Marketing de Guerrilha e Inbound

Como aliar Marketing de Guerrilha e Inbound Marketing? Descubra o valor deles para sua estratégia

O marketing de guerrilha e inbound marketing têm pontos em comum que podem ser úteis para sua empresa. Entenda tudo sobre o assunto!

Competir com empresas de grande porte e marcas consagradas, principalmente quando consideramos os orçamentos destinados às ações de marketing, pode não ser exatamente a realidade da maioria das companhias.

Pra você ter uma noção, a Coca-Cola, por exemplo, investe cerca de 20% do seu orçamento em social media marketing.

Mesmo assim, sua marca precisa ganhar visibilidade para crescer, certo? Neste caso, chamar a atenção dos consumidores vai exigir um pouco mais de criatividade e esforços adicionais para conseguir obter alguma vantagem competitiva.

Pois bem, para ajudar a puxar a brasa pra sua sardinha, surgiu o conhecido marketing de guerrilha.

Mas, o que é isso? Trata-se nada mais do que de um conjunto de estratégias publicitárias e ações que podem ser desenvolvidas com orçamentos reduzidos, mas com criatividade de sobra, tudo para chamar a atenção do público e aproveitar o que se define como fator surpresa.

Na verdade, além do fato de ser bastante útil quando não há excedente de recursos financeiros, o marketing de guerrilha está pensado para companhias que querem ganhar visibilidade rapidamente.

Sabe como fazer isso? Por meio de ações pontuais, de impacto relevante, que tentam alcançar a maior quantidade de público possível, e em pouco tempo.

Se você buscar exemplos de marketing de guerrilha na internet, principalmente no Google Images, vai ver que as ações mais famosas são idealizadas para ambientes offline. Agora, é importante lembrar que o que gera impacto na vida real dos consumidores tem grandes possibilidades de migrar para a internet e viralizar, principalmente como conteúdo para redes sociais.

Você pode até estar dizendo algo como “Certo, mas o que o inbound marketing tem a ver com isso?”.

Já já, entraremos em mais detalhes.  Mas, antes, vamos ver algumas características do Marketing de Guerrilha pra fechar a ideia e deixar tudo mais claro pra você.

Características do Marketing de Guerrilha

Para ganhar o status de marketing de guerrilha, uma campanha precisa responder a algumas condições que listamos abaixo. São as exatamente as características que diferenciam esta estratégia das campanhas de marketing, digamos, mais tradicionais.

  • Usa canais não-convencionais (ou use os canais tradicionais de uma forma original);
  • A criatividade é o ponto forte. Com iniciativas originais, até mesmo condicionamentos como orçamentos apertados podem ser vencidas;
  • O marketing de guerrilha também se destaca por promover ações que não têm cara de publicidade. Surpresa e transgressão precisam estar presentes. Uma iniciativa de marketing de guerrilha se destaca pela diferença, não pelas semelhanças;
  • A ideia, além de chamar a atenção, é causar impacto no consumidor para que ele seja capaz de reagir de alguma maneira. Você precisa deixar uma marca no público, criar uma relação entre ele e sua marca.

Se você quiser ver alguns exemplos de marketing de guerrilha, pode dar uma olhada em nosso outro artigo sobre o tema. Só pra ilustrar visualmente, a gente já deixa um caso interessante aqui, a campanha do concorrente do Uber, a Lyft. A marca usou o mesmo bigodinho na frente do carro, só que rosa:

Como aliar o Inbound Marketing com o Marketing de Guerrilha?

Como você já deve saber, no inbound marketing, são combinadas técnicas de publicidade e de marketing, mas sempre de uma forma mais sutil, sem que o público perceba elas como invasivas.

O objetivo do inbound marketing é criar uma relação de proximidade com o público, com naturalidade, no começo da sua jornada de compras, para seguir acompanhando os usuários e oferecer conteúdos úteis e com valor agregado em cada fase do funil, até chegar na conversão final.

