Autocomplete e pesquisas relacionadas

Autocomplete e pesquisas relacionadas: como usar esses dois recursos para descobrir o que o seu usuário quer

Fazer uma pesquisa consistente de palavras-chave é fundamental para atrair os usuários. Entenda como esses dois recursos do Google podem ajudar!

Quando se trabalha com a otimização para mecanismos de buscas, o planejamento das palavras-chave é um dos fatores mais importantes para o ranqueamento. Até aí tudo bem. Nenhuma novidade, não é mesmo?

Porém, os problemas começam a aparecer em duas situações: ao se deparar com uma grande concorrência por termos específicos ou quando é preciso encontrar referências em larga escala. Haja criatividade!

Existem muitas ferramentas disponíveis para descobrir hacks de palavras-chave, como o próprio Planejador de Palavras-Chave, o SEMrush e o keywordtool.io.

Porém, o que grande parte das pessoas não sabe é que o próprio Google pode ser um poderoso aliado na hora de compreender as dúvidas do usuário.

Neste artigo, você aprenderá a usar o autocomplete e as pesquisas relacionadas para adentrar na mente da sua persona e acabar, de vez por todas, com os seus problemas para achar palavras-chave para seus artigos!

Qual é a importância das palavras-chave em uma estratégia de SEO?

Segundo dados recentes, uma média de 6,5 bihões de buscas são realizadas nos mecanismos diariamente.

É natural que, com o crescimento exponencial do marketing de conteúdo ao redor do globo, as empresas disputem o tráfego gerado por esses motores.

Tão óbvio quanto, é o fato de a grande maioria concentrar seus esforços na maior ferramenta do gênero, o Google, responsável por 77,43% das pesquisas globais. Na sequência estão o Baidu (8,13%), Bing (7,31%) e Yahoo (5,6%).

O maior buscador é, portanto, hegemônico quando se fala em pesquisas na web, mas eis aqui outro dado interessante: 94,95% dos cliques são em resultados orgânicos, o que deixa uma parcela ínfima para os links patrocinados.

Sendo assim, a escolha das palavras-chave corretas pode ser um grande diferencial para trazer visitantes ao seu site.

Mas não basta fazer uma boa seleção. É preciso ranqueá-las. Afinal, as chances de clique na primeira página são muito maiores do que nas subsequentes, assim como também há uma enorme diferença de tráfego gerado entre as posições da primeira página.

Para tal, existem três tipos de termos, sobre os quais falaremos a seguir

Palavras-chave head tail

As palavras-chave assim denominadas são termos mais sucintos, mas com alto volume de buscas. É claro que, assim sendo, a concorrência por elas também é grande.

É o caso de palavras como marketing digital, carro, celular, geladeira, videogame e computador.

Para ter um bom posicionamento em termos como esses, é preciso de uma autoridade de página muito alta, o que pode se tornar um problema para novos empreendedores e até mesmo para domínios altamente relevantes. Essa ação exige um trabalho árduo e algo que a sua companhia pode não ter: tempo.

Isso porque precisam de muitos backlinks de páginas relevantes e outros fatores de SEO on page. Se você está aqui, provavelmente não está interessado nelas, já que o seu objetivo é achar novos termos de pesquisa, e esses são os mais batidos.

Porém, apenas um texto posicionado na primeira página pode trazer muitas visitas para o seu site. Então, a escolha pelas head tail pode ser uma opção válida, dependendo da sua estratégia e do investimento.

Palavras-chave short tail

Esse tipo de palavras-chave é um meio termo nas estratégias de SEO. Possuem uma média de pesquisas significativa, mas não são tão específicas.

Geralmente, quando trabalhadas, estão relacionadas ao posicionamento da marca, pois podem atrair um público que não seja interessante para o seu negócio, mas consolidar a sua empresa em termos de branding. Além disso, são muito utilizadas em e-commerce.

Alguns exemplos interessantes são celular Motorola, carro Wolkswagen e software de gestão. Perceba que elas são mais extensas que uma head tail, mas também são difíceis de posicionar.

