social commercemarketing tem um papel essencial — mas muitas vezes não tão claro.

">

Social commerce: a tendência que você deveria estar de olho

Se você passou os últimos anos perambulando pelo deserto, temos uma grande novidade para te contar: as redes sociais são extremamente importantes para o seu negócio.

Nos últimos tempos – podemos até dizer anos – estar online é sinônimo de:

a) ter um negócio importante;

b) ser facilmente localizado e avaliado pelo público; e

c) conquistar mais fãs valendo-se do antigo método do boca a boca.

Tudo isso porque, uma vez que o público decidiu migrar para cá, possibilitaram a integração do e-commerce às mídias, gerando o Social Commerce.

Se você não sabe o que é isso, continue com a gente. Vamos explicar o conceito e mostrar a você como aplicá-lo ao seu negócio!

O que é Social Commerce?

Quantas vezes, nos últimos seis meses, você usou serviços de e-commerce – compras online? Pense nesse número.

Agora, entre essas compras, quantas vezes você “deu um google” no nome da empresa para buscar referências e opiniões de pessoas que já utilizaram o serviço ou consumiram o produto?

Ou, trazendo ainda mais para a nossa realidade, quantas vezes jogou o nome de uma loja ou produto no Reclame Aqui?

Isso acontece porque a opinião dos outros é, hoje, um grande fator influenciador.

O peso de uma avaliação pode ser a diferença entre um negócio fechado ou não. Legal, não é? Esse é o mundo do Social Commerce!

Colocando de maneira bem simples:

Social Commerce é nada mais, nada menos que a união entre as redes sociais e a interação que essas mídias proporcionam com a troca de informação sobre o seu produto.

Essa onda vem se intensificando cada vez mais e é integrada a novas redes diariamente. Então, é importante ficar ligado para não ficar para trás!

Estudos feitos pelo SPC Brasil apontam que nove em cada dez brasileiros com acesso à internet tem o hábito de pesquisar online antes de realizar compras em lojas físicas.

É um número muito importante, não é? E, pense só, isso acontece desde livros a eletrodomésticos.

Esse número todo nem considera aqueles consumidores que preferem comprar em sites. Ou seja: o público é muito grande e, para garantir que parte dele procure por você, é preciso agir!

Em quais redes sociais precisos estar?

A resposta para essa pergunta vai depender de você e do quanto você tem disponível para produzir conteúdo de qualidade para nutrir as suas redes sociais.

Vale ter em mente que não adianta querer cercar a tudo e a todos quando, na verdade, não conseguirá dar atenção para nem metade dos seus canais.

Então, avalie quais são os melhores lugares para se conectar com seus clientes, tenha em mente as preferências de sua persona e, só então, opte pelas redes que poderão ajudar você.

Ah, mas mesmo antes disso, saiba que duas delas são essências:

Website

Considere o site como sendo a porta de entrada para o mundo digital. Ao digitar o nome da sua empresa no Google, ele precisa aparecer.

É por meio dele que seu cliente conhecerá o posicionamento da marca, os produtos ofertados, os preços e, o mais importante quando se tratando de Social Commerce, é lá que ele vai poder deixar – e consultar – opiniões de quem já passou por lá e consumiu seus serviços.

Então, convém criar um site caprichado para expor sua marca e seus produtos!

Página no Facebook

O Facebook continua liderando o ranking de redes sociais. Isso significa que ter uma página lá é sim necessário.

A plataforma oferece vários benefícios, como: o alcance é fácil, a utilização é simples e você pode ter acesso aos mais diversos públicos.

Além disso, o usuário pode avaliar seu conteúdo e deixar comentários na sua página, recomendando para todos aqueles que chegarem até lá.

Mas, ei, atenção!

Os mesmos serviços que podem ser uma vantagem para você, também podem ser o pesadelo de sua empresa.

No mundo digital, as opiniões negativas têm um peso maior que as positivas.

Os conteúdos com queixas de serviços e produtos desonestos repercutem e as avaliações negativas podem afogar seu negócio do dia para a noite.

