profissionais essenciais

Quais profissionais são indispensáveis para tocar uma estratégia de Marketing de Conteúdo?

Quem acompanha o nosso blog, com certeza já percebeu que o Marketing Digital é uma área muito ampla, rica e complexa!

Por isso mesmo, uma equipe de Marketing de Conteúdo também precisa ser composta de profissionais com perfis e habilidades diferentes.

No mínimo, existem sete cargos chave que toda equipe de Marketing de Conteúdo precisa ter.

Confira quais são eles, as principais atribuições e o perfil do profissional ideal para cada um.

1.Analista de conteúdo

O Analista de Conteúdo tem um papel central para o desenvolvimento de Inbound Marketing.

Ele é o responsável por fazer com que a estratégia de produção de conteúdo seja mais assertiva.

Assim, sua equipe vai poder criar menos conteúdo, porém, com mais foco e qualidade.

O Analista de Conteúdo observa qual é o perfil e o objetivo do cliente para, então, dedicar-se a todas as etapas de uma estratégia de conteúdo que sirva aos seus interesses.

Ele está envolvido no planejamento, criação, análise, entrega e monitoramento das pautas, respeitando um calendário editorial.

O Analista de Conteúdo não é, necessariamente, a pessoa que escreve as pautas. Ele pode coordenar uma equipe de redatores e revisores que irão cuidar dessa etapa.

Mesmo assim, ele está envolvido ativamente na criação, e fica responsável por delegar as pautas, aprovar o conteúdo ou solicitar ajustes, bem como acompanhar e cobrar a atenção aos deadlines.

Até mesmo depois da entrega, o Analista de Conteúdo continua tendo responsabilidades em relação ao material produzido. Ele acompanha, junto ao cliente, o desempenho e resultados obtidos através de cada conteúdo.

Isso é feito com o uso de KPIs, ou seja, métricas relevantes. A partir desse monitoramento, é possível aprimorar os conteúdos progressivamente.

2.Analista de SEO

O Analista de SEO tem um papel importante para aumentar a visibilidade da empresa na internet. Ele é o responsável por garantir que todos os canais de comunicação estejam otimizados para uma melhor indexação e rankeamento.

Ao contrário do que muitos imaginam, o trabalho do Analista de SEO não se resume a inserir palavras-chave no código e no conteúdo de websites. Na verdade, boa parte do seu trabalho é focada em pesquisa de mercado.

O Analista de SEO precisa estar antenado com relação às palavras-chave mais procuradas pelo público de um certo negócio. Por isso, ele precisa saber quais são as principais dúvidas, problemas e expectativas daquele público.

Ele também deve entender bem qual é a dinâmica da concorrência. Isso é importante para que possa identificar as melhores oportunidades em palavras-chave que ainda não estão sendo muito exploradas.

3.Analista de redes sociais

O Analista de redes sociais tem um papel focado em obter, ao mesmo tempo, mais visibilidade e mais engajamento nas redes sociais. Ele trabalha com a produção e publicação de conteúdo focada nestes canais, que tem particularidades bastante distintas da estratégia de conteúdo para um blog.

Uma característica interessante do trabalho de um Analista de redes sociais é que ele precisa ter um cuidado especial com o gerenciamento da publicação de conteúdo. Afinal, nas redes sociais, fatores como a frequência e até os horários escolhidos para fazer uma postagem podem influenciar os resultados.

Além disso, as redes sociais exigem interação com o público – respondendo a mensagens e comentários, por exemplo. Portanto, o trabalho de um Analista de redes sociais é muito dinâmico e exige atenção constante ao que está acontecendo.

Na maioria dos casos, os Analistas de redes sociais são, particularmente, heavy users dessas redes.

Você pode reconhece-los porque apresentam perfis pessoais de alto nível, sempre atualizados e aproveitando ao máximo os recursos que cada rede proporciona.

Esse é um bom critério a ser usado na hora de fazer o recrutamento deste profissional.

4.Analista de email marketing

O Analista de email marketing tem um papel voltado para a divulgação ativa da empresa através de e-mails enviados a uma lista de contatos. Mas, se você está pensando que o trabalho deste profissional é enviar uma mensagem com as “ofertas da semana” aos clientes, está enganado.

O email marketing é uma atividade de marketing focada em relacionamento.

Este tipo de conteúdo estabelece um canal regular de comunicação com seus leads, que deve ser usado para educa-los.