Palavras-chave long tail

Eis a galinha dos ovos de ouro para quem quer gerar tráfego para um website. Palavras-chave long tail possuem um volume de buscas baixo, mas também baixa concorrência.

Sendo assim, ao criar artigos de qualidade, é possível posicioná-las em pouco tempo. Além disso, por serem específicas, podem trazer exatamente o perfil de pessoas que você deseja atrair.

Por exemplo, se você tem um site de vendas de periféricos de computadores, um bom exemplo seria “os melhores mouses para jogar online” ou “como escolher um bom headset para conversar no Skype”.

Perceba que são frases maiores, mas que possuem um enorme potencial de atração para leads qualificados, interessados em fazer negócio.

Nesse sentido, tanto o autocomplete quanto as pesquisas relacionadas são armas poderosas para entender o que o usuário busca.

O monitoramento

É claro que não adianta escolher boas palavras-chave e jogá-las em meio aos seus artigos. Eles devem seguir as boas práticas do Google, respeitando a densidade dos termos e utilizando variações semânticas.

Por isso, é preciso analisar os números, compreender quais são as palavras que estão sendo ranqueadas e, claro, trazendo melhores resultados para o seu negócio. A partir disso, é possível compreender o comportamento do usuário e traçar novos objetivos e estratégias.

Como usar o autocomplete para encontrar palavras-chave

Você certamente já fez alguma busca no Google, estou certo?

O autocomplete do Google é nada mais que as sugestões automáticas que completam os termos buscados.

Geralmente, os cookies gravam as suas últimas pesquisas, então é recomendada a utilização de uma aba anônima, que ignora o histórico de navegação.

Que tal fazer um teste agora mesmo? Abra uma janela anônima e faça uma pesquisa por qualquer palavra-chave. Se você pesquisar por “marketing”, por exemplo, a ferramenta recomendará “marketing digital”, “marketing pessoal” e “marketing multinível”.

Isso significa que esses são termos muito buscados, provavelmente short ou head tail.

Agora, que tal pensarmos em um nível mais avançado de pesquisa long tail que, afinal, é o nosso objetivo aqui.

Suponhamos que o seu negócio seja uma agência de marketing digital localizada em Belo Horizonte e você procure por termos específicos. Então, por que não utilizar a plataforma como auxílio? Tente utilizar diferentes termos e inserir cada letra do alfabeto para complemento.

Veja alguns resultados e sugestões:

Termo: Marketing Digital A

Sugestões: Marketing Digital agência, Marketing Digital artigo, Marketing Digital a4d, Marketing Digital Anhanguera

Termo: Marketing Digital B

Sugestões: Marketing Digital BH, Marketing Digital blog, Marketing Digital BH curso, Marketing Digital Brasil

Percebe o leque de possibilidades que o autocomplete abre para encontrar boas referências?

A seguir, você pode utilizar as suas palavras já encontradas para procurar termos ainda mais específicos. Por exemplo:

Termo: Marketing Digital agência

Sugestões: Marketing Digital agência de viagens, Marketing Digital agência de publicidade, Marketing Digital para agência de viagens

Termo: Marketing Digital BH

Sugestões: Marketing Digital curso, mba marketing digital bh, vaga marketing digital bh

Continuemos com o nosso exemplo da agência. A partir dessa breve pesquisa realizada, podemos concluir que:

  • existe uma boa quantidade de pessoas buscando por vagas e especializações na cidade. Alguns deles, provavelmente, se adequam à sua persona, pois são gerentes e analistas de marketing que controlam o setor online de alguma empresa;
  • as agências de viagem parecem ser um nicho bastante interessado no seu negócio.

Portanto, pode ser uma boa ideia criar alguns artigos com os seguintes títulos:

  • Os melhores cursos de Marketing Digital em Belo Horizonte
  • Top 10: sites para encontrar vagas de Marketing Digital em BH
  • Marketing Digital: por que minha agência de viagens deve investir nessa estratégia?

A partir daí, abre-se uma vasta oportunidade para encontrar públicos direcionados e obter novos insights para sua estratégia.
Por exemplo, é possível identificar o interesse pelo setor acadêmico, concorda? Então que tal focar em artigos ainda mais específicos, que envolvem preços, localidades, canais e dicas de estudo?

De modo similar, o setor do turismo parece apresentar grande entusiasmo pelo que é oferecido. Então, voltemos ao início. Que tal jogar esse termo semelhante na busca e observar o poder do autocomplete?

Lembre-se: o autocomplete não apenas revela as melhores palavras-chave, mas traça perfis de comportamento e interesse da sua audiência. Sendo assim, trata-se de uma ferramenta não apenas técnica, mas que pode ser explorada como mecanismo de pesquisa. Legal, né?

Outra boa ideia é adicionar preposições aos termos mais valiosos. Dê uma olhada:

Termo: Marketing Digital para

Sugestões: Marketing Digital para pequenas empresas, Marketing Digital para advogados, Marketing Digital para iniciantes, Marketing Digital para leigos

De novo, que tal utilizarmos a regra do alfabeto?

Termo: Marketing digital para A

Sugestões: Marketing Digital para academias, Marketing Digital para artistas, Marketing Digital para afiliados

Outros exemplos de preposições são “de”, “com”, “em” e “sobre”.

Perguntas também podem ser bem valiosas. Veja o exemplo a seguir:

Termo: Por que o marketing

Sugestões: Por que o marketing efetivo é importante para uma organização, por que o marketing é importante, por que o marketing de relacionamento é tão popular atualmente, por que o marketing pessoal é importante

Experimente variáveis. Por exemplo, perguntas iniciadas em “como”, “quando” e “onde”.

Viu como essa ferramenta pode ser útil?

Como usar as pesquisas relacionadas para compreender as dúvidas dos usuários

A partir de agora, falaremos sobre o outro recurso presente nas páginas do Google: as pesquisas relacionadas.

Diferentemente da busca, que se localiza na página inicial e no topo da página de resultados, as pesquisas relacionadas estão somente nas SERPs. Ou seja, aparecem somente depois de fazer uma busca.

Elas se encontram no final da página, logo depois do último resultado orgânico.

Vamos dar uma olhada no que elas têm a nos dizer em nosso exemplo?

Termo: Marketing Digital

Pesquisas relacionadas: Marketing Digital como fazer, Marketing Digital conceito, Marketing Digital curso, Marketing Digital agência, Marketing Digital o que faz, Marketing Digital faculdade, Marketing Digital blog, Marketing Digital curso grátis

De novo, um passo à frente, podemos pegar alguns itens dessa lista e refazer o processo.

Termo: Marketing Digital como fazer

Pesquisas relacionadas: Marketing Digital exemplos, plano de Marketing Digital exemplo, Marketing Digital o que é, plano de Marketing Digital pronto, Marketing Digital blog, planejamento de Marketing Digital pdf, plano de Marketing Digital passo a passo, Marketing Digital curso grátis

Agora você percebe o quanto isso pode ser útil? São muitas as variações que você pode encontrar para otimizar as páginas do seu negócio.

Assim, é possível saber quais são as maiores dúvidas da sua persona e solucioná-las, como manda o manual do inbound marketing.

Depois de descobrir as palavras-chave relevantes, que tal mesclar as pesquisas relacionadas com o autocomplete para obter ainda mais sugestões?

Pois é. Apesar de existirem diversas ferramentas pagas disponíveis, às vezes há algumas oportunidades gratuitas ao seu alcance e você nem sabia.

Neste artigo, você aprendeu a usar o autocomplete e as pesquisas relacionadas do Google para compreender o seu público e, a partir disso, educá-lo.

Quer saber mais sobre uma das principais ferramentas pagas para SEO? Então clique aqui e entenda tudo sobre o SEMRush!