Dicas de SEO

39 dicas práticas de SEO para alavancar os resultados do seu blog!

Como alavancar sua estratégia de SEO e conseguir rankings cada vez melhores nos buscadores? Vamos te mostrar em 39 dicas rápidas e simples de SEO para serem colocadas em prática agora mesmo!

Rankear no Google não é uma tarefa tão simples, não é mesmo? Na maior parte das vezes exige conhecimento, alguns recursos e muito tempo.

Esse conteúdo está aqui para te mostrar dicas práticas, de fácil execução e que podem trazer resultados rápidos e promissores para sua estratégia!

Que tal colocá-las em prática agora mesmo?

Confira as 39 melhores dicas de SEO para o seu site ou blog!

Se você quer ter um guia completo de SEO com você antes de começar a leitura desse conteúdo, confira nosso ebook gratuito sobre o tema.

guia seo

1. Escolha a palavra-chave certa

Pode parecer básico (e até é), mas esse é um detalhe muito importante que muitos deixam passar.

Busque a palavra-chave certa! E não, a certa não é a com maior volume de buscas, nem a com menor dificuldade de rankeamento. Ela é aquela que está relacionada à sua persona, solucionará o problema dela e tem chances reais de rankeamento.

Mas como encontrar essa palavra-chave? Bons conselhos são:

  • use long-tail keywords (confira a dica 15 deste conteúdo);
  • escolha palavras de nicho, ou seja, mais específicas;
  • faça a busca e analise a SERP. Os resultados deixam a desejar? O Yahoo Respostas é um dos primeiros resultados? As páginas encontradas são ruins? Já pode começar a produzir seu conteúdo;
  • se você usa uma ferramenta de palavras-chave, compare diferentes termos e escolha aquele com um volume de buscas médio para baixo e uma concorrência menor.

Além disso, escolha uma palavra-chave para dedicar a otimização do seu conteúdo. É melhor orientar seus esforços em uma do que em várias.

2. Realize o objetivo da busca

Ok, você escolheu sua palavra-chave. Mas… e agora?

A verdade é que não adianta escrever um conteúdo “aleatório sobre o tema”. Você pode escrever o maior e mais completo conteúdo sobre um tema, mas de nada adianta se ele não responder a intenção de busca do usuário.

Quer um exemplo?

Vamos supor que sua persona procurou no Google “qual material devo usar na minha porta?”.

Você pode escrever tudo sobre portas: pode falar das maçanetas, pode citar 20 materiais diferentes e até mesmo abordar dimensões. Mas é essa a resposta que sua persona quer?

Na verdade, faz muito mais sentido ir direto ao ponto, não é mesmo? E ir direto ao ponto não significa que seu conteúdo precise ser curto ou raso. Pelo contrário: a persona deve sair dali sem dúvidas.

A satisfação da persona é fundamental, tanto para ela, quanto para o seu site, mas, principalmente, para o Google.

O buscador tem maneiras de identificar quem está entregando o conteúdo esperado (ou até mesmo superando essas expectativas).

Mas como realizar, de fato, o objetivo da busca?

Veja no próximo tópico:

3. Observe os primeiros resultados da busca antes de escrever seu conteúdo

Uma boa ideia para entender o que as pessoas procuram e o que suas dúvidas é observar atentamente os primeiros resultados da busca (tanto em português quanto em inglês, já que é muito interessante entender quais as tendências do mercado também no exterior).

A partir dessa observação, você consegue encontrar pontos em comum e mesmo questões ainda não respondidas para estruturar um conteúdo ainda mais completo.

Entenda o que esses conteúdos oferecem e tire ideias. Coloque-se no lugar da sua persona: falta algo ali? Existe algum ponto que está demais?

Se você usar alguma ferramenta de palavras-chave, observe quais as palavras-chave relacionadas ou quais os termos que os usuários buscam para o resultado selecionado.

Por fim, ao redigir seu conteúdo, seja claro, objetivo e completo! Assim, você vai garantir que o usuário encontre o que precise no melhor conteúdo sobre o tema.

4. Faça URLs amigáveis

As URLs funcionam como um endereço da página na internet. Garanta que elas sejam amigáveis, ou seja, fáceis de ler e memorizar.

É importante também que as URLs sejam atemporais, o que permite a atualização de conteúdo sem necessidade de mudança de URL.

Lembre-se: uma URL nunca deve ser alterada, pois você perderia toda a autoridade já conquistada naquela página. (Caso precise alterar URLs, você deve fazer o redirecionamento do conteúdo.)

E fique tranquilo! Fazer URLs amigáveis é bem simples. Evite URLs longas, com muitos subdomínios, hashtags (ou outros caracteres) e números. Seja simples e claro em sua URL.

Quer um exemplo? Vamos supor que você fez um post com o seguinte título: “Os 10 melhores destinos para conhecer em 2018”. A sua URL até poderia ter essa estrutura, mas olha como ela ficaria:

  • www.seusite.com/os-10-melhores-destinos-para-conhecer-em-2018

Repare como ela não permite atualização de conteúdo, tanto por serem 10 destinos (e se você quiser colocar um a mais?) quanto por ser temporal (e se você quiser atualizar o post em 2019 e redivulgá-lo).

A não ser que você queira criar um post para cada ano (o que pode ser interessante, mas exigirá que você conquiste autoridade para aquela página toda vez), boas opções de URL seriam:

  • www.seusite.com/melhores-destinos
  • www.seusite.com/destinos-para-conhecer

Viu como isso faz a diferença? Além de agora você poder atualizar o conteúdo sem medo, você ainda garantiu uma URL curta e sem números!

5. Atualize seu conteúdo

Você já ouviu falar em atualização de conteúdo? Ela é uma importante estratégia em SEO.

Isso porque não adianta apenas publicar um grande volume de conteúdo, se seus posts anteriores tornam-se ultrapassados e obsoletos.

Só porque seu conteúdo é evergreen não significa que ele durará pra sempre. Pelo contrário: para ser evergreen, ele precisa ser atualizado!

Os usuários interpretam atualização de conteúdo de forma positiva — e o Google também (o que impacta diretamente nos rankings)!

O motivo é simples: conteúdos atualizados oferecem informação sempre relevante e serão, portanto, sempre úteis, acompanhando as tendências e mudanças do momento.

  • Conteúdo na 1ª posição: se você tem uma primeira posição, parabéns! Você está fazendo um ótimo trabalho. Mas isso não significa que você pode relaxar: fique sempre atento aos resultados seguintes e ao Search Console (acompanhe CTR e variação da posição) para não perder a posição;
  • Conteúdos entre 2ª e 5ª posições: você já está na parte mais privilegiada da SERP! Não desperdice isso. Você provavelmente não vai precisar fazer grandes alterações nestes conteúdos, e sim atualizações pontuais (como acrescentar ou atualizar informações) e mudanças na Title Tag e na Meta Description (que podem garantir maior CTR). Para entender o que alterar em seu conteúdo, uma boa ideia é fazer uma analise dos resultados antes de você;
  • Conteúdos entre 6ª e 20ª posições: aqui está o ouro da atualização de conteúdo! Esses conteúdos têm alto potencial de conseguir posições mais altas. Pensa bem: eles são conteúdos “ok” e já estão nessas posições. Imagina se você otimizá-los ao máximo? Aqui, vale a pena fazer toda uma reestruturação do conteúdo, tornando-o melhor do que todos os primeiros resultados. Feito isso, atualize também a Title Tag e a Meta Description e divulgue nas redes sociais;
  • Conteúdos temporais: esses conteúdos, independente da posição, devem ser sempre foco de atualização, pela relação temporal existente. Por exemplo: nosso conteúdo sobre as Redes sociais mais usadas do Brasil precisa ser atualizado todos os anos, já que esse é um dado temporal e que sempre muda de acordo com novos relatórios que surgem todos os anos.

Além desses, preste sempre atenção aqueles conteúdos que são fundamentais para o seu negócio e que trazem mais clientes e usuários para sua estratégia. Perder posições neles seria uma ameaça muito grande para as táticas de marketing de conteúdo da sua empresa.

Quer aprender mais sobre atualização de conteúdo? Baixe o ebook.

Ebook Atualização de Conteúdo

6. Delete conteúdo que está levando seu site para baixo

Vamos ser honestos: o conteúdo que você postou a 3 anos atrás com certeza não é tão bom quanto o que você posta hoje em dia.

E, ao longo do tempo, é normal que hajam posts inconsistentes, com temáticas muito similares ou até mesmo que não são relevantes mais em seu blog.

Quando a atualização de conteúdo não basta, é hora de desapegar e eliminar esses conteúdos que levam seu site para baixo!

Conteúdos duplicados, com URLs muito semelhantes, que não são relevantes mesmo ou mesmo conteúdos que não tem mais acessos não são interessantes para a saúde do seu blog!

Nós fizemos isso com nosso blog, o Saia do Lugar, em 2016. O blog foi comprado e tinha muitos conteúdos ruins e não otimizados que o prejudicavam como um todo.

Em novembro de 2016, foi feita uma limpa no site: conteúdos atualizados, deletados e redirecionados. Observe o impacto que teve no crescimento total do blog nos meses seguintes:

Tráfego Saia do Lugar

Enquanto no período prévio as atualizações o blog tinha um tráfego médio parecido entre os meses, sem mudanças significativas, após a atualização de conteúdo o tráfego orgânico e total apresentou crescimento saudável e contínuo.

Mas atenção: não adianta apenas deletar o conteúdo. Você precisa fazer redirect 301 para posts relacionados e relevantes.

7. Use o Search Console para trazer mais velocidade na indexação

Ok, você atualizou o conteúdo, ótimo trabalho. Mas demora um tempo para o Google entender isso.

Se você quer acelerar o processo, use o Search Console!

Basta clicar em “Buscar com o Google” na parte de “Rastreamento”. Digite a URL do post no campo disponível e clique em “Buscar”. Em seguida, basta clicar em “Solicitar Indexação”.

(Confira como essa dica nos ajudou a conseguir vários featured snippets do dia para a noite no segundo hack deste conteúdo.)

Pronto! O Google vai realizar o processo mais rapidamente, demorando poucas horas (em alguns casos até minutos).

8. Seja mobile-friendly

De acordo com o relatório Digital in 2017, o tráfego da internet vindo de smartphones já corresponde a 50% do total, com um crescimento superior a 30%.

O mobile já deixou de ser tendência e é uma realidade cada vez mais urgente para quem faz marketing online, o que inclui quem usa estratégias de SEO.

O Google anunciou no ano passado que a sua indexação priorizará páginas otimizadas para mobile, o que inclui elementos como AMPs, design responsivo e velocidade de carregamento.

9. Faça títulos e descrições incríveis

Quando você procura um termo no Google, aparecem vários resultados, como de costume. Duas coisas influenciam diretamente na decisão do que clicar: o título e a descrição da página.

Geralmente, passamos o olho rapidamente por elas para descobrir se aquela página vai nos oferecer o que desejamos. E, a partir disso, clicamos ou não.

Bons títulos e descrições influenciam diretamente na taxa de cliques (CTR), uma importante métrica para o Google rankear conteúdos.

Por isso, invista seu tempo pensando no título e descrição de cada página. Procure ser objetivo e demonstrar de forma clara o conteúdo da página e os benefícios que ela tem. Na sua descrição, lembre-se de despertar a curiosidade e interesse do usuário.

Com mais cliques, seu conteúdo será mais acessado e isso é um dos fatores que influencia o SEO.

10. Invista em buzz content

Buzz content são conteúdos dedicados à assuntos em alta, tendências naquele momento, como notícias e tópicos mais falados.

São conteúdos com alto potencial de engajamento e que geram muitas discussões em torno deles, performando especialmente bem em redes sociais. Isso em si já é um ponto importante, pois sabemos que o desempenho em redes sociais beneficia o SEO.

De fato, nós investimos muito em buzz content por aqui e vimos resultados incríveis nos últimos meses. Veja como o tráfego do nosso blog vindo de redes sociais aumentou ao longo do tempo com esse tipo de conteúdo:

Analytics tráfego Social

Picos de tráfego gerados por buzz content.

Com o tempo, isso levou todo o engajamento para cima, além de beneficiar a autoridade de domínio e nossas posições nos buscadores.

Além disso, conteúdos desse tipo têm um benefício estratégico a mais: eles podem tornar-se conteúdo evergreen.

Fazer uma notícia, por exemplo, antes de seus concorrentes, coloca você entre os primeiros lugares dos buscadores. Com o tempo, e conforme aquele tema tornar-se comum no cotidiano, mais pessoas vão procurá-lo, e seu resultado estará performando melhor do que quem não começou antes.

