Google Analytics

Google Analytics: um guia para usar essa ferramenta

Quer aprender a usar o Google Analytics de uma vez por todas? Confira nosso guia completo e tenha sucesso com suas métricas!

O Google Analytics é uma excelente ferramenta para entender melhor o público do seu site e mensurar os resultados de marketing. Ela permite acompanhar o volume de visitas, o tempo que o usuário gasta nas páginas e, inclusive, a quantidade de conversões ou de faturamento de uma loja virtual.

Não é à toa que o Google Analytics é apontado por 83% dos e-commerces como a ferramenta mais importante para analisar os resultados das redes sociais.

E, se você está pensando que essa é mais uma daquelas dicas as quais que você não conseguirá ter acesso por causa do valor elevado, temos uma boa notícia: o Google Analytics possui uma versão gratuita bastante completa e excelente para quem tem um negócio pequeno.

Quer aprender a como usar o Google Analytics para levar a estratégia de marketing digital da sua empresa a outro nível? Então, não deixe de ler este guia!

Lembrando que você pode também baixar um conteúdo ainda mais completo do Google Analytics, caso queira explorar mais elementos.

Ebook Google Analytics para e-commerce

O Google Analytics

Antes de começarmos com a parte prática de como usar a ferramenta, é importante que você entenda melhor o que é o Google Analytics.

Essa é uma plataforma de análise de dados online do Google que, a partir da instalação de um código nas páginas do site, coleta informações dos usuários e as transforma em relatórios.

Com o Google Analytics é possível obter informações como o tempo que o usuário passa em um site, quais palavras-chave ele pesquisou para chegar até lá, quais as páginas que ele visitou e qual fonte de tráfego que o levou até essas páginas.

Ou seja, você terá um prato cheio de dados para entender melhor quem são as suas personas e, assim, tornar as estratégias de marketing ainda mais efetivas!

O painel do Google Analytics

Como dissemos, você precisará instalar um código em todas as páginas do seu site para que o Google Analytics comece a capturar as informações.

Feito isso, você deverá acessar o seu painel para começar a analisar os relatórios. A 1ª página que você vai visualizar é a de um relatório resumido dos últimos 7 dias e algumas estatísticas “ao vivo” do site.

No menu da esquerda, você terá acesso aos relatórios mais detalhados, como público, comportamento, aquisição e conversões.

Ainda é possível filtrar as datas de todos os relatórios. Ou seja, você pode tanto analisar os dados da última semana quanto do último mês, entre outras opções.

As principais métricas

Agora que você já conhece um pouco mais do painel do Google Analytics, é chegado o momento de conhecer as principais métricas e, provavelmente, as que você vai mais usar.

Sessões

O Google Analytics considera como sessão o tempo que um usuário ficou ativo em um site. Essa métrica é equivalente às visitas no período selecionado, uma vez que a ferramenta desconsidera quando o usuário abre e fecha a página sem interagir.

Usuários

Essa métrica revela o número de visitantes únicos no site no período. Ou seja, se a mesma pessoa visitou o site 5 vezes durante o mês que você selecionou, por exemplo, a métrica indicará 1 usuário.

Taxa de rejeição

Esse é um indicador bastante interessante, uma vez que mostra a porcentagem de pessoas que abriram uma página, mas não realizaram nenhuma interação. Ter uma taxa de rejeição muito alta pode indicar que o conteúdo ou a usabilidade do site precisa melhorar, mas isso vai depender do propósito do seu site.

Páginas por sessão

Mais uma métrica que pode dar insights valiosos sobre a qualidade do conteúdo do seu site. Ela mostra o número médio de páginas navegadas durante uma sessão. Quando maior esse número for, mais alto poderá ser o tempo gasto no site.

Duração média da sessão

É aqui que você vai entender quanto tempo cada usuário permanece ativo no site. Se o seu site tem bastante conteúdo e esse indicador é baixo, é sinal de que as informações apresentadas não estão interessantes.

As fontes de tráfego

Esse é um relatório muito importante que você consegue obter com o Google Analytics. Ele mostra quais são as fontes externas, como outros sites e blogs, que geram visitas ao site da sua empresa.

Com ele, é possível mensurar a efetividade de campanhas (no Google AdWords, Facebook, entre outros) e ainda identificar potenciais parceiros, como blogs que fizeram links para o seu site e estão trazendo acessos.

Algumas das fontes de tráfego mais comuns são:

Organic search

Visitas provenientes de buscas não pagas no Google. Ela acontece quando um usuário busca por um produto vendido pela sua empresa, por exemplo, e clica no seu site.

Social

Aqui, o Google Analytics centraliza todos os links que apontam para o seu site nas redes sociais, sejam eles orgânicos ou pagos.

Email

Quando a fonte de tráfego é proveniente de um email marketing ou uma newsletter.

Direct

Esse dado aponta quantas pessoas digitaram o site da sua empresa diretamente no navegador. Ou seja, são usuários que já conhecem o negócio ou o que é vendido.

Referral

Esses são os sites de referência, ou seja, qualquer outro site ou blog que aponte a sua página em algum momento.

Paid search

Aqui estão os resultados das campanhas pagas do Google.

A mensuração de conversões

É muito comum acreditarmos que, por não atuarmos com uma loja virtual, mensurar conversões no site não é uma tarefa importante.

No entanto, todo negócio tem um propósito e, por isso, as conversões devem sim ser monitoradas!

Se você não vende nada online, pode entender como conversão um preenchimento de formulário, a visualização de uma página específica do site ou, até mesmo, um usuário que permaneça X minutos na página. Tudo vai depender do objetivo definido em sua estratégia de marketing digital.

Com o Google Analytics, é possível configurar algumas metas para que elas sejam acompanhadas e, assim, você entenda as conversões do site.

Imagine, por exemplo, que o objetivo do site seja gerar contatos. Dessa forma, você poderá configurar uma meta na página de “contato enviado” para poder visualizar facilmente quantas visitas converteram em cada período.

A configuração de metas no Google Analytics

Como o Google Analytics é bastante dinâmico, é possível que você mesmo defina quais as metas que deseja acompanhar de forma simples e rápida.

Para tanto, você deverá acessar a área de administrador da conta, onde terá acesso à parte de metas. Existem 4 tipos de metas que podem ser definidas:

Destino

Essa costuma ser a meta mais usada, uma vez que ela considera como conversão toda vez que um usuário chega a uma URL específica. No caso que demos anteriormente, a URL com a mensagem de “contato enviado” será o gatilho para computar uma meta realizada.

Duração

Essa é a meta que acompanha o tempo de duração de uma sessão. Para blogs e sites com muito conteúdo, ela é extremamente útil, uma vez que revela se a pessoa realmente leu o post.

Páginas/telas por sessão

Aqui, é possível avaliar se o usuário realmente está consumindo o conteúdo do seu site. Essa meta vai mostrar o número de páginas navegadas durante uma sessão.

Evento

Essa meta é qualquer ação do usuário definida por você. Pode ser desde assistir a um vídeo do site a clicar em algum botão específico.

Os relatórios personalizados

Mais uma grande facilidade do Google Analytics é que você pode personalizar os seus relatórios para tornar a análise mais ágil e exata.

É possível filtrar informações de determinado grupo de usuários por meio de dados demográficos ou de navegação para que você entenda melhor o comportamento desse grupo.

Digamos que você deseje saber em qual estado estão as pessoas que compram mais no seu site ou consomem mais conteúdo. Basta aplicar esses filtros e, assim, analisar mais de perto esses usuários.

Dicas extras para usar o Google Analytics

Agora que você já conhece todas as opções de relatórios e os dados oferecidos pela ferramenta, temos mais algumas dicas para levar a mensuração do site para outro nível.

A 1ª dela é que o Google tem uma ferramenta para parametrizar URLs de forma gratuita. Ao usá-la, você consegue entender ainda mais no detalhe o comportamento dos usuários no site e os resultados das campanhas.

Ela permite, por exemplo, que você monitore qual anúncio no Facebook gerou mais visitas ou conversões ao site.

Também é importante integrar todos os produtos do Google que você utiliza e, assim, ter uma visão mais global das campanhas. Se você faz campanhas pelo Google AdWords, não deixe de fazer com que ele converse também com o Analytics.

Você ainda pode usar o recurso de anotações no Google Analytics para lembrar de acontecimentos importantes nos relatórios e traçar relações.

Digamos que você tenha realizado uma grande promoção ou aumentado o investimento em links patrocinados. Sinalize essa informação nos relatórios para entender se elas trouxeram os resultados esperados.

Por fim, é importante dizer que aquele mito de investir grandes verbas em anúncios para atrair mais visitas ao seu site não é inteiramente verdade. É claro que a divulgação é importante, no entanto, é possível aumentar as visitas de forma orgânica e com um conteúdo de alta qualidade.

Quer entender como aplicar esse tipo de estratégia ao site negócio e, assim, potencializar as conversões? Não deixe de baixar o nosso ebook para descobrir os segredos do tráfego orgânico!

Segredos do Tráfego Orgânico