O que é o Instant Articles: aprenda a como e por que usar o recurso no Facebook

O que é o Instant Articles: aprenda a como e por que usar o recurso no Facebook

O Instant Articles, ou artigos instantâneos, é um recurso do Facebook. É exclusivo para mobile, ou seja, só existe para a experiência pelo celular ou tablet, e tem o objetivo de tornar a leitura de artigos mais agradável e sem interrupções.

Quem trabalha com Facebook sabe que engajamento em posts de conteúdo vale ouro. Está cada vez mais difícil alcançar mais pessoas organicamente, principalmente se a sua publicação é um link para outra página.

Para resolver esse problema, Zuckeberg e sua equipe criaram o Instant Articles, um recurso para ajudar não só no engajamento dos posts, mas na leitura e experiência do usuário, com artigos rápidos e otimizados para mobile.

Saber usá-lo é importante para quem trabalha com conteúdo e, principalmente, quer ter bons resultados.

Você já deve ter percebido que, ao abrir artigos de grandes sites de notícia direto do Facebook, a maior parte deles carrega mais rapidamente e não abre o navegador do celular. É basicamente isso que a ferramenta faz — a diferença é que você, produtor de conteúdo, também pode usar.

Aqui, você não apenas entenderá o que o recurso faz, mas também os impactos positivos e negativos que pode levar para a sua estratégia.

Além disso, ensinaremos onde ir e como configurar a função. Preparado?

Vantagens do Instant Articles

Como explicado, o Instant Articles é uma forma de visualização de páginas dentro do Facebook. Quando usado, permite o carregamento rápido da página e com muito menos chances de erros ou problemas.

Por isso, as páginas têm maior chance de serem lidas e podem ser ainda mais completas, com imagens, vídeos, mapas e outros recursos.

Segundo a página oficial do recurso, as páginas em Instant Articles abrem 10 vezes mais rápido do que páginas comuns.

Além disso, o usuário tem 70% menos chance de abandonar o artigo.

O conceito parece muito parecido com o AMP do Google, não é? Embora sejam mais conhecidas, as AMPs são consideradas a resposta do Google ao lançamento do Facebook em 2015.

Existem algumas diferenças: com AMP, a página tem mais chances de rankear melhor, trazendo maior tráfego orgânico; com Instant Articles, a página tem mais chances de receber tráfego das redes sociais e o conteúdo ser realmente lido.

Além disso, o Facebook ainda usa a URL original ao mostrar um conteúdo em Instant Articles, o que significa que o tráfego é reconhecido pelo Google.

Com o Instant Articles, a página tem um formato pré-definido pelo Facebook, mas exibe o mesmo conteúdo. Isso permite uma outra vantagem além do carregamento rápido: a análise de dados.

Com a publicação constante de artigos instantâneos, o Facebook começa a mostrar dados importantes para produtores de conteúdo, como: temas que dão certo para o seu público, assuntos que não devem mais ser trabalhados, se as pessoas estão lendo todo o seu artigo, entre outros.

O engajamento também é um fator positivo. Mesmo sem favorecimento automático no alcance, segundo o Facebook, as pessoas tendem a compartilhar 30% a mais os artigos em Instant Articles do que em páginas normais, o que pode aumentar bastante o alcance dos posts.

Esse número pode estar um pouco elevado por outros motivos, já que os grandes veículos de notícia foram os primeiros a adotar a ferramenta e são de longe as páginas com maior engajamento em links.

Cuidados e desvantagens

Mesmo com ótimas vantagens, a opção tem restrições. Com a abertura da página em um modelo pré-definido, você perde elementos de conversão, como sidebar, barra no final da página e menu.

Além disso, os botões de compartilhamento ficam limitados apenas ao do Facebook e o usuário não consegue compartilhar facilmente no LinkedIn, por exemplo.

Se você conta com o Analytics para fazer a análise de acessos e comportamento dos usuários das páginas, isso também ficará mais difícil, pois a coleta padrão de dados não captura os cliques em Instant Articles.

Para contornar isso, você pode combinar a análise do Analytics com os dados disponibilizados pelo próprio Facebook ou configurar a página e o Analytics para contabilizar esses acessos.

Não se esqueça que, hoje, o Facebook está usando o modelo de Instant Articles em posicionamentos automáticos nas configurações de um conjunto de anúncios.

Por isso, se você escolher não usar a ferramenta ou não configurar o Analytics para contabilizar também esses acessos, é importante editar os posicionamentos na hora de criar o anúncio. Os dados de visitas poderão ficar perdidos.

Eles só aparecerão nos resultados do anuncio no Facebook, junto com os cliques de outros posicionamentos.

Instant Articles

Devo usar Instant Articles?

Depois de saber as vantagens e desvantagens, é hora de pensar se realmente vale a pena usar o recurso.

Para o mercado de mídia, o lançamento gerou muitas discussões, como algumas pessoas afirmando que marcou o fim do mercado como conhecemos.

Afinal, se um site de notícias gera renda por tráfego e anúncios, o Instant Articles teoricamente leva o controle das duas possibilidades para o Facebook.

Para quem usa conteúdo como estratégia de marketing, outros aspectos precisam ser analisados. Pense primeiro de tudo: qual é o seu objetivo com o conteúdo?

Reconhecimento ou tráfego

Se você precisa educar o seu mercado ou gerar conhecimento de marca, os Instant Articles podem ajudar a mostrar o conteúdo para mais pessoas, ainda com a sua marca.

Se você precisa de tráfego, principalmente orgânico, o uso também não é um problema. As otimizações exigidas, que são focadas em otimização para mobile e melhoria da velocidade da página, também ajudarão em SEO.

Além disso, com as configurações e o acompanhamento correto, você também poderá entender todo o tráfego que chega por lá.

Leads ou outras conversões

Se o seu objetivo é geração de leads, porém, pode não ser tão vantajoso. Como os visitantes não vão para a sua página, eles não vêem call to actions ou outros elementos de conversão.

Isso pode ser resolvido ao inserir links para conversão em texto, durante o artigo — mas sabemos que não é a melhor forma de converter.

Hoje, a própria ferramenta permite apenas três tipos de call to action: instalações de aplicativo, assinatura na newsletter e curtidas na página.

Outro aspecto pode ser importante: Uma página otimizada para mobile tem, pelo tamanho da tela e necessidade de velocidade de carregamento, poucos pontos de conversão.

É possível transformá-los em texto? O que vou perder? Quais os possíveis ganhos com o aumento no engajamento e no tráfego?

Ao decidir, avalie o que é importante para você agora. É importante, também, fazer testes.

Avaliar a geração de tráfego, a geração de leads e até a qualidade das conversões pode fazer a diferença na hora de escolher usar ou não o Instant Articles.

Como usar o Instant Articles

Se interessou? É bem fácil começar a usar a funcionalidade!

Como já explicado, a opção já está disponível para qualquer tipo de anúncio com link no Facebook. Ao editar os posicionamentos na criação do conjunto de anúncios, é possível selecionar o Instant Articles.

Para mostrar todos os seus artigos com o recurso, é necessário fazer um cadastro. Antes de tudo, você seleciona para qual página do Facebook quer que ele seja disponibilizado.

Instant Articles: cadastro

Depois disso, é só seguir dois passos, muito bem explicados pelo guia rápido do Facebook: o primeiro envolve a configuração do site e da página e o segundo é o envio de artigos para a aprovação da equipe do Facebook.

Instant Articles: configuração

Instant Articles: Configuração

Após a aprovação, é possível começar a usar a opção.

O que achou da funcionalidade? Para aprender mais sobre como ter sucesso no Facebook e alcançar resultados incríveis, confira o nosso ebooks: Marketing no Facebook.

ebook marketing no facebook