marketing esportivo

Você sabe o que é o Marketing Esportivo e sua importância?

Cada vez mais forte e mais presente, o Marketing Esportivo vem se mostrando como uma ferramenta muito eficiente e lucrativa para gerar oportunidades de negócios.

E se engana quem acredita que essa estratégia funciona apenas para alguns segmentos de mercado. Por unir consumo e paixão, ele é uma excelente ferramenta para quem busca novos métodos de uso do Marketing.

O Marketing Esportivo e a diferença para outros tipos de Marketing

Para entender o que é o Marketing Esportivo é necessário, primeiramente, saber o que é o Marketing.

Segundo Philip Kotler, uma autoridade mundial do assunto, o Marketing é a capacidade de produzir e entregar uma demanda de mercado e gerar lucro e a capacidade de enxergar essa demanda, e não simplesmente desejos.

É a partir daí que o Marketing e suas ferramentas entram em ação para oferecer e promover os serviços e produtos demandados por um determinado mercado.

Agora que o significado de Marketing está mais claro, podemos falar sobre o Marketing Esportivo.

O Marketing Esportivo é uma segmentação do Marketing que tem como principal função gerar oportunidades de negócios no mundo dos esportes e usar o esporte como uma ferramenta para as estratégias de Marketing.

Ou seja: criação e execução dos artifícios do Marketing no meio esportivo e em tudo o que o envolve, sejam marcas, clubes, times, atletas, equipamentos ou personalidades.

História

O conceito e a prática desse tipo de Marketing começou a aparecer para no início da década de 1920.

A empresa norte-americana Hillerich & Bradsby (H&B – atualmente conhecida como Slugger Museum & Factory) lançou uma estratégia de Marketing e liderou a produção de tacos de beisebol na época.

Essa ação desencadeou várias outras e os esportes começaram a ser vistos como oportunidades de negócio de extremo potencial.

Os norte-americanos viram e entenderam que os esportes geravam — e ainda geram — chances de negócio com alto potencial de movimentação e aplicação de fundos e extremamente lucrativo.

Surge então uma cultura do esporte nos Estados Unidos. Consequentemente, o Marketing Esportivo era a ferramenta mais eficiente para aumentar as receitas e tornar marcas, eventos e atletas mais envolvidos com o público e com o esporte em sua forma de business.

Essa cultura foi se espalhando pelo mundo. Em cada país, o Marketing Esportivo era responsável não só pelos negócios, mas também pelo desenvolvimento e aumento do culto aos esportes.

Obviamente, cada lugar tinha suas preferências esportivas. Logo, novas oportunidades de negócio eram e ainda são criadas.

Como por exemplo, o futebol na Itália, o rugby na África do Sul, o tênis na Espanha e tantas outras modalidades diferentes em países distintos.

Entretanto, o Marketing Esportivo também é responsável por determinar uma harmonia entre produção e consumo.

Para o mercado, quando essa balança encontra-se desequilibrada, não há nenhuma outra palavra para descrever essa situação que não seja o fracasso.

Por isso, novamente, é importante ressaltar e usar os conceitos e técnicas do Marketing, como a definição de personas, conhecimento e pesquisa de público e promoção de conteúdo e informações relevantes para atrair e engajar pessoas.

Por que o Marketing Esportivo funciona

Tudo começa com a paixão das pessoas e também torcedores por um determinado esporte, time, evento ou atleta.

Em cima desse “fator passional”, as estratégias de Marketing Esportivo atuam para efervescer esse sentimento e atrair novos adeptos. A matemática é simples.

O Marketing Esportivo, quando bem planejado, elaborado e aplicado, dá retorno. O ROI, nesses casos são sempre positivos. E você pode ver exemplos disso logo abaixo:

Cases de Sucesso

A utilização e aplicação do Marketing Esportivo se dá de diversas maneiras e em diversas vertentes.

Atualmente, dois casos se destacam pela imensa quantidade de dinheiro que movimentam e pelo poder de atração e retenção de público que possuem.

Super Bowl

Um exemplo disso é o Super Bowl, evento que marca a final da temporada da liga de futebol americano (NFL) dos Estados Unidos.

Trata-se do evento de maior popularidade no país — e um dos maiores do mundo. E é onde e quando o Marketing Esportivo se mostra em sua melhor forma.

Para se ter uma ideia, o valor de um comercial de TV durante a final de 2016 chegou a US$ 650 mil por segundo de exibição.

Diversas ações começam a ser aplicadas dias, semanas e até mesmo meses antes da tão esperada final.

Marcas de vários segmentos de mercado concentram seus esforços no evento e produtos de todos os tipos possíveis são criados também com foco na grande final.

Alguns exemplos de produtos e serviços anunciados: chocolates, carros, refrigerantes, cervejas, filmes, produtos de higiene como desodorantes e cremes dentais, celulares, empresas de fast food, calçados, salgadinhos, empresas de tecnologia, marcas de ketchup….

Qual o motivo de tudo isso?

Oportunidade de negócio voltado para um público que é bem específico (fãs de esporte, principalmente) mas ao mesmo tempo muito plural (faixa etária, sexo, classe social…). É a essência do Marketing.

Os esportes são aliado a uma demanda de consumo, e o Marketing se aproveita desse momento para atrair, reter e obter mais lucro diante de uma situação de muita movimentação financeira e um período de descontração do público.

Por isso as campanhas costumam ser muito criativas, irreverentes, divertidas e de grande investimento! Afinal, todo esse investimento tem gerado muito retorno.

Confira aqui alguns dos melhores comerciais de TV da história do Super Bowl:

As estratégias de branding da NFL são comprovadamente eficientes. Desde 2006, os lucros da liga crescem mais de 50% e a projeção é que nos próximos anos a margem chegue próxima dos 10 bilhões de dólares.

Tudo isso, claro, com grande ajuda das técnicas de Marketing Esportivo aplicadas.

O Marketing Esportivo no Brasil

Em terras brasileiras, as práticas de Marketing Esportivo ainda estão distantes de serem tão bem sucedidas quanto as dos Estados Unidos e de alguns países europeus, que envolvem todas as áreas esportivas, por exemplo.

As estratégias traçadas nas terras brasileiras se limitam basicamente em exposição de marcas e patrocínio para atletas e equipes.

Existem poucas ações planejadas a longo prazo, com maior envolvimento de clientes e consumidores.

Mas é possível destacar algumas estratégias de marketing muito bem elaboradas que já aconteceram no Brasil envolvendo, principalmente, o futebol (ainda a paixão nacional) e um segmento de negócio.

Penalty e EC Vitória – “Meu sangue é rubro negro”

A fornecedora de materiais esportivos do Esporte Clube Vitória, na época a Penalty, tirou proveito das cores da camisa do clube para lançar uma campanha de responsabilidade social.

A frase “meu sangue é rubro negro” motivou o surgimento de uma campanha para incentivar a doação de sangue pelos torcedores do time. As cores da camisa, antes preta e vermelha, se tornaram branca e vermelha.

E a medida em que as metas de doações eram batidas, a coloração “original” ia retornando aos poucos para o manto da equipe.

Zurich Seguros – “Palmeiras x Santos com São Paulo x Corinthians”

Um outro case bem sucedido no Brasil foi uma ação da Zurich Seguros. Em dia de clássico na cidade de São Paulo – SP, o Palmeiras enfrentaria o Santos.

As torcidas dos dois times enchiam o estádio até que foram estranhamente surpreendidas. Inicialmente, as equipes que entraram em campo eram as do São Paulo FC e do Corinthians, para espanto do público presente.

O apito inicial foi dado, e então, finalmente veio a explicação: “Ainda não inventamos seguro contra alterações no calendário. Mas você pode contar com a Zurich Seguros para cuidar dos seus bens, da sua vida e do seu futuro”, disse um locutor no estádio, para o alívio de todos presentes.

Tratava-se de uma ação da Zurich Seguros para divulgar os seus serviços

Como utilizar o Marketing Esportivo?

Tudo isso só comprova a eficácia do Marketing Esportivo quando feito de maneira estratégica e inteligente.

A criação e desenvolvimentos de produtos, a divulgação de imagens de atletas e marcas e outras coisas apenas si só não se sustentam.

A qualidade e produção de um conteúdo atrativo é extremamente importante e, comprovadamente, funciona. Os esportes movem multidões, tratam paixões e envolvem as pessoas de uma forma diferente.

Esportes não são somente esportes. Diante desse cenário, o Marketing Esportivo deve atuar para fazer a conexão entre a paixão, o entretenimento e o prazer de viver, sentir e presenciar o esporte em busca de provocar emoções nos indivíduos e, ao mesmo tempo, lucro e faturamento para as empresas envolvidas.

E essas empresas devem agir para serem vistas como parceiras dos times, não somente como um negócio que visa o lucro.

A imagem de uma empresa associada a um evento, atleta ou time, torna-a mais agradável aos olhos de todos, ao vê-la como um fator que pode levar aquilo somos apaixonados as melhores glórias.

As empresas se tornam parte das vidas dos indivíduos e serão lembradas de maneira positiva e saudosa.

Conclusão

A indústria esportiva se tornou uma indústria bilionária a partir da promoção de eventos e torneios, licenciamento de produtos, patrocínio de times, clubes e atletas, naming rights e diversas outras vertentes de negócios relacionados.

O Marketing Esportivo se utiliza do conteúdo oferecido pelos esportes para oferecer serviços e produtos em diferentes formas aos públicos alvo em questão.

E quando bem feito, o Marketing Esportivo cumpre muito bem os seus objetivos: gerar vendas e lucros e garantir entretenimento e emoções para o público envolvido.

Gostou do texto e quer saber mais sobre outras variações do Marketing? Então clique no link e conheça mais sobre o Marketing de Conteúdo.