Descubra o que é clickbait

Descubra o que é clickbait e por que você não deve usá-lo na sua estratégia

O clickbait é uma tática utilizada para gerar tráfego online por meio de títulos exagerados e promessas impossíveis. Por isso, confira neste conteúdo como você pode fugir dessa prática e criar conteúdos realmente valiosos para sua persona.

Imagine-se na seguinte situação: você está navegando pela internet quando, de repente, se depara com o Social Post de um conteúdo nas redes sociais. O título promete responder, de uma vez por todas, aquela dúvida cruel sobre um assunto que te interessa muito.

Você para tudo o que está fazendo, afinal, como ignorar um conteúdo desses, não é mesmo? Em menos de cinco minutos depois de abrir o link, frustração: o artigo não respondeu a pergunta e desviou da “promessa” proposta no título.

A sensação de ter sido fisgado por uma isca tentadora tem nome e é chamada de clickbait. Se você quer saber mais sobre a técnica e descobrir se ela é indicada em estratégias digitais, este texto é para você (de verdade, sem falsas promessas)!

Clickbait: o que é isso?

Clickbaits são definidos como conteúdos aparentemente tentadores, que prometem responder dúvidas e/ou abordar certos temas, mas que na realidade não “cumpriram com o combinado” e não respondem nada – ou pouquíssimo – do proposto inicialmente.

Geralmente, a tal promessa se encontra nos elementos que serão vistos primeiro em um conteúdo. No caso de vídeos no YouTube, por exemplo, o clickbait se localiza no título e na imagem de destaque do vídeo, podendo ser encontrado também na breve descrição do conteúdo.

Em blog posts, os clickbaits geralmente estão incluídos no título, nas chamadas de social posts e na linha de destaque do conteúdo, quando for o caso, que fica logo abaixo do título.

Para compreender ainda melhor do que se trata a tal estratégia, podemos simplesmente traduzir a expressão que vem do inglês e, para nós, significa “isca de cliques”.

Os clickbaits funcionam exatamente como essa isca: ao prometer responder dúvidas ou contar praticamente uma espécie de “segredo” para os leitores, muitas pessoas não pensarão duas vezes antes de clicar no conteúdo.

Não podemos julgá-las, afinal, um título atraente faz com que muita gente pare o que está fazendo por alguns minutos para descobrir o que está por trás dele. O problema não está na estratégia de criar títulos tentadores, mas sim em mentir para o leitor.

Sim, clickbaits são conteúdos mentirosos!

Exemplos de clickbaits para não ser fisgado

Agora que você já sabe o que são os clickbaits, é hora de compreender na prática como eles funcionam. Por isso, propomos dois exemplos de diferentes tipos de “fisgadas” para que, além de não cair, você entenda por que eles não são legais.

Antes de falar detalhadamente sobre eles, é importante entender algumas técnicas frequentemente usadas por produtores desse tipo de conteúdo:

  • uso frequente e constante de pontos de exclamação;
  • expressões como “você não vai acreditar”;
  • criação de um senso de urgência no título, como se você não pudesse passar mais nem um segundo sem descobrir do que se trata;
  • uso de imagens que despertam a curiosidade, mas que não dizem muita coisa.
  •  
    Ebook Copywriting

“Vamos te ensinar, de uma vez por todas, a misturar água e óleo!”

Você sabe que água e óleo não se misturam, mas com um título que promete te ensinar a fazer isso, a curiosidade provavelmente demoraria a largar do seu pé.

Clickbaits que prometem ensinar coisas que não podem ser feitas na prática são muito comuns e geralmente ganham muitos cliques pelo paradoxo entre saber que não dá para fazer o proposto, mas ter muita curiosidade sobre a possibilidade de conseguir.

Não precisa ser algo tão absurdo quanto misturar água e óleo: muitos conteúdos prometem ensinar a ganhar uma quantidade X de leads de maneira simples e extremamente rápida em uma estratégia digital.

Contudo, quem conhece um pouco mais sobre o assunto sabe que isso não é possível – o processo é complexo e demanda dedicação – mas “vai que cola”, não é mesmo?

“Tênis com 85% de desconto até amanhã!”

Caramba, que baita desconto! Ainda mais se for de uma loja que você tem vontade de comprar, ou, mesmo que ainda não conheça, tenha chamado a atenção pelo social post + uma foto linda daquele tênis que está super na moda.

Ao clicar no site, porém, você descobre que o tênis realmente terá 85% de desconto, mas apenas caso você compre outros três produtos da loja que atinjam um valor de R$360,00. Isso tudo à vista.

O clickbait em questão não é uma mentira, afinal é possível que o tênis fique mais barato, porém com um montão de condições chatas por trás.

A estratégia usada pela loja foi de fisgar os leitores ao destacar a informação mais tentadora sobre a venda, porém, “maquiando” e escondendo o restante das condições, que não são nada agradáveis.

Ou seja, trabalhamos com modelos diferentes de clickbaits, onde um é mentira e outro não necessariamente, porém, ambos causam algum tipo de frustração nas pessoas que clicaram no conteúdo com a esperança de terem suas dúvidas e desejos respondidos.

Por que a estratégia não deve ser usada?

Depois de visualizar na prática como os clickbaits funcionam, acho que ficou mais do que claro o fato de que não é legal usá-los em uma estratégia digital, não é mesmo?

Por isso, vamos mostrar os principais motivos que sustentam a ideia de que técnicas para atrair cliques não são legais.

Você estará entregando um conteúdo mentiroso

Construir qualquer estratégia (ou qualquer coisa na vida, para ser mais exata) com base em mentiras não é legal.

O primeiro motivo pelo qual você deve se manter longe da prática envolve a ética e a moral das pessoas, então, cabe a cada um pensar consigo mesmo se gostariam de serem “enganados” por uma marca.

Em uma era onde as pessoas vêm buscando por conteúdos e figuras online cada vez mais genuínas e verdadeiras, não nade contra a maré.

Cliques podem parecer legais, mas no final não valem tanto assim

Em um primeiro momento, seu blog terá uma explosão de acessos muito grande e animadora. Imagine só atingir números que cheguem em milhares – ou até mesmo milhões – de cliques?

Um conteúdo popular, porém, não necessariamente trará resultados reais para o seu negócio, seja ele qual for. Para sermos sinceros, a longo prazo ele dificilmente agregará qualquer ganho positivo.

Isso acontece porque uma estratégia baseada em clickbaits lida com as pessoas apenas enquanto “números”.

Em uma estratégia digital, no entanto, é preciso qualificar os leitores que acessam qualquer tipo de conteúdo dentro da estratégia digital, ou seja, não adianta nada ter 100 mil acessos na página caso esses acessos não se transformem em alguma ação – seja de conversão ou alguma outra métrica de engajamento online.

Você perderá possíveis clientes

Uma estratégia digital, seja ela qual for, se torna ainda melhor quando levamos em conta as boas práticas de Customer Success. O que muitas pessoas podem esquecer, no entanto, é que precisamos ter o sucesso do cliente como prioridade antes mesmo dele de fato tomar alguma ação e se tornar cliente.

Lembre-se daquele exemplo proposto no início deste artigo. Se você ficaria chateado em cair em um clickbait, imagine milhares de pessoas sentindo a mesma coisa – e associando o sentimento à sua marca?

É sempre muito importante pensar que, dentre aqueles milhares de cliques, vários deles vieram de pessoas que poderiam se engajar na sua estratégia, porém, após serem fisgadas, se transformarão em detratores da página.

E em uma época onde o online tem poder de alavancar ou acabar com qualquer carreira, por meio de ferramentas como o Reclame Aqui, é importante pensar na forma que você deseja que sua marca seja vista nas redes como um todo.

Curso Customer Success

Esqueça o clickbait. A moda agora é emotion-bait

Parar com estratégias sensacionalistas em busca de atrair leitores não significa que você não poderá criar títulos criativos e tentadores, afinal, caso contrário, quem acessaria o conteúdo?

Todavia, é possível encontrar formas justas de captar leitores e conquistar cliques, o que é super justo e não tem problema algum! O conceito da vez se chama de “emotion-bait”, algo como “isca emocional” em português, e vamos te ensinar a aplicá-lo para ter sucesso sem precisar distorcer informações!

O princípio do emotion-bait é basicamente conquistar o leitor a partir de aspectos emocionais de cada um, ou seja, levar o usuário a clicar no conteúdo porque o título – ou qualquer outro destaque que contenha o recurso – o tocou de alguma forma.

Isso não significa uma apelação para o lado emocional de forma melancólica e/ou dramática, mas sim a compreensão do valor real do seu conteúdo e, a partir desse valor, fazer uma descoberta sobre os principais aspectos capazes de despertarem uma curiosidade e interesse genuínos.

Depois de descobrir o que o seu conteúdo tem de mais interessante, pense que você está vendendo aquele material e precisa defini-lo da forma mais tentadora e que desperte curiosidade possível. Se você consegue responder o que foi proposto no título sem distorções, não tem problema fazer um mistério!

Após compreender que, definitivamente, os clickbaits não devem ser usados em estratégias digitais, é interessante repensar forma em que estamos vendendo conteúdo nas redes sociais.

Mais do que tentador, é importante desenvolver conteúdos genuínos e com propósito! Dessa forma, os resultados virão de maneira natural.

Se você gostou de aprender sobre os clickbaits e quer desenvolver ainda mais a sua presença digital, aprenda (de verdade, sem iscas!) a desenvolver uma estratégia de Marketing de Conteúdo!

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo