tipos de marketing

Os 81 tipos de marketing principais, explicados e com exemplos visuais para você

Você sabe quantos tipos de marketing existem? Confira os 81 principais nesse post!

Quem trabalha com marketing nunca fica parado. Tem sempre um conteúdo novo para ler, um conceito novo para estudar, uma estratégia nova para aplicar.

Sabe por quê? Porque o marketing acompanha as mudanças de comportamento da sociedade e precisa estar sempre se adaptando. É por isso que existem tantos tipos de marketing, que servem para diferentes situações, necessidades, canais, empresas e consumidores.

Se você nos acompanha, já deve ter aprendido sobre vários tipos de marketing que existem. Agora, neste post, reunimos todos eles!

São mais de 80 vertentes para conhecer, analisar e aplicar nas suas estratégias. Na maioria dos tópicos, você verá um case na área e também poderá acessar o post completo no nosso blog para se aprofundar no assunto. Então, vamos lá?

1. Marketing Digital

Começamos a lista com esse marketing que tanto amamos! Marketing Digital são as estratégias realizadas no ambiente online, que incluem o Marketing de Conteúdo, de Redes Sociais e de Busca, por exemplo.

Cada vez mais, o marketing está se voltando para o digital, já que as pessoas passaram a consumir conteúdos na internet, deixando de lado veículos tradicionais como TV e rádio.

2. Marketing Offline

Já o Marketing Offline (ou Marketing Tradicional) envolve todas as ações fora da internet, como anúncio em jornal, distribuição de brindes e telemarketing, por exemplo.

Apesar de as verbas do marketing estarem migrando para o digital, a tendência é que as ações se tornem cada vez mais integradas, sem essa barreira entre online e offline.

Na hora da compra, por exemplo, a integração entre as lojas online e física oferece uma melhor experiência ao cliente. No Reino Unido, a varejista de moda Oasis dá um bom exemplo:

3. Outbound Marketing

Observe os exemplos que citamos no Marketing Offline. Em todos eles, a marca vai atrás do consumidor com um anúncio, uma conversa ou uma ligação. Outbound Marketing é isso: uma abordagem ativa das empresas para conquistar novos clientes.

Porém, essa estratégia está sendo questionada atualmente, pois ela sempre interrompe alguma atividade do dia a dia do consumidor, o que gera uma percepção negativa da marca.

4. Inbound Marketing

Em contraposição ao Outbound, o Inbound Marketing ganha força. Em vez de invadir a rotina das pessoas, o Inbound se utiliza de estratégias para atrair o consumidor com conteúdos relevantes para ele e, então, convertê-lo em cliente.

Não por acaso, essa vertente do marketing também é conhecida como Marketing de Atração, que pode se complementar com o Outbound para obter os melhores resultados.

5. Marketing de Conteúdo

Com o crescimento do Marketing Digital e do Inbound Marketing, algumas estratégias se fortaleceram como meio de alcançar o sucesso na internet.

Uma delas é o Marketing de Conteúdo, que consiste em oferecer conteúdos relevantes e valiosos para a persona, com o objetivo de engajá-la ao longo da sua jornada de compra e gerar uma percepção positiva da marca.

Esses conteúdos são oferecidos nos mais diversos formatos, em blogs, redes sociais, e-mails, e-books, infográficos, webinars.

Aproveite agora para entender tudo sobre o marketing em que a Rock Content é especialista: o Marketing de Conteúdo!

6. Marketing de Performance

Os números são os maiores aliados do Marketing de Performance. Nessa vertente do marketing, o planejamento, a execução e a avaliação de uma campanha se baseiam em dados, com o objetivo de embasar as decisões, otimizar os investimentos e gerar melhores resultados.

O Marketing de Performance se preocupa essencialmente com o ROI – afinal, são os resultados financeiros que demonstram o real impacto das estratégias no negócio.

7. E-mail Marketing

E-mail Marketing é uma ferramenta essencial do Marketing Digital. Enviar conteúdos e ofertas por e-mail serve para aproximar-se do consumidor, direcioná-lo para o site e conduzi-lo ao longo da sua jornada de compra.

Para isso, porém, você deve obter autorização para fazer os envios. Depois, a segmentação da base de e-mails e a personalização das mensagens tornarão sua estratégia mais relevante.

tipos de marketing

8. Marketing de Redes Sociais (Social Media Marketing)

Facebook, Twitter, Instagram, LinkedIn: essas são as 4 redes sociais mais usadas atualmente. E se os consumidores estão usando, as marcas também devem estar lá para informar, observar e interagir com o seu público.

Além de um ambiente de relacionamento, as redes sociais oferecem também plataformas de anúncios que permitem alcançar o consumidor com mais precisão.

9. Marketing de Busca (Search Engine Marketing ou SEM)

São as estratégias de marketing dentro de buscadores, como Google e Bing, que incluem divulgação paga (links patrocinados) e orgânica (SEO).

Em ambos os casos, a marca aparece para o usuário sempre que ele está buscando ativamente por algum conteúdo que ela oferece – por isso, essa é uma das principais armas do Inbound Marketing.

10. Mobile Marketing

O Mobile Marketing considera as características dos dispositivos móveis e a mobilidade do consumidor para oferecer uma melhor experiência a ele. Criar sites responsivos e segmentar anúncios apenas para celular são alguns exemplos.

“A gente não ‘entra’ online. A gente vive online”. Assim começa o documentário que o Google produziu sobre mobile. O vídeo é longo, mas vale a pena assistir:

11. SMS Marketing

Uma das estratégias de mobile é o SMS Marketing, que se trata do envio de informações, conteúdos, ofertas e promoções por mensagem de texto no celular. Embora pareça uma prática ultrapassada (diante do crescimento do WhatsApp), o envio de SMS ainda pode trazer bons resultados, com ótima taxa de entrega e baixos custos.

12. Video Marketing

Outra ferramenta importante do marketing são os vídeos. No YouTube, nas Lives do Facebook, nas Stories do Instagram: os conteúdos audiovisuais têm um poder enorme de engajar os consumidores.

E, no Marketing Digital, eles se tornaram essenciais, com a facilidade de produzir, gravar e publicar um vídeo na internet.

13. Geomarketing

Refere-se a toda estratégia de marketing que envolva inteligência sobre a localização do usuário. Essa informação pode ser usada para segmentar campanhas de anúncios ou fazer ofertas especiais para quem está nos arredores de uma loja, por exemplo.

14. Marketing de Proximidade

Marketing de Proximidade é um exemplo de Geomarketing. Com essa estratégia, o consumidor que se aproxima de um estabelecimento recebe notificações, conteúdos e ofertas pelo smartphone. Sua localização é identificada pelo GPS, sinal de wi-fi ou Bluetooth.

Foi isso que a Walmart fez: ao chegar à loja, o cliente recebe uma notificação pelo aplicativo sobre a localização do produto nas prateleiras.

15. Remarketing

Também chamado de Retargeting, consiste em impactar com um anúncio um usuário da internet que tenha realizado alguma ação prévia, como abandonar o carrinho na loja virtual ou acessar uma página específica do site.

Serve para atrair novamente alguém que já demonstrou interesse em algum produto ou conteúdo – e gera boas taxas de conversão.

16. Real Time Marketing

Para falar com uma empresa, não precisa mais ficar esperando horas no telefone. No Real Time Marketing, marcas e consumidores podem interagir em tempo real na internet, com a ajuda da tecnologia.

O Twitter é a rede social que mais entende a comunicação instantânea e gera diversos cases na área. Um exemplo foi a ação da Hellmann’s preparando receitas em tempo real:

17. Co-marketing

Também chamado de Cross Marketing, é a parceria entre duas empresas para criar e divulgar um produto, serviço ou conteúdo que atinjam um público em comum, de maneira que as duas se beneficiem com a estratégia.

Aqui na Rock, nós já criamos diversos materiais em co-marketing, como o gerador de personas com a Resultados Digitais, por exemplo.

18. Cross-Channel Marketing

O Cross-Channel Marketing é bem diferente do Cross Marketing. Esse se refere à utilização de diversos canais (e-mail, redes sociais, TV, rádio etc.) de maneira integrada em uma estratégia. Para isso, é preciso conhecer a persona para entender quais são os pontos de contato com a marca e quais os formatos e conteúdos mais eficientes para cada um deles.

19. Marketing Integrado

Se podemos usar múltiplos canais em uma estratégia de marketing, eles precisam ser integrados entre si, para estabelecer uma comunicação coerente com o consumidor. Esse é o Marketing Integrado, que apresenta a marca de maneira consistente nos diversos canais, fortalecendo sua imagem e posicionamento no mercado.

20. Marketing Direto

Tradicionalmente, Marketing Direto remete a mala direta, telemarketing ou venda porta a porta. Atualmente, porém, engloba muitas outras estratégias, como e-mail ou SMS marketing.

O conceito de Marketing Direto está muito relacionado ao uso de dados de uma base de contatos para se comunicar com quem já demonstrou algum interesse na marca. Não por acaso, ele também pode ser chamado de Marketing de Dados.

21. Marketing Indireto

Também conhecido como Marketing Invisível, é uma das formas de divulgação mais discretas, pois não tem cara de propaganda: o produto é apresentado discretamente dentro de um conteúdo.

É tão sutil que o consumidor não percebe nem rejeita, mas fica com aquela lembrança guardada no inconsciente. É muito comum em filmes, novelas, vídeos e séries. Veja alguns exemplos da série F.R.I.E.N.D.S:

tipos de marketing

tipos de marketing

tipos de marketing

tipos de marketing

22. Marketing Estratégico

É a área do marketing, dentro de uma empresa, que se ocupa com as decisões estratégicas de longo prazo da marca. Geralmente, é uma atividade que diz respeito à gerência da empresa, que está mais preocupada com os resultados do marketing para os objetivos do negócio.

23. Marketing Operacional

Já o Marketing Operacional, dentro de uma empresa, preocupa-se com a operação das estratégias. É a área que toma as decisões do mix de marketing e se preocupa com as ações práticas de curto prazo para colocar a marca ou o produto no mercado.

24. Marketing Reativo

Tradicionalmente, as empresas esperam uma demanda de mercado surgir para, então, identificá-la e atendê-la com suas soluções de produtos e serviços. Esse é o Marketing Reativo, que reage aos movimentos do mercado, numa postura de cautela.

25. Marketing Proativo

Já o Marketing Proativo procura se antecipar ao mercado, numa postura mais ousada. Em vez de aguardar a demanda surgir, por que não criá-la ou provocá-la? Com essa atitude, a empresa sai na frente dos concorrentes e impacta o mercado com uma novidade, porém corre o risco da não-aceitação pelos consumidores.

O iPhone e o iPad, por exemplo, são resultados do Marketing Proativo da Apple. Afinal, antes de serem lançados, ninguém diria que precisava tanto deles, né? Depois, eles passaram a modelar o mercado.

tipos de marketing26. Marketing Multinível

Consiste em um modelo de vendas baseado na construção de uma rede de revendedores (também é conhecido como Marketing de Rede). É uma evolução da venda direta, pois a marca incentiva o vendedor a atrair revendedores para o produto, sobre os quais também receberá uma comissão.

As consultoras Mary Kay são o exemplo mais conhecido de Marketing Multinível:

27. Marketing de Afiliados

Empreendedores online podem utilizar uma rede de afiliados para promover o seu produto. Cada afiliado recebe um link de divulgação e, para cada conversão gerada (clique, cadastro, venda), ele recebe uma remuneração.

Assim funciona o Marketing de Afiliados, que se popularizou na internet com a promoção de infoprodutos, como cursos online, softwares, e-books e outros materiais em formato digital.

28. Marketing de Utilidade

É uma abordagem do marketing que se preocupa em tornar as marcas mais úteis para a vida dos consumidores. Nessa perspectiva, as marcas não querem apenas vender um produto; elas querem ajudar a solucionar problemas do dia a dia, resolver dúvidas e atender necessidades.

O Inbound Marketing utiliza muito essa abordagem, pois atrai os consumidores com conteúdos que ajudam a responder as dúvidas ao longo da jornada de compra.

29. Marketing de Relacionamento

O Marketing de Relacionamento se dedica a estratégias para ter um relacionamento positivo com o consumidor antes, durante e depois da compra. O relacionamento entre marca e consumidor é uma maneira de se diferenciar no mercado, ao criar uma conexão emocional, que é mais forte e duradoura que a relação meramente comercial.

30. Marketing de Comunidade

Fazer Marketing de Comunidade é estar perto do público que gosta de interagir com a marca e fomentar esse relacionamento. A comunidade pode integrar os clientes da empresa, mas também os colaboradores, os parceiros, os fornecedores, entre outros públicos. No Facebook e no LinkedIn, por exemplo, é possível criar um grupo para se relacionar com eles.

Aqui na Rock, temos uma comunidade dos freelancers que trabalham conosco. Nosso relacionamento acontece em um grupo do Facebook e no blog que criamos para eles!

31. Marketing de Fidelização

No Marketing de Fidelização, os esforços de relacionamento se concentram nos clientes atuais. Com programas de pontos e ofertas exclusivas, eles se tornam compradores recorrentes e promotores da marca – o que reduz consideravelmente os custos de aquisição de clientes.

32. Marketing de Precisão

O Marketing de Precisão também pretende tornar os clientes fiéis. Porém, a diferença sutil é que as estratégias de precisão se baseiam necessariamente em dados sobre os consumidores.

Com a ajuda da tecnologia e da automação, a coleta e análise de informações sobre os clientes atuais permite oferecer conteúdos e ofertas exclusivas para a pessoa certa no momento certo, seguindo a lógica do Marketing One-to-One.

33. Marketing Transacional

Opõe-se ao Marketing de Relacionamento e de Fidelização, pois seu foco é essencialmente a venda, para aquele consumidor, naquele momento. O cliente tem uma relação puramente comercial com a marca, que se preocupa com os resultados imediatos e com novas vendas, não com relacionamentos duradouros.

34. Marketing de Recomendação (Marketing Boca-a-Boca)

No Marketing de Recomendação, o objetivo é aproveitar a fidelização para gerar um boca-a-boca positivo sobre a empresa, a partir do relacionamento de confiança estabelecido com seus clientes, tornando-os promotores da marca.

No Marketing Digital, recomendações são ainda mais relevantes, pois uma opinião a favor da marca pode impactar milhares de pessoas e atrair novos clientes.

35. Marketing de Defensores

O Marketing de Defensores também tem tudo a ver com fidelização e recomendação. O cliente já é tão fiel à marca e tem uma identificação tão grande com ela, que ele passa a defendê-la.

Quando um consumidor publica uma avaliação negativa sobre a marca, por exemplo, seus defensores vão lá argumentar a favor dela. Eles são super engajados, divulgam seus conteúdos e não perdem uma oportunidade de elogiar.

A Uber, por exemplo, usou uma estratégia de Marketing de Defensores para se estabelecer em regiões com maior resistência à inovação no transporte coletivo. Em algumas cidades do Brasil, muitas pessoas defenderam a marca diante da reação agressiva dos taxistas e dos governos.

tipos de marketing

36. Marketing de Resposta (Reply Marketing)

É uma estratégia de marketing em que a empresa sugere ao consumidor uma ação imediata de contato, compra ou cadastro após ser impactado. Essa ação deve ser mensurável, para poder avaliar os resultados da estratégia.

Por exemplo, em um anúncio de rádio, a mensagem pode terminar com uma chamada para ação como “compre já o seu” e informar uma URL específica para fazer a compra.

37. Marketing de Eventos

É o uso de estratégias de marketing no planejamento, organização e promoção de eventos que proporcionem uma experiência positiva ao público. De encontros temáticos a mega shows, os eventos geram um forte engajamento com a marca, que pode atuar como organizadora, patrocinadora ou apoiadora.

O festival Lollapalooza, por exemplo, gera grandes oportunidades para as marcas patrocinadoras, como a Axe:

38. Marketing Promocional

São as estratégias de marketing que incentivam o contato com a marca para atrair o consumidor e estimular as vendas, como a distribuição de brindes e amostras grátis, realização de blitz nas ruas e criação de descontos e ofertas.

39. Endomarketing

Geralmente, enxergamos o marketing apenas fora da empresa, em contato com o consumidor. Porém, as estratégias também podem ser aplicadas internamente, tendo os colaboradores como público-alvo.

O Endomarketing, também chamado de Marketing Interno, busca construir uma imagem positiva da empresa junto aos seus colaboradores. Assim, eles se sentem engajados e motivados em seu trabalho, o que gera menos rotatividade e maior produtividade da equipe.

40. Marketing de Incentivo

Uma das ferramentas do Endomarketing é o Marketing de Incentivo. Com essa estratégia, a empresa oferece benefícios para quem demonstrar mérito, como um colaborador que atinge suas metas.

Assim, ele se sentirá motivado para alcançar os resultados, melhorando sua produtividade. A premiação por esse esforço deve ser relevante e valorizada pelo funcionário – do contrário, não servirá como incentivo.

O Marketing de Incentivo também pode ser usado com os consumidores, como oferecer benefícios a um cliente que faz compras com frequência ou de grande valor na loja.

41. Marketing Comercial

O Marketing Comercial é o marketing que mais estamos acostumados a ver. É um conceito bem amplo, que engloba o conjunto de estratégias para criar e promover o produto, o serviço ou a própria marca de uma empresa, com o objetivo de vender mais.

42. Marketing B2C

É o marketing que tem como público-alvo o consumidor (Business-to-Consumer). Para definir e segmentar o público de uma campanha B2C, a empresa olha para o perfil, os comportamentos, o estilo de vida e as necessidades das pessoas e adapta suas estratégias para atendê-las. Geralmente, o processo de compra é mais rápido que no Marketing B2B.

43. Marketing B2B

É o marketing realizado de negócio para negócio (Business-to-Business). Na segmentação do público-alvo, a empresa olha para o setor de atuação, o porte, a localização e as necessidades do potencial cliente para definir suas estratégias. Em relação ao Marketing B2C, o processo de compra tende a demorar mais, pois precisa passar por diferentes níveis de decisão.

44. Marketing Institucional

Diferentemente do Marketing Comercial, o foco do Marketing Institucional não é o produto, o serviço ou a venda. Ele engloba as estratégias de marketing para fortalecer a imagem de uma instituição junto aos seus públicos, usando ações de Marketing Social e Cultural, por exemplo.

45. Marketing Social

Em vez de produtos e serviços, o objetivo do Marketing Social é promover ideias, atitudes, comportamentos que provoquem mudanças positivas na realidade social. É mais comum vê-lo em ONGs e no setor público, nas campanhas de conscientização sobre violência no trânsito e preconceito racial, por exemplo.

Quando o Marketing Social é usado pelas empresas, o compromisso social deve estar enraizado nos valores da marca, e não apenas presente em ações isoladas, para ser aceito pelo consumidor.

A Dove, por exemplo, em defesa da real beleza, quer mudar a forma como as mulheres veem a si mesmas.

46. Marketing de Causa

Está muito próximo do Marketing Social, mas não é a mesma coisa. No Marketing de Causa, as empresas apoiam uma causa social, mas têm um interesse comercial explícito nisso, como a venda ou a exposição na mídia.

Diferentemente do Marketing Social, essa estratégia não visa uma mudança de comportamento social. Ela quer apenas ajudar uma causa, um projeto ou uma instituição e, com isso, promover a marca.

Como exemplo de Marketing de Causa, há o conhecido McDia Feliz:

tipos de marketing

47. Marketing Reverso

Tradicionalmente, para aumentar as vendas, as empresas dizem ao consumidor que ele precisa daquele produto. Já no Marketing Reverso, a estratégia é dizer que ele NÃO precisa daquele produto, criando uma imagem positiva da marca e aumentando as vendas indiretamente.

Parece confuso? Mas é isso que a marca de roupas Patagonia faz. Ela faz o cliente refletir se ele realmente precisa daquela roupa, associando sua imagem à sustentabilidade.

tipos de marketing48. Marketing de Produto

É uma vertente do marketing cujo foco é gerar demanda para o produto. Para isso, é preciso definir seu posicionamento no mercado, diferencial competitivo, público-alvo e estratégias de venda, de maneira que seja interessante para os consumidores.

O Marketing de Produto se torna essencial no lançamento de um novo produto ou na inserção em um novo mercado – o que demanda um planejamento específico de como posicioná-lo.

49. Marketing de Serviços

Diferentemente do que você possa pensar, o Marketing de Serviços não é a mesma coisa que o de Produto, só que para serviços. Ele engloba, na verdade, as estratégias de prestação de serviços ao consumidor, como as vendas, o SAC ou a personalização de produtos.

Um atendimento ao cliente de qualidade impacta positivamente na imagem da marca e pode ser um diferencial no mercado competitivo atual.

