Ilustração dos usuários mundiais do facebook

O guia completo para aumentar seu tráfego orgânico no Facebook

Se você já atua ou está começando a criar uma estratégia de marketing digital para o seu negócio, sabe que o primeiro passo para obter sucesso online é gerar tráfego (visitantes) para o seu site, blog e demais plataformas de atuação.

As pessoas precisam encontrá-lo no mundo virtual. É dessa forma que você poderá conseguir novos contatos, gerar leads qualificados, converter vendas e engajar pessoas.

Dentre os meios para fazer isto estão o tráfego pago (divulgações ou links patrocinados) e “a menina dos olhos” dos profissionais de marketing de conteúdo, o tráfego orgânico. O tráfego orgânico é aquele gerado através de estratégias e mecanismos de buscas e não possui custo direto pelas visualizações que recebe.

Por isso, neste artigo vamos explicar detalhadamente como aumentar o seu tráfego orgânico em uma das principais plataformas da internet: o Facebook.

As redes sociais e o Inbound Marketing para geração de tráfego orgânico no Facebook

Primeiramente, se o seu objetivo é aumentar o tráfego orgânico, você precisa pensar em Inbound Marketing.

Acredite! Sem uma estratégia bem definida de marketing de conteúdo conseguir aumentar tráfego será mais difícil do que tentar ganhar na mega-sena.

As redes sociais são excelentes portas para atrair o seu público. Elas estão no topo da “cadeia digital”, são milhões de usuários únicos acessando estas plataformas, por diversos dispositivos, durante um tempo significativo da sua rotina diária de navegação.

Sobretudo no gigante Facebook, a rede social que ganha com certa vantagem das demais plataformas do tipo. Para se ter uma ideia são mais de 1.28 bilhões de perfis ativos no mundo. Com todo este potencial de mercado o Facebook se tornou uma ferramenta essencial, nas estratégias de marketing digital.

Logo, não é por acaso que um dos três pilares do inbound marketing no desenvolvimento das estratégias é justamente as mídias sociais (os outros dois pilares são SEO e conteúdo).

Entretanto, apesar do potencial do social media, menos da metade das empresas se preocupa em desenvolver o planejamento e estratégias consistentes de atuação na rede. Muitas marcas têm uma visão simplista e acreditam que apenas marcar presença, ter um perfil no Facebook e um cronograma de postagens será o suficiente para atrair seu público-alvo.

Mas, desmistificando um equívoco muito comum, ao contrário do que muitos pensam, gerar tráfico orgânico não é uma tarefa fácil e muito menos gratuita.

Afinal, você precisará produzir conteúdo qualificado que demanda tempo e investimento adequados aos seus objetivos. Os esforços, no entanto, podem ser dimensionados ao orçamento que a sua empresa (pequena, média ou grande) tem disponível e obtém maior retorno a médio e longo prazo que o tráfego pago.

Para ser efetivo você precisará pesquisar e considerar uma série de variáveis: quem é o seu público alvo? Quais são os seus interesses? Qual é o seu comportamento de navegação? E muitas outras questões.

São estas informações que vão ajudá-lo a criar um “conteúdo imã” (qualificado), suficientemente magnético para atrair os potenciais clientes para sua marca, gerando mais tráfego orgânico e, consequentemente, a possibilidade de gerar leads.

Desafios: as mudanças no Facebook e o declínio do alcance orgânico

O alcance orgânico das empresas no Facebook despencou e está atingindo a todos.

No último ano o Facebook passou por uma série de mudanças no seu algoritmo e nas suas políticas de posicionamento de notícias no feed. Além disso, a plataforma ampliou as ferramentas e opções do Facebook ads (divulgação paga) e passou a capitalizar as ações publicitárias em sua plataforma, limitando o espaço e alcance orgânico das empresas.

Dessa forma, gerar tráfego orgânico para as marcas na plataforma está cada vez mais difícil. Hoje o alcance chega a apenas 6% da audiência, representando uma queda de 49% (dados da Ogilvy).

Segundo o Facebook as medidas são inevitáveis e visam evitar a superlotação do feed dos usuários. O número de perfis continua aumentando e a participação das marcas competindo por um espaço na página dos usuários é cada vez mais efetiva e abrangente.

A oferta de informações é imensa.

Para se ter uma ideia são mais de 18 milhões de empresas com perfis na plataforma e há em média 1500 histórias (publicações) compartilhadas que poderiam ser visualizadas por um usuário (de acordo com seus interesses) a qualquer momento. O Facebook mostra cerca de 300 por user e é por um destes “lugares ao sol” no feed do seu público que você deve lutar.