Por isso, se você tem a pretensão de estar presente nesses meios, é importante ter atenção redobrada com a qualidade dos serviços e produtos que anda oferecendo para se assegurar de que não terá motivos para receber uma enxurrada de avaliações negativas.

A máxima para quem tem negócios digitais continua valendo: ouça as críticas e faça uso delas para sempre aprimorar seu atendimento, seus preços e também as novidades que oferece aos seus clientes.

Assim, você garante a fidelização deles e também a simpatia.

Dito isso, vamos conhecer os tipos de Social Commerce disponíveis:

Existem vários tipos de Social Commerce. E, agora, é hora de conhecê-los. Vamos lá!

Entre pessoas

Se lembra daquelas plataformas que permitem que um vendedor fale e venda diretamente para o outro? É o chamado de pessoa para pessoa e é um exemplo dessa modalidade.

Alguns exemplos dessas plataformas são o Mercado Livre, eBay e Enjoei. Em todas elas, os vendedores fotografam as próprias mercadorias, estabelecem o preço e eventuais promoções e podem negociar com o comprador, tudo de maneira direta.

Vendas em redes sociais

Nesse módulo, as empresas utilizam redes sociais como Facebook e Pinterest para impulsionar suas vendas. Eles também podem utilizar ferramentas como a do Face, que permite que você adicione a funcionalidade de loja em sua página.

As vendar em redes sociais têm, inclusive, permitindo que muitas pessoas larguem trabalhos “regulares” para se tornar influenciadores.

As blogueiras – e agora Youtubers – são exemplos disso.

Elas fazem reviews de produtos como roupas, calçados, utensílios domésticos e comidas e, com o testemunho sobre a qualidade deles, conseguem fazer com que empresas aumentem suas vendas e, consequentemente, seu faturamento.

Esse, aliás, é um ótimo exemplo de como somos influenciados pelo depoimento de outra pessoa.

Diariamente, muitas vezes despercebidamente, somos influenciados a mudar o cabelo, experimentar um novo produto, uma comida, restaurante ou academia apenas por assistir um vídeo publicitário.

Eles são tão eficazes que, muitas vezes, são capazes de mudar até mesmo nosso estilo de vida!

Compras coletivas

Já ouviu falar sobre o Groupon ou Peixe Urbano? Eles compõem uma outra forma de Social Commerce: as comprar em grupo.

Nelas, são ofertados um número de “tickets” a serem vendidos e pessoas dos mais diversos lugares podem adquirir os produtos.

Ali, entram dois gatilhos mentais que estimulam a compra e você provavelmente já os viu enquanto navegava na internet.

Pense na última vez que viu “Últimos pacotes. Compre agora”, ou “X pessoas compraram na última hora. Garanta já o seu”.

Tudo isso estimula nosso interesse e vontade de possuir aquele bem. É como se aquelas pessoas estivessem ali, garantindo que aquele produto é bom e vai te gerar satisfação.

Caixa de recomendações e opiniões

Você se lembra daquele bloco de opiniões nos produtos que seleciona quando está realizando uma compra? São barras de recomendações.

Eles influenciam a compra porque mostram opiniões e reviews de pessoas que já utilizaram o produto e voltaram para dizer se cumprem mesmo o que prometem ou se deixam a desejar.

Exemplos dessa ferramenta podem ser vistos em sites como o Magazine Luiza, Submarino e Saraiva.

Um problema da modalidade por aqui é que, infelizmente, muitas pessoas dão nota máxima assim que recebem o produto, o que invalida a recomendação. Afinal, é preciso testar e ver se ele realmente dura.

Mas, de qualquer forma, essa ferramenta é muito boa para os consumidores. Para roupas, por exemplo, podemos saber se o produto é realmente tão bom quanto na imagem, se a textura muda, se o tecido é ou não transparente, etc.

Compras colaborativas

Sites como o Kikante podem servir de exemplos para esse módulo. Nele, os compradores participam do processo de produção e financiamento do produto.

Por exemplo, CDs. Muitas vezes, os responsáveis das compras coletivas permitem que os que doaram assistam a um ensaio ou tenham acesso a músicas inéditas, por exemplo. O que torna a experiência muito mais divertida, interativa e benéfica para quem ajuda.

Eles também podem ganhar a retribuição tendo o nome no livro do disco ou recebendo blusas ou brindes divertidos.

Fóruns e chats

Esses todos já conhecemos. São aqueles sites que abrem fóruns ou chats para que os consumidores possam trocar experiências e ajudar uns aos outros.

É uma modalidade bem legal porque, por meio dela, pessoas trocam experiências que tiverem consumindo X produto, como funcionou, se veio como prometido ou se seria melhor para outro objetivo, etc.

Assim, todos saem ganhando e as pessoas têm acesso a informações confiáveis de pessoas desinteressadas na venda.

Qual o benefício do Social Commerce para o meu negócio?

O Social Commerce traz a você a possibilidade de fazer com que pessoas diferentes e consumidores reais possam opinar ao seu favor.

A credibilidade deles é maior porque, diferente de você, eles não estão tentando vender nada.

Estão ali voluntariamente para prestar um serviço aos outros usuários. Por isso, é uma espécie de propaganda gratuita que você terá. Você vai se inserir no ambiente dominado pelos seus compradores, aumentando suas chances de venda.

As Redes Sociais abrigam grande parte da população e lá você terá acesso a pessoas que ainda não conhecem seu negócio, mas têm grande potencial de se transformar em clientes do seu produto.

É importante se fazer presente. Além disso, estar online adiciona confiabilidade em seus produtos.

Buscar por uma loja com um site, avaliações nos sites de reclamação e recomendações nas buscas faz com que o site pareça mais relevante. Além disso, ser avaliado traz mais clientes e possibilidades para o seu empreendimento.

Social Commerce no Facebook

Ainda acumulando o maior número de usuários se tratando de redes sociais, o Facebook é o líder quando o assunto é vender.

Estar presente na rede coloca o seu produto no radar dos usuários e possibilita que estes sejam avaliados e até comprados por meio da rede.

No Pinterest

Hoje em dia, a rede acumula cerca de 50 milhões de usuários ávidos por novidades. Por isso, ter seu produto veiculado a ela pode garantir um crescimento significativo em seu número de vendas. Pense na plataforma como uma grande vitrine para o mundo.

No Instagram

Falando em vitrines, é obrigatório mencionar o Instagram. Com milhões de seguidores em busca de referências para estilos de roupas, casa, comidas e, bem, basicamente todos os departamentos de nosso dia a dia, a rede pode fazer do seu produto uma febre.

Com o que devo me preocupar utilizando o método?

Produtos de baixa qualidade

Cuidado com seus produtos. Lembre-se: na internet, as opiniões negativas se proliferam muito mais – e mais rápido – que as boas.

Portanto, se você planeja investir no Social Commerce, tenha certeza de que está oferecendo um produto ou serviço de qualidade, que vão de acordo com o que está prometendo ao consumidor e que vão alcançar suas expectativas.

Falsas recomendações

Existem muitos sites que utilizam de consumidores fantasma para avaliar seus produtos e isso é um segundo ponto de atenção. Não utilize esse tipo de artifício!

Mais cedo ou mais tarde, pessoas reais vão consumir o que está vendendo e isso vai não só trazer problemas para continuar com o seu negócio como pode manchar sua reputação de forma permanente.

Quer investir em algo? Que seja na qualidade do que você vende, em um bom atendimento e em uma ótima experiência de compra.

Assim, e só assim, você vai fortalecer sua marca, se tornando cada vez mais relevante nos buscadores e ganhando recomendações preciosas, que servirão para conquistar mais e mais fãs e clientes.

Reclamações

Nada de trancá-las em uma gaveta e deixar para lá. Cada reclamação deve ser levada em consideração para ir aprimorando o seu negócio.

Lembre-se sempre que ninguém é perfeito e sua empresa não foge dessa “regrinha”.

Então, trate de colocar a mão na massa e aprender a ouvir críticas e fazer delas algo construtivo, que vai te ajudar a se destacar ainda mais.

E aí, conseguiu entender mais sobre o Social Commerce? Então agora é a hora de aprender os truques de cada uma das redes sociais para aplicar essa tendência a elas!