Gestão de Metas para eventos

Gestão de metas para eventos: acompanhe suas métricas para melhores resultados

Como analisar, estabelecer objetivos e planejar o seu evento para obter resultados incríveis? Aprenda como fazer a gestão de metas do seu evento e entenda!

Em qualquer projeto, a mensuração dos resultados é fundamental para avaliar se os objetivos propostos no início da empreitada foram atingidos. Mais ainda, esse tipo de análise se mostra bastante eficaz como forma de extrair aprendizados para aprimorar a abordagem nas próximas iniciativas.

Quando falamos de eventos, isso não é diferente: esse balanço vai garantir que, no futuro, a tomada de decisão seja melhor embasada, bem como que o próprio planejamento estratégico seja elaborado de maneira mais acertada.

Mas engana-se quem pensa que basta examinar as métricas ao final do projeto. A maneira mais eficaz de, de fato, conquistar o sucesso e atingir os objetivos — além de apreender o máximo de ensinamentos possíveis — é por meio de uma boa gestão de metas para eventos, que ocorre durante todo o processo, e não apenas no pós-evento.

Por isso, no post de hoje, vamos nos aprofundar nesse assunto. Ao final da leitura, você será capaz de gerenciar suas metas com maestria. Confira!

A importância da gestão de metas para eventos

Para construir uma parede, você precisa colocar tijolo por tijolo e só ao final terá o resultado final da construção. Com relação aos objetivos de um evento, acontece da mesma forma: é preciso cumprir diversas tarefas, superando cada etapa, para que, ao final, a meta principal seja alcançada.

Da mesma forma que um tijolo mal colocado vai prejudicar a parede que está sendo construída, uma etapa mal executada certamente vai afetar negativamente o resultado final do seu projeto. E, é claro, perceber isso depois que a construção foi concluída não vai fazer com que sua qualidade melhore.

É justamente por isso que a gestão de metas para eventos é tão importante. Quando aplicada ao longo da produção, ela vai possibilitar a avaliação do desempenho de cada indicador, de forma que seja possível implementar mudanças sempre que os resultados não atenderem às expectativas — garantindo que a equação final seja positiva para você.

O acompanhamento das metas

Existem diversas formas de se administrar os objetivos. De maneira geral, você precisa estabelecer metas que sejam realistas, mensuráveis e, especialmente, alcançáveis, e acompanhá-las periodicamente, implementando mudanças sempre que necessário.

Você pode tentar fazer esse acompanhamento sem necessariamente usar algum tipo de padronização, mas corre o risco de se perder em meio a tantos indicadores. Por isso, há algumas metodologias que possibilitam uma análise mais sistematizada — o que sem dúvidas vai garantir um trabalho não só mais eficaz como também, e principalmente, mais eficiente.

Metodologia OKR

OKR é a sigla para “objectives and key results”, ou seja, objetivos e resultados-chave. Essa metodologia é bastante interessante porque relaciona aspectos qualitativos (os objetivos) com quantitativos (os resultados-chave). Ou seja, você estabelece onde quer chegar e que parâmetros precisa obter para saber se chegou lá.

Mas essa não é a única vantagem. Estamos falando de uma gestão de metas para eventos descentralizada, o que garante bastante flexibilidade. Com isso, é possível utilizá-la tanto em grandes projetos quanto em outros menores com a mesma efetividade.

Além disso, a metodologia OKR valoriza a atuação dos colaboradores, pois, graças a essa descentralização, os objetivos serão sempre tangíveis para eles. Assim, você garante a motivação de todos até o final do evento.

Mas se você ainda está na dúvida sobre utilizá-la ou não, vamos te dar uma informação que pode te convencer: essa é a estratégia adotada por grandes empresas do Vale do Silício — como Twitter e LinkedIn — e foi utilizada pelo Google quando a empresa ainda estava no seu primeiro ano de atuação e não era o gigante dos motores de busca que é hoje.

Como implantar o método OKR?

Trace objetivos

Os objetivos nessa abordagem devem estar claros para toda a equipe envolvida no projeto. Mais do que isso, eles precisam ser simples, pois é justamente essa facilidade de compreensão que motivará os envolvidos a se empenharem nisso.

Uma diferença significativa dessa metodologia para outras é que as metas não são impositivas, do alto para o baixo escalão. Embora esse grupo de altos gestores seja responsável por 40% delas (o chamado sistema top down), os times respondem pela elaboração de 60% dos objetivos (conhecido como bottom up).

Essa divisão faz toda a diferença ao longo do processo: enquanto o grupo mais sênior indica os objetivos estratégicos do evento, as equipes desdobram isso em metas mais próximas de sua realidade. Se a presidência, por exemplo, define que o evento se torne a maior referência em sua área de atuação, caberá a cada time estabelecer as metas para contribuir com isso.

Defina e monitore resultados-chave

Os resultados-chave devem ser definidos a partir de cada objetivo, de maneira quantitativa. Mas, diferentemente do propósito, que deve ser claro e simples, essas métricas devem ser desafiadoras.

Mas lembre-se: elas devem provocar o colaborador a dar o máximo de si para alcançá-las e não devem, em hipótese alguma, ser impossíveis de ser atingidas. Elas devem ser motivadoras, nunca o contrário.

Esses key results devem ser acompanhados periodicamente, de forma a avaliar se o trabalho que está sendo executado está de acordo com eles. Pensando no exemplo que demos anteriormente, uma determinada equipe pode estabelecer como indicadores de que o evento se tornou referência em sua área de atuação os seguintes resultados-chave:

  1. atingir um certo número de inscrições;
  2. alcançar certa porcentagem de interações positivas com a marca nas redes sociais.

Para que eles sejam atingidos, será preciso analisar com regularidade se o número de inscrições está aumentando e quais são os tipos de postagens nas mídias sociais que mencionam o evento. A vantagem de fazer a gestão de metas para eventos é que, caso os indicadores não estejam caminhando em direção a alcançá-las, o time poderá implementar mudanças que modifiquem a situação.

Como você pode perceber, a metodologia OKR não é tão difícil de ser implementada. De maneira concisa, ela pode ser resumida nas seguintes etapas:

  1. elaboração de objetivos qualitativos macro (da presidência e alto escalão) claros e simples;
  2. concepção dos objetivos qualitativos de cada equipe;
  3. definição dos indicadores-chave quantitativos mensuráveis e desafiadores para cada objetivo em cada time;
  4. monitoramento e análise periódica das métricas;
  5. identificação de problemas e implementação de mudanças sempre que as métricas não estiverem de acordo com o esperado.

Aplicando esse método na produção de seus eventos, você perceberá como vai ser mais simples alcançar os resultados esperados.

Quer investir em uma gestão de metas para eventos cada vez mais efetiva e atingir todos os seus objetivos com seus eventos? Conheça o blog da mobLee e tenha acesso a mais conteúdos sobre o assunto.

Este artigo foi escrito pela equipe da mobLee.

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo