marketing médico

Como fazer Marketing Médico corretamente e atrair mais pacientes para a sua clínica

Para fazer marketing médico é preciso estar atento tanto ao público quando às limitações legais. Quer fazer marketing médico sem erro? Confira esse post!

Não é novidade que o consumidor atual é muito mais exigente e antenado que antigamente. Além disso, as pessoas também estão mais preocupadas com a saúde, de forma geral.

Por conta disso, o Google passou a ser a primeira opção na hora de pesquisar sintomas e encontrar especialistas bem avaliados por outros na web.

Isso abre uma ótima oportunidade para que médicos consigam atrair mais pacientes e fidelizá-los por meio de estratégias de marketing bem feitas.

Mas, será que vale mesmo a pena investir no marketing médico ou o modelo de indicações já usado é suficiente? Quais os meios para se fazer isso? O que pode e não pode fazer?

Veja a resposta a essas e outras perguntas nesse guia prático!

Neste artigo você vai aprender:

Por que vale a pena investir no marketing médico

Para muitos, o bom e velho boca a boca parece funcionar muito bem, sem contar os catálogos de convênio que disponibilizam o contato dos médicos parceiros e garantem um bom número de consultas.

Mas, será que por isso vale a pena descartar logo de cara o marketing médico? Com certeza não! Mas é preciso olhar além do óbvio, nesse caso. Como assim?

O objetivo aqui não é só conseguir mais pacientes, e sim ajudar mais pessoas. Isso acontece de duas formas.

Primeiro, por produzir conteúdo relevante, pode ajudar muitas pessoas a buscar informações e ajuda diretamente com um profissional, mesmo que não seja você.

Segundo, o marketing bem feito cria uma relação mais estreita com o público, ou seja, com seus pacientes. Assim, eles terão mais confiança no seu trabalho e reagirão melhor aos tratamentos e soluções prescritas.

E, é claro, além de tudo isso você vai conseguir mais pacientes, se posicionará como autoridade na sua área de especialidade e poderá, por conta disso, encontrar oportunidades profissionais ainda melhores.

Como fazer marketing médico com sucesso

Em toda estratégia de marketing é preciso seguir alguns passos básicos, fundamentais para o sucesso.

Veja a seguir o que você precisa fazer para montar um planejamento sólido sem desviar o foco do que é mais importante, a sua prática da medicina:

Defina seus objetivos

Há vários objetivos diferentes que você pode buscar com o seu programa de marketing, e já até os citamos aqui brevemente.

Mas veja novamente, de forma mais clara, algumas metas que você pode estabelecer:

  • Conquistar mais pacientes;
  • Fidelizar os pacientes atuais;
  • Se posicionar como autoridade em determinada área da saúde ou tipo de tratamento;
  • Educar a sociedade sobre a importância de certas atividades ou perigos de alguma doença específica.

Não importa quais são seus objetivos, eles vão definir as ações no restante do planejamento. 

Escolha suas estratégias

Há muitas estratégias de marketing à disposição, por isso tentar tudo de uma vez pode ser um caminho muito confuso e pouco eficaz.

A melhor saída é entender o que envolve cada estratégia, seja de marketing digital ou tradicional, e escolher as que fazem mais sentido no seu caso.

Mais à frente nesse artigo vamos te dar algumas dicas sobre isso, então continue lendo!

Busque parceiros capacitados

Da mesma forma que você precisou de um bom tempo estudando medicina para cuidar dos pacientes, é importante buscar pessoas que estudaram para trabalhar com marketing.

Além disso, uma estratégia de marketing leva tempo, e você não poderia se dedicar a ela sem desperdiçar muito tempo tratando dos pacientes.

Por isso, escolha parceiros qualificados para montar um plano de marketing, de acordo com as estratégias que resolver adotar.

Acompanhe os resultados

Por fim, é importante acompanhar o progresso de cada tática aplicada no marketing para saber se está surtindo efeito ou não.

Em alguns casos, mudanças podem ser necessárias para que os objetivos que você definiu sejam alcançados.

Essa é uma parte importante do processo de marketing, e os parceiros que você contratar devem saber como fazer isso.

4 estratégias certeiras para o marketing médico

O marketing — principalmente o digital — conta com uma enorme variedade de estratégias para dar retorno.

Mas quais delas se encaixam bem no marketing médico? Separamos apenas 4 para te ajudar a começar bem, tanto online como de forma tradicional. Veja quais são:

Marketing de conteúdo

O marketing de conteúdo é uma das principais formas de atrair pessoas hoje em dia, porque apresenta um retorno sobre investimento muito alto.

Através de conteúdo que seja relevante para o tipo de pessoa que você quer alcançar, será possível conseguir a atenção do seu público-alvo e ajudá-lo de verdade.

E-mail marketing

O e-mail marketing é uma ferramenta é ótima para cultivar o interesse de quem já demonstrou interesse no seu conteúdo.

Por meio de uma newsletter, você pode fidelizar o público e ajudá-lo de forma ainda mais personalizada, com informações segundo os interesses dele.

Se você ainda tiver dúvidas, existem pelo menos 20 motivos para fazer uso do e-mail marketing!

Site pronto para conversão

Um site bem projetado e pronto para conversão deve ser uma das suas prioridades ao investir no marketing médico. Por quê?

Diferentemente das redes sociais, você pode fazer uso do site para captar pacientes, então é importante otimizar ao máximo esse canal para isso. Como?

Design responsivo, ou seja, um site preparado para ser usado mesmo em dispositivos móveis, é uma forma. Além disso, há muitas outras formas de otimizar um site para conversão.

Identidade visual

Uma identidade visual bem clara e esteticamente agradável é importante para que o público reconheça facilmente que se trata do seu consultório.

Essa identidade precisa estar clara em todos os canais de comunicação que você utilizar, seja seu site e perfis nas redes sociais ou num cartão de visitas e receituário.

Como usar as redes sociais no marketing médico

As redes sociais também fazem parte do leque de opções para trabalhar bem o seu marketing, mas são tantas redes que resolvemos falar de cada um separadamente.

Além disso, é importante lembrar que algumas práticas normalmente usadas por empresas nas redes sociais não são permitidas no marketing médico.

Então veja ao que você precisa ficar atento e como usar o máximo que essas ferramentas oferecem sem violar nenhuma lei:

Facebook

Antes de mais nada, é importante que você evite criar um perfil pessoal para a sua prática médica. Em vez disso, é apropriado usar o recurso próprio para marcas e negócios, chamada fanpage.

Esse tipo de página oferece muito mais recursos próprios para que você cultive uma relação próxima com seus pacientes, compartilhe conteúdo relevante e até escolha o tipo de público que deve receber suas postagens.

Twitter

O Twitter é uma rede social dinâmica, em que os usuários compartilham mensagens curtas, de até 140 caracteres, e é um dos principais veículos para transmitir novidades e notícias ao vivo.

Algumas maneiras de usar bem o Twitter incluem compartilhar links relevantes sobre saúde, enviar alertas das agências de saúde e destacar os benefícios de certas práticas de prevenção, por exemplo.

Instagram

O Instagram tem crescido tanto em alcance que fica impossível ignorar o seu uso também no marketing médico. Mas como ele pode ser usado?

Essa rede é mais voltada para fotos e vídeos curtos, e tem um tom leve e divertido. Então, é importante não adotar um tom sério demais ao usá-la.

Uma boa ideia é destacar fotos e vídeos que destaquem curiosidades e fatos importantes sobre diferentes doenças e tratamentos. Procure usar imagens de alta qualidade, que atraiam os seguidores.

LinkedIn

O LinkedIn é uma rede social com objetivo profissional, ou seja, você pode se conectar tanto com seus pacientes quanto com colegas de profissão.

Sendo assim, além de ser um canal de marketing essa rede também é um bom lugar para fazer networking e promover sua marca pessoal.

Use o LinkedIn também para expor artigos publicados em periódicos médicos, mostrar sua capacitação e histórico profissional.

Redes específicas

Algumas redes sociais específicas, voltadas para a comunidade médica ou para promover e facilitar a relação entre médicos e pacientes, também são relevantes.

Algumas dessas redes incluem:

  • iMeds: Exclusiva para médicos com CRM em dia, professores e estudantes de medicina em instituições reconhecidas pelo MEC;
  • Ology: Outra rede exclusiva para médicos, tem vários recursos úteis para o dia a dia, e pode ajudar na busca por estratégias de marketing médico válidas.

Bônus: Whatsapp

É verdade que o Whatsapp não é bem uma rede social, mas é uma excelente ferramenta de comunicação que pode ser usada para oferecer atendimento personalizado aos pacientes.

Como vamos ver a seguir, não é permitido consultar ou diagnosticar alguém à distância, mas o app ainda pode ser usado para tirar dúvidas simples, relembrar procedimentos, enviar resultados de exames, etc.

6 erros a evitar na sua estratégia de marketing

A prática do marketing médico é regulada pelo Conselho Federal de Medicina, e não pode simplesmente seguir o que outras indústrias fazem sem problemas. É fundamental saber fazer um marketing médico de forma ética.

Os 6 erros a seguir precisam ser evitados a todo custo, para evitar que a divulgação se torne motivo de dor de cabeça:

Anunciar uma especialidade que você não possui

Além de antiético, é absolutamente proibido pelo Conselho Federal de Medicina anunciar uma especialidade que você não possui para tratar dos pacientes.

Isso é proibido mesmo de forma indireta, talvez por dar a entender que trata de determinados órgãos ou atende pacientes com certas doenças.

Esse tipo de divulgação deve ser feito somente por profissionais devidamente especializados em áreas e funções reconhecidas pelo CFM.

Ter seu nome envolvido em propaganda enganosa

Esse ponto é bastante óbvio para qualquer marca que se preze, mas no marketing médico ele tem implicações ainda mais sérias.

O conceito de propaganda enganosa é muito amplo, por isso você deve tomar cuidado extra sobre a que tipo de marcas e produtos vai associar o seu nome e a imagem do seu consultório.

Afinal, não importa se a iniciativa de fazer propaganda falsa foi sua, a responsabilidade é a mesma só por permitir ser mencionado em promoções assim.

Anunciar aparelhagem como forma de mostrar capacidade superior

Talvez você tenha feito um grande investimento em aparelhos de alta qualidade para o seu consultório, enquanto sabe que outros não tem nem de longe uma estrutura tão boa.

A sua primeira ideia poderia ser divulgar essa aparelhagem como um diferencial, certo? Acontece que isso não é permitido pelo CFM.

Uma boa forma de indicar que possui a estrutura necessária seria indicar a importância desses equipamentos em diagnósticos e tratamentos por meio de conteúdo relevante, como posts de blog abordando o assunto.

Exibir fotos de pacientes

Exibir fotos de pacientes, seja na forma das famosas e selfies ou em comparativos do tipo “Antes e Depois” também é uma prática que vai contra o regulamento do marketing médico.

E caso você esteja se perguntando, mesmo que tenha a permissão dos pacientes isso ainda é proibido.

A ideia é que os pacientes não devem ser expostos a fim de promover um profissional, outros meios podem ser usados para isso.

Divulgar publicamente informações que alarmem a sociedade

Um médico poderia divulgar informações que causem grande alarme à sociedade, como a ameaça de uma nova epidemia, a fim de ganhar a credibilidade e respeito da população.

Mas, mesmo que as informações sejam comprovadas cientificamente, o proceder correto seria protocolar em caráter de urgência o motivo da preocupação junto as autoridades competentes.

Consultar, diagnosticar ou prescrever à distância

Citamos aqui como usar as redes sociais para a prática do marketing médico, mas é essencial ter em mente que nenhum desses canais deve ser usado para realmente exercer a prática médica.

Ou seja, apesar de servirem como canais de comunicação e aproximação com pacientes e outros interessados, você não pode realizar diagnósticos ou consultas usando o Whatsapp, por exemplo.

Nada substitui a interação pessoal com o paciente, em um ambiente adequado e com a devida aparelhagem para exames mais detalhados.

Para uma lista completa das restrições e regras quanto ao marketing médico, veja o manual de publicidade médica.

Uma coisa é certa: o marketing médico bem feito é de grande relevância para uma prática bem-sucedida. A porta que a internet oferece para os negócios não poderia deixar a área da saúde de fora, e quem investir nisso provavelmente vai conquistar muitos pacientes. Gostou? Pronto para começar? Um bom exemplo de marketing médico que gostamos muito aqui na Rock é o blog Dermatologia Capilar, da Doutora Amanda Gomes.

Agora que você já sabe como fazer o marketing médico, que tal dar uma atenção maior às redes sociais da sua clínica? Baixe agora nosso kit completo de Marketing nas Redes Sociais!