Marketing Internacional

Marketing internacional: 5 coisas que você não pode deixar de considerar

A oportunidade de internacionalizar um negócio é esperada por muitos empreendedores como um momento determinante no futuro da empresa. E, com as chances de expansão crescendo, também surge a necessidade de compreender novos aspectos do negócio, como o marketing internacional.

Na definição de Kotler, o marketing consiste nas estratégias e processos, digitais ou tradicionais, pelos quais:

“indivíduos e grupos obtêm o que necessitam e desejam através da criação, oferta e troca de produtos de valor com outros.”

Quando voltado para o cenário internacional, significa que esses mesmos processos são aplicados de acordo com contextos específicos de outros países. Entretanto, uma estratégia de marketing internacional não consiste apenas em transferir as estratégias nacionais para uma outra região.

Devido às diferentes particularidades de cada país, o marketing internacional é mais complexo do que quando desenvolvida uma estratégia regional.

Confira 5 fatores que devem ser considerados ao iniciar o planejamento de marketing internacional de uma empresa:

1. Adaptação do público ao uso do novo produto

O 1º passo para ter sucesso na expansão de um negócio envolvendo mercados internacionais é realizar pesquisas que permitam que a tomada de decisão seja embasada em dados e informações reais sobre o local que a empresa pretende atuar.

Um tipo de pesquisa que deve ser realizada antes do desenvolvimento da estratégia de marketing para o novo local consiste em identificar como o público responde ao produto ou ao serviço que a empresa deseja inserir naquele mercado.

As pesquisas podem envolver grupos focais, por exemplo, que permitam que especialistas identifiquem o grau de familiaridade e de adaptação do público em relação ao produto.

Isso permite que a divulgação inicial, assim como o produto, estejam alinhados com aspectos regionais, permitindo melhor permeabilidade no mercado desde o 1º momento.

Um exemplo são as redes de fast-food que, ao ingressarem em novos mercados, realizam pesquisas para identificar as preferências do público.

Ainda que não perca a essência dos produtos, esse cuidado permite torná-los mais personalizados para a realidade na qual serão inseridos.

2. Barreiras culturais e linguísticas

Assim como uma pesquisa que visa identificar a recepção do público-alvo ao produto em si, a empresa deve analisar, antes da expansão, possíveis barreiras culturais e linguísticas da região na qual pretende atuar.

Um exemplo de barreira cultural enfrentada na internacionalização de um produto é a inserção do McDonald’s no mercado indiano.

Na Índia, a maioria da população não consome carne bovina, o que fez com que a rede de fast-food elaborasse um cardápio específico para o país, priorizando lanches de outras origens.

Assim como a cultura, o idioma é uma barreira importante de ser analisada antes de expandir um negócio.

É necessário ter em vista a necessidade de contratar profissionais da região, assim como verificar as habilidades da atual equipe em entender processos que sejam de outro país.

A própria estruturação do site é um aspecto determinante quando se pensa em idioma. A empresa terá que avaliar as vantagens das opções de tradução ou de produção de materiais no outro idioma, por exemplo.

É necessário garantir que os mecanismos de busca sejam capazes de fazer a leitura do conteúdo nos diferentes idiomas utilizados, evitando que a empresa seja prejudicada nas estratégias de marketing digital adotadas.

3. Consumo de informações pelos potenciais clientes

Para que a estratégia de marketing internacional possa impactar os potenciais clientes da nova região na qual será adotada, é essencial que a equipe de marketing que vai desenvolver e executar as ações esteja alinhada com o consumo de informações no local.

Ainda que a internet tenha se popularizado em grande parte do mundo, não é possível desenvolver uma estratégia de marketing sem conhecer as particularidades do mercado interno.

Parte das ações podem ser replicadas. No entanto, apenas conhecendo o público-alvo no novo mercado será possível criar soluções de marketing que sejam personalizadas, desenvolvendo um marketing de relacionamento sólido.

Por exemplo: desenvolver uma campanha de marketing internacional focada na televisão em um país com um alto custo nesse tipo de divulgação e pouca adesão entre o público-alvo da marca acarretará desperdícios para o negócio.

4. Maturidade da persona em relação à aplicação do produto

Ao iniciar um plano de expansão do negócio, a criação de personas que norteiem a estratégia de marketing no novo cenário é um passo essencial. E, para aumentar a exatidão das personas, fontes mais diversas devem ser consideradas.

Enquanto no mercado interno, com um conhecimento prévio do público-alvo, é possível definir personas com base no know-how da empresa, no cenário internacional, outros elementos devem fazer parte da definição da persona para que seja possível identificar a maturidade em relação ao produto.

Devem ser usadas pesquisas de organizações, institutos e entidades internas para que seja possível avaliar o tipo de consumo que a população faz e o nível de maturidade no segmento específico no qual a empresa atua.

Tentar inserir um software de alta tecnologia em um país no qual o desenvolvimento tecnológico está atrasado, por exemplo, pode representar uma decisão estratégica ruim.

No entanto, pode-se lançar um serviço pioneiro, com o qual o público não está familiarizado, mas que, devido às vantagens que proporciona, torna-se conhecido e ganha adesão do público. Esse é o caso da experiência do Uber no Brasil, por exemplo.

Não apenas o nível de maturidade atual deve ser considerado, mas o potencial de disseminação do produto ou do serviço.

5. Reavaliar a estratégia

Assim como as estratégias de marketing voltadas para o mercado interno, as atualizações e as reavaliações devem fazer parte constantemente do negócio e devem ser consideradas desde o 1º momento.

As novas tecnologias somadas às novas tendências de comportamento do consumidor fazem com que haja variações frequentes nas opções de consumo de países, sendo necessário que a equipe responsável pelo marketing esteja sempre em busca de diferenciais de mercado e de personalização.

No caso do marketing internacional, esse acompanhamento é ainda mais fundamental para identificar a recepção do público aos produtos da marca, as avaliações, as críticas e as possíveis mudanças que possam tornar o produto ou o serviço mais condizente com as demandas específicas daquele lugar.

A constante melhora e aprimoramento das estratégias de marketing permitem que esses processos sejam contínuos e incentivam que as empresas se tornem cada vez mais relevantes para atender às exigências do público.

Para dar início a uma estratégia de marketing internacional, a empresa deve ter um plano de marketing consistente. Confira o post “Plano de Marketing: o guia completo para criar o seu” e saiba tudo o que não pode faltar!