Marketing educacional

Aprenda tudo sobre marketing educacional e como atrair mais alunos para sua IE!

Investir em marketing para divulgação da sua instituição de ensino é essencial. Descubra como montar sua estratégia e atrair mais alunos!

Se você pensou que o marketing educacional é a aplicação dos esforços de marketing em instituições de ensino, então começou bem este texto. Esse conceito se refere à utilização de pesquisas, planejamento, monitoramento e estratégias de marketing para uma IE conquistar e reter mais alunos.

As ações de marketing educacional são importantes para faculdades, escolas, cursos de idiomas e outras instituições de ensino se destacarem nesse concorrido mercado.

Por meio do marketing, as escolas podem promover seus cursos, conteúdos, infraestrutura e demais valores que causem percepções positivas em potenciais e atuais alunos.

Mas será que instituições de ensino realmente investem em marketing e estão tendo resultados positivos com isso?

Segundo a pesquisa EduTrends 2016, feita pela Rock Content em parceria com a Resultados Digitais, 66,5% das IES investem em marketing offline e 81,3% em marketing digital.

O estudo também revelou que 69,3% das instituições consideram o ROI muito ou moderadamente positivo com o marketing offline. Com o marketing digital, o percentual subiu para 82,4%.

Se o marketing educacional está sendo bem aproveitado e tem trazido bons retornos para as instituições de ensino, então vamos entender melhor como isso acontece.

Acompanhe!

Como segmentar o público?

Estratégias de marketing que geram resultados positivos começam com uma boa definição dos perfis de alunos ideais para sua instituição.

Quando os interesses do seu público são correspondidos, há mais chances de desenvolver um bom relacionamento com ele e, dessa forma, melhorar sua geração de leads, matrículas e retenção de alunos.

Para fazer uma segmentação bem feita, separamos 4 dicas bem legais. Veja:

Entenda quem realmente é o seu público-alvo

Os públicos de uma universidade e de uma escola de ensino básico são um tanto quanto diferentes, certo?

E não estamos nos referindo a quem estuda, mas sim a quem toma as decisões de compra.

No ensino superior, os alvos são, normalmente, os próprios postulantes a universitário; já na escola, o público principal a ser convencido é formado pelos pais dos alunos.

Mas há também os grupos mais específicos.

Por exemplo, na faculdade, há os alunos que acabaram de terminar o ensino médio e dependem financeiramente dos pais, as pessoas que buscam uma requalificação no mercado, os jovens independentes interessados em entrar no ensino superior, etc.

No ensino básico, o mesmo acontece. Há os pais de crianças que se preocupam mais com a estrutura, os pais de adolescentes que se importam com um projeto pedagógico que encaminhe seus filhos para uma boa universidade, entre outros perfis.

Conhecer melhor os potenciais alunos e seus pais é o primeiro passo para uma estratégia mais bem orientada.

Considere as limitações geográficas

As instituições de ensino a distância talvez não precisem se preocupar com isso, mas para as escolas e faculdades que recebem os alunos em suas sedes, a localização é um fator que faz a diferença na segmentação.

Por exemplo, um colégio que está presente somente em uma cidade ou estado pode usar alguns regionalismos em sua comunicação para criar uma proximidade maior com o público local.

Além do mais, na hora de segmentar o público em ferramentas de mídia paga na internet, você saberá as regiões que mais interessam.

Assim, não precisará gastar para atingir uma audiência que dificilmente se matriculará em sua instituição.

Leve em conta suas ofertas

Não é difícil de imaginar que o perfil do estudante que quer fazer humanas é diferente do estudante que quer ingressar em um curso de exatas.

Da mesma forma, a pessoa que busca um curso de inglês para aperfeiçoar o que ela já aprendeu é diferente daquela que ainda não teve qualquer contato com esse idioma.

Note que são perfis de alunos que se encaixariam em diferentes ofertas em uma instituição.

Nesse caso, é legal levantar algumas características dos potenciais alunos de cada curso para saber o que pode funcionar melhor com eles.

Crie suas personas

As personas são personagens semifictícios que representam o aluno ideal para sua instituição.

Elas são criadas com base em dados reais levantados dos atuais alunos ou em pesquisas de mercado com pessoas que se enquadrariam nesse perfil.

Esses personagens carregam informações como dados demográficos, hábitos de consumo de informação e problemas, interesses e objetivos pessoais.

Quanto mais detalhes as personas tiverem, mais fácil será descobrir como sua IE poderá ajudá-las.

Lembre-se de que você pode criar uma persona por curso, por área de conhecimento ou até por fase de ensino (infantil, fundamental e médio).

Como captar e reter alunos?

Os objetivos destacados no título deste tópico são os principais do marketing educacional, mas atingi-los não é tão simples.

Há inúmeras maneiras de converter novas matrículas e evitar que os atuais alunos saiam da instituição.

Entretanto, resolvemos destacar 3 que costumam trazer ótimos resultados. Confira:

Produza conteúdos segmentados e relevantes

Olha o marketing de conteúdo se mostrando útil também para as instituições de ensino.

Por meio de conteúdos que eduquem, informem e entretenham os leitores, sua faculdade pode chamar a atenção de potenciais alunos que estão iniciando uma busca no Google, por exemplo.

Se você tem um conteúdo publicado no blog que ajude uma pessoa a avançar em sua jornada de compra, suas chances de ser recompensado aumentam.

Mas atenção! Evite os conteúdos muito genéricos. Use as personas como base para resolver seus problemas e falar sobre seus cursos de interesse e objetivos.

Ofereça ensino, atendimento e estrutura de qualidade

Os bons conteúdos podem até ajudar a manter os alunos, mas o que fará diferença mesmo é o serviço que sua instituição entrega a eles.

Um corpo docente altamente qualificado, metodologias que tragam resultados reais, rapidez no atendimento e uma estrutura com laboratórios bem equipados, espaços de lazer e salas confortáveis são essenciais para promover uma boa experiência para os alunos.

Se o básico não for feito, não espere que as pessoas se sintam motivadas a continuar como alunas.

Invista no marketing de defensores

Como o nome sugere, esse tipo de marketing visa criar, entre os consumidores, promotores para defender uma marca em seus círculos sociais.

Essa tática é boa para conseguir novas matrículas, já que as opiniões de um estudante costumam ter um peso enorme nas decisões de outros alunos.

O marketing de defensores também funciona para reter matrículas, pois esses promotores passam a ter um relacionamento mais próximo e podendo ter mais regalias junto à instituição.

Como usar as ferramentas de marketing digital para gerar leads?

Como já vimos, o marketing digital é mais utilizado e gera um melhor ROI para as instituições de ensino do que o marketing offline.

E uma das suas principais funções é a geração de leads.

Os leads do marketing educacional, por sua vez, são contatos que demonstraram interesse nos conteúdos e ofertas de uma escola ou faculdade.

Mas como conseguir formar uma lista com potenciais alunos? A seguir, você conhecerá 5 dicas para lhe ajudar com isso.

Utilize materiais ricos para gerar interesse

Materiais ricos são ebooks, infográficos, webinars e minicursos que possuem um valor agregado maior do que simples blog posts, por exemplo.

Pela quantidade de informações valiosas que esses conteúdos carregam, eles chamam mais a atenção do público interessado.

Dependendo do nível de profundidade do material, se você pedir apenas o nome e o email dos visitantes, as chances de eles deixarem essas informações em troca do acesso ao conteúdo são enormes.

Otimize as landing pages para melhorar as conversões

As landing pages são as principais ferramentas para converter leads no marketing digital.

São nelas que você poderá ofertar seus materiais ricos e incluir um formulário para os visitantes deixarem as informações solicitadas.

Uma landing page otimizada é aquela que destaca as principais qualidades do material ofertado, que esconde os links desnecessários, que contém um botão de Call-to-action claro e que pede apenas os dados necessários para o acesso aos conteúdos.

Exiba caixas de assinatura de newsletter

Além dos materiais ricos e das landing pages, outra forma de gerar leads é capturando os dados de contato dos visitantes do seu site ou blog.

Você pode espalhar caixas de assinatura de newsletter em forma de banner na barra lateral do site ou em pop-ups nas páginas específicas de cada curso.

Caso o visitante tenha interesse em saber mais sobre aquelas ofertas, ele provavelmente se cadastrará em sua lista.

Faça email marketing para nutrir e qualificar seus leads

Com uma lista de leads formada organicamente, o próximo passo é desenvolver um relacionamento com eles por email marketing.

Essa relação deve nutrir esses contatos com mais conteúdos segmentados e aprofundados. A intenção é educar mais lead, ajudá-lo com informações importantes para o seu processo de inscrição e avançá-lo pelo funil de marketing.

A qualificação desses leads acontece quando eles deixam mais informações que ajudem a segmentar ainda mais esses relacionamentos.

Por exemplo, além do nome e email, é importante buscar dados como idade, curso de interesse, localização, entre outras informações importantes.

