Técnicas avançadas de SEO: o herói do seu posicionamento

Alcance a primeira página do Google e aumente o seu tráfego com essas 5 técnicas avançadas de SEO

Chegar ao topo do Google não é facil, não é verdade?

Quanto mais os produtores de conteúdo dominam as técnicas de SEO, mais os sites de busca precisam refinar seus algoritmos para encontrar a melhor página para cada palavra-chave.

Tanto que as técnicas básicas de SEO on page já deixaram de ser um diferencial e se tornaram quase uma obrigação.

O motivo é muito simples: no primeiro lugar da página de resultados de busca, só existe espaço para um site!

E tudo que o Google quer é entregar o melhor conteúdo possível para seus usuários, para que eles continuem recorrendo às buscas para responder suas perguntas.

E a concorrência está cada vez maior. No Brasil 70% das empresas já adotam o Marketing de Conteúdo.

A importância das técnicas avançadas de SEO

Quando um usuário faz uma busca, como o Google consegue distinguir, entre tantas páginas que aparentam responder à pergunta, qual a mais indicada?

Além de um bom conteúdo os robôs do Google vão observar aqueles conteúdos que se adequam às melhores práticas para otimizar a experiência do usuário e atendem ao que o buscador considera importante.

Por isso, é tão importante se adaptar à técnicas mais avançadas, uma vez que as básicas já se tornaram uma obrigação para alcançar resultados. E dessa forma se diferenciar da concorrência.

Para se atualizar em primeira mão em relação às constantes mudanças, os especialistas de SEO acompanham entrevistas, palestras e publicações de Engenheiros do Google, Bing, entre outros.

Leem os pedidos de patentes registrados pelas empresas e claro, praticam a boa e velha “engenharia reversa”: testes, experimentos etc.

Parece exaustivo, não?

Por isso, para quem não tem como dedicar o tempo necessário a essas investigações, separamos neste post algumas técnicas avançadas de SEO que vão otimizar seu tráfego.

Confira:

1. Conquiste links de qualidade investindo em conteúdos relevantes

Os dois principais fatores que ajudam a otimizar uma página para motores de busca são, na ordem

  1. a quantidade e qualidade de links que a página recebe; e
  2. a qualidade e relevância do conteúdo.

Em relação ao primeiro fator, o Google trabalha com dois índices importantes: Domain Authority (Autoridade do Domínio) e Page Authority (Autoridade da Página).

Quando sua página recebe links de sites com mais autoridade, esses links têm mais qualidade e essa autoridade é parcialmente transferida para a sua página.

Mas como conseguir links de páginas com autoridade?

Se uma página tem autoridade, é provável que ela tenha tráfego de qualidade: muitos visitantes, pessoas passando bastante tempo no site, baixo índice de rejeição, o que nos leva ao segundo fator: a qualidade do seu conteúdo.

Quanto melhor for o seu conteúdo, maiores as chances de você gerar links de qualidade em sites com bastante autoridade.

Uma boa estratégia de SEO começa com uma pauta de conteúdo bem elaborada.

Conteúdos relevantes geram mais links, mais compartilhamentos, mais cliques, e tudo isso contribui ativamente para o Google entender que o seu site ou blog merece estar bem posicionado nos resultados de busca.

Elabore sua pauta de conteúdo com base nas perguntas que o seu público está fazendo. Vamos mostrar as melhores ferramentas para você pesquisar as principais dúvidas e dores da sua persona.

Ferramentas para identificar os melhores temas:

As redes sociais, principalmente monitorando termos no Twitter ou participando de grupos do Facebook e LinkedIn. Elas são fontes valiosas de perguntas e dúvidas de usuários, que você pode utilizar para enriquecer sua pauta de conteúdo.

A ferramenta BuzzSumo é a melhor nesse quesito, pois mostra os links e temas que são mais clicados e compartilhados. Além disso, ela auxilia a criação de pautas e definição de assuntos a serem abordados

O Google Trends, onde você pode monitorar a evolução da quantidade de buscas de qualquer termo, inclusive realizando comparações para ajudar a estabelecer suas prioridades.

O UberSuggest. A partir de uma palavra-chave, a ferramenta retorna termos de cauda longa, baseados no auto-complete do Google Instant. Dependendo do seu segmento, vale utilizar uma ferramenta similar, que por enquanto só funciona em inglês: o Answer The Public, que combina sua palavra-chave com algumas preposições e perguntas.

O Quora também é uma grande fonte de inspiração para alguns segmentos, mesmo no Brasil. É o principal sites de perguntas e respostas do mundo.

2. Fuja da superficialidade: uma imagem NÃO vale mais que 1000 palavras!

Antes do Inbound Marketing, a máxima de que “uma imagem vale mais que 1000 palavras” era muito forte na Publicidade.

O tempo era curto demais para captar a atenção do público: 30 segundos de TV, pouco espaço em mídia impressa ou mesmo os banners animados, introduzidos pela Era Digital, eram formas de tentar atrair o máximo de pessoas possível no mínimo de tempo.

Felizmente, o Novo Marketing possibilita atrair pessoas realmente interessadas e se relacionar com elas, fazendo-as avançar no Funil de Vendas.

E isso é feito com um bom planejamento de Marketing de Conteúdo, que seja focado em ensinar o que for necessário para seu público avançar na Jornada de Compra.

O Google é um grande aliado, pois seu objetivo também é responder às perguntas dos seus usuários.

Nos últimos anos, cada vez mais os conteúdos extensos foram ganhando espaço nas páginas de resultado de busca, penalizando páginas cujo conteúdo é superficial e de rápida leitura.

Em uma pesquisa com mais de 20.000 palavras-chave (link em inglês), o serpIQ identificou que na média, todos os conteúdos que figuram na primeira página do Google superam as 2000 palavras.

Não se sabe se existe um critério claro, nos algoritmos de resultado de busca, para penalizar páginas com poucas palavras.

O mais provável é que não exista, principalmente porque há exceções de artigos mais curtos com bom ranking.

Mas, na prática, os conteúdos mais extensos fazem o usuário permanecer mais tempo na página e são mais compartilhados, e isso vale ouro para os algoritmos!

Para quem está começando, produzir conteúdos de 500 a 1000 palavras é melhor do que não produzir, e há boas chances de chegar à primeira página do Google se a palavra-chave não tiver muita concorrência.

Mas é sempre melhor focar em conteúdos que cheguem perto das 2000 palavras, principalmente se é um conteúdo valioso para os usuários, que tendem a compartilhar mais.

Cuidado: preencher um post com informações irrelevantes e redundantes para fazê-lo ter mais palavras é a receita certa para espantar usuários e ser penalizado pelo Google. Não busque só a “quantidade pela quantidade”, mas sim um post que realmente responda as perguntas do seu visitante.

3. Atualize seu conteúdo: quanto mais atual, mais relevante

Se você já está produzindo conteúdo há alguns meses, é possível que alguns posts mais antigos estejam recebendo uma boa quantidade de visitas e se destacando em relação aos outros.

A grande pergunta é: por quanto tempo?

Assim como você, diversos outros sites estão competindo por essa palavra-chave, e se ela é importante para a sua estratégia, pode ser uma boa ideia preparar uma atualização de conteúdo.

Lembre-se: a relevância é o principal segredo para fazer os usuários passarem mais tempo na sua página, compartilharem seu conteúdo e linkarem para ele em suas páginas.

Um conteúdo desatualizado tende a desaparecer dos resultados de busca em poucas semanas!

A prática de atualização de conteúdo é uma grande oportunidade para expandir e aprofundar o seu artigo. Novamente: não apenas aumentar o tamanho, pois isso enganaria o usuário e aumentaria a rejeição à sua página, penalizando seu resultado.

Seu foco deve ser em aumentar a profundidade das respostas, com exemplos, dicas e sugestões atualizadas, ou seja, tudo que poderá fazer seu visitante engajar mais com o seu conteúdo.

Muitas empresas começam com posts curtos, de 500 a 1000 palavras, para movimentar seus sites e começar a ganhar autoridade no Google, para depois expandir os artigos com melhor performance, transformando-os em posts épicos de até 4.000 palavras!

É uma excelente forma de promover a melhoria contínua da sua estratégia de Marketing Conteúdo!

Mas não é só isso…

Nem todo post precisa de atualização

Nem todos os posts antigos precisam de atualização. O ideal é ter um critério para saber quais posts serão atualizados.

O que vemos funcionar na prática é atualizar conteúdos que estejam na segunda página do Google, entre a 11ª e 20ª posição, pois com pouco esforço é possível trazê-los para a primeira página, o que significa um aumento considerável de visitas.

Trazer um conteúdo da segunda para a primeira página requer menos esforço do que para trazer da segunda pra a primeira posição.

Faça o teste: atualize o conteúdo de 3 ou 4 posts na segunda página seguindo as boas práticas de SEO e veja o acesso orgânico ao seu site crescer rapidamente em pouco tempo!

Outro foco nas atualizações devem ser os conteúdos que ficam com informações erradas com o passar do tempo. Uma post sobre um ferramenta que recebeu atualizações ou quando o Facebook realiza mudanças em seus anúncios.

Esse tipo de post precisa ser constantemente renovado. A cada mudança que a ferramenta ou rede social sofre, você precisa acrescentar ou corrigir no seu artigo.

O que evita que ele tenha informações erradas e perca relevância por esse motivo.

4. Explore o Latent Semantic Index e vá além das palavras-chave

A Indexação Semântica Latente (ou LSI – Latent Semantic Index) é um dos fatores que o Google aplica em seu algoritmo para encontrar as melhores páginas para cada busca de palavras-chave.

A técnica consiste em uma fórmula para identificar padrões entre palavras, baseando-se em variações do mesmo termo e na relação de um termo com outros relacionados.

Variações da palavra-chave

Quando começaram os primeiros esforços de SEO, uma das técnicas mais comuns era apostar na repetição da palavra-chave, para forçar os motores de busca a acreditar que aquele conteúdo era relevante em relação ao termo buscado.

Em pouco tempo, os buscadores consideraram essa prática uma atitude maldosa, ou black hat, e passaram a penalizar sites que exagerassem na repetição da palavra.

Para continuar encontrando os conteúdos mais relevantes, o Google passou a trabalhar com o LSI (Latent Semantic Index), que é uma forma de procurar variações naturais e comuns de uma palavra-chave.

Por exemplo: se você estiver escrevendo um artigo sobre SEO, é bem provável que utilize termos como “aumentar tráfego“, “aumento do tráfego” e “aumentar o tráfego do site“.

O LSI identifica que esses termos são variações da mesma palavra-chave e considera a prática para aumentar o ranking da sua página em relação a esses termos, ainda que cada um só apareça uma vez em todo o artigo.

Com isso, o Google permite que o texto fique mais fluido e humano, ao invés de artigos que parecem ter sido escritos por robôs de repetição de palavras.

Termos relacionados

Outra dificuldade das primeiras versões dos algoritmos de busca era encontrar o conteúdo correto quando o termo buscado continha uma palavra que poderia ter mais de um significado

. Como saber se a busca por “Natal” se referia a uma data comemorativa ou à capital do Rio Grande do Norte?

Para resolver esse problema, o LSI também considera a existência de termos relacionados na hora de atribuir pontos a uma página em relação a uma determinada palavra-chave.

No mesmo exemplo anterior, ao escrever um artigo sobre SEO, é bem provável que você utilize termos como “tráfego“, “visitantes” e “otimização“.

Por outro lado, um artigo sobre tráfego que não contenha o termo “SEO“, mas sim palavras-chave como “trânsito” e “Avenida“, será associado semanticamente a buscas relativas ao trânsito.

Ao escrever seu artigo, leve em consideração os termos relacionados à palavra-chave que seja o foco do artigo, e não deixe de mencioná-los pelo menos uma vez, de preferência perto da palavra-chave principal.

Com isso, você evita aparecer em buscas não relacionadas ao seu artigo, o que causaria menor tempo de permanência dos usuários na página (pois não encontraram o que procuravam) e consequentemente, uma penalização na autoridade da página.

É importante lembrar: um conteúdo relevante, que responda as perguntas do leitor, é a grande chave para melhorar o ranking!

5. Seja um bom anfitrião: invista na experiência do seu visitante

O tempo que o seu visitante passa na página, em conjunto com o índice de rejeição, são dois fatores altamente relevantes.

Afinal, tudo que o Google quer é entregar as melhores páginas possíveis para seus usuários, para que eles continuem voltando e realizando novas buscas.

Sabendo disso, é imprescindível investir em algumas dicas rápidas que vão garantir uma experiência positiva aos seus visitantes, melhorando a autoridade da sua página e do seu domínio.

São elas:

Velocidade da página

Você provavelmente já desistiu de uma página porque ela estava demorando demais para carregar, não é verdade? E se o mesmo acontecer com a sua página? Certamente, ela começará a ser penalizada pelos motores de busca.

Para ajudar as páginas a carregarem mais rápido, o Google disponibiliza a ferramenta PageSpeed. Utilize com o seu site e veja como otimizá-lo!

Acesso mobile

É cada vez mais comum os usuários realizarem uma rápida busca em seus celulares para responder uma pergunta imediatamente e certamente o Google acompanhou essa tendência.

Novamente, no interesse de servir conteúdos cada vez melhores, eles têm uma outra ferramenta para ajudar os sites a serem mobile-friendly. Faça o teste!

Escaneabilidade do conteúdo

Independente da palavra-chave, o seu texto deve ser fácil de ler e escanear com os olhos.

Por mais completo que seja o seu conteúdo, alguns visitantes chegam a ele para responder uma pergunta simples e rápida. Utilize trechos principais em negrito, termos em itálico e algumas listas para facilitar a leitura e melhorar a experiência do usuário.

Imagens

Quanto mais aprofundado o seu conteúdo, a tendência é que você precise de mais texto, mais palavras.

Para evitar a monotonia e entregar uma experiência positiva, invista em boas imagens ao longo do texto. Elas podem ser ilustrativas ou mesmo parte do conteúdo, como gráficos e ilustrações. E nunca se esqueça de otimizar o nome do arquivo e o texto alternativo!

É importante lembrar…

Tanto as práticas básicas quanto as técnicas avançadas de SEO vão mudando e se atualizando ao longo do tempo, mas elas sempre terão um grande objetivo:

Entregar um conteúdo relevante, de qualidade e que responda às perguntas do usuário.

Essa é a base do Marketing de Conteúdo e essa é a direção que seguimos em todas as dicas de SEO que passamos neste post e em nosso blog.

E aí, quer saber como entregar conteúdos cada vez melhores para os seus visitantes? Quer fazê-los avançar pelo Funil de Vendas? Então, vamos começar a pensar no topo do funil: o que é e como criar conteúdo relevante para ele.

ebook de seo

 
Autor(a)

Escrito por: Redator Rock Content Este artigo foi produzido por um dos mais de 5000 redatores da base da Rock Content. Quer conteúdo legal assim no seu blog? Fale com um consultor!



    Deixe um comentário

    Certificações em Marketing Digital - Universidade Rock Content
    Vagas em Marketing e Vendas - Rock Jobs
    Ebook Inbound Marketing - O Guia Definitivo

    A Rock Content é líder em marketing de conteúdo no Brasil. Ajudamos centenas de empresas a atingirem seus objetivos de marketing. Queremos ajudar você também!