white hat

White Hat: o que é e como usar essa estratégia a seu favor?

Quando falamos em marketing digital é inevitável que a sigla SEO entre em pauta.

Isso porque SEO simplesmente é o que difere um cachorro grande de um pequeno, o profissional do amador, ou seja:  é o que torna um site suficientemente grande para atingir um público grande e assíduo – se houver no site um bom conteúdo, obviamente.

Mas o que um leigo deve entender como SEO?

Basicamente, SEO nada mais é que um meio de otimização para sites dentro dos motores de busca, como o Google.

Mais precisamente ele é um conjunto de estratégias e técnicas que fazem com que os buscadores determinem um bom posicionamento de determinada página nos resultados de cada busca feita.

Como em todos os lugares onde existem leis, há, no mínimo, duas forças atuantes: a que age dentro da lei e as que agem fora dela.

No caso do universo SEO não é diferente; nele existem boas e más práticas, das quais popularmente nos referimos como White Hat e Black Hat.

A diferença entre o chapéu branco e o preto está na tolerância que o Google tem sobre suas práticas com base nos seus termos e condições. Se uma prática não é bem vista, naturalmente estará sujeita a punições – muitas vezes severas.

Vale salientar que não é – nem de longe – necessário recorrer ao que é proibido para atingir seus objetivos, afinal o que não faltam são histórias de sucesso alcançadas com honestidade.

E para provar que o seu site pode ser competitivo a ponto de disputar o mesmo espaço que as grandes marcas, apresentaremos neste artigo algumas das mais conhecidas e eficientes técnicas de SEO isentas de quaisquer penalizações.

Como fazer White hat?

Primeiramente é preciso deixar claro consigo mesmo que o foco número um será sempre o seu público.

A meta de gerar tráfego não pode ser colocada à frente disso.

Se o seu site possui um bom conteúdo, as otimizações apenas darão conta de que estará atraindo visitantes e que os mesmos são de qualidade, ou seja, as pessoas que entrarão em sua página serão as que de fato se interessam pelo conteúdo, não estando ali por acidente.

O segundo passo é identificar as carências de seu site.

Ele possui uma URL amigável? As palavras-chave utilizadas são realmente as mais adequadas? Por quantas páginas um usuário precisa passar para chegar até o que lhe interessa?

Esses são alguns exemplos do que pode estar faltando para o engajamento de sua página. Para que isso fique mais claro, listaremos a seguir algumas técnicas de SEO que poderão ajudar a reverter essa situação.

Técnicas White Hat SEO

Neste tópico falaremos sobre algumas das principais técnicas de White Hat SEO.

Hoje essas técnicas de otimização são basicamente obrigatórias para a sobrevivência de um site, e se tem algo que não deve ser poupado é a criatividade, pois é ela que fará com que seu site ou blog se sobressaia diante da forte concorrência que enfrentará.

Então vamos ao que interessa!

Otimização e pesquisa de palavras-chave

“Otimização” é um dos termos mais utilizados em SEO e prova disso está na quantidade de vezes que você já leu essa palavra nesse artigo.

Talvez a busca pelas melhores palavras-chave seja um dos melhores exemplos de como a otimização deve ser aplicada – lembrando que um site otimizado é aquele que se adequa tanto ao usuário quanto aos motores de busca.

Uma boa dica para definir as melhores palavras-chave é utilizar uma ferramenta chamada “Google Keyword Planner”, desenvolvido e disponibilizado pelo Google em sua plataforma Google Adwords.

Com ela é possível pesquisar a relevância de cada palavra nos mecanismos de busca.

Mesmo que os números não sejam precisos, é incontestável a utilidade de uma aplicação que lhe permite saber a frequência com que alguns termos são utilizados quando as pessoas pesquisam.

Você pode entender mais sobre a importância da pesquisa de palavras-chave aqui.

Porém, o mais interessante de tudo é que, muitas vezes, uma palavra pouco utilizada pode ser aquela que pode gerar ótimos resultados.

Supondo que alguém deseje ter acesso a receitas de pratos mexicanos; o planejador de palavras-chave pode indicar que o termo “receitas comida mexicana” seja o mais utilizado, mas esse termo é o que a maioria dos seus concorrentes está utilizando.

Por isso, acrescentar termos como “culinária mexicana”, “receitas picantes” ou “pratos mexicanos” faria toda a diferença, pois tornaria o conteúdo abrangente aos usuários que pesquisam através de termos que fogem do padrão.

Por outro lado, ainda no mesmo exemplo da comida mexicana, imaginemos que você tenha um site que não trabalhe com receitas, mas sim com sugestões de cardápios de origens diversas;

Não seria interessante que alguém que busca somente receitas tivesse acesso, pois no mundo das pesquisas nada é pior que esperar encontrar algo e não se deparar com ele ao clicar numa página – ainda mais se o indivíduo estiver usando conexão 3G com pacote limitado – não é mesmo?

