Robô do Google representando o RankBrain

Tudo que você precisa saber sobre o RankBrain, o cérebro humano do Google

Em 2015, o Google anunciou o começo da utilização de aprendizado de máquina no seu mecanismo de busca, com um novo sistema chamado RankBrain.

Ele é baseado no conceito de que todo o nosso conhecimento está na conexão entre nossos neurônios e nosso cérebro.

A cada ano, mecanismos da informática e da Internet ficam cada vez mais inteligentes e capazes de aprender novas coisas sozinhos.

Esta prática, chamada de aprendizado de máquina, tem sido desenvolvida por muitas empresas, como o Google e o Facebook, para automatizar processos e eliminar a necessidade de humanos providenciarem informações para os sistemas.

O aprendizado de máquina faz parte do conceito de inteligência artificial, cujo objetivo também é capacitar os sistemas para processar informações sozinhos.

Apesar de esses dois conceitos parecerem pertencer a um futuro distante, tenho certeza de que você já utilizou aprendizado de máquina sem saber.

Por exemplo, o tradutor do Google é feito com inteligência artificial, assim como os filtros de SPAM, que já existem há muitos anos e são capazes de processar o conteúdo dos emails que você recebe.

Leia mais para saber como isso se aplica aos resultados da sua busca no Google!

O que é o RankBrain?

RankBrain é um sistema de inteligência artificial que utiliza aprendizado de máquina para processar os resultados de busca do Google.

Ele faz parte do algoritmo que o Google utiliza para procurar os termos de busca em bilhões de páginas na Internet, e encontrar os resultados mais relevantes.

Para entender melhor o RankBrain, primeiro precisamos entender o que significam seus componentes.

Primeiramente, o que é aprendizado de máquina? Sistemas que usam aprendizado de máquina aprendem sozinhos a fazer certas ações, sem precisar que um humano “ensine” para o sistema através de programações.

Além de aprendizado de máquina, o RankBrain utiliza inteligência artificial, ou seja, ele adquire conhecimentos como um ser humano, fazendo conexões entre o que ele já conhece e novas informações que ele aprende.

Inteligência artificial e aprendizado de máquina podem ser conceitos distintos, mas no caso do Google RankBrain os dois conceitos significam a mesma coisa: que o ele tem o poder de aprender e fazer conexões sem precisar que alguém o ensine.

Como o RankBrain atua no algoritmo do Google?

O algoritmo utilizado pelo Google para determinar o que aparece nos resultados de busca se chama Hummingbird, e ele é constituído de diferentes partes.

Uma destas partes é o RankBrain, que foi adicionado ao algoritmo no início de 2015.

Outras partes do Hummingbird são mais conhecidas, como o PageRank, que dá credito às páginas baseado nos links que apontam para outras páginas.

Para determinar como ordernar os resultados do Google, o Hummingbird utiliza diversos fatores, que também são chamados de “sinais”.

Por exemplo, cada palavra em uma página da Web é considerada um sinal, se a palavra estiver em negrito, isto é outro sinal de rankeamento.

Todos estes fatores são processados pelo algoritmo para determinar os resultados de uma busca.

O RankBrain já é o terceiro sinal mais importante do algoritmo do Google. De acordo com eles, o sinal mais importante de todos são links, seguido de conteúdo. Portanto, podemos ver como entender o RankBrain é essencial.

Como o RankBrain influencia os resultados de busca?

Dentro do algoritmo do Google, a principal função do RankBrain é interpretar as buscas feitas pelos usuários para encontrar páginas que a princípio não são diretamente relacionadas com a palavra-chave que foi utilizada na busca.

Isto ocorre principalmente com buscas de long tail, ou cauda longa. Neste caso, a busca é tão específica que dificulta na hora de encontrar resultados. O RankBrain conecta buscas específicas com buscas genéricas sobre o mesmo tema.

Ainda não é claro para os usuários como o RankBrain funciona na prática.

O exemplo dado pelo Google é de uma busca sobre “qual é o nome do predador no nível mais alto da cadeia alimentar”.

Neste caso, o RankBrain relaciona esta busca com uma busca genérica sobre “cadeia alimentar” para mostrar resultados que também podem ser relevantes para o usuário.

Apesar do RankBrain ser um sistema revolucionário, mostrar resultados de palavras-chaves relacionadas não é novidade para o Google.