Use ferramentas de automação para dar escalabilidade ao processo

Por último, vale separar uma verba para investir em plataformas de automação de marketing, análise de dados, de construção de landing pages e de envio de email marketing.

Essas ferramentas reduzirão o excesso de trabalho manual e garantirão que sua estratégia tenha escalabilidade, ou seja, que ela consiga crescer de 100 para 100.000 leads sem perder a qualidade do processo.

Quais são as melhores práticas de marketing educacional?

Algumas das melhores práticas você já viu ao longo deste artigo, mas, para fechar com chave de ouro, selecionamos mais 5 para serem aplicadas em sua instituição de ensino.

Descubra:

1. Interaja frequentemente com os alunos nas redes sociais

Utilizadas por 91% das instituições respondentes da pesquisa EduTrends 2016, as redes sociais são canais obrigatórios para fortalecer a relação com o público.

Em suas páginas no Facebook, Twitter, Instagram, LinkedIn e YouTube, as escolas ou universidades podem divulgar os conteúdos do blog, os materiais ricos, fazer atendimento aos alunos, tirar dúvidas e, o mais importante, interagir com eles.

Use as mídias sociais para se socializar e não apenas para se promover. Adote uma postura mais humanizada e uma linguagem próxima da sua persona para fluir o contato com seus seguidores.

Um bom trabalho de social media pode transformar seus alunos em verdadeiros fãs da instituição.

2. Compartilhe histórias e depoimentos de alunos

Essa é uma estratégia legal para ajudar os alunos que estão próximos de fechar uma matrícula.

Você pode preparar um vídeo com um depoimento de um aluno satisfeito falando sobre as qualidades da escola ou de um ex-aluno que tenha conseguido uma posição privilegiada no mercado de trabalho.

Referências positivas são importantes para convencer os estudantes de que eles farão a escolha certa se fecharem com sua instituição de ensino.

3. Promova eventos com as comunidades locais

Uma universidade ou uma escola não precisam limitar suas atividades dentro de suas instalações.

A integração com as comunidades locais é importante para levar novas experiências para os seus alunos e criar uma imagem positiva com os demais setores da sociedade.

Por exemplo, o curso de educação física de uma faculdade pode promover evento esportivo em praça pública para se aproximar dos moradores daquela região.

Esse tipo de contribuição social melhora a reputação da instituição e faz ela ser mais lembrada por potenciais alunos, aumentando o brand awareness.

4. Invista em mídia paga

Campanhas de links patrocinados também não podem ser deixadas de lado no marketing educacional digital.

Você pode negociar diretamente com diversos sites e blogs ou investir em Google Adwords, Facebook Ads e outras plataformas de anúncio.

As intenções são aumentar a exposição da marca, gerar resultados mais rápidos e direcionar suas mensagens para as pessoas certas.

Aliás, a segmentação na mídia paga online é bem mais precisa do que nos veículos tradicionais. Dependendo da plataforma, você pode direcionar seus anúncios com base em palavras-chave ou no gênero, na localização e nos interesses pessoais do público.

5. Monitore os resultados de suas campanhas

O marketing que não pode ser medido dificilmente será capaz de gerar melhores resultados.

A mensuração é parte fundamental de qualquer estratégia. Afinal, ao analisar o desempenho de suas principais métricas, você saberá se seus objetivos de marketing estão sendo atingidos.

Acompanhe de perto a quantidade de leads gerados, a taxa de conversão de novos estudantes, o tempo médio de retenção de alunos, o ROI, o custo de aquisição por matrícula, entre outros indicadores relevantes.

Dessa forma, você conseguirá otimizar suas campanhas e apontar os caminhos certos para futuras ações de marketing.

O marketing educacional é indispensável para as instituições de ensino que buscam bater suas metas de matrículas semestrais, melhorar o relacionamento com seus públicos de interesse (estudantes, pais e comunidade) e fidelizar seus atuais alunos.

Para conquistar esses resultados, é preciso caprichar na segmentação do público, acompanhar de perto os indicadores de desempenho e utilizar as estratégias certas para cada objetivo.

Aliás, sugestões de táticas não faltam, mas vale olhar com mais carinho para as ações de marketing digital. Suas ferramentas podem simplificar, automatizar, economizar e trazer mais produtividade para os seus esforços de captação e retenção de alunos.

Como vimos, uma das estratégias destacadas para atrair e fidelizar alunos em uma instituição de ensino é o marketing de conteúdo.

Em nosso ebook Marketing de Conteúdo para Instituições de Ensino, você verá como a produção de conteúdos de qualidade pode ser tão eficiente no mercado educacional.