Para evitar que sua página seja motivo de transtorno, é recomendável a utilização de palavras-chave negativas, que nada mais são que a adição de termos a serem desconsiderados pelos mecanismos de busca, evitando, conforme nosso exemplo, que pessoas em busca de receitas mexicanas fiquem zangadas com seu site – se por um lado é difícil crescer mesmo fazendo bons trabalhos, é muito fácil descer ladeira abaixo por conta de um trabalho mal feito.

Title tag

Um dos fatores mais determinantes para os buscadores na hora de posicionar os sites é o título – as palavras do titulo que ficam em negrito tornam isso mais perceptível.

É sempre recomendado colocar o nome de sua página a cada título, como por exemplo, “Cardápios Incríveis – Confira os 5 pratos peruanos mais exóticos”.

Além disso, procure utilizar o título dentro da própria página, assim dando a certeza ao usuário de que ele chegou onde queria.

Deseja saber 6 dicas que o Neil Patel tem para você otimizar seus títulos? Clique e confira!

Link building

Quanto maior o número de links que apontarem para seu site, maior será sua posição no rankeamento, sobretudo quando os links são de qualidade.

Isto é: os links que provém de sites altamente reconhecidos e cujo tema esteja alinhado ao que é abordado em sua página terão um peso muito grande no seu rankeamento, diferente de quando um site que fala sobre cultura nerd aponta um link para seu site sobre análises do campeonato inglês de rugby.

Ou seja, a relevância e credibilidade gerada pelo seu site faz muita diferença para os motores de busca.

Por isso se um link é apontado por sites de relevância ele poderá ganhar boas posições no ranking. 

Por essas e outras que o trabalho de link building pode ser mais árduo do que parece. Mas como tudo depende do conteúdo da página, o aconselhável é agir naturalmente e não se desesperar.

Em outras palavras: busque por oportunidades propícias ao invés de firmar parcerias com dezenas de blogs para apontarem seus links até mesmo quando não há sentido nenhum com seu conteúdo. 

Observação: quanto mais links irrelevantes são apontados em uma página menor é o valor de cada link. Portanto é sempre bom que haja ponderação entre as parcerias que você for fazer para seu link building. 

Meta-description

Nada mais é que uma breve descrição sobre o conteúdo que você irá postar.

A importância pode parecer pequena diante do que já foi apresentado acima, no entanto manter uma meta-description utilizando-se das palavras-chave de relevância para o conteúdo impactará na qualidade do seu site – afinal, você está oferecendo ao usuário um pequeno resumo do que ele encontrará naquele link; consequentemente fazendo com que seu site suba posições no ranking dos motores de busca.

Conclusão

Essas foram somente algumas estratégias básicas de White Hat SEO para que você possa dar seu pontapé inicial nessa tática, lembrando que, acima de tudo, o seu site deve ser útil e bem acessível ao usuário.

Convenhamos que de nada adianta o site estar bem posicionado nos resultados de busca e não satisfazer as vontades do usuário, não é mesmo?

Por isso nunca se esqueça de que o foco não pode ser somente no bom rankeamento, mas sim no conteúdo de qualidade e de valor para quem o acesso. É preciso unir as duas coisas. Só assim sua página terá sucesso.

Atente-se também ao que não pode ser utilizado.

Se existe o termo White Hat é porque existe outro chamado Black Hat, que, no caso, são práticas vistas como “criminosas” entre os mecanismos de busca, por isso não são nada recomendáveis – até porque elas implicam em punições, como queda brusca no rankeamento, dificuldades para posicionar novos conteúdos e até mesmo banimento.

Além disso, práticas Black Hat não farão com que seu tráfego tenha qualidade, pois estará atraindo usuários que não se interessam pelo conteúdo e a primeira coisa que farão ao se deparar com ele é fechar a página ou até mesmo denunciá-lo.

Entenda algumas das diferenças entre White e Black Hat clicando aqui.

No mais, esperamos que o artigo tenha sido útil a ponto de convencê-lo a vestir o chapéu branco e nunca mas tirá-lo da cabeça!

Quer aprender mais sobre SEO? Confira nosso ebook completo sobre o assunto!

ebook de seo

 
Autor(a)

Escrito por: Redator Rock Content Este artigo foi produzido por um dos mais de 5000 redatores da base da Rock Content. Quer conteúdo legal assim no seu blog? Fale com um consultor!



    Deixe um comentário

    Certificações em Marketing Digital - Universidade Rock Content
    Vagas em Marketing e Vendas - Rock Jobs
    Ebook Inbound Marketing - O Guia Definitivo

    A Rock Content é líder em marketing de conteúdo no Brasil. Ajudamos centenas de empresas a atingirem seus objetivos de marketing. Queremos ajudar você também!