11. Seja visual

Vídeos, imagens, infográficos… Ser visual é uma urgência cada vez maior.

Conteúdos visuais são mais compartilháveis, memorizáveis e ainda podem ser ótimas maneiras de conseguir backlinks e aparecer em outros “setores” do mecanismos de busca, como imagens e vídeos mais bem rankeados.

Invista nisso! Seus usuários vão gostar, você vai atingir mais pessoas e, de quebra, terá muito mais chances de conquistar posições.

12. Posts satélite

Os posts satélite são uma forma de usar conteúdos do seu site para fortalecer uns aos outros.

Eles funcionam da seguinte forma:

  • tem-se um conteúdo pilar, que é o centro da estratégia. Ele costuma ser baseado em uma palavra-chave head tail e é fundamental para o blog;
  • publica-se vários conteúdos relacionados ao conteúdo pilar: são os conteúdos satélites. Eles geralmente são baseados em long tails e devem sempre linkar para o principal.

Assim, por exemplo, suponha que você tenha um blog sobre roupas. Um post pilar poderia ser “Camisas Femininas”, sendo que os satélites poderiam ser, por exemplo: “Camisas florais para mulheres”, “Camisas de algodão femininas”, “Estampas para camisas femininas”, “Modelagem de camisas para mulheres” e por aí vai.

A ideia é que esses conteúdos gerem autoridade para o principal, através de uma linkagem consistente e relevância total do domínio.

Nós usamos esta estratégia em vários posts nossos para termos que queremos fortalecer e rankear. Um bom exemplo é uma das palavras-chave mais importantes para o futuro: a Transformação Digital.

Além de um post pilar e um ebook completo sobre o assunto, nós temos diversos posts que abordam esse tema e todos eles fazem referência para o principal, por exemplo:

Esses posts fortalecem o conteúdo principal, e o resultado disso você vê no primeiro resultado orgânico da SERP:

Picos de tráfego gerados por buzz content.

Se você quiser aprender mais sobre posts satélites, confira este post.

13. Encontre snippets e otimize para eles

Os rich snippets são fragmentos de informação disponibilizados pelo Google para que o usuário encontre a informação que busca de forma mais fácil, sem a necessidade de realmente entrar nos sites.

Mas calma! É importante otimizar para eles, pois isso terá impactos positivos no seu SEO, em especial quando falamos sobre os featured snippets.

Os featured snippets são a posição zero do Google. Eles são caixas de resposta que aparecerem antes mesmo do primeiro resultado.

featured snippet para marketing de conteúdo

Além disso, eles são ótimas formas de aparecer duas vezes na primeira página de resultados. Isso porque um snippet só é produzido a partir dos 10 primeiros resultados. O que é outra vantagem, não é mesmo?

Suponha que seu post esteja em sétimo lugar, em uma SERP. Imagina conseguir um snippet e ficar antes do primeiro colocado?

Resultados promissores, não?

Descubra como encontrar e otimizar para featured snippets em nosso guia completo sobre eles!

14. Remova backlinks negativos

Backlinks são as meninas dos olhos de qualquer profissional de SEO, mas não se apegue a eles. A triste verdade é que eles nem sempre eles serão positivos para seu site.

Mas como um backlink pode ser ruim?

Bom, em primeiro lugar: não jogue seu link como um spam em todos os lugares possíveis. Isso não é saudável e pode prejudicar seu SEO.

Segundo: sites ruins, com conteúdo duplicado, autoridade muito baixa ou mesmo com conteúdo impróprio podem gerar links ruins para seu domínio.

Por fim, a sua própria linkagem pode ser antiga e estar referenciando links quebrados ou fracos.

Confira as linkagens internas e externas e remova esse tipo de link. Você pode fazer isso em ferramentas como o Search Console, na parte de “Tráfego de Pesquisa” e indo em “Links para seu site”.

Links para seu site no Search Console

15. Invista em long tails

Já falamos da importância da boa escolha das palavras-chave e da estratégia de posts satélites. Ambos envolvem palavras-chave long tail, que são muito importantes tanto para quem está começando quanto para quem já investe em SEO.

Long tails são palavras-chave menos concorridas e, portanto, é mais fácil rankear para elas.

É um ótimo caminho investir nesse tipo de palavra para começar a colocar seu site nos motores de busca e fortalecer seu domínio para só depois investir em termos com muita competitividade.

16. Insira links para outros domínios

Muitas pessoas, ao começar uma estratégia de SEO, pensam em fazer links em seus posts apenas para os conteúdos do próprio blog ou site.

Não seja uma dessas pessoas.

Links externos são fundamentais em seu conteúdo. Eles trazem pontos de vista diferentes, direcionam para sites que são referência, são fundamentais para a experiência do usuário e muito bem vistos pelo Google.

É claro que você deve fazer uma linkagem de qualidade, para sites relevantes e com autoridade.

Isso gera autoridade para o seu próprio conteúdo e ainda cria pontes entre o seu blog e outros do nicho, podendo ser pontos de parceria a ser explorados no futuro.

17. Ajuste seus links para abrir em uma nova página

Dica importante e que muitas pessoas deixam passar: todos os links que você faz em seu conteúdo devem abrir em uma nova página, sejam eles internos ou externos.

Existem dois motivos principais e bem simples de entender para fazer isso:

  1. Melhorar a experiência do usuário, principalmente no mobile. Assim, ele não “perde” seu conteúdo inicial e nem precisa ficar clicando sempre em voltar para acessá-lo.
  2. Não prejudicar o time on page nem aumentar a bounce rate: se um usuário clica em um link logo no início do seu texto, isso pode ser extremamente prejudicial para essas duas métricas.

18. Envie guest posts com a âncora certa

Ótimo: você conseguiu uma parceria de guest posts! Isso é muito legal. Então aproveita essa oportunidade ao máximo!

O fator mais importante para a troca de guest posts são os backlinks gerados para o seu domínio. E o segredo para backlinks bem feitos são os textos âncora!

Sempre que enviar um guest, faça a linkagem exatamente para a palavra que quer rankear. Se você quer, por exemplo, rankear para “Sorvete de Morango”, escolha o seu principal post em relação à esse tema e faça a linkagem nessa âncora.

Nunca insira links, em guest posts, em termos como “clique aqui” ou “saiba mais”. Isso fará com que o Google entenda que seu conteúdo é relevante para esses termos.

19. Corrija erros do seu blog

Assim como aqueles conteúdos antigos (que você precisa atualizar ou redirecionar) existem erros no seu blog que podem estar levando seu SEO para baixo.

Links quebrados, erros 404, conteúdos não otimizados, descrições e títulos duplicados… São vários erros que podem prejudicar seu blog ou site.

Use o Search Console para procurar esses erros. Vá em “Erros de Rastreamento” e identifique os erros apontados para elaborar um plano de correção.

20. Descubra perguntas que estão sendo feitas e que você pode responder no seu conteúdo (mas ainda não fez)

Sites como o Quora são ótimos para entender o que os usuários querem saber, ler sobre e até mesmo entender as intenções de busca.

Um tema com várias perguntas vale seu investimento, assim como temas com pouca competitividade. Um indicador disso é quando o Yahoo Respostas, Quora ou sites similares aparecem entre os primeiros resultado.s

Temas chave para investigar em relação à pesquisas de “dúvidas” são temas como “o que é” ou “como fazer”. Além de serem tutoriais extremamente úteis e diretos, tem altas chances de conseguir um featured snippet.

21. Espie os resultados pagos do buscador para criar seu SEO title

Você já parou para pensar que várias pessoas investem em anúncios nos buscadores? Ou seja, em vez de SEO, elas estão pagando para estar nos primeiros resultados.

E quem investe dessa forma em uma estratégia não pode desperdiçar recursos, não é mesmo?

Por isso, os resultados pagos do Google são uma ótima fonte de inspiração para criar seus títulos e descrições.

Observe em que termos eles estão investindo, o que usam no título e como eles despertam o interesse do usuário e aplique em seus títulos e, como já falamos, aumentar a CTR.

22. Encontre oportunidades de link

Essa dica não significa que você deve sair por aí pedindo links para todas as pessoas, calma.

Na verdade, a ideia é que você identifique algumas oportunidades já existentes, mas que não estão sendo exploradas, como:

  • Menções à sua marca em outros sites sem linkagem:

Envie um email para o responsável do blog, solicitando que seu domínio seja linkado à citação.

