O que é CPM, CPC e CPA? Descubra o que significam essas siglas

O que é CPM, CPC e CPA? Descubra o que significam essas siglas



Se você deseja entender mais sobre Marketing Digital e mais ainda se está começando uma estratégia e pretende usufruir de todos os benefícios que ela pode te oferecer, você precisa conhecer o significado de alguns termos e siglas específicos.

É que, se tratando do Marketing Digital, existem várias terminologias específicas da área e que são fundamentais para que sua estratégia seja completa.

Geralmente, esses termos estão relacionados às métricas, ou seja, à sua mensuração de resultados, que aliás, é um diferencial para esse tipo de Marketing e por isso merece ainda mais a sua atenção.

Mas, mais que entender o significado, você precisa também saber exatamente como chegar a essas métricas e como elas interferem em sua estratégia.

Por isso, vamos traçar uma visão geral.

Visão Geral

As 3 siglas — CPM, CPC E CPA — são relacionadas a custos de campanha para anúncios no meio digital.

Independente de estar fazendo anúncios em um um site, blog, portal, rede social ou mecanismo de busca, conhecer esses números é importante já que eles dizem respeito a precificação do anúncio, ou seja, a maneira com que você será cobrado para colocar a sua campanha no ar.

Nos 3 casos, você geralmente adiciona um valor antes da campanha começar a rodar à plataforma escolhida. Conforme os objetivos vão sendo alcançados, esse valor vai sendo debitado.

O que difere cada um dos 3 é basicamente qual a relação entre a ação do usuário e a cobrança feita pela empresa responsável do anúncio a você.

Então, de cara, dá pra entender que os pagamentos de anúncios online baseados nestas 3 siglas são mais direcionados. Afinal, existe uma interação, mesmo que apenas visualizando o anúncio, da parte do público, o que torna o seu investimento mais rentável e com maiores chances de retorno.

Além disso, por se tratarem de métricas, esses 3 tipos de precificação de anúncios comprovam o caráter mensurável das suas campanhas pagas online. Ou seja: você saberá exatamente o que acontece com o seu anúncio, quais os seus resultados e qual foi a sua taxa de êxito.

Vamos conhecer cada uma delas.

CPM

A sigla CPM significa Custo por Mil Impressões.

Agora, para que o seu anúncio tenha 1000 impressões — ou seja, possa ser visualizado por mil pessoas — os sites anunciantes precisam ter um tráfego considerável. Por isso, esse formato de precificação de campanhas é geralmente utilizado por grandes blogs e portais de notícias.

Você possivelmente já acessou algum desses canais e observou as barras laterais e também o topo do site, certo. Esses são os espaços disponibilizados pelos sites anunciantes para que você coloque o seu banner publicitário, que pode ser estático, dinâmico e, em alguns casos, até mesmo com som.

Mas, como você deve imaginar, quanto mais recursos, maior e mais visível for o espaço de anúncio, maior o CPM dessa campanha.

Por isso é importante que, ao optar por esse formato de anúncios, você relacione o seu orçamento ao tempo em que o seu anúncio leva para gerar 1000 visualizações dentro do canal escolhido.

Quanto mais rápido você alcançar esse número de visualizações, mais recursos serão necessários para que a sua campanha rode por muito tempo.

Lembrando que essa precificação é por visualizações. Por isso, independe se o visitante do portal clicar ou não em sua campanha, você será cobrado por ela.

Dessa forma, essa estratégia é indicada principalmente para empresas de médio e grande porte que já possuam uma estrutura de Marketing bem definida e uma estratégia clara. Do contrário, por mais que a campanha gere resultados, o custo dela será maior, em relação por exemplo a outros modelos de precificação.

Você pode optar por esse formato de anúncios desde para promoções específicas quanto para campanhas de fortalecimento da sua marca ou institucionais.

Mas lembre-se sempre de criar um anúncio atrativo o suficiente para que o visitante da página se sinta motivado para ler e principalmente interagir com o anúncio, se o seu objetivo é gerar conversões.

Porém, uma dica que damos é: se o seu objetivo também é encantar, lembre-se de pensar em como o seu anúncio pode interferir na experiência do usuário.

Para se ter uma ideia, o Adblock Plus, um aplicativo utilizado para bloquear pop ups em sites, alcançou a marca de 500 milhões de downloads. Isso mostra o quanto os usuários não gostam de ter suas experiências com o site afetadas pelos anúncios das marcas.

CPC

Já o CPC é o Custo por Clique.

Ou seja, neste caso, você só pagará quando o seu anúncio receber um clique do usuário.

É o modelo utilizado, por exemplo, no Google Adwords —  ou seja, na compra de palavras-chave nesse mecanismo de busca. Mas também tem se tornado bastante popular em outros sites, portais e blogs.

Este formato possibilita uma ótima maneira de saber exatamente o resultado dos seus anúncios —  o número exato de pessoas que clicaram em sua campanha — e também o impacto que ele tem causados nos usuários. Basta observar do total de usuários acessaram àquele canal, quantos clicaram em sua campanha.

Outro fator interessante sobre esse formato é que, caso você queira fazer um anúncio cobrado por através de CPC, você pode estabelecer uma meta de cliques desejados e então calcular o seu custo de campanha previamente, através do CPC médio. Este cálculo é fornecido por várias das plataformas que oferecem esse modelo de anúncio, como no caso do Adwords.

Baseado nesses fatores, o ROI (Retorno sobre Investimento) desse tipo de campanha costuma ser maior. Afinal, você tem a garantia que só pagará pelo usuários que interagiram com o seu anúncio.

Mas também, não necessariamente. Vai depender do quanto a página de destino do seu anúncio era atrativa o suficiente para gerar a conversão final, no caso de anúncios de promoção e venda, por exemplo.

É indicado para quem deseja obter maior tráfego em seu site ou blog e também para quem tem como objetivo atingir um número de vendas específico em determinado espaço de tempo.

Mas lembre-se que o anúncio é apenas uma parte da sua estratégia. Para gerar conversões, além de uma campanha atrativa, você deve cumprir com o que foi prometido pelo anúncio caso o usuário clique nele. Só assim você terá resultados realmente efetivos.

CPA

Por fim, o CPA representa o Custo por Aquisição.

Como você já deve imaginar, essa é a mais cara dos três tipos de precificação, afinal, você só pagará pelo seu anúncio quando alcançar o objetivo final da sua campanha, que pode ser uma venda, o preenchimento de um formulário ou Landing Page, visualização de um vídeo, download de algum material ou aplicativo, ou qualquer outra finalidade estabelecida por você.

Por isso, além de ser o formato mais complexo, a precificação desse formato de anúncios pode chegar a custar até 50% do valor dessa aquisição. Por isso, o formato demanda maior investimento.

Esse também é um formato possível para o Google Adwords. Porém, nesse caso, a plataforma realiza algumas exigências prévias baseadas no seu histórico de campanhas, como o número mínimo de conversões prévio.

E, além disso, ao optar por esse formato, no caso do Adwords, automaticamente o anunciante optará por automatizar o anúncio, perdendo a chance de controlar algumas das suas opções, exceto localização do anúncio, por exemplo.

Nesse caso, a cobrança do seu anúncio será realizada quando a conversão que você estabeleceu previamente for atingida em sua totalidade.

Por todos esses motivos, o formato é mais indicado para empresas que têm margens amplas em seus produtos ou então clientes de longa vida útil. É preciso considerar o alto valor da aquisição e comparar com os outros modelos de promoção.

Além disso, esse formato só é indicado para empresas que possuam um budget alto em relação aos custos de venda ou da ação escolhida para a cobrança do CPA.

Com exceção de alguns serviços específicos, é provável que sua empresa escolha o modelo de CPC ou CPM.

Conclusão

Os anúncios online possuem diversas maneiras de precificação. A escolha por um desses formatos vai depender, basicamente do seu objetivo, do valor disponível para investimento em uma campanha.

Mas, independente da escolha, o ideal é realizar testes antes de criar uma grande campanha de anúncios pagos para entender qual dos formatos mais se adéqua às suas necessidades e também atende às suas expectativas.

Além disso, escolha uma plataforma ou canal que realmente faça sentido para sua persona, para aumentar suas chances de obter bons resultados. Afinal, o seu maior objetivo deve ser atingir o seu cliente ideal com qualquer uma dessas ações.

Por fim, lembre-se de usar a seu favor todos os dados obtidos através dos anúncios pagos. Eles dirão muito a respeito da sua persona, do seu comportamento e também poderão nortear os seus próximos anúncios para que você alcance cada vez melhores resultados.

Essas métricas também serão uma boa chance de comprovar para você e para todos os envolvidos a eficácia direta e real de uma campanha de anúncios pagos para o seu negócio.

Mas, antes de fazer qualquer anúncio, você precisa entender as vantagens e desvantagens de atrair tráfego pago e as suas diferenças para o tráfego orgânico. Por isso, leia este artigo!

Faça uma avaliação gratuita!
Autor(a)

Escrito por: Redator Rock Content Este artigo foi produzido por um dos mais de 5000 redatores da base da Rock Content. Quer conteúdo legal assim no seu blog? Fale com um consultor!



    Deixe um comentário

    Ebook SEO 2.0
    Certificações em Marketing Digital - Universidade Rock Content

    A Rock Content é líder em marketing de conteúdo no Brasil. Ajudamos centenas de empresas a atingirem seus objetivos de marketing. Queremos ajudar você também!