google_palavras_chave

Como funciona a nova correspondência exata de palavras-chave do Google?

Com nova atualização, O Google não apenas considera a palavra digitada pelo usuário, mas também interpreta a sua intenção.

De tempos em tempos, são feitas pequenas mudanças nos motores de busca, mas que produzem mudanças consideráveis.

O que para os negócios pode ser sinônimo de catástrofe, para os porta-vozes do Google é uma forma de melhorar a experiência do usuário na plataforma, por isso aconselham as empresas a atualizarem e melhorarem constantemente seus conteúdos.

E em meio a isso tudo, vemos páginas que estavam nas primeiras posições caírem e outras páginas, antes mal posicionadas, subirem rapidamente.

Se você quer entender melhor do que se trata essa atualização e, de que modo ela pode impactar nos seus anúncios nesse mecanismo de busca, continue com a gente!

Como funciona a correspondência de palavras-chave?

Assim como já revelamos, a nova alteração de posicionamento tem a ver com a leitura das palavras-chave por parte do algoritmo do Google, o Googlebot.

Como se sabe, existem vários tipos de palavras-chave e, ao configurar sua campanha, você tem a opção de escolher entre a correspondência exata ou a ampla, de acordo com o que interessa ao seu objetivo de marketing.

Caso tenha se perguntado qual a diferença entre ambas, saiba que quando são utilizadas as palavras-chave amplas, aceita-se a exibição de diferentes variações na SERP, independentemente da intenção da frase.

Para facilitar, aqui está um quadro de exemplo disponibilizado pelo próprio buscador:

correspondência ampla

Já no caso da correspondência exata, eram exibidos resultados muito mais próximos da palavra-chave inicial, tendo um pequeno grau de variação, como erros ortográficos e formas no plural.

Veja também o exemplo dado pelo Google:

correspondência exata

Porém, essa explicação não é mais 100% válida atualmente, por isso, confira exatamente o que mudou:

Quais foram as mudanças nas palavras-chave exatas?

Com certeza você percebeu o como as palavras exatas abrangem muito pouco. E, por isso, existem poucas empresas que se beneficiam de buscas restritas a um único termo.

Isso porque as variações aumentam as chances de uma empresa atingir seu público e, consequentemente, as conversões serem feitas.

Pensando nisso, o grande pronunciamento do Google foi sobre como as palavras-chave exatas deixarão de funcionar como o único gatilho para para mostrar seus anúncios.

Portanto, se o algoritmo considera que o resultado é o mais adequado para a intenção de busca, ele o posicionará nas SERPs, mesmo que a palavra não seja exata.

Veja como funcionará agora:

nova correspondência exata

E vale lembrar que mesmo com essa mudança, ainda existem distinções entre correspondência ampla e exata, afinal a ampla não leva em conta a intenção, apenas uma relação de palavras-chave que poderiam ser relevantes para a busca.

E o qual o motivo dessa mudança? Podemos afirmar que existem dois que se destacam:

  1. priorizar a tendência de criar uma rede mais ampla de resultados e depois o usuário eliminar o que não lhe serve, ao invés de criar uma rede muito restrita que pode ser insuficiente.
  2. a correspondência exata está bloqueando o Machine Learning.

Parece até um filme de ficção científica, mas o algoritmo quer diversidade e, em sua evolução, a inteligência artificial já consegue interpretar a intenção de busca.

O que você nos diz sobre o mundo emocionante do Google? Sem dúvida, um universo que nos motiva a estudar mais e mais.

Então, se você quiser saber tudo sobre esta pesquisa, baixe o nosso e-book Domine Google para estar sempre nas primeiras posições!

Kit Domine o Google

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo