tudo sobre email marketing

Email marketing: Tudo o que você precisa saber

O canal que apresenta o melhor ROI do marketing digital e permite uma proximidade com o consumidor como nenhum outro. Já sabe qual é?

Sim, estamos falando do e-mail marketing! Se você acompanha o nosso blog, sabe muito bem que ele não morreu. Ou melhor, está mais vivo do que nunca!

O e-mail marketing é essencial em uma estratégia de marketing de conteúdo.

Com envios segmentados e relevantes, sua empresa é capaz de engajar os consumidores em torno da sua marca, mantê-los informados sobre seus conteúdos e fazê-los avançar no funil de vendas até a compra.

Podemos afirmar: ele só morreu para quem não sabe usar a estratégia.

Por isso, criamos este post completo para você conhecer tudo sobre email marketing e obter os melhores resultados com este canal. Acompanhe:

O que é email marketing?

No início do uso do e-mail, ele era considerado a versão digital do tradicional envio de cartas. E para que serviam as cartas?

Para nos comunicarmos com pessoas distantes e mantermos o relacionamento com elas.

Depois, as marcas perceberam a força deste canal e passaram a enviar suas mensagens publicitárias para a caixa de entrada dos consumidores.

O problema foi abusar desta estratégia – a publicidade tornou-se invasiva, sem permissão, tornou-se spam.

Felizmente o e-mail marketing evoluiu – porém, somente para aquelas marcas que entenderam sua essência.

Esse é o canal digital mais próximo e íntimo com o consumidor. Trocas de e-mails são como uma conversa direta, de igual para igual.

E é assim que você deve pensar sua estratégia.

Atualmente, não dá mais para encher a caixa de entrada das pessoas com propaganda sobre os seus produtos.

O consumidor não quer mais isso.

Ele quer receber apenas mensagens que contribuam para a sua vida, que sejam relevantes.

Quando bem feito, e-mail marketing é construir e fortalecer relacionamentos através deconteúdos valiosos.

Qual o papel do e­mail marketing na sua estratégia de marketing?

Embora o e-mail marketing seja muito vinculado a uma abordagem promocional e comercial, ele vai muito além disso em uma estratégia.

Perceba, primeiramente, a comunicação direta com o consumidor que o e-mail permite. Quando um consumidor fornece seu contato, ele dá abertura para essa conversa.

Então, todos os papéis do e-mail marketing se baseiam nisso. Vejamos alguns deles:

Nutrir relacionamentos

Redes sociais, SEO, links patrocinados são excelentes canais para gerar tráfego e aproximar mais pessoas da sua marca.

Porém, se você não tiver o contato delas, não conseguirá estabelecer um diálogo específico com cada uma.

Então, quando uma pessoa deixa esse dado valioso, o e-mail marketing aprofunda essa relação.

Esse papel serve não só para antes da compra, mas também depois.

O cliente satisfeito que se mantém em contato com você tem mais chances de voltar a comprar e de se tornar um promotor da marca dentro da sua rede.

Educar os leads

O e-mail marketing permite enviar conteúdos específicos para cada perfil de lead.

Então, ao identificar que determinada pessoa está em fase inicial de pesquisa sobre um assunto (através do download de um material básico, por exemplo), você pode enviar conteúdos relevantes que gradualmente ensinem o lead sobre o tema.

Se você oferecer algo de valor a alguém (gratuitamente!), com certeza terá sua confiança.

Ativar clientes antigos

Os relatórios do e-mail marketing ajudam a identificar algumas oportunidades, como verificar os clientes que estão há tempos sem interagir com sua empresa.

Quando foi a última vez que compraram? Qual foi sua última compra? Utilize esses dados para criar uma mensagem especial a esses clientes antigos.

Fique de olho no ciclo de vida do seu produto. Em dado momento, seu cliente começará a pensar em renovar um serviço ou adquirir uma nova solução.

Aparecer na hora certa, com uma oferta especial, é o segredo para reativar esse cliente.

Vender

O e-mail marketing também é efetivo na abordagem de venda. Na etapa final da jornada de compra do consumidor, ele pode ajudar a efetivar uma aquisição.

Quando o lead já está maduro, você pode apresentar suas opções de produtos, comparar com outras soluções, oferecer uma demonstração gratuita, dar um desconto exclusivo.

São abordagens que ajudam na tomada de decisão e incentivam a compra.

Por que usar e­mail marketing?

Embora nos últimos tempos as redes sociais tenham ganhado os holofotes no marketing digital, o e-mail marketing vem reconquistando seu espaço. Veja alguns motivos:

Todo mundo tem e-mail!

Segundo a Radicati, em 2015 existiam 2,5 bilhões de usuários de e-mail, e a tendência é que esse número chegue a 2,9 bilhões em 2019 – mais de um terço da população mundial.

O e-mail pode ser considerado o endereço das pessoas na web.

Quando você se cadastra em uma rede social, precisa fornecer um e-mail.

Quando preenche um formulário, recebe a resposta por e-mail.

Ele concentra todas as ações que fazemos em outros canais.

Então, o potencial de alcance é enorme.

Conteúdo segmentado e personalizado

O e-mail marketing permite uma comunicação one-to-one, ou seja, uma conversa direta entre duas pessoas.

Assim, você pode oferecer conteúdos mais relevantes para cada lead, de acordo com informações que ele fornece, como idade, gênero, interesses, histórico de compra etc.

O poder de segmentação também é um grande benefício.

Tempo de vida mais longo

No Twitter, as publicações são em tempo real e a comunicação é rápida.

No Facebook, os algoritmos definem quem e quando você verá determinado post. Nas redes sociais, os conteúdos têm vida útil curta.

Já os e-mails nunca “desaparecem” da caixa de entrada do usuário – a não ser que ele próprio arquive ou exclua. Assim, aumentam as chances de serem lidos.

Baixo custo e alto retorno financeiro

Diferentemente dos canais, o e-mail marketing não exige um investimento em mídia para alcançar um usuário.

Talvez você apenas invista em uma ferramenta – e indicamos fortemente que faça isso, para profissionalizar suas campanhas.

É por isso que o ROI do e-mail marketing é tão vantajoso, como veremos a seguir no tópico das estatísticas.

ATENÇÃO: Ao comparar com outros canais, não estamos sugerindo que você elimine-os dos seus planos. Não mesmo!

Cada canal tem suas vantagens e exerce um papel diferente. Tudo o que você precisa fazer é identificar quais se encaixam melhor nas suas necessidades.

Estatísticas de e­mail marketing em 2016

Veja o que algumas pesquisas do mercado falam sobre e-mail marketing. Você irá entender melhor por que e como usar esse canal na sua estratégia.

Mobile

– 80,8% das pessoas leem seus e-mails em dispositivos móveis (HubSpot)

Engajamento

– Sábado é o dia da semana e 6h é o horário que apresentam a maior taxa de abertura (HubSpot)

– 43,8% dos consumidores preferem receber e-mails promocionais semanalmente e apenas 9,5% diariamente (DMA)

Automação

– 74% utilizam newsletters; apenas 18% usam e-mails automatizados de nutrição de leads (GetResponse)

Segmentação e personalização

– E-mails com assunto personalizado são 26% mais prováveis de serem abertos (Campaign Monitor)

– 42% dos profissionais não segmentam seus envios (GetResponse)

Investimento

– 57% das empresas B2B vão aumentar seu investimento em e-mail marketing durante 2016 (GetResponse)

– As empresas estão investindo 15% do seu orçamento de marketing em e-mail (eConsultancy)

– 52% das empresas utilizam ferramentas para construir sua lista (GetResponse)

Retorno sobre investimento

– E-mail marketing apresenta um ROI médio de 3800%: a cada $1 investido, ele retorna $38, um crescimento de 24,93% em relação a 2013 (DMA)

– E-mails têm a maior taxa de conversão em compras (66%), se comparado a outros canais de marketing (DMA)

Métricas

– 74% das empresas avaliam taxa de abertura e cliques para cada envio (GetResponse)

– 60% dos profissionais usam a taxa de conversão para avaliar a efetividade das campanhas  (DMA)

Viu como o mercado está utilizando o e-mail marketing? Mas percebeu também como há oportunidades ainda a serem exploradas?

Tipos de e­mails marketing que a sua estratégia precisa ter

Uma estratégia de e-mail marketing bem sucedida pode percorrer vários caminhos.

Os diferentes tipos de e-mails, no entanto, devem ter um importante ponto em comum: o conteúdo relevante.

Sempre se pergunte como cada envio ajudará a persona em sua vida, em sua rotina. Se não tiver uma boa resposta, repense suas ações.

Vamos conhecer agora 5 diferentes tipos de e-mail marketing que sua empresa pode fazer:

Atualizações de postagens

Essa é a solução mais básica para quem está começando. Trata-se de simplesmente notificar quem está inscrito na lista sobre novas publicações no blog da sua empresa.

O estímulo para que queiram receber estes e-mails geralmente é “saiba sobre novos posts em primeira mão” ou “não perca nenhum post do nosso blog”.

Assim, você mantém sua lista ativa e os usuários engajados com seus conteúdos.

Trabalhe com CTAs dentro dos seus textos para aumentar as possibilidades de convertê-los em leads.

Newsletters

As newsletters já são uma evolução do envio postagens. Elas têm uma periodicidade – semanal, quinzenal, mensal – e podem incluir diferentes tipos de conteúdos: posts do blog, novidades da empresa, produtos, lançamentos, ofertas etc.

Uma opção interessante é criar newsletters por assunto – por exemplo, sobre determinada categoria de produto – e inserir posts e CTAs relacionados a ele.

Além disso, um layout atraente e inteligente, com cores, fontes e disposição de elementos que incentivem o clique e a leitura, melhora muito o desempenho da campanha.

E-mails promocionais

Embora os consumidores já estejam “vacinados” contra publicidade de produtos por e-mail, este tipo de conteúdo ainda pode ser usado quando a informação é relevante.

Por exemplo, no lançamento de um novo serviço ou uma inovação importante na empresa.

O desafio, nesse caso, é tornar a mensagem interessante, e não mais um folder de ofertas.

Seja direto e objetivo. Se você quer que as pessoas conheçam seus produtos, insira um título chamativo e uma descrição breve, que sejam persuasivos a ponto de fazê-las clicar no CTA e buscar mais informações no site.

Fluxos de nutrição

Os fluxos de nutrição servem para nutrir o relacionamento com os leads enquanto eles percorrem o funil de vendas.

Quando uma pessoa informa seu e-mail no download de um material sobre determinado assunto, você pode inseri-la em um fluxo de envios automatizados, para que ela saiba mais sobre o tema e amadureça sua decisão de compra.

Dessa forma, você constrói uma relação de confiança com o lead ao longo do funil, pois ele recebe apenas conteúdos que lhe interessam e que podem ajudar a tomar sua decisão.

No momento da abordagem de venda, ele já estará bem informado e seguro.

E-mails transacionais

Os e-mails transacionais são usados para orientar o consumidor enquanto ele está em processo de compra, cadastro ou download de um material. Eles servem para confirmar suas ações e mantê-lo seguro sobre o que está fazendo.

Por exemplo, em um e-commerce, o usuário recebe e-mails de confirmação da compra, aprovação do pagamento e processo de entrega.

Se você não vende online, usará esse tipo de e-mail quando, por exemplo, enviar uma mensagem de confirmação para a pessoa que se inscrever em um webinar.

Como construir uma lista de e­mails de qualidade

Construir uma lista de e-mails de qualidade é o primeiro passo para uma estratégia qualificada. Vamos entender, então, como fazer isso.

Mas antes, aqui vai uma das regras de ouro do e-mail marketing: nunca, jamais, em hipótese alguma compre listas prontas – elas são um tiro no pé.

