Benefícios de terceirizar serviços em agências

Os benefícios de terceirizar alguns serviços da sua agência

Uma agência deve sempre se preocupar em oferecer um serviço de qualidade, personalizado e eficiente para seus clientes. Entenda como a terceirização de alguns serviços pode contribuir para isso.

Muitos empreendedores, em algum momento de sua jornada, já se perguntaram se valeria a pena terceirizar parte de sua produção interna, seja de serviços ou fabricação de produtos.

Incrivelmente, até grandes nomes no mercado, como a gigante Apple, terceirizam diferentes partes da produção de seus gadgets, incluindo serviços pós venda.

Mas por que a terceirização é uma prática tão comum para empresas, seja de pequeno, médio ou grande porte?

Antes de tratar dos benefícios da terceirização, primeiro precisamos entender o que é isso.

Terceirizar um produto ou serviço é o mesmo que transferir para uma outra empresa alguma atividade do meio de produção ou execução de serviços, a fim de garantir mais disponibilidade de recursos para o propósito final do negócio.

Ao reduzir custos, as empresas economizam recursos e podem melhor alocá-los, o que resulta em um maior custo-benefício.

O ambiente de empreendedorismo brasileiro

A burocracia de regularização de negócios no Brasil é muito alta. Além disso, o pagamento de impostos e taxas pode não só inviabilizar a contratação de funcionários, como comprometer a execução de tarefas que exigem horas extras de atividades não esperadas.

Consequentemente, as agências acabam se enrolando na quantidade de demanda que tem que cumprir, sem conseguir contratar a equipe necessária para execução dos projetos.

Como resultado, atrasam ao entregar os serviços contratados ou não medem os resultados como deveriam.

Frequentemente, agências perdem clientes por não dar conta do projeto ou por não apresentar resultados!

Quando questionados sobre a metodologia de trabalho, o dono de uma agência pode argumentar que contrata freelancers para absorver a demanda excedente, o que assusta alguns clientes mais rigorosos com prazos e acompanhamentos.

De forma geral, o freelancer trabalha de maneira independente e custa menos para a empresa do que um CLT. Sendo assim, o empresário não tem legislação trabalhista e conta com um paliativo para o serviço extra.

Infelizmente, não resolve o problema interno de organização e execução de projetos.

Essa realidade é muito comum em agências de vários portes que, normalmente, adotam um modelo de precificação baseado em benchmarking e valor flutuante para o  que cliente é capaz de pagar.

A terceirização pode ser uma realidade plausível para corrigir esse ciclo vicioso.

Na prática, as agências terceirizam suas atividades?

A resposta mais rápida para essa pergunta é: ainda não como deveriam.

Uma crença comum entre agências de marketing é que o modelo de negócios deve ser enxuto, com menos clientes e ticket alto, mas na linha “full-service”. Em outras palavras, a agência quer assumir uma posição 360º, fazendo de tudo um pouco para alcançar o sucesso do cliente.

Essa filosofia pode até dar certo se a agência tem uma persona bem definida que quer exclusividade de dedicação. Porém, se estamos falando de personalização, consequentemente também estamos tratando de menos clientes por colaborador!

Não é por acaso que vemos o típico cenário do canivete Suíço: o dono de agência faz-tudo. Ele vende, atende, cobra, produz, executa, planeja e administra. É realmente uma missão impossível.

Terceirizar serviços em agências

Como terceirizar parte das atividades de maneira saudável?

Como solução aos problemas citados acima, donos de pequenas, médias e até grandes agências vem buscando um novo modelo de negócios, através das parcerias estratégicas.

Normalmente, as agências testam esse modelo de parcerias indicando poucos clientes para averiguar se conseguem se adaptar aos novos processos. Em caso de sucesso, transferem as atividades para as empresas terceirizadas.

Uma dúvida comum é se, nesse caso, ocorre demissão de equipe interna da agência.

Na verdade, quando um dono de agência opta por terceirizar, se faz necessário um gerente de projetos e parcerias, além de uma equipe que comande a integração das duas empresas.

Por isso é extremamente importante avaliar os prós e os contras da primarização e terceirização de serviços.

Primarização (produção e execução interna)

Quando se trata de marketing, a contratação de uma equipe ou colaborador internos para a estratégia de cliente e da própria agência é fundamental para aprofundamento em cases de sucesso e conteúdos de fundo de funil.

Por se tratar de uma equipe que se dedica integralmente para poucos projetos, o acompanhamento ocorre de maneira mais próxima, possibilitando uma melhor avaliação do Retorno sobre Investimento (ROI) do projeto e propondo melhorias para a estratégia..

Todavia, contratar colaboradores significa também custos maiores para uma empresa. Devido à folha de pagamento, o salário de um funcionário custa, para o empregador, 67% a mais do que é pago.

Se tratando de um time pequeno, vale lembrar que existem atestados e afastamentos por doenças e outras causas, como licenças, além de férias e pagamento do 13º salário.

Apesar de criar um time de especialistas, a abrangência de áreas fica limitada à capacidade da equipe.

Isso não traz escalabilidade de negócios ou diversidade de segmentos de mercado. Entretanto, se estamos falando de uma agência do tipo House ou Boutique, pode ser uma estratégia condizente com o modelo de negócios adotado.

Terceirização: duas cabeças pensam melhor que uma

Antes de pensar em terceirizar, o dono de uma agência precisa estudar o mercado e entender quem ele quer como parceiro, agregando valor à sua empresa.

É muito importante buscar as referências no mercado para determinado produto ou serviço para garantir que o cliente vai estar nas mãos de uma equipe profissional e especializada.

Existem várias opções de prestadores de serviços nacionais e internacionais que desenvolveram programas de parcerias dedicados para agências de marketing, seja digital ou offline.

Entender as diferenças entre os programas de parceria pode significar mais benefícios monetizáveis para o cliente e para a agência.

Encontrar uma empresa para delegar parte das atividades da agência pode trazer uma série de benefícios para o negócio e os clientes. Além de abrir novas oportunidades de co-marketing, contar com um parceiro de autoridade no mercado pode alavancar as vendas da agência, seja por indicações ou por programas de visibilidade.

Apesar de parecer o mais atraente, muitas vezes o comissionamento pode não ser o fator de principal interesse da parceria.

Buscar certificações e treinamentos com a equipe da empresa terceirizada contribui para uma equipe mais especializada e alinhada com as novidades do mercado.

A parceira pode também possibilitar o atendimento a um mercado mais diversificado tanto em porte de empresas quanto em segmentos de atuação. A carteira de clientes pode se expandir junto com o portfólio de serviços.

O que buscar em um parceiro

Já pensou se você vai fazer academia e escalam um personal trainer fora de forma para fazer a sua ficha de malhação? Você se sentiria seguro quanto aos resultados?

A mesma coisa deve valer com a escolha do parceiro estratégico. O seu cliente quer estar nas mãos da referência do mercado. Nada mais natural do que ser criterioso ao escolher quem vai atender e acompanhar sua carteira de clientes.

O ponto principal que deve ser observado é se o seu parceiro já testou, executou e teve sucesso com o serviço ou produto que comercializa. Afinal, somente fazendo para si mesmo é que se aprende o melhor caminho para chegar ao resultado esperado.

Outro fator fundamental que necessita cuidado é quanto ao prazo estipulado para entrega do contratado. Verificar se o parceiro é atento às entregas dentro do prazo pode significar uma maior retenção e fidelização de clientes.

Não fique para trás!

Por mais que a maioria das agências escolham o modelo full service, temos alguns negócios empreendendo no sentido oposto.

Percebendo a dificuldade de absorver toda gama de atividades do marketing para equipes internas, alguns donos de agência optam por cuidar da inteligência da estratégia e consultoria, delegando os afazeres para os parceiros dedicados e escolhidos a dedo.

Dessa maneira, a experiência de mercado e diferencial criativo tornam-se exclusivos da agência, personalizando toda execução das atividades rotineiras e práticas, como impulsionamento de campanhas patrocinadas, gestão de redes sociais, disparo de email marketing e redação de conteúdo.

Um time interno é estruturado para coletar as informações de cada atividade executada por terceiros e elaborar um relatório de apresentação e mensuração de resultados para o cliente final.

O trabalho mais enxuto é essencial para otimizar a mão-de-obra e tempo por projeto, garantindo qualidade e entrega conforme aos prazos.

O que pode (e deve) ser terceirizado

A primeira coisa que vem à mente quando pensamos em terceirização são plataformas e softwares que precisam ser contratados de outras empresas.

É inviável investir em desenvolvimento de tecnologia para automatizar processos. Afinal, você terá em mãos uma ferramenta pouco especializada e com pouca inovação depois de um curto período de tempo.

Se uma agência de marketing digital quer oferecer inbound, a primeira coisa a se fazer é analisar quais tecnologias serão necessárias.

Aí entram plataformas de disparo de email marketing, automação e gerenciamento de campanhas patrocinadas. O desenvolvimento das estratégias dentro de cada ferramenta deve ser feito pela própria agência.

Serviços pontuais como desenvolvimento de sites, logomarcas e imagens avulsas podem ser terceirizados.

Atualmente, no ambiente das startups, já existem inúmeros empreendimentos tipo marketplaces e plataformas para contratação de freelancers dedicados por projeto.

Além de ter maior variedade de mão-de-obra, a competitividade dá espaço à maior variedade de opções de serviços, designs e funcionalidades.

Lembrando das parcerias estratégicas, as empresas SaaS (Software as a Service) que desenvolvem as plataformas e marketplaces, muitas vezes também desenvolvem o programa de parcerias realmente vantajoso para agências de marketing digital.

Busque o melhor programa de parcerias antes de fechar negócio!

O que não deve ser terceirizado

É importante contar com um time próprio comercial para trabalhar as oportunidades de novos negócios com a expertise da própria agência.

A equipe de atendimento ao sucesso do cliente também deve ser elaborada internamente, garantindo centralização e controle dos resultados de cada projeto.

Além disso, o “cérebro” por trás das estratégias deve ser primário e único da agência, garantindo o seu diferencial e competitividade criativa.

Quando falamos do marketing da própria agência — o que ainda é negligenciado por muitas delas! —, o modelo híbrido ainda é o mais vantajoso.

Produzir conteúdos relevantes para a persona, em estratégia de topo e meio de funil, pode ser terceirizado para garantir que o “trabalho braçal” seja executado com volume e frequência.

Porém qualquer estratégia de marketing precisa também dos conteúdos de fundo de funil, para ajudar o prospecto a decidir de qual fornecedor vai adquirir a solução para seu problema.

Esse conteúdo precisa ser desenvolvido pela própria agência, que não só é a mais experiente para tratar de seus cases de sucesso, como tem uma visão macro dos projetos executados dentro de sua expertise.

Comece hoje mesmo a fazer o planejamento estratégico de sua agência de marketing para sair à frente da concorrência. Uma boa organização e estrutura interna pode garantir escalabilidade de negócio e otimização de processos.

O dono da agência não precisa mais ser o multifuncional canivete Suíço. Agora, ele pode se tornar especialista na sua área de interesse e ter mais diferencial competitivo!