seo para ecommerce

Aprenda a fazer SEO para ecommerce agora!

Não parece incrível que você possa divulgar seu e-commerce e atrair cada vez mais visitantes qualificados sem precisar investir um centavo em mídia?

Isso é tranquilamente possível com as estratégias de SEO!

Elas têm o poder de atrair tráfego qualificado para o site, pois os usuários estão buscando ativamente no Google por algum conteúdo.

E você já parou para pensar quantas pessoas podem estar procurando pela sua solução neste exato momento?

No caso de um e-commerce, o SEO tem um impacto realmente significativo nas vendas.

Quanto mais usuários verdadeiramente interessados no que você oferece, maior é a possibilidade de ver as taxas de conversão subirem!

Então, você não vai deixar passar essa chance, certo? Sabemos que você está em busca de dicas para aplicar no seu site, por isso preparamos este post com tudo sobre SEO para ecommerce. Vamos lá?

Você sabe o que é SEO?

Talvez você já saiba que SEO é Search Engine Optimization, ou otimização para mecanismos de pesquisa, em português. Mas você já sabe exatamente o que é essa otimização?

Quando as estratégias de SEO começaram a surgir, a otimização era essencialmente pensada para os robôs do Google.

E o buscador, que ainda não era tão desenvolvido como hoje, caía nas armadilhas de black hat. Aos poucos, os fatores de ranqueamento do Google foram evoluindo, e ele passou a identificar essas más práticas.

Basicamente, ele quer oferecer o melhor resultado para o que as pessoas buscam.

Então, as atualizações do algoritmo sempre visaram valorizar os sites que oferecem a melhor experiência para o usuário, e penalizar aqueles que tentam ludibriar o buscador.

E essa deve ser a mentalidade de quem trabalha hoje com SEO: focar no usuário, não no buscador.

Isso significa oferecer a ele conteúdos de qualidade, um layout agradável, uma navegação eficiente, entre algumas outras ações que vamos citar neste post.

Trabalhar esses itens enviará sinais ao Google de que você está oferecendo uma ótima experiência para as pessoas e que seu site é uma referência para o seu público.

Acredite, ele sabe reconhecer seus esforços. Experiência do usuário é hoje a essência do SEO.

Por que conquistar os primeiros lugares da busca?

Ok, agora que você já entendeu o que é SEO, talvez se pergunte por que seu site deve entrar nessa batalha pelas primeiras posições do Google.

Primeiramente, vamos entender a relevância do Google para as pessoas.

Na dúvida de qual o melhor restaurante das redondezas, qual destino escolher para as férias ou como se pratica yoga, quem tem resposta para tudo? O Google! Ele é o primeiro recurso usado pelas pessoas para resolver suas questões.

E já está mais do que provado que os usuários não passam dos primeiros resultados da busca para encontrar a resposta que desejam. Então, se você estiver bem posicionado, têm grandes chances de receber o clique e solucionar o problema da pessoa.

Consegue perceber os benefícios que você conquista neste processo? Abaixo, deixamos claros os principais motivos para trabalhar com SEO:

  • Conquistar a confiança do usuário, por solucionar um problema dele;
  • Atrair tráfego orgânico, sem investimento em mídia;
  • Atrair tráfego qualificado, de pessoas com interesse claro pelo seu conteúdo;
  • Ganhar autoridade no mercado, estando à frente dos concorrentes.

Você perceberá o impacto no tráfego do seu site e nas suas conversões. Veja agora as nossas dicas para usar o SEO no seu e-commerce.

Dicas básicas de SEO para e-commerce

Vamos começar com as dicas básicas, que você consegue aplicar com mais facilidade e que o seu site não pode deixar de ter. Confira:

Palavras-chave no funil de vendas

O processo de SEO sempre começa com a pesquisa de palavras-chave. Usá-las no site torna s00eu conteúdo encontrável pelo usuário que faz uma busca no Google. Por isso, é importante fazer essa pesquisa de olho no funil de vendas.

Seu site deve atrair tráfego em todas as etapas da jornada de compra, utilizando desde palavras Head Tail (como “geladeira”), quando o consumidor ainda está em início de pesquisa, até as Long Tail (como “geladeira brastemp frost free frete grátis”), quando ele já está mais decidido.

Geralmente, as Head Tail atraem mais tráfego, mas geram menos conversões, porque o consumidor ainda não está maduro.

Já as Long Tail atraem menos visitas, mas têm mais chances de converter em vendas, porque o usuário já está mais perto da decisão. Sua estratégia deve contemplar os dois tipos.

Título das páginas

Depois de pesquisar as palavras-chave, é preciso inseri-las nas suas páginas de forma inteligente, para que o Google compreenda seu assunto principal.

O título (tag <title>) é o carro-chefe do SEO On Page, então a palavra-chave deve aparecer nele.