O marketing de guerrilha é exatamente o contrário. Faz o possível para ter um alto impacto na mente dos consumidores e chamar a atenção ao desenvolver ações publicitárias de impacto, mesmo que disfarçadas, e somente naquele momento.  Resumindo:

  • Inbound Marketing: Contato, conteúdos originais e de interesse, relação natural e orgânica, regularidade de publicação, relação e resultados a médio e longo prazo.
  • Marketing de Guerrilha: Impacto, disrupção, surpresa e incidência pontual, mesmo que dentro de uma estratégia mais ampla.

Então, como unir estratégias tão diferentes?

Pode parecer um paradoxo, mas o marketing de guerrilha e o inbound marketing são parecidos em suas diferenças. Antes de pensar “como assim?”, vejamos como os dois conceitos podem chegar a dialogar:

  • Ambas as estratégias de marketing rompem com paradigmas convencionais do mundo do marketing e da publicidade;
  • Em ambos os casos, os meios tradicionais de comunicação não são imprescindíveis;
  • Os orçamentos dos dois tipos de marketing são factíveis e acessíveis para a maioria das companhias;
  • Mesmo que de formas muito diferentes, tentam atrair o público fornecendo algo que possa lhe interessar, que agrega valor ou que entretém;
  • Os dois tipos de marketing tentam melhorar o reconhecimento das marcas;
  • Por fim: a qualidade e a criatividade das propostas é o que mais importa. O inbound marketing pensa em conteúdos com valor agregado, o de guerrilha tenta surpreender e impactar.

Começou a fazer mais sentido? Pois vamos passar para a segunda parte do artigo e começar a criar conexões mais práticas entre um e outro tipo de marketing.

Ações para aliar o marketing de guerrilha e o inbound marketing

Pois bem, a melhor forma de conectar estas duas estratégias de marketing é usar o de guerrilha nas duas primeiras fases do inbound: as de atração e criação de bases de dados com informações dos prospectos e, depois, dar seguimento ao acompanhamento do cliente em potencial com conteúdos ricos e de seu interesse.

Neste sentido, para que você possa visualizar algumas possibilidades, vejamos alguns exemplos de ações online e offline.

Em ambos os casos, o objetivo é o mesmo: orientar o usuário a algum dos canais onde sua marca está presente, sejam as redes sociais, página web, blog ou outros.

  • Quando promover alguma iniciativa de marketing de guerrilha, convoque o usuário a responder à alguma chamada para ação, como participar de um sorteio online;
  • Oriente suas iniciativas de marketing de guerrilha no sentido de pedir o endereço de email dos usuários. Assim, você começa a criar uma base de dados para usar depois, em campanhas de mailing;
  • Trabalhar com gamification também traz bons resultados e atrai mais visitantes para sua página. Neste sentido, relacione suas iniciativas com atividades lúdicas ou recreativas. Joguinhos tipo perguntas e respostas, adivinhações, enigmas, tudo vale. É uma excelente maneira de melhorar os resultados alcançados pelas ações de inbound marketing;
  • Na hora de pensar em conteúdo para redes sociais, não esqueça de estimular a participação do público. Sua marca vai potencializar a presença nas redes e dar mais visibilidade aos canais onde se gera mais tráfego.

Menos investimento, mais imaginação

Na hora de posicionar um produto, serviço ou marca no imaginário do público, o marketing de guerrilha leva algumas vantagens. Isso acontece pelo seu poder de se conectar de forma emocional com os usuários.

As ações, em geral, têm grande capacidade de penetração na mente dos consumidores.

Ou seja, a ideia é impactar os sentidos. Despertar o interesse pela busca. Daí pra frente, cabe ao inbound marketing estar preparado para fornecer conteúdos que complementem o sentimento original.

Essa necessidade de unidade na representação dos conceitos também se relaciona com o branding, em um sentido mais amplo.

Por quê? Porque é importante, como acabamos de informar, ser homogêneo em suas iniciativas.

Você pode até desenvolver uma ação genial de marketing de guerrilha, mas se o cliente, quando der o seguinte passo na busca de informações sobre sua marca, encontrar algo totalmente diferente do que esperava, perde-se uma excelente oportunidade.

Neste sentido, sempre que estiver pensando sobre como programar publicações no Facebook para dar suporte às ações de marketing de guerrilha, dê sinais de que a iniciativa anterior tem continuidade em seus conteúdos publicados nas redes.

O mesmo vale em outras redes, principalmente nas mais visuais. Dessa forma, quando for programar posts no instagram, aproveite todo o potencial dessa rede, que tem tanto apelo imagético, e aposte em postagens relacionadas, que criem uma sensação de unidade e continuidade.

O marketing de guerrilha pode dar passagem para que o cliente comece a realizar buscas mais específicas. Se pudermos associar outro conceito, o ZMOT (Momento Zero da Verdade), a relação com o inbound marketing fica ainda mais evidente.

No ZMOT, o cliente ainda não tem predileção por uma marca em particular. Ele inicia sua busca e levantamento de informações antes mesmo de saber o produto que vai adquirir. No inbound, acontece algo parecido na primeira etapa do funil, quando os prospectos estão procurando informações.

A partir do momento em que o usuário se interessa por alguma de suas ações de marketing de guerrilha, você dá um passinho a mais na direção do consumidor, ou ele, a seu encontro.

Quando falamos do momento zero da verdade, normalmente associamos a ideia a conteúdos que sejam capazes de despertar o interesse, chamar a atenção, mas de forma natural.

O marketing de guerrilha pode dar um empurrãozinho e criar uma chance a mais para que as pessoas queiram saber mais sobre você, mesmo que ainda não tenham se decidido.

Por isso, ser criativo é tão importante.

E pode parecer contraditório, mas, muitas vezes, somos mais imaginativos e fazemos mais quando contamos com poucos recursos. Quando o orçamento é elástico, costumamos seguir alguns caminhos já trilhados, até porque sabemos que funcionam. Sem orçamento, você tem que encontrar outra forma de chamar a atenção.

Ou seja, quando o assunto é percepção e emoção, precisamos entender que cada indivíduo é um mundo completamente diferente.

Algumas coisas funcionam para alguns, mas não para outros. Por isso, mais do que racionalizar o pensamento e seguir as fórmulas publicitárias prontas, considere aspectos relevantes para os públicos que você quer atingir.

Outra coisa importante: as pessoas já não são mais afetadas pelas mesmas coisas de sempre.

A realidade mudou, os públicos estão totalmente diferentes (veja o caso dos millennials, como para dar um exemplo) e o meio de interação é outro (a internet). Logo, é fundamental lembrar que o marketing também tem que encontrar novos caminhos e fazer outras associações.

Como segue a história?

Para falar a verdade, ninguém sabe exatamente, mas podemos observar sinais. O primeiro é o fato de que a concorrência está cada vez maior na internet e, provavelmente, há ziles de empresas trabalhando suas estratégias de inbound marketing de forma muito semelhante a você.

Neste cenário, o marketing de guerrilha tem especial participação por criar uma chance a mais de ser visto.

Mais ainda: estamos na era dourada da publicidade pela internet, principalmente quando falamos de pequenas e médias companhias. Estas, que não podem gastar 20% de seus orçamentos com publicidade como a Coca-Cola, encontram no inbound marketing associado ao marketing de guerrilha uma interessante oportunidade.

Principalmente quando unimos as iniciativas de marketing de guerrilha com o suporte de conteúdos com valor agregado que o inbound marketing proporciona, entendemos que ambos os tipos são mais do que compatíveis. É, efetivamente, uma oportunidade a explorar.

Vai que uma ação de guerrilha offline viraliza?

Melhor estar preparado pra receber essa multidão de usuários querendo saber mais sobre você, sua marca, seus produtos e serviços, além de se interessarem por como você pensa.

O marketing de guerrilha não é exclusivo do mundo offline, ele pode se adaptar a qualquer canal ou tecnologia. Cabe então, à sua marca, encontrar os melhores conceitos e ideias para desenvolver e criar ações de impacto que possam ter continuidade com seus outros conteúdos.

Esperamos que este artigo tenha apresentados novas alternativas pra você e sua companhia trabalharem e melhorarem sua presença na internet e na mente dos consumidores.

 

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo