Dados Estruturados

Dados estruturados: o que todo profissional de marketing precisa saber

Você sabe o que são dados estruturados? Descubra agora o que é, sua importância e aplicações.

Se você está em busca de sucesso como profissional da área de marketing, certamente está afiando suas habilidades de produção de conteúdos para a internet, não é?

Afinal, o inbound marketing já alcança grandes níveis de rentabilidade. Especialmente graças ao uso de dados estruturados nas suas páginas.

Bom, se você não conhece esse termo, não se preocupe! Estamos aqui justamente para falar dele.

Primeiramente, o que caracteriza dados como “estruturados”? De forma simples, eles são aquelas marcações que ficam por trás do design atraente, dos gráficos e do próprio texto de uma página. São uma forma de destacar determinados aspectos do seu conteúdo, com tags, links e descrições.

Como os motores de busca trabalham não apenas com conteúdo, mas também com o código fonte dos sites, esses dados podem ser lidos e usados como parâmetro em buscas.

Em seguida, eles podem ser exibidos como descrições extras para o usuário através de rich snippets (vamos falar sobre eles daqui a pouco).

Pode parecer apenas mais um esforço para agradar a máquina, o que não é totalmente falso. Mas o resultado disso vai além de um robô de busca.

Essa estrutura ajuda na construção do Big Data do seu negóciomelhora o SEO dos seus conteúdos e facilita a pesquisa para o usuário.

Muita coisa para absorver de uma vez? Então, vamos diminuir a marcha e olhar esses aspectos um pouco mais de perto.

Dados estruturados em Big Data

É quase impossível de acompanhar a quantidade de informações novas que surgem na internet. E, mesmo que você consiga determiná-la, em 1 segundo suas estatísticas estarão obsoletas.

Daí vem a necessidade de tentar colocar tudo sob uma mesma lente, por meio do conceito de Big Data.

O que é Big Data?

Como uma explicação rápida, trata-se de um conjunto grande de dados que pode ser acessado remotamente por meio da rede mundial de computadores.

Digamos que você queira reunir todas as análises feitas sobre o seu produto antes de planejar uma campanha. Então você busca o Big Data do item em questão e coloca tudo em um padrão mais legível, fácil de entender.

A partir de tudo isso, você pode começar uma análise mais cuidadosa, buscando correlações entre os dados internos e externos à empresa.

Qual é o papel dos dados estruturados em Big Data?

Bem, se há 2 coisas que computadores adoram são organização e marcações (que servem para organizar).

E essas são 2 grandes qualidades desse tipo de informação: com marcadores padronizados para determinados tipos de conteúdo, é bem mais fácil para o seu sistema processá-los e entregar uma análise mais “elegante”.

Além disso, estes parâmetros também facilitam a correlação com os dados não estruturados, que geralmente são padrões novos ou formatos pouco utilizados. Afinal, é mais fácil classificar novos objetivos quando você já possui um parâmetro de comparação.

Outra vantagem dos estruturados é a possibilidade de gerar novos insights e encontrar oportunidades de venda.

No mundo do marketing, especificamente, isso significa encontrar públicos com alto potencialsaber como melhorar a experiência de compra e encontrar soluções de automação mais eficientes.

Dados estruturados e SEO na produção de conteúdos

Criação de blogs, vídeos e outras formas de conteúdo estão em voga no mundo do marketing digital. E por boas razões: melhor custo-benefício e maior índice de fidelização de clientes são apenas alguns exemplos.

Se a sua empresa não possui um canal de conteúdo, é hora de criar um!

Como uma estrutura de dados pode contribuir com SEO e criação de conteúdo?

Primeiramente, você deve se lembrar de que estas práticas não servem para agradar apenas ao Google, mas também para facilitar o trabalho de quem faz a pesquisa.

Uma busca bem-sucedida é aquela que leva o usuário até a informação que ele buscava o mais rápido possível. Então, quanto mais eficiente for o filtro da máquina, melhor.

Porém, não há um crítico literário para cada página de fanfiction nem um astrofísico para cada top 10 curiosidades sobre o universo. O computador trabalha com informações quantificadas, o que inclui os dados estruturados.

Como usar os múltiplos markups?

Aqui vale explicar o que são markups dentro do mundo do marketing.

Esse termo é aplicado na economia para indicar quanto o preço de certo produto está acima do seu custo de produção e distribuição. Significa diferença entre o custo de um bem ou serviço e seu preço de venda.

Mas, em marketing, ele é usado para se referir a uma série de marcadores que podem ser lidos pelos motores de busca e que querem dizer “essa informação tem significado”.

Já que estamos traçando um paralelo, podemos dizer que as 2 aplicações se referem ao valor de alguma coisa. No nosso caso, ao valor que aquela informação terá para o usuário.

Alguns exemplos de markups são:

  • tags ou marcadores;
  • conteúdos em áudio ou em vídeo;
  • e localizações vinculadas aos textos.

Para usar esses recursos corretamente, você deve conhecer o Schema, que é um tipo de “dicionário de markups” que os motores de busca usam. Basicamente, é o conjunto de peças que formam os dados estruturados como os conhecemos (ou seja, um tipo de Big Data).

Como gerar resultados personalizados?

E o que os motores de busca fazem com todo esse esforço de SEO? Eles geram uma pesquisa personalizada!

Você se lembra dos rich snippets? Eles são um tipo de descrição mais detalhada da sua página e do conteúdo, não apenas um recorte de algum trecho que contenha as palavras-chave da busca.

Se você estruturou corretamente a sua página, os motores de busca vão exibir as informações que você destacou em vez de uma meta descrição mais geral ou de uma parte do seu texto.

O resultado é que o usuário saberá o que via encontrar antes de clicar. Os rich snippets e markups não são exigências do Google no momento, mas, indiretamente, aumentam a taxa de acessos orgânicos, que são bem mais relevantes para a sua página.

E, como qualquer coisa que melhora a qualidade das pesquisas, espere que ela se torne uma exigência em algum momento.

Agora que você entende melhor como funcionam os dados estruturados, é hora de colocar essas técnicas em prática!

Quer mais dicas para melhorar a qualidade dos seus conteúdos? Então veja o nosso post sobre links externos e os seus efeitos no conteúdo do seu site ou do seu blog!