Há muitos anos, o mecanismo de busca entende derivações de palavras como “celular” e “celulares”, ou “nadar” e “nadando”. Ele também é capaz de mostrar resultados de sinônimos da palavra-chave que está sendo buscada.

No entanto, o RankBrain permite a interpretação de buscas complexas, que contém várias palavras.

Qual é a verdadeira utilidade do RankBrain?

Até hoje, os resultados de buscas de cauda longa eram primariamente refinados por meio do trabalho humano, ou seja, pessoas que criavam listas de derivações ou sinônimos.

No entanto, o Google processa 3 bilhões de buscas por dia, e 15% destas buscas são inéditas. Já imaginou o trabalho de quem procura refinar as buscas do Google manualmente?

Assim, o RankBrain foi criado para substituir o trabalho manual de criação de listas de sinônimos e derivações, pois ele é capaz de aprender sozinho, sem a ajuda de humanos.

Ele tem a capacidade de encontrar padrões em buscas complexas de cauda longa, para identificar pontos em comum entre buscas aparentemente não-relacionadas.

Desta maneira, como o RankBrain trabalha com inteligência artificial, ele é capaz de aprender conexões, prever resultados de futuras buscas complexas e produzir os resultados que serão mais relevantes para os usuários.

Apesar do que parece, este aprendizado não é realizado em tempo real. De acordo com o Google, o RankBrain é providenciado com grupos de buscas antigas, que utiliza para aprender a fazer previsões.

Estas previsões são testadas e se o resultado estiver correto, o RankBrain é atualizado para atuar nos motores de busca com este novo aprendizado.

Como usuários do Google, é difícil perceber a magnitude do RankBrain e julgar se ele realmente tem valor ou não.

Afinal, o algoritmo do Google funciona com diversos fatores diferentes, e nós vemos apenas o produto final deste trabalho, que são os resultado da busca.

No entanto, a importância do RankBrain pode ser medida apenas pelo fato deste sistema ter sido anunciado pelo Google. Historicamente, a empresa sempre foi conservadora com a adição de novas tecnologias no seu algoritmo.

Antes de qualquer coisa, inúmeros testes são feitos, e lançamentos grandes como o RankBrain só acontecem se o Google tem total confiança de que realmente funciona.

Portanto, apesar de não percebermos, o RankBrain foi um lançamento inovador para o Google.

Em que situações o RankBrain entra em ação?

Como falamos, o algoritmo foi criado para melhorar os resultados de buscas complexas, como o exemplo  “qual é o nome do predador no nível mais alto da cadeia alimentar”.

No entanto, em quais outras situações o RankBrain pode atuar?

Apenas dois outros exemplos do uso do RankBrain foram disponibilizados pelo Google. O primeiro deles se aplica à contextualização de buscas de cauda longa, de acordo com a localização do usuário.

Em vários países de língua inglesa como Estados Unidos e Austrália, “copo” é uma unidade de medida.

No entanto, a quantidade que um copo representa difere de país para país. Assim, em uma busca sobre “quantas colheres de chá enchem um copo”, o RankBrain mostrou resultados diferentes para cada país, dependendo da medida que ele representa em cada um deles.

Este exemplo demonstra a capacidade do RankBrain de aprender com o contexto de várias buscas em uma mesma localização.

O segundo exemplo mostra a capacidade do RankBrain de processar nossa linguagem.

Uma das maneiras que o Google utiliza para ensinar sistemas de aprendizado de máquina como o RankBrain a reconhecer padrões de linguagem é por meio do processamento de grandes quantidades de texto.

Desta maneira, o sistema foi capaz de “ler” grandes quantidades de textos e entender a hierarquia entre cidades e países.

Assim, ele foi capaz de identificar que Paris e França eram relacionados da mesma maneira que Berlim e Alemanha.

Tudo isto foi feito sem que nenhum ser humano providenciasse informações durante nem depois do “treinamento” da máquina.

O RankBrain pode influenciar o rankeamento do meu site?

O fato de um resultado de busca ser refinado pelo algoritmo do Google nunca foi considerado um fator de rankeamento nos resultados de busca.

Os sinais que influenciam o rankeamento são geralmente ligados ao conteúdo da página, como palavras ou links externos e internos. Eles também podem ser ligados ao usuário, como em que idioma ele faz buscas, ou seu histórico de navegação.