50. Marketing de Massa

Por muito tempo, o marketing desconsiderava que as pessoas tinham comportamentos, necessidades e gostos diferentes: elas eram consideradas uma massa homogênea. No Marketing de Massa, os produtos e as estratégias de divulgação são padronizados para todos os consumidores – o que atualmente está em desuso.

51. Marketing de Segmento

O Marketing de Massa deu lugar ao Marketing de Segmento, que reconhece as diferenças de características, necessidades e desejos entre os consumidores. Com essa estratégia, a empresa segmenta o mercado agrupando pessoas com características em comum. Então, ela define o seu segmento-alvo (ou mais de um) e direciona as estratégias de marketing para ele.

52. Marketing de Nicho

Dentro de um segmento de mercado, a empresa pode optar por trabalhar com um nicho, que é um grupo menor de pessoas, com características mais específicas em comum. No Marketing de Nicho, provavelmente a marca terá menos concorrência, mais afinidade com o público e custos menores para executar as estratégias.

Um exemplo de Marketing de Nicho são as marcas que apostam em roupas plus-size:

tipos de marketing53. Marketing One-to-One (ou Micromarketing)

O nível de segmentação do marketing chegou ao ponto do Marketing One-to-One, que considera as características do indivíduo, não mais de um segmento ou nicho. Com uma boa base de dados, é possível conhecer cada consumidor e utilizar a personalização de ofertas, produtos e serviços para atrair e fidelizar clientes.

54. Marketing Pessoal

É o conjunto de estratégias usado para construir e manifestar uma imagem positiva de uma pessoa, conquistando um espaço valioso na mente do público.

Geralmente, é usado para valorizar o que ela tem de melhor dentro da sua área de atuação profissional, com o objetivo de gerar mais e melhores oportunidades de carreira.

Atletas, por exemplo, precisam conquistar a simpatia de clubes, imprensa, torcedores e patrocinadores, então sua imagem pessoal é preciosa. O nadador Ryan Lochte, que fez um papelão nos Jogos Olímpicos de 2016, é um bom exemplo do que não fazer no Marketing Pessoal.

tipos de marketing

55. Marketing Sazonal

Ocupa-se com as estratégias associadas a datas e épocas específicas do calendário, como Natal, Dia das Mães e Dia dos Namorados, que sempre aquecem as vendas.

O Marketing Sazonal também se preocupa com as variações de demanda por um produto ao longo de uma semana, um mês ou um ano, e com as estratégias para aproveitar os melhores períodos e superar os piores.

56. Marketing de Guerrilha

O Marketing de Guerrilha exige táticas planejadas e estruturadas para gerar o maior impacto com o menor custo e, de preferência, dar uma cutucada nos adversários. Para isso, a criatividade tem que entrar em ação!

A concorrência entre as redes de fast food já gerou bons cases de guerrilha. Um deles foi no Halloween de 2016, quando o Burger King “deu um susto” nos clientes. Dá uma olhada:

tipos de marketing

57. Marketing de Emboscada

Em uma emboscada, alguém fica na espreita esperando por outra pessoa para atacá-la. No Marketing de Emboscada, é mais ou menos isso que acontece: a marca fica de tocaia sobre o concorrente para aproveitar uma oportunidade de divulgação.

Em grandes eventos, essa é a estratégia usada por marcas não-patrocinadoras para aproveitar o interesse do público. A Bavaria, por exemplo, contratou modelos loiras para ficar na torcida durante a Copa da África do Sul de 2010 (sendo que a patrocinadora oficial era a Budweiser).

tipos de marketing58. Marketing Viral (Buzz Marketing)

Fazer uma propaganda se tornar um “viral” é o desejo de muitas marcas. Afinal, criar um Marketing Viral de sucesso significa ampliar consideravelmente o alcance da marca. Ela cai no gosto e na boca do povo! Para isso, a empresa precisa produzir um conteúdo surpreendente, com alto potencial de compartilhamento e engajamento.

Lembra do Desafio do Balde de Gelo? Esse foi um viral que pegou! Todo mundo resolveu gravar um vídeo tomando um banho gelado para incentivar doações para a ALS Association.

59. Telemarketing

É a estratégia de ligar ativamente para os consumidores para oferecer um produto ou serviço ou fazer uma oferta especial. Porém, interromper a rotina e perder tempo com ofertas irrelevantes tiraram a paciência das pessoas e prejudicaram os resultados com essa estratégia.