  • Imagens do seu site não creditadas:

Mesmo caso do tópico anterior, só que agora trata-se de referenciar o crédito do material usado.

  • Sites citando listas de empresas no seu nicho (e você ainda não está entre elas):

Suponha que sua empresa seja especialista em cervejas artesanais e você encontra um conteúdo com o título “13 marcas de cerveja artesanais brasileiras que você precisa conhecer”, e sua marca não está entre elas.

Entre em contato com o responsável pelo blog e solicite, caso ele identifique-se com seu produto, que ele inclua no conteúdo. É interessante você já fazer essa abordagem indicando algumas qualidades do seu produto e ressaltando que seria muito significativo estar naquela lista para você e seu negócio.

  • Links quebrados (ou com erro) em outros sites e que você tem o link perfeito para oferecer no lugar:

Vamos supor que você está lendo um conteúdo em algum site do seu nicho e identificou um link quebrado ou com erro, sendo que você tem o conteúdo exato para o qual aquele link faz referência.

Envie um email mostrando que você identificou esse erro e já ofereça seu conteúdo no lugar como uma solução!

Viu como dá para conseguir links com o que você já tem?

23. Inspire-se em anúncios pagos nas redes sociais para criar sua meta description

Da mesma forma que os anúncios nos buscadores, quem faz anúncios em redes sociais precisa otimizá-los muito para justificar o investimento.

Por isso, inspirar-se no conteúdo desses anúncios é uma boa dica para melhorar suas descrições. Identifique as estratégias que eles usam para convidar o usuário a leitura e despertam sua curiosidade, além dos termos usados, para escrever suas meta descriptions.

24. Não estufe seu conteúdo com links

Linkagem é bom, mas não peque pelo excesso. Apesar de não existir uma quantidade certa, não encha seu texto de links mais que o necessário.

Coloque links para conteúdos estratégicos (aqueles conteúdos mais importantes do seu blog), selecione bem suas âncoras, escolha links que sejam realmente úteis para aquele momento da leitura.

Pense sempre na experiência do usuário! Aquele link vai acrescentar algo para ele ou é apenas mais um link feito de forma aleatória?

A chance de um conteúdo com menos links, porém de qualidade, receber cliques nesses links é bem maior!

25. Mude para HTTPS

Essa dica é para ontem! A segurança do seu site é primordial, e mudar para HTTPS é parte fundamental disso.

O Google entende que sites HTTPS e que apontam para esse tipo de link prezam pela boa navegabilidade e experiência do usuário, já que isso está relacionado com sua experiência online.

Para aprender como fazer essas mudanças, leia nosso post completo sobre esse assunto!

26. Não crie conteúdo duplicado

Lembra que falamos que um dos principais erros do seu blog pode ser conteúdo duplicado? Pois é, isso é bem grave.

Seja internamente ou externamente, o Google identifica conteúdo duplicado e penalizará seu blog por isso.

Portanto, muito cuidado na hora de criar descrições, títulos, trechos de texto e outros conteúdos dentro do seu blog. Não é só mudar a ordem de palavras: é realmente fazer algo novo.

Além disso, sempre que for repostar conteúdo (no seu blog ou em outras plataformas) use tags canônicas, sinalizando para o Google essa reprodução. Ah, se você tem medo de repostar conteúdo, leia o próximo tópico:

27. Reposte conteúdo

Repostar conteúdo é uma estratégia que, quando bem aplicada, pode trazer benefícios para sua estratégia.

Ela engaja novos públicos, te posiciona como autoridade em outros canais e aumenta seu alcance.

Mas tudo deve ser feito com MUITO cuidado. Aprenda as melhores práticas aqui!

28. Incentive os comentários em sua página

Comentários são muito positivos: eles mostram engajamento com seu conteúdo, mostram que você é influente e ainda podem ser um importante aspecto de SEO.

Quando os comentários têm perguntas, respostas ou até mesmo reflexões adicionais, eles podem fazer com que o Google interprete bem seu site como um todo e até mesmo rankeie seus conteúdos com base (também) nos comentários.

Quer um exemplo?