Por que não comprar listas de e-mails prontas

Realmente é uma tentação conseguir facilmente 20, 50, 100 mil contatos. Porém, essas pessoas não autorizaram que seu e-mail seja vendido, nem que recebam seu contato e possivelmente sequer têm interesse no que você tem a dizer.

As listas prontas também trazem muitos endereços falsos, inexistentes, com erros de digitação, que indicam aos provedores que você está praticando spam. E você será penalizado.

Tudo isso é um prato cheio para prejudicar a imagem da sua empresa. Então, entenda que construir uma lista de e-mails de qualidade demanda tempo e esforço.

Vamos ver agora as melhores práticas:

Solicitar autorização

Somente envie mensagens para quem autorizou explicitamente o seu contato. É o famoso opt-in.

Geralmente o e-mail e a autorização são fornecidos em um formulário, como cadastro de newsletter, download de materiais ou fale conosco.

O ideal é que exista a opção “quero receber ofertas e conteúdos por e-mail” para ser marcada.

Uma garantia a mais de que a pessoa realmente quer receber seus conteúdos é o double opt-in.

Nesse caso, ela não só informa seu e-mail e autoriza o contato, mas também confirma o cadastro através de um link enviado para sua caixa de entrada.

Oferecer o descadastro simples e prático

Tão importante quanto oferecer o opt-in, é permitir o opt-out.

Depois de informar o contato a você, as pessoas podem mudar de ideia, de interesses, ou simplesmente não gostar dos seus conteúdos.

O que fazer, então? Continuar enviando mensagens esperando que ela passe a gostar? Difícil…

Ofereça a opção de descadastro, em local visível, sem complicar a vida do usuário.

Melhor deixá-lo ir embora do que ter um contato na base que não abre nenhum e-mail e diminui sua taxa de entrega.

Limpar a lista periodicamente

Nos relatórios de envios, você perceberá que alguns contatos são classificados como “hard bounce” e outros como “soft bounce”.

O primeiro caso indica que o endereço não existe ou tem algum erro de digitação.

Já o segundo caso refere-se a contatos com caixa de entrada cheia ou alguma instabilidade do servidor que não permitiu a entrega do e-mail.

O que fazer com cada um deles? Com os “hard bounce”, não tenha pena: elimine todos eles.

Quanto aos “soft bounce”, realize pelo menos três envios; se essa classificação persistir, elimine-os também.

Lembre-se: melhor ter uma base menor, mas qualificada, do que ter vários e-mails, mas muitos inúteis.

Segmentando sua lista

Por mais que você tenha produzido o melhor conteúdo da história da sua empresa, acredite: não são todos os contatos da sua base de e-mails que vão querer recebê-lo.

Cada pessoa tem um perfil, um interesse, um histórico, e é muito difícil que um assunto agrade a todo mundo.

Para que seus e-mails sejam lidos, use a segmentação.

Embora você reduza o número de pessoas que recebe determinado envio, a possibilidade de eles serem abertos aumenta muito, pois você produzirá mensagens personalizadas, que realmente interessam.

Trouxemos algumas ideias para segmentar a sua lista. Existem várias possibilidades de critérios, dos mais abrangentes aos mais específicos. Vejamos alguns deles:

Perfil demográfico

Aqui entram dados básicos, como idade, gênero, localização, ocupação, cargo, faixa salarial etc.

Um exemplo básico é o envio de ofertas de vestuário feminino apenas para as mulheres da sua base. Outra ideia é usar a localização como critério e aproveitar feriados e datas comemorativas para enviar ofertas especiais.

Um dado interessante é o cargo. Se você tem uma empresa B2B, pode se comunicar com analistas, mas também diretores. E a abordagem para cada caso deve ser diferente, para que o usuário dê credibilidade ao que você fala.

Área de atuação da empresa

Assim como as abordagens são diferentes para cada pessoa, também devem ser para cada tipo de empresa. Por exemplo, empresas tradicionais do agronegócio usam uma linguagem bem diferente das startups.

Então, você pode criar a segmentação por área de atuação para adaptar os conteúdos e a linguagem para cada grupo.

Assuntos de interesse

Quando uma pessoa se cadastra em seu mailing, você pode perguntar a ela: “você gostaria de receber e-mails sobre quais assuntos?”.

Se você tem um e-commerce de produtos esportivos, pode enviar conteúdos sobre bicicleta apenas para quem demonstrou interesse nisso. É provável que quem gosta de futebol nem queira saber sobre essas ofertas.

Histórico de compras

Fique de olho no que os seus clientes estão adquirindo! Esse dado valioso pode ajudar a incentivar uma recompra – esforço que vale muito mais a pena do que conquistar um novo cliente.

Ofereça novos produtos ou serviços, que complementem a compra anterior, ou conteúdos relacionados, que agreguem valor à experiência de uso.

Estágio na jornada

Essa segmentação é essencial para os fluxos de nutrição. Você precisa entender qual o momento do consumidor em sua jornada de compra para oferecer conteúdos compatíveis.

Se ele está no começo, provavelmente tem menos conhecimento sobre o seu mercado. Já quem está mais avançado domina mais o assunto.

Então, diferentes conteúdos e abordagens devem ser adotados para cada estágio.

Como planejar seu e­mail marketing: planejamento, calendários e fluxos de nutrição

E-mail marketing é relacionamento. Você já imaginou começar um relacionamento com uma pessoa já com um pedido de casamento? Impossível…

Segure o ímpeto! Para criar um relacionamento duradouro, fiel, com confiança, é preciso paciência.

Em vez de sair enviando e-mails sem propósito, dedique-se ao planejamento, que serve para definir o objetivo final e o caminho até ele.

Vamos ajudar com um passo a passo para montar a sua estratégia de nutrição de leads, que você pode adaptar para outros tipos de envios (newsletters, promocionais etc.).

Definição da persona

Sem uma persona, você perde toda a orientação de criação de estratégias e conteúdos. Afinal, sem saber para quem você escreve, não tem como estabelecer uma conversa.

A persona é a descrição fictícia de um cliente ideal da sua empresa, baseada em dados reais, coletados com pesquisas e observações.

Descreva seu perfil, seu dia a dia, suas dores, seus desafios, e como a sua empresa poderá ajudá-la.

Você pode também utilizar nossa ferramenta gratuita de geração de personas para ajudá-lo nesse tarefa.

Depois, na criação dos conteúdos, tenha essa pessoa em mente, para que sua mensagem se conecte de fato com ela.

Definição do objetivo

Assim como a persona, sem a definição dos objetivos você também perderá o rumo. Se você não sabe aonde quer chegar, sequer conseguirá sair do lugar para começar a agir.

Então, durante o planejamento, esclareça bem com a sua equipe qual o objetivo, que pode ser vender um produto específico, melhorar o relacionamento, reativar clientes antigos etc.

Planejamento dos conteúdos

Em um fluxo de nutrição, o primeiro passo para definir os conteúdos é identificar qual ação do usuário desencadeará a sequência de e-mails.

Muitas vezes é o download de um e-book básico que insere o usuário em um fluxo de envios para aprofundar o assunto. Outro exemplo é quando uma empresa contrata seu serviço e você envia uma sequência de “boas-vindas”.

A partir da ação inicial, você pode definir quais conteúdos devem ser enviados em cada etapa do funil (iniciante, intermediário e avançado).

Talvez seu blog já tenha publicações sobre o assunto; mapeie esses posts e utilize-os. Se não, analise o que ainda deve ser produzido. Lembre-se de manter uma sequência lógica entre um envio e outro, para que o lead evolua.

Determinação da frequência de envios

Na nutrição de leads, o que determina a frequência de envios é o cruzamento entre o ciclo de vendas (desde quando era visitante até se tornar cliente) e o tempo que uma pessoa precisa para absorver os conteúdos do último e-mail.

A jornada de compra do consumidor varia de acordo com o negócio: a venda de uma plataforma de CRM, por exemplo, demora muito mais do que a de um tênis.

Identificação de métricas e KPIs

Nessa etapa, você perceberá a importância de definir um objetivo lá no início. Com um objetivo claro, fica mais fácil definir suas métricas e indicadores-chave de performance.

Eles servirão para mensurar seu desempenho, mas encare também como um aprendizado para otimizar suas futuras campanhas.

Provavelmente você sempre fique de olho no número de vendas e no ROI. Mas outros KPIs intermediários também são importantes, como o CTR (relação entre taxa de cliques e quantidade de e-mails disparados), a taxa de conversão (quantidade de pessoas que clicaram no CTA e realizaram a ação) e o bounce rate (envios que não chegaram ao usuário).

Os melhores assuntos para e­mail marketing

O assunto do e-mail é determinante para o sucesso da campanha. Afinal, esse é o primeiro contato da pessoa com a sua mensagem. Se interessar, ela abre; se não, vai para o lixo.

No entanto, infelizmente esse importante elemento é muitas vezes deixado por último e não recebe a atenção que merece.

Aliás, não tem problema deixar o título por último – afinal, assim você terá total domínio sobre o que o e-mail contém. Mas lembre-se de dedicar-se a isto tanto quanto se dedicou para o conteúdo interno.

Veja algumas dicas para facilitar esse trabalho:

Seja objetivo e conciso

Com a grande quantidade de mensagens que recebemos, é normal apenas bater o olho no assunto do e-mail e decidir rapidamente se ele será aberto ou não.

É nesse instante de decisão que você deve conquistar a atenção e instigar a abertura. Para isso, escolha uma ideia principal e poucas palavras para transmitir sua mensagem.

Além disso, os provedores têm uma limitação em torno de 55 caracteres; no smartphone, são 47. Então, nem adianta ser muito longo, pois mais que isso nem irá aparecer por completo.

Cumpra o que prometer

De nada adianta fazer o título mais chamativo e criativo, se o corpo do e-mail não cumprir a promessa. Lembre-se que o “mantra” do marketing digital é oferecer uma boa experiência ao usuário.

Então, se a pessoa abre o e-mail, ela espera que sua expectativa seja atendida ou superada. Se não, ela ficará frustrada e sua marca sairá com a imagem arranhada.

Personalize

Uma maneira ótima de despertar atenção é chamar o usuário pelo seu nome. Assim, ele também se sente único, e você cria proximidade no relacionamento.

Você já tem o nome da pessoa, pois provavelmente ela preencheu no formulário de cadastro. Então, é só usar um código no assunto do e-mail que puxe esse dado.

Utilize gatilhos mentais

Muitas decisões, especialmente as repentinas, são tomadas pelo nosso inconsciente. Então, você pode utilizar os gatilhos mentais para pensar em títulos mais persuasivos, que despertem a reação instantânea de abrir o e-mail.

Por exemplo, o senso de urgência é um gatilho. Um assunto como “5 dicas de marketing para você aplicar agora” desperta este senso.

A curiosidade também é forte. “Vamos contar o que você nunca soube sobre marketing” – não dá vontade de clicar? Na mesma hora!

Faça testes A/B

Ok, você já criou várias opções de assuntos, já tem os seus preferidos, mas ainda não tem certeza de qual se sairá melhor? Simples: teste!

Os testes A/B servem para isso. Muitas ferramentas de e-mail marketing já trazem essa funcionalidade.

Você envia o mesmo e-mail para a base, porém cada metade receberá um título diferente. Geralmente se faz o teste com uma porcentagem da lista. O sistema identifica qual teve o melhor desempenho e usa o título vencedor para a lista inteira.

Escolhendo um design e um template

Escolher um template inteligente e criar um layout bonito é uma tarefa importante para o sucesso da sua campanha de e-mail marketing.

Por mais que o conteúdo seja incrível, se o design não for agradável aos olhos, o usuário vai descartar sua mensagem.

Temos 5 dicas valiosas para ajudar você nessa tarefa:

Crie layouts responsivos

Já dissemos que a maioria das pessoas leem seus e-mails em dispositivos móveis.

Então, não complique a vida do usuário com letrinhas pequenas e botões impossíveis de serem clicados. Imagens, textos e botões devem se adaptar ao tamanho da tela, seja ela qual for.

Utilize imagens e textos

Muitas newsletters utilizam apenas uma imagem em todo o corpo do e-mail. Porém, alguns provedores consideram isto como um sinal de spam.

Então, o ideal é mesclar blocos de textos e imagens – o que também torna o e-mail mais leve e agradável visualmente.

Menos é mais!

Por mais clichê que essa expressão seja para o design, sempre vale a pena lembrar. Simplicidade é a chave para focar a atenção do usuário no que você deseja – a leitura, o clique no CTA, o compartilhamento etc.

Se o visual for poluído, o lead vai querer sair correndo do seu e-mail!

Dê destaque para o CTA

O CTA é o ponto de conversão do seu e-mail. Ele indica o objetivo principal do envio e o que você quer que o usuário faça.

Então, ele merece destaque, né? Atente-se para a cor do botão, o contraste com o fundo e a posição no layout, para que atraia o clique.

Faça testes A/B

Os testes A/B também são muito úteis para testar qual design ou template funciona melhor.

Mas em vez de fazer um visual totalmente diferente para cada versão do teste, avalie apenas uma pequena mudança. Por exemplo, se um botão fica melhor no começo ou no final do e-mail. Se você fizer tudo diferente, não saberá identificar o motivo do melhor desempenho.

Escrevendo seu e­mail

O layout é essencial, mas o conteúdo é que vai determinar a qualidade da sua mensagem. Se você não tem nada de interessante a dizer, sua reputação com o usuário vai por água abaixo.

Porém, se você for capaz de criar um texto persuasivo, que se conecte com as necessidades do seu lead, conquistará sua confiança.

Vamos ver 4 dicas de redação para você usar em qualquer e-mail:

Use a linguagem adequada

Conforme a sua persona e a segmentação da lista, você saberá como se comportar.

Por exemplo, não use gírias para grandes executivos, que exigem uma abordagem mais formal. Evite também estrangeirismos para um público com escolaridade baixa.

Crie uma conversa

Lembre-se que o e-mail nutre relacionamentos. Então, nada melhor que uma boa conversa para fortalecer uma relação, né?

Crie proximidade com o seu texto, fale de coisas com as quais a sua persona se identifique, trate o leitor pelo seu nome – como se estivesse em um diálogo frente a frente.

Ofereça valor

Mostre por que o seu conteúdo é valioso para o lead. Por que ele deveria clicar? Por que ele deveria participar do seu evento? Por que ele deveria baixar o e-book?

Se não ficar claro o benefício para o leitor, seu e-mail não alcançará o objetivo.

Menos é mais! (de novo)

Já falamos sobre isso no design, mas vale para o texto também. E não falamos necessariamente da quantidade de palavras.

Estamos no referindo principalmente ao foco do texto. Qual mensagem principal você quer passar? Vá direto ao ponto – atenha-se a isso e evite distrações.

Conclusão

Pronto, falamos tudo sobre e-mail marketing, e com certeza você conseguiu perceber o potencial que este canal ainda tem.

Pegue as nossas dicas e adapte para as suas necessidades – nada aqui é uma regra, pois tudo dependerá do seu contexto.

Se você já quer botar a mão na massa, lembra o que citamos como primeiro passo da sua estratégia de e-mail marketing?

Comece com esse guia prático que preparamos para construir a sua lista de e-mails!

 
Autor(a)

Escrito por: Redator Rock Content Este artigo foi produzido por um dos mais de 5000 redatores da base da Rock Content. Quer conteúdo legal assim no seu blog? Fale com um consultor!



    Deixe um comentário

    Certificações em Marketing Digital - Universidade Rock Content
    Vagas em Marketing e Vendas - Rock Jobs
    Ebook Inbound Marketing - O Guia Definitivo

    A Rock Content é líder em marketing de conteúdo no Brasil. Ajudamos centenas de empresas a atingirem seus objetivos de marketing. Queremos ajudar você também!