mitos do link building

8 mitos do link building que só estão te afastando do topo do Google

Dentre as tantas estratégias de marketing digital na eterna batalha para conquistar as primeiras posições do Google, uma das mais importantes é o link building.

Mas você sabe o que é o tal do link building e quais são os maiores mitos que circulam por ai?

Bem, neste post vamos esclarecer essas dúvidas e te mostrar um pouco do conceito e da importância dessa estratégia para o seu ranqueamento nos mecanismos de buscas.

Então, vamos lá?

Conceito geral de Link Building

Se fizermos uma análise do passado remoto, de quando o Google ainda era uma tese de mestrado da universidade de Stanford, sua ideia geral era organizar a relevância das páginas de acordo com a quantidade e qualidade de referências feitas à elas – ou seja, backlinks que apontavam de volta para estas páginas -.

Surgia então o PageRank e a primeira noção de mecanismo de busca como conhecemos hoje.

Com o PageRank e as análises do google veio o Link Building, e essa prática pode A prática ser dividida em 2 tipos:

  1. Link building externo
  2. Link building interno

Vamos entender melhor cada um deles, a seguir.

Link building externo

Como falamos acima, o Google sempre busca entregar o melhor conteúdo buscado pelo usuário, e que tenha coerência com as palavras-chave buscadas.

Dentre os vários fatores que influenciam nos rankings do mecanismo de busca, a relevância do seu conteúdo é uma das mais importantes.

Sendo assim, para metrificar melhor essa relevância, o Google procura por quantas vezes ele é citado por outros bons e confiáveis websites.

Assim, ele pode ser um conteúdo de alta relevância e deveria estar melhor posicionado nas buscas.

As estratégias envolvem desde guest posts até a procura ativa por quem está linkando concorrentes das palavras-chave mais estratégicas para seu negócio, para então entrar em contato com eles e tentar substituí-lo por um conteúdo seu, gerando um link externo saudável para você.

Para fazer essa verificação, existem várias ferramentas, como:

Mas muita atenção! A linha entre isso ser considerado black hat é muito tênue, especialmente se você oferece dinheiro em troca de links, algo totalmente condenável e passível de punição do Google, já que você deve construir essa autoridade publicando conteúdo de altíssima qualidade e realmente útil para sua persona!

Se precisar de ajuda para gerar a sua persona, pode contar com o nosso gerador de personas!

gerador de personas

Link building interno

O Link Building interno consiste em colocar em seu site, links para conteúdos internos que complementam a informação que você quer transmitir.

Construir referências para outras páginas dentro do seu site é uma maneira de incentivar a navegação do usuário e aumentar as chances de engajamento, interações e até mesmo conversões.

Se você tiver informações que se complementam, o usuário tem uma experiência melhor e passa a confiar mais no seu conteúdo para procurar por referências.

Além disso, se o Google não identifica que o usuário clicou em links e navegou pelo seu site, sua taxa de rejeição aumenta e, apesar de não influenciar diretamente em seu posicionamento no Google, é uma métrica que pode dizer muita coisa a respeito de seu site, como já falamos aqui – olha aí nosso link building interno! 😉

O efeito de um bom Link Building

Link building é o coração de uma estratégia bem sucedida de SEO.

Buscar links de maneiras naturais e de bons domínios (mais sobre isso logo abaixo) vai fazer com que você conquiste mais e mais posições de destaque no Google, chegando na primeira página e, em alguns casos, até mesmo na primeira posição orgânica.

Estratégias de SEO são conjuntos de boas práticas tanto on-page quanto off-page, onde todo detalhe conta.

Porém, é seguro afirmar que sem um bom link building, dificilmente você conquistará os objetivos que almeja com elas.

Se você quiser se aprofundar mais sobre como montar uma estratégia eficaz, basta acessar nosso artigo a respeito!

Os mitos do Link Building

Com uma importância desse tamanho, é natural que surjam boatos, rumores e factoides que, por serem repetidos muitas vezes, acabam sendo tomados como “verdades” por muitos profissionais, mas que não passam de mitos.

Portanto, vamos tentar esclarecer os principais mitos do link building, a seguir:

1. “Nunca aceite links de sites com um Domain Authority inferior ao seu”

Já falamos antes sobre Domain Authority aqui, mas é basicamente uma métrica criada pelos maiores especialistas mundiais em SEO, a Moz, para identificar quão forte um domínio é quando comparado com outros.

Para isso, ele avalia uma série de fatores como: Visitantes, backlinks, tempo de permanência na página, conversões e muitos outros.

Isso, porém, não diz nada a respeito da qualidade do site em si, seus posicionamentos, links, relevância dos conteúdos, qualidade do tráfego e visitantes.

Portanto, não é suficiente para afirmar que é um lugar terrível para conseguir links. Sim, é interessante dar uma leve preferência para sites com DA acima de 80 e evitar aqueles abaixo de 10, mas nada impede que um excelente site que é mais recente, por exemplo, não possa gerar links de extrema qualidade para você.

2. “Não aceite links de diretórios”

Websites do tipo “diretórios” são aqueles que listam outros sites de acordo com categorias, se tornando uma espécie de depósito de links para os mais diferentes assuntos.

Alguns seguem critérios mais exigentes e outros nem tanto.

Daí que vem esse mito: Diretórios desorganizados e sem uma boa seleção de links, com o propósito único e exclusivo de SEO para outros sites, realmente não são indicados para colocar um backlink para seu site, podendo gerar até punições do Google.

Porém, existem diretórios que são excelentes fontes de pesquisa para listas.

Por exemplo, se alguém procura por “livraria em Belo Horizonte” e cai em uma lista com as melhores livrarias em Belo Horizonte no Apontador, famoso diretório Brasileiro, você não iria querer um link para o site da sua livraria em Belo Horizonte? Claro que deveria querer!

Tenha o discernimento entre o que é um diretório de links pagos e um diretório com excelentes sites e que funciona como um recurso para o usuário.

Tente fazer um checklist de alguns pontos antes de procurar ou aceitar links de diretórios, como:

  • Critérios de seleção dos websites listados
  • Organização sensata dos links
  • Divisão por categorias e subcategorias
  • Qualidade do conteúdo dos links que divulga

Alguns diretórios trabalham com links “no-follow”, ou seja, não afetam diretamente seus rankings no Google, mas ainda assim podem te trazer um ótimo volume de tráfego.

3. “Não faça links externos ou para outros sites, ou você vai perder autoridade, PageRank, etc”

Novamente, este é um mito de link building fundamentado em algum fato.

No passado, o PageRank funcionava de tal maneira que, se uma página possuísse diversos links apontando para fora dela, então uma porção do seu PageRank seria passado à eles.

Essas são regras extremamente ultrapassadas de SEO. Não representa a realidade dos dias de hoje!

O PageRank não é único e nem o mais importante fator analisado pelo algoritmo do Google para ranqueamento orgânico (descubra mais deles aqui).

Você não deveria ficar com medo de linkar para páginas externas à sua.

Você deveria se preocupar em linkar para boas páginas externas à sua!

Uma característica comum em páginas com alto ranqueamento são os links externos, e as páginas que fazem costumam ficar acima de seus concorrentes que tem medo de fazer!

Portanto, apontar para outros sites pode estar relacionado a melhores posições.

Sempre lembrando de uma das regras de ouro: Faça a linkagem caso faça sentido e o conteúdo da outra página de fato complemente a experiência do leitor e tenha um boa qualidade!

O Google se preocupa com a experiência do usuário, portanto caso o link externo otimize a experiência do seu leitor, o buscador verá com bons olhos.

4. “Não consiga links rápidos demais, senão você será punido”

A sustentação dessa informação se baseia no fato de que, se seu site começa a ganhar links em uma velocidade acima do normal, então você está se utilizando de táticas fora do código de conduta do Google, portanto será penalizado.

Isso não é verdade. O que é verdade, é que se um padrão de links de baixa qualidade ou com um perfil “spammer” surgem em sequência, pode sim disparar uma punição do Google.

E sim, se você está rodando uma estratégia de ética duvidosa envolvendo compra de links, redes privadas e afins, você estará sujeito à suspeita e punição dos mecanismos do Google.

Mas se você está operando uma estratégia de Link Building saudável e legal, não existe razão alguma para se preocupar com a velocidade que você recebe backlinks.

5. “As variações de seu texto-âncora devem ser feitas em proporções específicas e milimetricamente posicionadas”

A ideia aqui é que seu texto-âncora deve ir de encontro à uma série de regras definidas e precisas para aumentar o ranqueamento da sua página.

Algum tipo de “regra” que seria parecido com:

  • Texto âncora com nome da sua marca = 22%
  • Com referência a sua marca = 31%
  • Com a palavra-chave exata = 16%
  • Aleatorio = 31%

Não, não há correlação com essa distribuição numérica precisa com seus resultados.

Porém, não custa repetir: Se você estiver praticando técnicas de caráter duvidoso, é provável que o Google irá verificar seus textos-âncoras e, se perceberem que muitos deles repetem a palavra-chave e pouca variação, talvez chame atenção deles e possam acabar verificando seu site manualmente.

Portanto, se você continua no caminho dos justos no mundo do SEO e link building, também conhecido como White Hat, não há com o que se preocupar aqui.

Mantenha seus conteúdos memoráveis, com referências que fazem sentido, e não vai precisar se preocupar nesse ponto.

6. “Receber mais de um link do mesmo site não é inútil”

É provado que páginas que são citadas por mais fontes únicas e domínios individuais possuem ranking melhores que aqueles que tem muitos links de menos locais.

Porém, você jamais deve recusar um bom link de um site que já fez outras menções ao seu conteúdo, pelo simples fato de não haver prejuízo algum – pelo contrário, você ainda tem muito a ganhar com isso.

A importância do Link Building vai além de SEO e rankings do Google.

Esses links vão te trazer mais tráfego e visitantes qualificados. Se você possui backlinks de sites cujos visitantes se identificam com os problemas que você também ajuda a resolver, em qualquer nível, esse é um tráfego que você deve querer muito!

É o caso por exemplo de quando somos citados por empresas como SEMRush, Resultados Digitais ou tantas outras, mais de uma vez.

7. “Nunca peça um link diretamente, ou você será penalizado”

Imagine o seguinte cenário: Sua empresa foi citada por um respeitado veículo de mídia, em uma notícia relevante e positiva.

Esse portal provavelmente recebe muitas visitas diárias e muitas delas podem ficar curiosas em conhecer mais sobre você. Você não pediria um link? Claro que sim! Sonhe com este link!

Ou ainda, uma revista ou guia local publicou uma lista de novos restaurantes vegetarianos na sua cidade. Não há problema algum em enviar um e-mail avisando que você tem um novo restaurante vegetariano e o link para seu website.

Mas a existência desse mito é compreensível. Algumas empresas fazem táticas como enviar e-mails para seus clientes pedindo links em troca de descontos ou condições especiais, ou ainda enviar e-mails oferecendo a compra de links, algo totalmente condenável, pois o Google sempre vai prezar pela experiência do usuário e relevância das citações à outros conteúdos, e é isso que deve diferenciar os sites bons dos ruins, não seu poder de compra ou barganha.

O Google pode decidir tomar ações punitivas contra quem pratica link building manipulado e artificial, mas desde que você não se envolva esse tipo de negociação, pode ficar tranquilo.

8. “Ter links de sites fora do seu nicho de mercado atrapalham seu SEO”

Algumas pessoas tem o pensamento de que o Google possui uma lógica de avaliar o nível de correlatividade entre Site A e Site B, para então afirmar se é justo aumentar os rankings daquela página devido àquele link.

Apesar de inicialmente fazer sentido, não é bem assim que funciona na prática.

Se esse link estiver colocado em contexto, vier de um bom site e não parecer estar forçando a barra no sentido de estar ali por motivos únicos e exclusivos de SEO, você pode ficar tranquilo.

Aceitar e buscar links destes sites é uma ótima tática. Inclusive criar conteúdos fora do seu nicho pode ser uma ótima ideia, como já falamos antes.

Conclusão

No fim do dia, a preocupação maior do Google sempre será com a experiência do usuário.

Ele é uma máquina de intenções que sempre visa aprimorar seus mecanismos de buscas, baseando-se principalmente em qual foi o intuito da busca e o quão satisfatória a resposta dela foi para o usuário.

O link building vai ajudar a construir a relevância de seu site perante ao Google, pois bons sites apontando para outros, significa que eles são autoridades no assunto e serão melhor colocados do que aqueles que não são citados por ninguém.

Esperamos ter esclarecido muito dos pontos envolvendo estratégias de link building, sua importância e alguns dos principais mitos envolvendo-as.

Com tanto conteúdo por aí, é importante deixar os seus mais atraentes para facilitar a citação por outros sites. Para isso, confira nosso guia de como criar um post genial, e depois de fazê-lo, porque não encontrar um outro artigo na web que possa ser complementado pelo seu?

 
Autor(a)

Escrito por: João Dobbin Gerente de Implementação na Rock Content. Part time marketer, full time dad.



    Deixe um comentário

    Certificações em Marketing Digital - Universidade Rock Content
    Vagas em Marketing e Vendas - Rock Jobs
    Ebook Inbound Marketing - O Guia Definitivo

    A Rock Content é líder em marketing de conteúdo no Brasil. Ajudamos centenas de empresas a atingirem seus objetivos de marketing. Queremos ajudar você também!