Por exemplo, uma página que vende uma geladeira deve ter em seu título a palavra “geladeira” acompanhada da marca, tipo, capacidade e mais algum destaque do produto.

Lembre-se de não passar dos 63 caracteres, que é apenas o que o Google exibe.

Heading tags

As heading tags (tags <h1>, <h2>, <h3> etc.) são marcações no código que identificam a hierarquia entre os títulos e intertítulos da página.

O h1 geralmente tem o mesmo texto do título, que mencionamos anteriormente. Já o h2, h3 e assim por diante identificam os intertítulos, onde você pode destacar palavras-chave relacionadas.

Vejamos um exemplo de como você pode usá-las:

  • h1 = Geladeira Brastemp Frost Free 2 Portas 400 Litros
  • h2 = A melhor geladeira frost free
  • h3 = Mais tecnologia com o Painel Touch Screen
  • h3 = Mais praticidade com o Porta Latas

Meta Description

Meta description é o texto descritivo que acompanha o título da página nos resultados da busca do Google.

Utilize esse conteúdo como um pequeno anúncio da página (não só de produtos, mas também das categorias), que deve motivar o clique do usuário.

Mais uma vez, você ganhará pontos se usar a palavra-chave, pois ela aparece em negrito nos resultados.

E mantenha o texto com no máximo 160 caracteres, que é o que o Google mostra.

Imagens

A busca por imagens no Google também pode gerar um tráfego interessante. Para aproveitar o potencial das imagens em SEO, é preciso usar as tags corretamente.

A tag <alt> indica o texto alternativo que aparece caso a imagem não seja exibida, e a tag <src> refere-se ao nome original do arquivo (nome-do-arquivo.jpg).

Com uma descrição clara e informativa, o Google é capaz de entender os elementos visuais que compõem esse arquivo.

URLs amigáveis

Por padrão, muitos sistemas utilizam um conjunto de códigos na criação de URLs. No entanto, a URL é um importante fator de ranqueamento para o Google, pois ela comunica o assunto principal de uma página.

Então, prefira uma estrutura de URLs simples e compreensível, que descreva claramente o conteúdo da página e, se possível, a categoria em que está inserida. Por exemplo, na página da geladeira, a URL pode ficar assim:

– site.com.br/eletrodomesticos/geladeira-brastemp-frost-free-2-portas-400-litros

Descrição dos produtos

Pronto, você já colocou a palavra-chave no título, nas heading tags, na meta description, nas imagens e na URL. Agora só falta usá-la no conteúdo da página.

Usar “geladeira brastemp frost free” – naturalmente, com bom senso – ao longo da descrição do produto aumenta as chances de aparecer na busca por esses termos.

Crie um texto original e interessante para seus produtos e categorias, de modo que engaje o usuário e mostre ao Google sobre o que você está falando (mais adiante explicaremos por que fugir das descrições-padrão enviadas pelo fornecedor).

Linkagem interna

Um dos principais fatores que o Google considera para entender a relevância de uma página é a linkagem interna.

Uma página importante transfere sua autoridade para páginas menos acessadas dentro do site, e o Google entende que ela também é relevante.

É o que acontece, por exemplo, quando um link para um produto é inserido na página inicial, na seção de “mais vendidos”, por exemplo.

A página interna passa a ter mais relevância para o Google. Quanto mais links de qualidade receber, mais importante ela será e melhor aparecerá nos resultados.

Dicas avançadas de SEO para e-commerce

Se você já fez o tema de casa com as dicas básicas, pode ir adiante e conferir algumas dicas avançadas de SEO para e-commerce.

Elas irão impulsionar ainda mais o seu posicionamento no Google e as suas conversões.

Páginas completas

Descrições, imagens, detalhes técnicos, sugestões de uso, guias de compra, demonstrações, vídeos, avaliações, comparativos, perguntas e respostas, etc etc etc. Abuse dos diferentes formatos de conteúdos!

Quando mais informação para o usuário, mais tempo ele ficará na página e mais maduro para a compra ele estará. E não tem problema algum se o conteúdo ficar extenso.

Velocidade de carregamento

Lá em 2010, o Google anunciou que a velocidade de carregamento entraria para o seu algoritmo de ranqueamento. Eles já haviam percebido como o tempo de espera prejudica a experiência do usuário e diminui os page views e as conversões de um site.

Mesmo que o anúncio já tenha mais de 6 anos, muitos sites ainda têm problemas quanto a isso. Então, é hora de se mexer!

Você pode começar a corrigir essa questão acessando o PageSpeed Insights, fornecido pelo próprio Google, que dá várias sugestões de melhoria.

Arquitetura do site

A arquitetura do site é a maneira como seu conteúdo é organizado e como as páginas se relacionam entre si. Ou seja, ela é a base para uma navegação simples, rápida e agradável para o usuário.

