interessa por marketing digital.

5 dicas para fidelizar clientes com o marketing direto

Por fim, é importante destacar que não é só para atrair clientes que o marketing direto serve. Muito pelo contrário, ele pode ser um recurso e tanto na fidelização.

Quer saber como usá-lo para isso? Então preste atenção a essas 4 dicas simples:

Mantenha a conversa interessante

Em vez de só lembrar do público na hora de fazer aquela oferta especial, é bem melhor manter uma conversa constante com ele, e mais do que isso, torná-la interessante.

A melhor forma de fazer isso é por produzir conteúdo relevante, que gere valor de forma constante, e engajar a audiência através das redes sociais.

Desse modo, sempre que tiver uma oferta, o público estará muito mais atento e propenso a ouvi-la.

Ofereça vantagens reais

Outro ponto essencial é não inventar qualquer oferta só para dizer que oferece benefícios ao consumidor.

Quando decidir realizar uma ação desse tipo, procure algo que seja de real valor para os clientes, algo que eles fará com que eles não se arrependam caso aceitem a oferta.

Se fizer isso, os clientes vão perceber que vale a pena confiar na marca e ficarão atentos a novas iniciativas.

Crie ações que reforcem o branding

É sempre bom lembrar que mesmo no caso de um cliente não aceitar a oferta desta vez, isso não significa que a campanha foi um fracasso.

Muitas vezes, o impacto de uma ação terá um efeito duradouro na pessoa, e contribuirá para que ela compre no futuro.

Por conta disso, sempre busque reforçar o branding e destacar os valores da marca em cada ação, a fim de que o público consiga se identificar mais e mais com eles aos poucos.

Recompense quem já é cliente

Quanto mais o cliente se sentir valorizado e perceber os benefícios de ser fiel, mais provável será que ele continue comprando da mesma empresa.

Então, por que não oferecer benefícios exclusivos para quem já é cliente há determinado tempo?

Ao fazer isso, deixe claro que o benefício ou brinde especial está diretamente ligado à confiança e apoio que a pessoa vem demonstrando, e que isso é muito valorizado.

Pense na experiência completa

Em vez de pensar apenas em como levar a pessoa à ação, vale a pena considerar a experiência completa que ela terá, pois no fim das contas isso será crucial para a fidelização.

A pessoa terá trabalho demais para aceitar a oferta? Caso ela faça isso, como agradecê-la por isso? E se não aceitar, que tipo de follow-up pode ser aplicado?

Tudo isso deve ser planejado para otimizar os resultados no futuro.

Fica claro que o marketing direto é uma abordagem que dá resultados e, mesmo com tantas novas formas de atrair e fidelizar o público, conseguiu se manter forte, se adaptando e crescendo. Fazendo uso dessa estratégia, é exatamente isso que vai acontecer também com o seu negócio.

Se você tem sede por aprender mais sobre marketing, por que não tira uma certificação no assunto? Veja por que isso é tão importante e como conseguir a sua!