Se você digitar “principal fator de SEO on page” no Google, o primeiro resultado (orgânico) vai seu um post aqui do blog:

SERP para a busca "principal fator de seo on page"

Mas, se você entrar nesse conteúdo (é só clicar aqui) vai perceber que a proposta dele é diferente. Primeiro, nós redigimos esse conteúdo para desafiar nossos usuários a dar a melhor resposta. Por isso tivemos um grande número de comentários e já começamos a rankear.

Depois de um tempo, nós escolhemos a melhor resposta e o André, nosso especialista em Marketing de Conteúdo, deu seu próprio ponto de vista.

Viu como dá pra ser criativo e ainda rankear?

29. Identifique pontos de saída do seu site e melhore-os

Você pode identificar as principais páginas de saída do seu blog ou site (Google Analytics) ou pontos em que o usuário deixou o conteúdo (heat map) para identificar o que precisa ser melhorado para que as pessoas permaneçam em seu domínio.

Isso é fundamental para o tempo de permanência na página que, como já falamos, é um ponto fundamental em SEO.

30. Lembre- se de usar corretamente as heading tags

As heading tags orientam o Google na “leitura” do seu conteúdo e tornam-o escaneável para a leitura do usuário. Portanto, usá-las de forma correta é essencial.

Uma página deve ter apenas um H1, que é o título dela. Não use outras H1 em seu conteúdo!

A partir daí, basta usar a lógica da hierarquia para estruturar os tópicos do seu conteúdo. Cada tópico é um H2 e, se você precisar colocar um subtópico dentro de um tópico principal, use H3 (e assim segue, com H4, H5…).

Lembre-se: negrito, itálico e sublinhados não são heading tags. Eles tornam seu conteúdo mais escaneável, mas não são suficientes para guiar a indexação dos bots, que é fundamental para seu rankeamento.

Se você quer entender mais sobre as heading tags, leia nosso conteúdo sobre o assunto.

31. Escreva bons conteúdos

Sim, isso importa muito. O conteúdo é a parte mais importante de SEO, no fim das contas, e se você tiver um conteúdo meia-boca, as pessoas irão cair fora e o buscador vai entender que seu conteúdo não é bom.

Não adianta fazer todas as otimizações para os bots se você escreve um conteúdo com muitos erros gramaticais, com ideias desorganizadas e estruturas confusas. As pessoas não vão gostar.

E, se elas não gostam, o Google também não.

Organize suas ideias, faça um bom planejamento e uma boa revisão de conteúdo.

32. LSI: seja significativo

LSI é a sigla para Latent Semanitc Indexing, ou seja, a indexação baseada em semântica do Google.

Acontece que, a algum tempo atrás, muitas pessoas acreditavam que, para rankear, bastava repetir a palavra-chave incansavelmente no post.

Se isso funcionou em algum momento no passado, não funciona mais. O Google consegue interpretar a qualidade e relevância do seu texto pelo campo semântico utilizado, ou seja, na relação de significância presente no conteúdo do seu texto.

Para ficar mais claro, vamos a um exemplo prático: a manga!

Manga de camisa vs manga fruta

Estamos falando da fruta ou da parte da camisa? Como o Google vai entender isso?

Bom, se você usa palavras como árvore, fruta, sabor, ele vai entender que é o primeiro caso. Já se você escreve loja, roupa, camisa, vai ficar claro que estamos falando de uma blusa.

Viu como o grupo de palavras usado faz toda a diferença?

Por isso é importante explorar seu conteúdo, tornando-o rico e informativo para o usuário. Mas não se preocupe! Um conteúdo de qualidade provavelmente fará isso de forma natural.

Entenda como e explore ainda mais as possibilidades da semântica neste post completo sobre o assunto.

33. Prenda o leitor em seu conteúdo: invista na introdução

Ter um leitor que permanece no seu conteúdo é importante. Isso mostra que ele é interessante e tem qualidade, caso contrário, quem ficaria por ali?

Essa é a lógica que o Google usa para considerar o time on page um fator de rankeamento. Assim, investir em uma boa introdução é fundamental, pois ela encantará seu leitor logo de cara, fazendo com que ele entenda que o seu conteúdo será tão bom quanto as primeiras linhas.

Conquiste seu leitor, gere uma sensação de proximidade e mostre que o seu conteúdo vale a pena ser lido.

