Como absorver o conteúdo de uma vídeo aula

Como absorver o conteúdo de uma vídeo aula de forma eficiente

Vídeo aulas são muito comuns atualmente e são ótimas formas de aprender novos conteúdos. Mas você sabe como absorver todo o conteúdo?

No nosso dia a dia, o número de distrações é extremamente alto e nos acompanha em qualquer lugar. Basta uma rápida verificada no seu smartphone ou qualquer outro dispositivo móvel para o foco seja desviado por muitos minutos e até horas.

Com os estudos, não é diferente. Se você já estudou durante um dia inteiro por meio de uma plataforma online e ficou desanimado para retomar àquela vídeo aula que parou na metade porque teve a sensação de que não absorveu nada, saiba que você não está sozinho!

Ainda que aprender seja uma atividade muito prazerosa, muitas vezes não conseguimos criar uma dinâmica favorável para que prevaleça os nossos aprendizados.

Por isso, vamos mostrar algumas dicas para você manter o ritmo de estudos e tirar máximo aproveitamento do aprendizado virtual.

Como escolher o curso ideal

Nada é mais importante que realizar a escolha do material que deseja consumir. Com o avanço tecnológico, criar cursos online se tornou muito mais simples. Consequentemente, a variedade e quantidade de cursos aumentou significativamente.

Hoje em dia, vários cursos são oferecidos exclusivamente online, sem a possibilidade da realização presencial. É possível encontrar cursos sobre quase qualquer tema que seja de seu interesse. Não  importa se o seu desejo é aprender a cozinhar pratos sem glúten ou conhecer mais sobre a língua e a cultura inglesa, você encontrará um curso adequado.

Cursos no formato EAD apresentam diversas vantagens quando comparados aos cursos presenciais, começando pelo preço. Independente de ser uma graduação completa ou um curso livre, cursos digitais quase sempre são mais baratos que cursos presenciais.

Muitos cursos online, inclusive, são gratuitos, como os cursos de Marketing de Conteúdo e de Produção de Conteúdo para a Web, da própria Rock Content.

Mas se o preço é menor, a qualidade é a mesma? A qualidade dos cursos online pode ser equivalente ou superior aos cursos presenciais. Como os custos para produção são menores e é possível ter uma grande quantidade de alunos ao mesmo tempo, o preço do curso pode ser menor para cada aluno.

Cursos de maior qualidade tendem a ter um um preço maior, mas isso não é regra. Ainda assim, procurar cursos bem avaliados pelo mercado antes de realizar o pagamento é uma boa ideia.

Para quem deseja fazer mais de um curso, hubs de cursos online que oferecem muitas opções por um preço mensal pode ser uma boa ideia. A Universidade Rock Content oferece planos nesse formato para alunos interessados em marketing digital. Mas, se, o interesse for em um único curso, as possibilidades também são praticamente infinitas.

É claro que o ideal, antes de iniciar qualquer curso, seja online ou presencial, pago ou gratuito, é pesquisar muito sobre o curso e sobre a instituição.

Visite sites como Reclame Aqui e verifique se as reclamações dos clientes foram atendidas. Pesquise também sobre a autoridade da empresa que está oferecendo o curso, converse com ex-alunos e visite páginas nas redes sociais para saber o que estão falando dessa empresa.

Confira o conteúdo programático e não tenha medo de entrar em contato com a plataforma que oferece a aula, caso julgue necessário. Verifique também a quantidade e o conteúdo de aulas e módulos e veja se tudo o que você precisa saber está presente nas vídeo aulas oferecidas. Caso não esteja, talvez seja interessante buscar outras possibilidades de cursos ou procurar complementos em blogs especializados no assunto.

Os cursos online também permitem flexibilidade de horários. Com exceção de uma ou outra aula online que possa ocorrer ao vivo em cursos de carga horária mais elevada, é possível assistir às aulas de acordo com a sua disponibilidade.

As vídeo aulas podem ser acessadas de qualquer lugar, em qualquer horário, mas sempre fique atento se o seu curso tem prazo para entrega de exercícios e para finalização das aulas.

Ler os termos de condições e serviços não é prática comum para os brasileiros, mas é algo altamente recomendado. Só assim você saberá todos os seus direitos, suas obrigações e o conteúdo que você vai receber pelo valor investido.

Mesmo os termos de cursos gratuitos podem exigir algum tipo de cessão ou obrigatoriedade e explicam, claramente, o que você vai receber (e se vai receber algo) com a conclusão do curso. Alguns cursos gratuitos, por exemplo, não dão direito ao certificado. Fique atento e não tenha preguiça de ler o termos e instruções disponíveis na plataforma escolhida.

Fique atento aos detalhes

Muitas pessoas perguntam se existem desvantagens nos cursos online. A questão é um pouco delicada porque existem algumas características que podem incomodar algumas pessoas, mas não são, necessariamente, desvantagens.

A ausência física de colegas, por exemplo, pode gerar certo desconforto, mas permite que as aulas sejam mais dinâmicas devido ao baixo número de interrupções.

Além disso, a disciplina pessoal necessária é maior, pois o aluno é quem controla todos os seus horários de estudo. E se você decidir estudar em casa, outras distrações como a televisão ou a cama podem facilmente vencer a disputa da sua atenção.

Por isso, criar uma rotina com horário e local de estudo é uma opção que facilita que seu corpo e cérebro entendam que aquele momento é de estudo.

Mas então, como tirar proveito máximo das vídeo aulas?

Planejar é preciso

No Brasil, não temos muito a cultura do planejamento. Planejar pode parecer uma perda de tempo mas, na verdade, um bom planejamento pode poupar muito tempo em um futuro próximo. Por isso, nossa primeira dica é: planejar-se com cuidado e atenção.

Não crie metas fáceis demais, pois assim, você não estará se esforçando o suficiente. No entanto, as metas precisam ser atingíveis. Não adianta, também, criar metas impossíveis.

Adapte a meta à você. Se você estiver na dúvida de como fazer, crie uma meta que pareça plausível, depois teste, avalie e faça as alterações necessárias.

Comece criando uma programação diária, semanal e mensal de estudo. A programação semanal pode ser um pouco mais detalhada e precisa ser construída todo início de ciclo semanal de estudos, assim como a programação mensal.

Com uma meta clara sobre tema e assunto de estudos de cada dia e horário, fica mais difícil se distrair ou perder o foco com assuntos desimportantes.

Policie a si mesmo

Separe um horário e espaço adequado para seus estudos. Se você estudar sempre nos mesmos dias da semana e no mesmo horário, seu cérebro se acostuma e fica mais difícil ceder às tentações.

Se possível, estude em algum local onde dificilmente alguém irá te incomodar. Evite cômodos da casa que são barulhentos, como sala de estar ou cozinha. Se você dispuser de um escritório em casa, ótimo. Se seu lar é sempre confuso e cheio, experimente salas comunitárias de estudo ou mesmo uma biblioteca pública. Lembre-se de se certificar sobre a disponibilidade de Wi-fi do local.

Antes de começar, prepare o cérebro e o corpo. Entenda que aquele momento é de estudo e concentre-se nas aulas.

Para aumentar a motivação, uma boa técnica é permitir-se um pequeno presente após bater sua meta diária ou semanal, como assistir a um episódio de um seriado ou qualquer outra coisa que te dê prazer.

E depois de tanto planejamento, finalmente chega a hora de começar. E agora?

Mão na massa

Ainda assim, nem sempre é fácil seguir o seu planejamento, certo?

Para quem tem dificuldade de concentrar no conteúdo passado, a dica é fazer anotações. Crie “blocos” ou “cadernos” de anotações para não se perder. Hoje existem diversas plataformas gratuitas, como Evernote ou Google Docs, que facilitam esse processo e podem ajudar muito.

O tipo de anotação pode variar de pessoa para pessoa: há quem prefira anotar cada palavra, há quem prefira anotar somente as ideias principais. O fato é que as anotações ajudam na memorização e internalização dos conteúdos.

Não hesite em pausar e voltar os vídeos. Se não entendeu alguma parte, reveja a vídeo aula até que o conceito esteja claro. Se quiser pausa-la para realizar anotações, também não pense duas vezes.

Para quem for estudar por períodos longos, faça uma pausa de 15 minutos a cada 2 horas. Isso diminui a fadiga e aumenta a absorção do conhecimento. Se possível, faça alongamentos durante os descansos. Isso ativa a circulação e pode evitar problemas ou dores que desconcentram e diminuem o ritmo de estudo.

Se o curso ou vídeo aula fornecer exercícios para serem resolvidos, não deixe de fazê-los. Assim, você valida seu aprendizado e garante a fixação do conteúdo.

Por fim, revise! Revisar suas anotações e o que você aprendeu pode parecer entediante, mas com certeza vai fazer a diferença na hora de aplicar, na prática, o que foi ensinado, além de aumentar a fixação do que foi estudado.

Assistir cursos online pode ser incrivelmente útil, desde que você tenha um pouco de disciplina.

A dica é descobrir o que funciona para você, quais são seus objetivos e, principalmente, o que você planeja aprender. Assim, você pode seguir nossas dicas e adaptá-las de acordo com as suas necessidades e possibilidades.

E, se você já possui a rotina de estudar online e conhece outra boa dica que ficou de fora desta nossa lista? Então deixe um comentário e conte para a gente qual a sua rotina de estudo e como faz para aproveitar o máximo dos seus conteúdos.

Esse conteúdo foi escrito por André Jota, redator da plataforma de cursos livres Learncafe.