Algoritmos das redes sociais

Algoritmo de Redes Sociais: como funcionam Instagram, Facebook, LinkedIn e Twitter e como performar melhor em cada um deles?

Redes Sociais são indispensáveis em uma estratégia de marketing digital e isso você provavelmente já sabe. Mas como performar bem em cada uma delas? Um dos primeiros passos é entender seu funcionamento! Confira agora como funcionam o algoritmo para Instagram, Facebook, LinkedIn e Twitter.

Como performar melhor nas redes sociais e conseguir resultados para minha empresa?

Essa é a pergunta que muitos se fazem, seja no começo de sua estratégia de marketing digital ou quando já tem uma tática bem elaborada.

Um dos principais pontos de análise que qualquer um que deseja obter resultados exponenciais e com custos reduzidos nas principais plataformas da atualidade são os algoritmos.

Isso porque entendendo o algoritmo, é possível entender como funciona cada rede e em que investir.

Baixe o nosso Kit gratuito de Marketing nas Redes Sociais

Aprenda tudo o que você precisa saber para marcar presença no Facebook, Instagram, LinkedIn, Twitter e YouTube!


Pensando nisso, elaboramos esse guia sobre algoritmos das principais redes sociais atualmente: Instagram, Facebook, LinkedIn e Twitter.

Acompanhe agora mesmo:

Algoritmo do Instagram

O Instagram começou como uma rede sem algoritmo — o feed era organizado de forma cronológica, de forma que as postagens mais recentes apareciam primeiro e bastava deslizar para ver as mais antigas.

Em 2016 isso mudou e, embora não se saiba exatamente como o algoritmo funciona, existem 3 fatores chave que afetam como as postagens aparecem:

  1. Temporalidade: embora os posts não sejam mais cronológicos, o Instagram ainda leva em consideração o quão recente uma imagem é;
  2. Engajamento: o engajamento total de um post, que é medido por meio dos comentários e curtidas, especialmente em seus momentos iniciais, faz com que um post seja priorizado ou não;
  3. Relacionamento: a rede prioriza os posts das contas com as quais o usuário mais engaja, seja por meio de comentários, curtidas, mensagens diretas ou buscas.

Algoritmo do Instagram

Basicamente, o Instagram tenta entender os interesses do usuário e o potencial de engajamento de cada postagem para mostrar conteúdo relevante em primeiro lugar e conseguir maiores índices de engajamento na rede.

Isso parece estar dando certo: atualmente o Instagram é a rede social com maior engajamento dos usuários.

E é claro que esse fator vem atraindo forte investimento em anúncios, já que as marcas procuram cada vez mais obter resultados por meio dessas plataformas.

Essa lógica também vale para o Instagram Stories, o queridinho do momento entre os usuários: mesmo seguindo uma ordem temporal, na qual as histórias mais recentes tendem a aparecer primeiro, o algoritmo privilegia as histórias das contas com as quais o usuário mais engaja.

Assim, o engajamento no Stories e nos posts do feed, juntamente com o comportamento de busca do usuário, as pessoas com as quais conversa e as contas que ele segue, afetam a ordem das postagens.

Como performar bem no Instagram?

Podemos perceber que o Instagram é uma rede que privilegia muito a proximidade entre os usuários, tanto com outros usuários quanto com contas de empresas.

Por isso, o grande segredo nessa rede é promover essa proximidade. Como fazer isso? Destrinchamos algumas dicas para você:

  • Descubra o melhor horário de postagem: faça testes e entenda em que momento seus posts recebem mais engajamento. Você pode começar esses testes seguindo as recomendações deste post, mas veja o que funciona melhor para a realidade da sua marca.
  • Crie um bom conteúdo visual: o Instagram é uma rede visual, na qual as imagens e vídeos dominam claramente sobre os elementos textuais. Assim, investir em uma produção de qualidade e em uma identidade de marca é fundamental. Sair da obviedade das fotos e investir em vídeos também pode ser um diferencial, já que esse é um formato cada vez mais valorizado.
  • Crie chamadas para a ação: convide as pessoas a comentar em seus posts, marcar amigos, enviar mensagens diretas ou clicar no link da bio. Isso aumenta o engajamento, o que é um bom sinal para o algoritmo.
  • Use hashtags: usar hashtags estratégicas (você pode aprender como fazer isso neste post sobre o assunto) aumenta o alcance das postagens, facilita que usuários de encontrem e, se a sua postagem tiver altos índices de engajamento, ainda pode aparecer em destaque na categoria da hashtag.
  • Responda os comentários e menções: se uma pessoa menciona sua marca (seja em uma postagem do feed ou do Stories) ou faz um comentário em sua postagem, não deixe de responder e engajar. Isso porque o Instagram também analisa o seu engajamento para avaliar a relevância da sua conta e de suas postagens.
  • Invista no Stories: o formato dos Stories, inaugurado pelo Snapchat, é sem dúvidas um dos mais promissores para o futuro das redes sociais. Cada vez mais as pessoas consomem esse tipo de conteúdo, portanto é essencial que as marcas invistam nisso. Além de ser um bom sinal para o algoritmo que você está constantemente produzindo conteúdo, estar sempre no Stories deixa a marca da sua empresa gravada na mente das pessoas.

Quer descobrir mais dicas? Separei quatro conteúdos que vão ajudá-lo a ter uma perfomance incrível no Instagram:

APRENDA AINDA MAIS SOBRE O INSTAGRAM
Leia este post completo sobre o algoritmo do Instagram com tudo sobre o assunto!
Aprenda a fazer Marketing no Instagram e obtenha resultados exponenciais
Confira este ebook e aprenda a obter resultados orgânicos no Instagram (sem anúncios!)
Você já tem uma estratégia consistente no Instagram Stories? Descubra agora mesmo como usar esse recurso para alavancar seus resultados!

Algoritmo do Facebook

O Facebook inaugurou o algoritmo nas redes sociais, já que foi a primeira rede a pensar em algo para categorizar os posts. Isso porque o grande volume de postagens era demais para os usuários e fazia com que os posts se perdessem rapidamente pelo feed.

Pensando nos padrões de comportamento do usuário, nas páginas mais relevantes e no engajamento, o Facebook começou a desenvolver algoritmos com o propósito — pelo menos em teoria — de deixar o conteúdo mais relevante para cada indivíduo.

Até hoje ninguém desvendou o algoritmo da rede — o que seria bastante pretensioso, já que ele leva em conta centenas de milhares de fatores. Mas alguns pontos cruciais em que o algoritmo do Facebook se baseia são:

  • a gama de postagens disponíveis para serem mostradas;
  • quem postou o conteúdo e o nível de relacionamento do usuário com aquela pessoa (ou marca);
  • o engajamento da rede de amigos do usuário com aquela postagem;
  • o potencial de engajamento daquela postagem para o usuário, o que leva em conta o engajamento e comportamento prévio dele. Assim, por exemplo, se o algoritmo entendeu que você prefere assistir vídeos do que ler textos, cada vez mais vídeos aparecerão em seu feed. Isso acontece também com a temática e diversos outros elementos.

Além disso, o Facebook criou uma espécie de sistema de pontuação de relevância da postagem, que é baseado em diversos fatores, que são:

  • nível de informação da postagem: notícias e pautas quentes recebem prioridade;
  • autenticidade da postagem: postagens nativas são consideradas mais relevantes;
  • potencial de receber cliques: postagens com conteúdo visual (imagens e vídeos) têm preferência;
  • potencial de engajamento: quanto mais reações, comentários e compartilhamentos, mais aquela postagem é mostrada, pois há mais chances do usuário engajar;
  • por quanto tempo o usuário vai se relacionar com aquela postagem: um dos comportamentos mais comuns atualmente é deslizar o feed incansavelmente. Assim, quando você interrompe esse comportamento para consumir realmente uma postagem, o Facebook entende que ela é mais relevante.

Algoritmo do Facebook

No entanto, desde sua criação, o algoritmo da rede já sofreu várias alterações, passando por diversas alterações.

No início deste ano, Mark Zuckerberg, fundador da rede, anunciou que o Facebook passará a priorizar cada vez mais as postagens feitas por amigos e familiares e em grupos que o usuário participa.

Logo, esse é um novo fator que influencia na ordem em que o post aparecerá.

Atualmente, podemos perceber que o feed do Facebook é, em sua maioria, dominado por postagens de grupos, de pessoas com as quais interagimos e das páginas que estamos mais engajados.

Todos esse fatores, é claro, têm várias implicações para as marcas que fazem marketing no Facebook. Por isso, vamos ao que interessa:

Como performar bem no Facebook?

Embora nem sempre as pessoas percebam as mudanças no algoritmo da rede de forma clara, as marcas entendem muito bem como cada pequena alteração impacta fortemente o alcance.

Com a nova proposta do Facebook de aproximar as pessoas, isso ficou ainda mais evidente. Agora o feed é praticamente dominado por postagens de amigos, familiares e grupos. Assim, o potencial de resultados orgânicos da marca reduziu drasticamente.

Isso, é claro, não é livre de intenções. O Facebook (e sua rede de aplicativos) é a principal plataforma de anúncios de redes sociais da atualidade. Investir em Facebook Ads hoje é inevitável para marcas que queiram ampliar o alcance, impactar mais pessoas e, claro, gerar negócios.

Essa é a primeira dica para quem quer performar bem no Facebook e recomendo fortemente que você aplique-a, pois isso realmente tem o potencial de alavancar os resultados. Aprenda tudo sobre Facebook Ads:

facebook ads

Além disso, algumas dicas para aplicar em sua estratégia na rede são na rede são:

  • convide as pessoas que te seguem a marcar sua página como “ver primeiro”, assim suas postagens sempre aparecerão para elas;
  • incentive o usuário a marcar outras pessoas nos comentários das postagens, ampliando o alcance e fazendo com que mais pessoas engajem;
  • considere criar um bot para Messenger, oferecendo maiores pontos de interação e conversão para o usuário. (Você pode aprender tudo sobre chatbots neste ebook completo.)

Entenda mais a fundo o algoritmo do Facebook e entenda como performar bem nesta rede social com esses materiais:

DOMINE SUA ESTRATÉGIA NO FACEBOOK
Marketing no Facebook: um guia completo para ter sucesso na rede
Entenda como funciona o algoritmo neste post completo
Confira aqui 5 hacks para desvendar o algoritmo da rede

Algoritmo do LinkedIn

O LinkedIn é a maior rede social profissional do mundo e traz oportunidades incríveis para as pessoas se posicionarem como autoridade no mercado. É também um espaço promissor para as marcas manterem uma postura mais voltada para negócios.

Mas vamos ao que interessa: como o algoritmo do LinkedIn funciona? Bom, você já deve estar acostumado a ver as “postagens clássicas do LinkedIn” se usa a rede sempre, mas vamos entender como isso acontece?

Uma postagem no LinkedIn passa por quatro estágios do algoritmo que definem sua relevância:

  1. Avaliação do conteúdo: quando um conteúdo é postado no LinkedIn, o algoritmo aplica um filtro para categorizá-lo entre três categorias: spam, baixa qualidade ou bom. Não preciso nem dizer que postagens da categoria “bom” são privilegiadas, certo?
  2. Testes para mensurar engajamento: o conteúdo postado (que estejam na categoria “bom” ou, no mínimo, “baixa qualidade”) são mostrados no feed e o algoritmo analisa o engajamento inicial da postagem. Postagens com bons índices de engajamento são consideradas positivas para o algoritmo.
  3. Checagem de postagens virais: ok, vamos supor que sua postagem passou pelos dois estágios anteriores e conseguiu muitos likes e comentários. Nesse estágio, ela passará por uma checagem de autenticidade para conferir se sua conta (ou as contas que engajaram) não são falsas e estão criando um engajamento ilusório. O algoritmo faz isso por meio da checagem do seu perfil, conexões e informações disponibilizadas.
  4. Revisão “manual” do conteúdo: essa é a fase que mais se destaca no algoritmo do Linkedin  — a rede tem funcionários para analisar individualmente as postagens que já passaram pelos estágios anteriores e conseguiram sucesso. Isso é parte dos esforços da rede para conseguir entender o que sua audiência realmente gosta e também oferecer esse conteúdo de forma destacada. Nesse estágio, os conteúdos bem avaliados têm seu “tempo de vida” estendido, recebendo maior prioridade mesmo com o passar dos dias.

Algoritmo do Instagram

Além desse processo, o LinkedIn leva em conta alguns fatores de engajamento e uso para organizar o feed. Os principais são:

  • o nível do perfil: perfis mais completos têm mais chances de ter o conteúdo bem avaliado;
  • atividade do usuário na rede: postagens de usuários mais engajados e que oferecem conteúdo com frequência têm mais chance de performar bem;
  • conexões: atividades de suas conexões são priorizadas no feed, tanto na forma de postagens quanto de comentários;
  • área de atuação e local de trabalho: o algoritmo leva em conta a área e empresa de quem fez a postagem para mostrar conteúdos relevantes para sua atuação profissional.

Como performar bem no LinkedIn?

Conseguir engajar no LinkedIn é fundamental. Para pessoas, significa a oportunidade de crescer profissionalmente e alavancar sua carreira. Para empresas, é essencial para se posicionar como autoridade de mercado, criar uma audiência altamente segmentada no âmbito profissional e conseguir oportunidades de negócio B2B.

Confira algumas dicas para que sua marca se destaque na rede:

  • crie conteúdo nativo: se você acessar o LinkedIn agora, vai perceber que a maioria das postagens são textos, vídeos e imagens postadas diretamente na plataforma. Isso não significa que você não possa repostar conteúdos do seu blog ou site, e sim que você deve considerar usar conteúdos nativos para aparecer no feed e engajar sua audiência.
  • assuma uma linguagem profissional: você não precisa abrir mão de ser leve e se comunicar de forma natural com sua audiência para assumir uma linguagem profissional, que faz toda a diferença no LinkedIn. Prestar atenção em como sua marca se comunica é essencial em todas as redes sociais, mas no LinkedIn essa postura voltada para temáticas de mercado exige um posicionamento mais sóbrio. Além disso, a rede parece priorizar um tipo de linguagem e estrutura específicas, o que nos leva ao próximo tópico:
  • preze pela escaneabilidade: já reparou que alguns textos do LinkedIn parecem até um poema? Parágrafos curtos, frases impactantes. Essa fórmula funciona bem na rede para engajar o usuário, mas não exagere! Prezar pela escaneabilidade é fundamental, mas o exagero deixará seus posts pedantes — o que é inglês é chamado de “broem”, ou seja, uma embromação.
  • posicione-se como autoridade: faça vídeos explicando um assunto relevante, poste cases de sucesso e entrevistas. O LinkedIn é o espaço para mostrar provas sociais de que sua empresa tem soluções relevantes para o mercado;
  • poste conteúdo inspirador: conteúdos que incentivam, inspiram e motivam são um tipo de postagem que engaja muito no LinkedIn. Portanto, considere elaborar postagens com essa temática, sempre prezando pelo bom senso e sem exageros.
  • torne-se um influenciador na rede: criar uma audiência no LinkedIn é o segredo de vários influenciadores. A rede, inclusive, seleciona influenciadores que tornam-se “Top Voices” do LinkedIn, o que engaja ainda mais os usuários.
  • considere usar o Pulse: o Pulse é a plataforma de publicação de conteúdo do LinkedIn e elaborar uma estratégia de produção e repostagem de conteúdos mostra engajamento por parte da marca com a rede e aumenta a audiência.

Se você quer entender mais sobre como fazer Marketing no LinkedIn, confira este ebook completo com tudo sobre o assunto.

Marketing no Linkedin

Algoritmo do Twitter

Embora o Twitter performe testes constantes em seu algoritmo, ele tem uma particularidade em relação às outras redes já citadas aqui: o feed do Twitter não é totalmente coordenado pelo algoritmo.

Isso faz total sentido, tendo em vista que a rede não pode perder seu caráter cronológico, tendo em vista que ela está ali para que os usuários reportem os últimos acontecimentos.

Apesar disso, o Twitter tem sim um algoritmo que é baseado, principalmente, no comportamento prévio do usuário.

O algoritmo analisa as temáticas, formato de conteúdo e seu relacionamento com a conta que postou o tweet. Além disso, é levado em conta o engajamento daquele tweet em si.

Essa análise é feita para todos os tweets e influencia nas três categorias criadas pela rede e que veremos a seguir:

  • Tweets rankeados: ao abrir o Twitter, o usuário é apresentado à alguns tweets selecionados pela própria rede antes de qualquer outra coisa. Os fatores analisados para rankear esses tweets são, como mencionamos, tanto o comportamento do usuário quanto tweets que tiveram algum destaque e foram engajantes para a rede de seguidores do usuário. Independente do critério, os tweets rankeados são selecionados com base no interesse da rede em gerar mais engajamento.
  • Caso você tenha perdido: essa seção traz tweets mais antigos que, como o nome indica, podem ter sido perdidos pelo usuário em seu momento original de postagem. São tweets considerados relevantes, como notícias e tweets com muito engajamento.
  • Timeline do Twitter: essa seção todos conhecem. É nela que aparecem todos os tweets em ordem cronológica reversa. Mas, além deles, alguns tweets também aparecem nessa parte, como curtidos ou respondidos por amigos, anúncios e contas sugeridas.

Algoritmo do Twitter

Como performar bem no Twitter?

Assim como as outras redes sociais, o principal objetivo do Twitter é gerar engajamento. Portanto, tweets que recebem muitas curtidas, respostas e retweets são privilegiados pelo algoritmo.

Mas como fazer isso? Separamos algumas dicas:

  • Analise seus tweets com maior engajamento e replique: observe quais tipos e formatos de conteúdo tiveram maior alcance e engajamento. Isso é fundamental para entender o que as pessoas querem ver e, assim, produzir mais desse conteúdo e conseguir rankear nos primeiros tweets.
  • Descubra os melhores horários de postagem: assim como no Instagram, o engajamento inicial é um ponto de análise do algoritmo. Além disso, é importante entender o horário em que sua audiência mais engaja. Você pode ler aqui sobre os melhores horários de postagem no Twitter (mas lembre-se de sempre fazer testes e descobrir o que funciona melhor para sua estratégia).
  • Use hashtags: as hashtags e o Twitter têm uma relação íntima, já que foi a rede que popularizou o uso delas. Elas são importantes elementos para a audiência do Twitter encontrar conteúdo e pode ampliar o alcance de sua postagem quando usadas de forma estratégica.
  • Responda as menções: quando alguém mencionar sua marca ou responder seus tweets, engaje com a conta. Isso é um importante sinal para o algoritmo que sua marca está empenhada em engajar também com os usuários.

Você pode conferir mais dicas para fazer posicionar sua marca no Twitter e ter um bom desempenho com nosso ebook Marketing no Twitter!

Marketing no Twitter

Uma lição valiosa para toda marca que deseja investir nas redes sociais é: preze sempre pelo interesse da sua audiência e engaje as pessoas!

Independente da rede social e do algoritmo aplicado, é isso que garante que o usuário terá uma boa experiência com o conteúdo gerado por você, aumentando o reconhecimento de marca e, claro, os resultados de negócio da sua empresa a partir da rede.

Investir nas redes sociais faz toda a diferença no cenário atual de marketing digital, mas existem outras inúmeras estratégias que sua marca pode aplicar. Quer descobrir quais são elas? Confira nosso Guia Completo de Marketing Digital e descubra agora mesmo!

Aprenda tudo sobre Marketing Digital

Este guia completo vai ensinar para você tudo sobre marketing digital e como aplicá-lo.