Portanto, o que significa quando dizemos que o RankBrain é o terceiro fator mais importante de rankeamento no Google, se o refinamento de buscas não influencia nos resultados? A resposta ainda não é clara, pois o RankBrain é novidade para todos.

De acordo com o Google, algum aspecto do RankBrain contribui diretamente para que uma página apareça nos resultados de uma busca.

Melhor classificação

Ainda não sabemos que aspecto é este. De acordo com o site Search Engine Land, o mais provável é que o RankBrain ajude o Google a classificar melhor as páginas dos resultados de busca de acordo com o conteúdo que elas possuem.

Assim, o algoritmo pode ser capaz de resumir o conteúdo de uma página com mais precisão que os sistemas atuais do Google.

Como o RankBrain simula um cérebro humano, o conteúdo do seu site precisa ser realmente relevante para as palavras-chaves que você busca rankear.

Desta maneira, o Google dificulta ainda mais o rankeamento de sites que utilizam truques, como links externos, para parecer falar de um assunto que não é exatamente o que o site contém.

Portanto, o RankBrain dá preferência aos sites que se preocupam mais em ter conteúdo relevante do que truques na manga para melhorar seu SEO.

Contexto define os fatores mais importantes para o rankeamento

De acordo com o site Tech Chrunch, a melhor maneira de utilizar o RankBrain a favor do SEO é examinar o contexto no qual seu site é encontrado.

Eles afirmam que o RankBrain examina várias partes do algoritmo do Google para determinar o melhor resultado de uma busca.

Assim, em certas buscas, o melhor resultado para o buscador pode ser definido a partir do título da página, ou Meta Title. Em outra ocasião, o PageRank pode ser o fator mais importante de rankeamento.

Assim, o melhor jeito de otimizar uma estratégia de SEO seria examinando situações que resultam em resultados de busca diferentes, e fazendo melhorias para cada situação específica.

Isto acontece porque o RankBrain opera no nível da busca, ou seja, customiza o algoritmo do Google para cada busca diferente.

Apesar de não ser claro com o RankBrain pode influenciar no rankeamento do seu site, é importante se manter informado sobre o assunto. O RankBrain funciona como um cérebro humano e estará cada vez mais avançado.

Portanto, dedique tempo para aprender sobre a influência de aprendizado de máquina nos mecanismo de busca.

Reflita sobre o contexto na qual as buscas das suas palavras-chaves são feitas, e tenha certeza de que seu site entrega a melhor experiência possível para seus usuários.

Afinal, o RankBrain também estará buscando pela qualidade da experiência que ele encontra no seu site.

Constante evolução

Especialistas no assunto preveem que sistemas de inteligência artificial e aprendizado de máquina vão se propagar cada vez mais, e se desenvolver com velocidades impressionantes.

Por isso, é essencial entender como eles funcionam e como podem influenciar na sua estratégia de marketing digital.

O lançamento do RankBrain deixa claro que novos mecanismos de inteligência artificial podem beneficiar empresas que produzem conteúdos relevantes para suas personas, e se preocupam com a experiência dos usuários nos seus sites e blogs.

Para aproveitar ao máximo os benefícios da inteligência artificial, lembre-se sempre de que estes sistemas simulam o pensamento de um ser humano.

Portanto, não tente enganá-lo, seja honesto e produza conteúdo de qualidade!

O RankBrain é apenas um dos componentes que influenciam nos resultados do Google.

Se você quer saber como melhorar ainda mais o rankeamento do seu site neste mecanismo de busca, baixe nosso ebook gratuito para aprender tudo sobre SEO, e otimizar os fatores de maior importância nos resultados de busca.

 
Autor(a)

Escrito por: Clara Borges Analista de Marketing da Rock Content. Quando não está divulgando Marketing de Conteúdo por aí, gosta de boas energias, praticar yoga e venerar os deuses do Netflix.



    Deixe um comentário

    Certificações em Marketing Digital - Universidade Rock Content
    Vagas em Marketing e Vendas - Rock Jobs
    Ebook Inbound Marketing - O Guia Definitivo

    A Rock Content é líder em marketing de conteúdo no Brasil. Ajudamos centenas de empresas a atingirem seus objetivos de marketing. Queremos ajudar você também!