Assim, para o Facebook, o algoritmo precisava evoluir para este cenário. A empresa tem um grande trabalho para definir o que deve ser mostrado aos usuários. E, é o algoritmo que determina o conteúdo que será visualizado por cada usuário, além das informações que ele pode gostar e se engajar.

Entretanto, como acontece com o Google, ninguém sabe exatamente como o algoritmo do Facebook determina o que é relevante para os seus usuários. Mas, mesmo com as mudanças, ainda há alguns elementos conhecidos que fazem parte do processo e podem ajudá-lo a aumentar o seu tráfego.

Vamos falar deles fatores a seguir:

Como o Facebook determina o que aparece no feed dos usuários?

Entre os fatores conhecidos que o algoritmo do Facebook considera ao determinar o que cada usuário irá visualizar no perfil, estão:

1 – Que tipo de post o usuário mais interage

Por exemplo: texto versus foto, foto versus vídeo e assim por diante.

2 – Conteúdo indesejado

Spam e conteúdos que o usuário esconde no seu feed (opção “hide”).

3 – Como o usuário interage com o Facebook ads (as divulgações e links pagos).

4 – Em que dispositivo o usuário navega e qual a velocidade da sua conexão.

Além disso, o sistema de ranking original do Facebook, “os três pilares de EdgeRank” ainda permanece como parte do algoritmo atual que determina a visualização do feed:

Afinidade

Este pilar é um indicativo da relação com o usuário. Quanto o usuário interage com a sua página?

Peso

Este pilar se refere ao tipo de conteúdo compartilhado. O Facebook prioriza conteúdos visuais: vídeos e fotos.

Declínio (decadência)

Este pilar se refere ao tempo da sua postagem. Quanto mais velho um post, menos provável é que ele apareça no feed de notícias.

Também é muito claro que elementos do comportamento de navegação do usuário (user behavior) afetam imensamente a visibilidade de um post.

Por exemplo, um usuário visualizará mais frequentemente as publicações da rede de amigos ou marcas que ele mais interage ou interagiu anteriormente (quanto mais recente a interação com um amigo “X” mais provável será visualizar os seus conteúdos).

As interações anteriores do usuário com um determinado tipo de postagem (foto, imagem, tema ou outro) é outro fator levado em consideração. Se este usuário demonstra maior afinidade e engajamento com um dado formato de postagens será mais provável visualizar conteúdos com as mesmas características no seu feed.

Ainda, as reações de um user em relação aos conteúdos visualizados são fatores que fazem parte do processo de seleção do que uma pessoa verá posteriormente no seu perfil. Exemplificando: quando um usuário tiver reações positivas, como “curtir” uma publicação, maior será a chance de receber conteúdos similares. Mas, se o feedback a uma postagem for negativo, menor vão ser as chances daquele tipo de postagem aparecer no feed daquele perfil.

Aumentado o tráfego orgânico no Facebook em 10 dicas

Apesar dos novos desafios há muitas formas de vencer as mudanças do Facebook. Você pode usar os elementos citados acima a seu favor e trabalhar algumas maneiras de continuar construindo e aumentando a sua audiência. A seguir listamos 10 dicas de como fazer isto:

1. Poste conteúdo de qualidade

Você já deve ter ouvido essa dica diversas vezes. E, por mais óbvio que pareça, a quantidade de conteúdo sem qualquer relevância que ainda é produzido e jogado na rede nos faz pensar que é sempre bom lembrar: produza conteúdo qualificado!

Conteúdo relevante continua sendo a melhor maneira de gerar valor no Facebook, mesmo com as mudanças no algoritmo da plataforma.

Páginas que publicam informações qualificadas: que agregam valor à vida das pessoas, ensinam, entretêm ou levam os usuários a alguma reflexão ainda são capazes de alcançar as pessoas no feed de notícias.

2. Mas poste na medida certa!

A frequência de postagens no perfil de uma marca não deve ser muito alta. Afinal, você pode acabar sobrecarregando seu público com informações e poluindo o feed dos usuários.

Este tipo de comportamento costuma irritar as pessoas nas redes sociais e pior – provavelmente – você atrairá os temidos “haters”.

3. E no tempo certo: faça postagens fora dos horários de pico

A lógica é muito simples: fora dos horários de pico você terá menos concorrência. O fluxo de postagens será menor e o seu conteúdo terá mais chances de se destacar.