Em outras palavras, as mensagens enviadas para sua lista possuem dois objetivos: tirar dúvidas e derrubar possíveis objeções à compra.

Em última instância, todo conteúdo de email marketing precisa ser útil para o lead, garantindo a continuidade do relacionamento e, finalmente, a conversão em vendas.

E o Analista de email marketing é o responsável por garantir a entrega deste resultado.

O trabalho do Analista de email marketing é realizado em blocos, que chamamos de campanhas.

Uma campanha é formada por uma sequência de e-mails que o lead irá receber, ajudando-o a percorrer o caminho até a decisão de compra.

Ou seja, tanto quanto um Analista de conteúdo ou de redes sociais, o Analista de email marketing também precisa ser capaz de planejar e desenvolver um trabalho de nutrição dos leads a médio ou longo prazo.

Além disso, dentro de uma mesma campanha, existe um alto grau de complexidade.

A reação de um determinado lead pode leva-lo por diferentes caminhos dentro da campanha.

É responsabilidade do Analista de email marketing traçar esses caminhos, através da segmentação.

5.Designer

O Designer Gráfico é o responsável por criar uma forma visual que, ao mesmo tempo, seja atrativa para o público e seja funcionalmente adequada.

Além disso, ele deve ter uma preocupação com a identidade visual da empresa.

É comum que muitas empresas pensem no designer como um sinônimo de ilustrador.

Porém, seu papel vai muito além de executar a criação de desenhos.

Esse profissional tem o conhecimento necessário para participar em todo o planejamento de marketing.

O Analista de conteúdo contribui com sugestões de pautas e datas para publicação.

Da mesma forma, o Designer pode contribuir sugerindo os melhores formatos para uma peça de publicidade ou diferentes alternativas para reduzir custos com gráfica.

O designer também precisa se envolver com a pesquisa de referências e tendências, tendo em mente que as escolhas feitas estejam alinhadas com a imagem que a empresa quer passar ao público.

Afinal, aspectos visuais possuem o primeiro e mais forte impacto sobre a construção e o reconhecimento da marca.

Além disso, o designer também faz o controle da conformidade. Ele deve analisar todos os materiais produzidos para garantir que sigam as normas – mesmo em relação a coisas simples, como a paleta de cores ou o posicionamento da logomarca na página.

Assim como no caso do Analista de conteúdo, o Designer pode estar diretamente envolvido na execução ou não. É difícil encontrar um único Designer que tenha expertise para executar design gráfico, web design, animação, ilustração…

E, como todas estas áreas podem ser necessárias em diferentes momentos, o mais comum é que o Designer assuma o papel de coordenar uma equipe de profissionais. Estes profissionais, que são especializados em atividades diferentes, vão ser os executores dos projetos.

6.Analista de UX/CRO

Vamos começar esclarecendo essas siglas, certo? UX, ou User (X)Experience, significa Experiência do Usuário. CRO, ou Conversion Rate Optimization, significa Otimização da Taxa de Conversão. Embora sejam coisas diferentes e desenvolvidas por profissionais diferentes, existe uma forte relação entre as duas.

A Experiência do Usuário está relacionada à forma como cada usuário interage com um blog, site ou rede social.

Uma boa experiência pode garantir que o visitante passe mais tempo na página, volte mais vezes, recomende aos amigos.

Hoje em dia, duas características muito valorizadas em UX são a intuitividade e a responsividade.

Já a Otimização da Taxa de Conversão está relacionada com a capacidade de convencer mais usuários ou visitantes a aceitar sua oferta.

Na maioria dos casos, nem estamos falando sobre ofertas de vendas.

A sua oferta pode ser simplesmente trocar um produto digital (como um e-book) por uma informação valiosa (como o e-mail do visitante). Essa troca é o que acontece nas landing pages.

E qual é a relação entre UX e CRO? Quanto melhor a Experiência do Usuário, maiores as chances de uma Taxa de Conversão alta. Ou seja, a UX é um dos elementos para CRO (mas, é claro, não é o único elemento).

Um exemplo é o caso dos pop-ups. Quando eles agregam mais valor à experiência do usuário, como no caso dos “pop-ups de saída”, a página pode conseguir muito mais respostas à sua oferta.

Porém, quando eles são mal posicionados ou possuem muitos campos de preenchimento, tornam-se um incômodo e podem fazer com que o usuário deixe a página.

Isso quer dizer que um Analista de CRO também pode ter conhecimentos importantes de UX.

Porém, como já dissemos, na maioria dos casos, você vai ter profissionais especializados em cada uma dessas áreas.

Existem algumas coisas que o trabalho de um Analista de UX e um Analista de CRO apresentam em comum. Entre elas, vale a pena destacar a questão dos testes, que é muito importante.

Os dois precisam realizar vários testes para descobrir qual é a combinação de elementos que gera melhores resultados.

Por exemplo, no caso do Analista de UX, ele pode testar diferentes posicionamentos dos menus em uma página, para descobrir qual deles facilita mais a navegação para o usuário.

No caso do Analista de CRO, os testes A/B de conteúdo para landing page são uma maneira muito conhecida de descobrir se é possível aumentar a conversão trocando apenas uma palavra ou uma imagem.

Growth Hacker

O Growth Hacker é, provavelmente, o profissional mais misterioso dessa lista. Seu papel é “hackear” estratégias de crescimento – o que basicamente se traduz em fazer vários testes e experimentos com diferentes possibilidades de marketing.

Seu objetivo é encontrar estratégias inovadoras e criativas que tragam crescimento mais rápido e escalável do que o marketing tradicional.

Uma coisa interessante sobre o Growth Hacker é que este cargo chave que não se define pelas suas atividades, mas pelo seu objetivo.

Para trazer crescimento à empresa, ele pode realizar diferentes atividades, conduzir diferentes projetos, colocar o pé em várias áreas do Marketing.

O trabalho do Growth Hacker geralmente se concentra em um dos cinco estágios do Funil do Growth, ou seja, Funil de Crescimento, desenvolvido por Dave McClure. Esses estágios são:

  • Aquisição de novos clientes
  • Ativação dos clientes através de uma primeira experiência satisfatória
  • Retenção de clientes por meio da fidelização
  • Geração de receita através de vendas
  • Indicação de novos clientes via recomendações

Conseguir crescimento em um (ou mais de um) desses estágios é o objetivo do Growth Hacker. Para conseguir isso, ele passa por um processo de trabalho que consiste em três etapas principais:

  • Geração e seleção de ideias
  • Modelagem e execução de experimentos
  • Análise de resultados para gerar conhecimento

Diferente dos outros profissionais que vimos nessa lista, o Growth Hacker não é tão focado em resultados. Pelo menos, não imediatamente.

Cada experimento realizado traz lições aprendidas.

Como não existe uma cartilha que mostre os passos para atingir o crescimento rápido e escalável, essas lições são a melhor base para chegar cada vez mais próximo da “fórmula” que irá funcionar.

Neste artigo, você conheceu mais sobre os sete cargos chave que formam uma equipe de Marketing Digital. Não se esqueça de que a sua equipe pode ter (e provavelmente deve ter) muitos outros profissionais conforme a estratégia for crescendo.

Na equipe administrativa, temos assistentes, gerentes e até o próprio Diretor de Marketing, ou CMO.

Esse grupo restrito é o responsável por coordenar a estratégia de Marketing em sintonia com os objetivos mais gerais do negócio.

Na parte, digamos, “operacional”, você trabalhará com redatores, revisores, ilustradores, animadores, programadores… Essa é a área com mais pessoas, já que são os executores. Aliás, muitas equipes de marketing preferem terceirizar, contratando freelancers para esse trabalho.

O perfil de cada um desses profissionais é diferente. Um bom Analista de conteúdo precisa de um conjunto de habilidades distinto de um Growth Hacker, e assim por diante.

Por isso, o processo de recrutamento precisa ser totalmente alinhado com a vaga. Somente assim é possível formar um verdadeiro “dream team”.

Você está querendo montar sua própria equipe de Marketing? Então, anuncie as vagas no espaço exclusivo do nosso site!

Os melhores profissionais de Marketing Digital acompanham nosso job board.

profissionais-chave

 
Autor(a)

Escrito por: Redator Rock Content Este artigo foi produzido por um dos mais de 5000 redatores da base da Rock Content. Quer conteúdo legal assim no seu blog? Fale com um consultor!



    Deixe um comentário

    Certificações em Marketing Digital - Universidade Rock Content
    Vagas em Marketing e Vendas - Rock Jobs
    Ebook Inbound Marketing - O Guia Definitivo

    A Rock Content é líder em marketing de conteúdo no Brasil. Ajudamos centenas de empresas a atingirem seus objetivos de marketing. Queremos ajudar você também!