Portanto, planeje bem a criação de categorias e subcategorias e certifique-se de que há um caminho lógico para chegar a todas as páginas do site.

Por exemplo, uma geladeira pode estar dentro da categoria Eletrodomésticos, e ter subcategorias como Frost Free ou Duplex.

Para deixar clara a arquitetura do site, é interessante usar os breadcrumbs, que mostram o caminho percorrido pelo usuário:

– Eletrodomésticos > Geladeiras > Frost Free

Essa “trilha” pode aparecer na página do site, mas também no resultado da busca do Google.

Erros em SEO que o seu e-commerce não pode cometer!

Escolha da plataforma

A escolha da plataforma para o seu e-commerce influencia diretamente nas suas estratégias de SEO. Ela deve ser otimizada para facilitar as configurações que falamos neste post e a compreensão do Google sobre as páginas.

Opções de customização também são importantíssimas, pois cada negócio tem suas necessidades.

Enfim, não se baseie somente no preço para escolher uma plataforma – o sucesso do seu site dependerá dela mais do que você imagina.

Conteúdo duplicado (externo)

O conteúdo duplicado dificulta a compreensão do Google de qual é a página original e qual é a mais importante. Por isso, é necessário evitá-los.

Existem dois tipos de conteúdo duplicado: externo e interno. Vamos falar no que você deve se atentar em cada um deles.

Lembra o que falamos das descrições de produtos? Elas devem ser originais e únicas.

Portanto, um grande erro que pode ser interpretado como conteúdo duplicado é o uso das descrições-padrão enviadas pelos fabricantes.

Afinal, elas provavelmente serão usadas por várias lojas, você não vai se diferenciar dos concorrentes e o seu site pode ter dificuldade de se posicionar bem nestes produtos.

Conteúdo duplicado (interno)

Internamente, é comum ocorrer conteúdo duplicado quando essas diferentes URLs dão acesso à mesma página inicial:

– www.site.com.br
– site.com.br
– site.com.br/index.html

Também é comum acontecer conteúdo interno duplicado em páginas parametrizadas, que levam à mesma página da URL original. Por exemplo, essas duas URLs:

– site.com.br/eletrodomésticos/
– site.com.br/eletrodomesticos/utm_source=newsletter&utm_campaign=emm

Se isso acontece, você está criando uma concorrência desnecessária entre as suas páginas, e o Google não sabe quais são as mais relevantes.

Para resolver esses casos, você deve aplicar uma Canonical Tag, que mostra para o Google qual é a URL original ou mais importante, que deve ser indexada pelos seus robôs.

Links quebrados

É comum que algumas páginas deixem de fazer parte de um site ao longo do tempo.

Produtos deixam de existir, páginas mudam de URL etc. Mas o usuário que acessar aquela página inexistente encontrará o quê? O frustração do erro 404 (“page not found”).

Por isso, é importante corrigir esses problemas. Você pode criar uma página de erro personalizada, pedindo desculpas e direcionando para outros conteúdos, ou usar o Redirecionamento 301 da URL inexistente para uma URL nova.

Conclusão

SEO não é um projeto para ser executado uma vez e nunca mais. SEO é um processo contínuo.

Você deve estar sempre de olho no seu site para que ele não perca posicionamento e se mantenha com a confiança do consumidor.

O mercado é dinâmico, e os fatores que mencionamos hoje podem já não valer mais amanhã. Já pensou que os seus concorrentes também podem estar se mexendo?

Então, fique sempre atento às oportunidades de otimização do seu e-commerce.

Aqui, mencionamos as principais dicas, mas existem muitas outras que você pode explorar.

Pergunte-se constantemente: o que posso fazer para melhorar a experiência do usuário dentro do meu site?

Há sempre espaço para uma melhoria, uma inovação, um conteúdo a ser produzido, uma descrição a ser criada.

Responder essa pergunta é fazer SEO para e-commerce. Assim, você constrói uma reputação sólida para que o consumidor sempre lembre da sua loja quando for fazer uma compra.

Quer estreitar ainda mais essa relação com o consumidor? Entenda a importância do blog para um e-commerce!

 
Autor(a)

Escrito por: Redator Rock Content Este artigo foi produzido por um dos mais de 5000 redatores da base da Rock Content. Quer conteúdo legal assim no seu blog? Fale com um consultor!



    Deixe um comentário

    Certificações em Marketing Digital - Universidade Rock Content
    Vagas em Marketing e Vendas - Rock Jobs
    Ebook Inbound Marketing - O Guia Definitivo

    A Rock Content é líder em marketing de conteúdo no Brasil. Ajudamos centenas de empresas a atingirem seus objetivos de marketing. Queremos ajudar você também!