34. Determine uma frequência de postagem

Você não precisa postar no seu blog todos os dias, relaxa. Mas você precisa sim estabelecer uma frequência de postagem e comprometer-se com ela.

Vai postar três vezes por semana? Ótimo. Faça os posts e siga seu calendário editorial.

É claro que alguns imprevistos acontecem e pode ser que você nem sempre consiga atender a frequência proposta. Algumas semanas você vai postar 5 vezes, em outras apenas duas.

Mas, no geral, seja frequente e não pare de postar.

Deixar de postar em seu blog pode trazer prejuízos imensos, como perda de autoridade geral do domínio e perda de posições na SERP, diminuindo seu tráfego geral e prejudicando sua estratégia.

35. Consiga tráfego do Google Images

O Google Imagens tem muito potencial para levar tráfego para seu site ou blog, especialmente em casos de “negócios visuais” (como escritórios de arquitetura e e-commerces de roupas e acessórios).

Para que sua imagem rankeie entre os primeiros resultados da busca de imagens, é importante fazer otimizações, como nomear o arquivo com a palavra-chave (não use arquivos de nomes aleatórios, como JPEG.00718), usá-la no alt text e incluir uma descrição do conteúdo da imagem nesse mesmo campo. Caso contrário, como o Google conseguiria identificar o conteúdo visual, certo?

36. Moz Bar: fique de olho em seus concorrentes — e também em seus parceiros

A Moz Bar é um recurso fundamental para quem investe em SEO. O legal é que ela é gratuita (com algumas limitações, é claro) e permite que você veja a autoridade de domínio e página de qualquer site.

Como usar isso na prática?

Existem vários aprendizados e inspirações que você pode tirar da Moz Bar. Dentre os principais, eu cito:

  • identificar sites com DA e PA altos e entender o que eles fazem para conseguir isso;
  • espionar seus concorrentes, acompanhando esses indicadores em comparação ao seu e tomando medidas para sempre ter maiores índices;
  • encontrar possíveis parceiros para guest posts e co-marketings que tenham DA e PA bons e saudáveis, gerando links de autoridade para o seu blog.

37. Invista em anúncios com sabedoria

Opa, mas não estamos falando de SEO e, portanto, focando em melhorias orgânicas? Sim, mas se você usar o Google Ads com sabedoria, pode ter resultados positivos para o seu site.

Ninguém (ok, talvez duas pessoas) vai para a segunda página do buscador atrás de um resultado. Por isso, se você está por lá, faça testes de títulos e descrições do seu conteúdo com anúncios, e depois escolha os que performam melhor.

Pronto! Invista neles e veja seus rankings subirem!

38. Não use páginas diferentes para competir para uma mesma palavra-chave

Existe um mundo enorme de palavras-chave.

Da mesma forma que você não deve tentar otimizar seu conteúdo para várias palavras-chave, não faça conteúdos diferentes para competir para um mesmo termo.

A lógica é simples: é muito mais interessante investir seus esforços na otimização de um conteúdo para que ele atinja melhores posições, do que faça vários conteúdos sem tanta qualidade sobre o mesmo assunto, mas que não irão rankear bem.

39. Identifique quedas bruscas no tráfego e solucione o problema

Identificou que um conteúdo está caindo bruscamente na pesquisa orgânica? Entenda o que está acontecendo!

Identifique se aquela página apresentar algum erro que atrapalhe a navegação. Acesse a SERP, veja quem passou na sua frente e o que eles melhoraram, mas você não.

Algumas vezes, uma atualização de conteúdo ou mesmo uma mudança na meta description já é suficiente para ver os rankings aumentarem.

Se a queda de tráfego não foi em apenas um conteúdo, mas vários, vá mais fundo. Talvez seu blog tenha sido penalizado pelo Google de alguma forma ou você tenha perdido várias palavras-chave.

Independente do problema, o importante é encontrar formas de solucioná-lo e recuperar sua autoridade e seus rankings.

Embora fazer SEO não seja a coisa mais fácil do mundo, eu espero que essas dicas ajudem você na sua prática diária e que mostrem que é possível, com pequenas mudanças e práticas, conseguir resultados cada vez melhores — e especializar-se cada vez mais.

E você, tem alguma dica de SEO para compartilhar com a gente? Deixe nos comentários!

 

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo