O que é consumismo

O que é consumismo? Entenda o que realmente é, seus tipos e consequências

Conhecer como os consumidores baseiam a tomada de decisão de compra é fundamental para donos de empresas, profissionais de marketing e de publicidade e outros.

Mas, para entender o processo de compra, é necessário saber o que é consumismo. Num 1º momento, o termo pode ser dissociado da forma majoritária de consumo de uma pequena empresa, por exemplo.

Entretanto, como integrantes da sociedade de consumo, todos os indivíduos e as empresas são impactados pelos efeitos do consumo e a sua forma mais desenfreada, o consumismo.

Saiba mais sobre o assunto a seguir:

O que é consumismo?

Inicialmente, é necessário fazer uma distinção entre consumo e consumismo.

O 1º está relacionado a uma necessidade inerente do ser humano enquanto ser social. Isto é: consumimos, inclusive, por sobrevivência.

O consumismo, por sua vez, é caracterizado por uma compra em excesso e, muitas vezes, de produtos ou de serviços que não são necessários para a pessoa. O conceito também está relacionado com maneiras inconscientes e alienadas de comprar, sem avaliar o impacto social e ambiental.

Também é possível que o consumismo evolua, em algumas pessoas, para um quadro clínico, como a síndrome de Diógenes. Nessa situação o indivíduo, tem tal apego pelos bens materiais adquiridos que não consegue parar de comprar nem se desfazer de produtos antigos.

O marketing e a publicidade, somados aos padrões veiculados na mídia, foram, por muito tempo, responsabilizados por essa intensificação do consumo. Entretanto, profissionais da área têm mostrado que novos caminhos são possíveis, incluindo essas profissões em campanhas para um consumo mais ético e consciente.

Como o consumismo impacta no comportamento do consumidor?

Para os profissionais que lidam diretamente com a criação de produtos e de serviços, com a divulgação e com o estímulo a novas tendências de consumo, conhecer os impactos do consumismo no comportamento do ser humano é essencial.

O consumismo é compreendido como uma compra acrítica. Dessa forma, as pessoas que compram compulsivamente não analisam as consequências sociais e pessoais da compra. Em casos de “oneomania”, a pessoa chega a fazer dívidas que não consegue quitar devido à patologia relacionada ao consumo excessivo.

Mas, assim como o consumismo chegou a níveis preocupantes, movimentos de resistência a essa tendência também surgiram. Atualmente, eles impactam diretamente o comportamento do consumidor.

A obsolência programada, por exemplo, que consiste na comercialização de produtos criados para terem um ciclo de vida curto, tem sido combatida por consumidores e profissionais de marketing. A defesa é que haja menos produtos, mas com mais qualidade.

O consumo também tem consequências sociais. Enquanto nações são bem avaliadas pela capacidade de compra individual, devido ao crescimento da economia gerado pelo consumo, muitas pessoas entram em quadros de depressão e de ansiedade devido a esses fatores.

Um dos principais aspectos relacionados ao consumismo está na busca da felicidade por meio das coisas, o que gera frustrações e novas exigências de compra. A necessidade de se adaptar a padrões sociais também gera as condições negativas para quadros clínicos, como a depressão.

Todos esses aspectos devem ser considerados por profissionais que desejam vender mais. Atualmente, já se fala em vender melhor, e talvez seja esse o futuro do marketing.

Quais são os tipos de consumismo?

Para que seja possível identificar qual o comportamento do consumidor na área de atuação da empresa, é importante conhecer os diferentes tipos de tomada de decisão de compra. São 4:

  • compras de rotina: são as mercadorias de baixo valor compradas com certa periodicidade e nas quais os consumidores não gastam tanto tempo para a tomada de decisão. São os itens de mercado, por exemplo;
  • compras com valor limitado: aquisições realizadas com menos frequência e que envolvem valores mais altos e que podem resultar em prejuízo caso a decisão seja ruim. Os consumidores vão pesquisar sobre o produto e sobre a empresa. Exemplos são as compras de celulares e de bens duráveis;
  • compras de alto valor: são mercadorias com alto valor agregado, como casas, carros, sistemas etc. Nesses casos, todas as informações serão avaliadas racionalmente, mas é esperado que fatores psicológicos influenciem na compra;
  • compra impulsiva: o tipo de compra por consumismo. Não são compras planejadas e podem ser desde itens baratos, como um chocolate, até mercadorias mais caras.

Além dos tipos de consumo, existem algumas tendências que se consolidam cada vez mais, principalmente entre novos consumidores.

Quais são as tendências da área?

Para que seja possível continuar relevante para os clientes, diferenciar-se dos concorrentes e inserir essas novidades na identidade corporativa da empresa — ressaltando valores éticos que são importantes para os consumidores —, é necessário conhecer quais tendências têm influenciado a decisão de compra.

Lowsumerism

O lowsumerism consiste em questionar o consumo excessivo e se conscientizar sobre os processos de criação, produção e distribuição dos produtos.

Por exemplo: ao comprar uma camisa, o consumidor pode questionar o material usado na fabricação, a opção pela estampa além da questão estética, o processo produtivo e outras questões sociais relacionadas ao produto.

Também relacionado ao lowsumerism está identificar se aquele produto é necessário e se agregará algo à vida da pessoa. Para que seja possível combater o consumo desenfreado, é preciso que haja consciência em cada compra realizada.

Portanto, ao realizar campanhas publicitárias, desenvolver novos produtos, aprimorar os existentes e se relacionar com o cliente, todas essas questões devem ser consideradas.

Por exemplo: manter um fornecedor acusado de usar trabalho escravo pode gerar boicotes de clientes, afastar consumidores e dificultar a colocação de novos produtos no mercado.

Consumo ético

O consumo ético, também conhecido como consumo sustentável, está mais relacionado aos impactos ambientais gerados pelas marcas.

Além de incentivar um consumo consciente e que se limite ao necessário, esse tipo de prática também questiona o uso de transgênicos e agrotóxicos, o uso de animais em processos produtivos, o ciclo de vida de produto extremamente reduzido, entre outras práticas que geram problemas ambientais.

Nesse sentido, a empresa pode optar por embalagens recicláveis para os produtos e usar o marketing verde para divulgação, mostrando que está comprometida com valores ambientais.

Compreender os novos comportamentos de consumo é determinante para que as empresas se tornem mais relevantes para os consumidores e melhorem o relacionamento com os clientes.

Entender o que é consumismo, lowsumerism e consumo ético são questões relevantes para um bom posicionamento de mercado.

Quer saber mais como a sua empresa pode alcançar melhores resultados e ser relevante socialmente? Leia este post: “Quer que a sua empresa deixe uma marca positiva no mundo? Conheça o marketing social!“.