60. Marketing de Permissão

São as estratégias de marketing realizadas junto ao consumidor apenas sob sua autorização. No Outbound Marketing, por exemplo, o público tem sua rotina interrompida para ver um anúncio ou receber uma ligação de telemarketing.

Já no Marketing de Permissão, isso só acontece se o usuário permitir, pois a escolha está em suas mãos. No Inbound Marketing, por exemplo, a empresa só envia um fluxo de e-mails se a pessoa consentir com os envios.

61. Marketing de Influência

Os ídolos não estão mais apenas na TV. Agora, produtores de conteúdo na web também são adorados e, por isso, são procurados pelas marcas.

Marketing de Influência é fazer parceria com esses influenciadores da internet, que publicam em blogs, canais no YouTube ou perfis no Instagram para uma audiência fiel e engajada. Assim, a marca aparece para o público junto a um conteúdo relevante para ele, que não tem cara de publicidade.

62. Marketing de Experiência

O Marketing de Experiência quer oferecer boas experiências para o cliente, o que significa gerar sensações positivas no contato com a marca. Ao longo da jornada de compra, o consumidor precisa se sentir à vontade e bem atendido, como em uma navegação simples e rápida na loja online, ou até surpreendido com uma ação diferenciada.

A Heineken, por exemplo, leva tão a sério a experiência que a tornou uma atração turística em Amsterdam: a Heineken Experience.

63. Marketing Sensorial

Dentro do Marketing de Experiência, uma estratégia muito usada é o Marketing Sensorial, que aguça os sentidos para gerar uma boa experiência. É o que acontece quando você passa na frente da mmartan e logo é conquistado pelo cheirinho característico ou quando o cliente entra no M&M’s World, loja temática da marca que é cheia de cores e tem cheirinho de chocolate.

64. Marketing de Nostalgia

Provocar sensações boas no consumidor é uma estratégia de marketing eficaz. No Marketing de Nostalgia, a intenção é retomar uma lembrança agradável do passado para chamar atenção e despertar interesse.

A nostalgia é capaz de criar uma conexão emocional com as pessoas. Por que você acha que a Parmalat recriou aquele anúncio cheio de crianças fofinhas vestidas de mamíferos?

65. Marketing de Exclusividade

Busca despertar o interesse do consumidor mostrando que o produto, serviço, oferta, conteúdo está disponível somente para ele ou para um seleto grupo de pessoas. E quem não gosta de se sentir valorizado assim?

Criar tiragens limitadas de um produto, fazer ofertas para um perfil específico de consumidor e convidar para eventos fechados são algumas ações que despertam o senso de exclusividade.

66. Marketing de Luxo

O Marketing de Luxo é focado no público de alto poder aquisitivo e nas marcas de alto padrão, o que exige uma abordagem peculiar. Está muito próximo do Marketing de Exclusividade, pois a valorização do produto está relacionada ao privilégio de poder comprá-lo.

67. Neuromarketing

Também chamado de Marketing Científico, o Neuromarketing é a união da ciência com o marketing para entender o comportamento do consumidor. Exames como ressonância magnética, eletrocardiograma e eye-tracking permitem observar as reações das pessoas diante de um estímulo de marketing.

68. Trade Marketing

Tradicionalmente, Trade Marketing são as ações dos fabricantes para organizar e posicionar seus produtos nas prateleiras e stands dos canais de distribuição, facilitando o acesso ao consumidor. Com o surgimento do e-commerce, porém, essa vertente do marketing engloba também as estratégias no ambiente online, em sites de varejistas e marketplaces.

69. Marketing Médico

As estratégias de marketing podem ser usadas nas mais diversas áreas de atuação profissional. Entre elas, o Marketing Médico é um dos mais desafiadores, pois não exerce apenas uma relação comercial com os pacientes, e sim um compromisso com a sociedade. Não por acaso, ele precisa seguir as limitações éticas estabelecidas pelo Conselho Federal de Medicina.

70. Marketing Jurídico

O Marketing Jurídico pode ser usado por advogados e escritórios de advocacia para atrair e fidelizar seus clientes e fortalecer sua reputação. O desafio, nessa área, é seguir as restrições criadas pela OAB e deixar de lado o “juridiquês” nos conteúdos para o público leigo.

71. Marketing Esportivo

Marketing Esportivo é uma vertente do marketing voltada a gerar oportunidades no mundo dos esportes, seja para as marcas esportivas (times, clubes, atletas, academias etc.), seja para marcas de outros setores que querem associar sua imagem ao esporte.

Um case brasileiro na área é a campanha “Meu sangue é rubro negro”, realizada pela Penalty e o Esporte Clube Vitória, que incentivou os torcedores a doarem sangue.

72. Marketing Cultural

Tem como objetivo associar a imagem de uma empresa a eventos e projetos culturais. Muitas vezes, a estratégia é patrocinar um filme, show, peça de teatro, exposição de arte, e realizar ações de marketing paralelas, como distribuir amostras grátis no evento (Marketing Promocional) ou oferecer ingressos aos colaboradores (Endomarketing).

tipos de marketing

73. Marketing de Moda

A moda é um universo de constantes novidades e inovações. Por isso, o Marketing de Moda precisa estar sempre antenado nas tendências de consumo, design e comportamento para criar um relacionamento com o consumidor que vá além da compra esporádica. As marcas de moda querem fazer parte da vida das pessoas.

74. Marketing Rural

São todas as estratégias voltadas para o setor agropecuário, que exige abordagens, linguagens e conteúdos específicos para produtores rurais. O desafio agora é aproximar esse público das marcas com o marketing digital.

75. Marketing Educacional

Engloba as estratégias adotadas pelas instituições de ensino, como escolas de idiomas e IES (Instituição de Ensino Superior). A jornada do estudante e o funil de conversão no setor educacional têm algumas peculiaridades, pois envolvem um processo de decisão mais complexo do que uma simples compra.

76. Marketing Político

Trata-se das estratégias adotadas por um candidato, um governo, um partido ou um grupo político, com o objetivo de fortalecer sua imagem junto ao eleitorado e conquistar novos simpatizantes. Quando o Marketing Político é focado em determinado pleito, existem estratégias específicas, que englobam o Marketing Eleitoral.

77. Marketing Internacional

Empresas que têm operação em diversos países ou que queiram ser conhecidas internacionalmente precisam do Marketing Internacional. A marca deve compreender o contexto de cada país e se adaptar às diferentes culturas em que deseja estar presente.

Grandes clubes europeus de futebol, por exemplo, têm interesse na internacionalização das suas marcas, em busca de maior rentabilidade.

tipos de marketing

78. Marketing Verde

Também chamado de Marketing Ambiental ou Ecomarketing, demonstra a postura de uma empresa em relação ao meio ambiente. Com a sustentabilidade em evidência, a responsabilidade ambiental passou a ser um tema importante para os consumidores, que agora exigem das empresas um Marketing Verde além do discurso.

79. Marketing Local

São as estratégias de uma empresa física voltadas para o público da região em que ela está localizada. Por exemplo, um restaurante que distribui panfletos na vizinhança ou um salão de beleza que anuncia no Google para moradores próximos está fazendo Marketing Local.

80. Marketing Infantil

São as ações de marketing direcionadas às crianças, não só como consumidoras dos produtos, mas também como influenciadoras e decisoras de uma compra que será realizada pelos pais. Muitos países, no entanto, têm buscado regular o Marketing Infantil, baseados na visão de que a criança é vulnerável e não tem discernimento para avaliar uma mensagem publicitária.

81. Game Marketing

No marketing, “gamificar” significa usar as dinâmicas de jogos e brincadeiras para engajar os consumidores. O consumo se torna divertido, e a relação com as marcas também. Uma empresa pode criar um jogo que gere recompensas, ou pode inserir sua marca em um game já existente.

Um exemplo de Game Marketing foi a estratégia usada pelo rapper Jay-Z no lançamento da sua biografia em 2010:

Então, gostou de conhecer todos esses tipos de marketing? Certamente essa não é uma lista definitiva: muitos outros termos são usados no mercado e, a qualquer hora, está surgindo um novo conceito! Mas já dá para usar várias estratégias na sua empresa, né?

Caso já seja um profissional de Marketing e queira se qualificar ainda mais, conheça a Universidade Rock Content!

Universidade Rock Content - Confira os cursos de Marketing