homem no computador e aplicando as melhores práticas na produção de conteúdo

Nem textão, nem textinho: as melhores práticas na produção de conteúdo para web

*[Guest Post] Conteúdo produzido por Camila Prochnow, da agência Next Idea.

Tem uma coisa que sempre digo aqui para o pessoal da agência: por favor, me peçam para escrever três páginas, mas não me peçam para escrever uma frase.

Objetividade e concisão são exercícios realmente difíceis, mas, como tudo na vida, é só a prática que pode nos levar a resultados melhores. Em textos escritos para a web, não há como escapar da necessidade de conteúdos claros e que vão direto ao ponto.

Concorremos com muitos materiais e nem preciso dizer que é só um clique e… pronto! Todo o seu esforço de produzir um texto atraente pode perder para qualquer outra página que o usuário tenha achado mais interessante que a sua.

Pensando nisso, separei algumas recomendações para criação de bons conteúdos para web, veja só!

Invista em um bom título

De nada adianta o seu conteúdo ser exclusivo, trazer informações valiosas e ser super bem escrito. Se ele não chamar a atenção do leitor logo de cara, todo o seu trabalho acaba sendo inútil.

E o principal responsável por ser esse chamariz para o leitor é o título. Ele precisa ser original mas também comunicar a respeito daquilo que o texto irá apresentar.

Existem algumas boas práticas que recomendam que a palavra-chave do conteúdo precisa, obrigatoriamente, aparecer no título também. Se você conseguir fazer isso, ótimo!

Mas, entre um título com a palavra-chave e um que seja criativo, fique com o criativo. Ele irá chamar mais atenção do leitor. A palavra pode aparecer no decorrer do conteúdo e meta description e isso também é importante para a indexação.

Outro cuidado super importante é ser honesto desde o início. Ou seja, se o título do seu post é “5 dicas para cuidar do cabelo em casa”, o post precisa cumprir essa promessa feita. Caso não cumpra, vai pegar super mal para a empresa e criar uma falsa expectativa.

Linguagem acessível

É inevitável que alguns redatores levem seus vícios de linguagem para a escrita. Uns têm um texto mais descontraído, leve, outros já escrevem de um jeito mais formal. Independente desses estilos, é preciso atenção e sempre estar de olho na persona a quem o conteúdo é direcionado.

E, considerando que estamos no ambiente digital onde a dinâmica de leitura é muito mais rápida, dê preferência a uma linguagem acessível e evite aqueles termos mais rebuscados.

Mas lembre-se: linguagem acessível não quer dizer que o texto pode estar recheado de gírias — de novo, isso dependerá da sua persona —, mas sim que será fácil de ser compreendido por quem vai lê-lo.

Tamanho não é documento

Muita gente defende que os textos para a web precisam ser curtos, justamente pela necessidade de ser objetivo. Bom, depende: do formato, do tema, dos canais etc.

Existem assuntos que realmente pedem uma explicação maior e aí se prender apenas ao tamanho pode excluir informações importantes do conteúdo e engessar o texto.

A dica nesse caso é, em vez de preocupar-se demais com o número de caracteres, procure escrever de forma que o leitor consiga se encontrar facilmente no decorrer do seu conteúdo. Use e abuse dos tópicos, intertítulos, imagens ilustrativas, infográficos e, dessa forma, torne seu texto escaneável.

Assim, mesmo que o conteúdo seja extenso, ficará fácil para o leitor localizar e chegar exatamente no ponto que ele gostaria de ler.

Ofereça mais ao seu leitor

Citar referências e outros links no decorrer do texto é uma ótima saída para oferecer um conteúdo complementar ao seu leitor. É possível que você até já tenha em seu site ou outros canais alguns materiais que expliquem determinado termo ou conceito trazido no texto, então, é só fazer essa referência para eles.

Isso também pode ser feito por meio dos CTAs no meio ou final do post, que oferecem um conteúdo adicional para quem está acessando a página.

Tomar esse cuidado também é importante para resistirmos àquele desejo incontrolável de escrever mais e mais. Seu texto não precisa resolver todos os problemas do mundo, é ideal se manter ao que a pauta está pedindo, senão há o risco de ser prolixo, se estendendo e perdendo o foco.

Use os links, CTAs e referências para fazer esse complemento e tornar seu texto mais certeiro.

Não peque nos detalhes

O texto pode estar ótimo, mas, se lá no meio dele o leitor encontrar um erro feio de gramática, a sua credibilidade já dá uma balançada. Por isso, não se canse de revisar. Use os recursos do próprio editor de texto ou mesmo de sites gratuitos que identificam algum erro.

Mas não confie só neles, nossa língua portuguesa é cheia de armadilhas e exceções: fique de olho na concordância verbal, plurais, grafia correta das palavras.

E também não confie só no seu olho que já está viciado depois de escrever todo o texto, peça para um colega revisar, é bem comum acharmos falhas nesse momento.

Sempre que precisar redigir, faça um checklist para não esquecer dos detalhes. E o principal de tudo: coloque-se no lugar do seu leitor.

Você gostaria de ler aquele conteúdo? Está agradável e lhe trazendo algum valor? Escrever também é um grande exercício de empatia!

*Conteúdo produzido por Camila Prochnow, da Next Idea.

 
Autor(a)

Escrito por: Autor Convidado Esse artigo foi um guest post escrito por um de nossos parceiros especialistas no assunto. Quer conteúdo legal assim no seu blog? Fale com um consultor!



    Deixe um comentário

    Certificações em Marketing Digital - Universidade Rock Content
    Vagas em Marketing e Vendas - Rock Jobs
    Ebook Inbound Marketing - O Guia Definitivo

    A Rock Content é líder em marketing de conteúdo no Brasil. Ajudamos centenas de empresas a atingirem seus objetivos de marketing. Queremos ajudar você também!