Também vale avaliar em que horários o seu público alvo costuma acessar as suas publicações. Pode ser interessante fazer testes e estabelecer um cronograma de publicações baseado na rotina de navegação do seu público.

4. Faça do Facebook Insights seu melhor amigo

O Facebook Insights é a melhor ferramenta para acompanhar e avaliar os seus esforços, verificando o que está dando certo, que postagens o seu público mais aprecia e assim direcionar – e redirecionar – as suas ações na rede social.

A ferramenta também é uma fonte valiosa de dados sobre o seu público.

5. Segmente o seu conteúdo usando o “Facebook organic post targeting”

No Facebook é possível definir informações específicas e melhor entregar os seus conteúdos para uma audiência certa e segmentada. Você pode adequar quem vê as suas postagens de acordo com personas (avatares que representam consumidores ideais) definidas para o seu negócio.

Nas configurações do perfil você deve habilitar a opção de “targeting” e definir os parâmetros de segmentação. A base é feita por dados demográficos (sexo, idade, educação, localização, linguagem…), mas há algumas outras opções.

6Links: faça do seu perfil um caminho para outros conteúdos!

Inclua links para o seu website ou para páginas com conteúdos complementares a postagem. Quando os usuários são nutridos com informações que o ajudam a resolver os seus problemas de consumo, eles interagem mais com a marca. Assim, suas publicações podem ganhar mais espaço no feed destes potenciais clientes e gerar conversões.

Além disso, a audiência do Facebook ama links. Os conteúdos com links só perdem para os vídeos na preferencia dos usuários.

7. Aposte em conteúdos com grande apelo visual. Sobretudo, aposte em vídeos.

Como já foi citado, fotos e vídeos são formatos que levam vantagem na plataforma. O Facebook prioriza estes formatos, por que são conteúdos com altos índices de afinidade e engajamento.

Os vídeos têm os melhores resultados no Facebook.

Além disso, a empresa está investindo cada vez mais em tecnologias para melhorar a visualização de vídeos na plataforma. Prova disto é o “autoplay”, ferramenta que busca atrair a atenção das pessoas e libera 3 segundos do vídeo enquanto o usuário passeia pela timeline no seu feed de notícias.

8. Compartilhe material didático e intuitivo

Infográficos e pictográficos são formatos que caíram no gosto das pessoas. Eles estão entre os tipos de conteúdo que ganham mais “curtidas” e compartilhamentos em diversas redes sociais, o Facebook incluso.

São conteúdos autoexplicativos, que podem ser usados para divulgar informações valiosas, com design bastante atrativo.

9. Faça perguntas nas suas postagens

Na lista do “top 10 das postagens” de 2014, divulgada pelo Facebook, 20% eram de conteúdos que questionavam os usuários.

Fazer perguntas ao seu público é uma tática que gera grande participação dos usuários e demostra valor e interesse pela opinião do público. O potencial consumidor gosta de ser ouvido e falar sobre as suas expectativas e dar sugestões.

10. Tenha foco na construção de comunidades

Eu sei que você pode estar pensando que comunidades eram ferramentas de uma rede social já extinta: o Orkut. No entanto, algumas regras da construção de comunidades também valem para o Facebook.

Muitas empresas criam perfis, mas perdem a oportunidade de interagir de forma mais profunda com seu público. Gastar tempo criando atividades (concursos, enquetes…), dando feedbacks aos comentários e –realmente – ouvindo os seus seguidores fará com que eles tenham melhor percepção da marca e maior engajamento. Com o tempo você terá fidelizado pessoas a sua página que podem se tornar divulgadores naturais da empresa.

Viu? Agora você está pronto para melhorar os seus resultados no Facebook.

Esperamos que este artigo tenha tirado todas as suas dúvidas sobre assunto. E se ficou com alguma dúvida, não deixe de comentar e acompanhar as nossas publicações!

Marketing no Facebook_CTA para o blog (com botão de dl) 630x300

 
Autor(a)

Escrito por: Redator Rock Content Este artigo foi produzido por um dos mais de 5000 redatores da base da Rock Content. Quer conteúdo legal assim no seu blog? Fale com um consultor!



    Deixe um comentário

    Certificações em Marketing Digital - Universidade Rock Content
    Vagas em Marketing e Vendas - Rock Jobs
    Ebook Inbound Marketing - O Guia Definitivo

    A Rock Content é líder em marketing de conteúdo no Brasil. Ajudamos centenas de empresas a atingirem seus objetivos de marketing. Queremos ajudar você também!