Métricas de performance no futebol e no marketing

Na Copa 2018, entenda quais métricas sua empresa deve ter em mente, assim como a seleção

As métricas de performance são essenciais no acompanhamento e desenvolvimento de marketing e não é diferente no futebol! Entenda quais as métricas que mostram a eficiência de cada um!

Todo mundo sabe que a indústria do futebol movimenta muitos milhões direta e indiretamente, por isso, o desempenho dos atletas precisa ser cada vez mais apurado dentro de campo para que o show continue gerando negócios.

Estratégias de marketing corporativas também não ficam para trás e podem faturar bons resultados para suas empresas. Não por acaso, essas áreas apostam suas fichas, e gestão, nas métricas de performance.

Você provavelmente já ouviu por aí que futebol “não é só um jogo“, e isso traz um certo equilíbrio para essa visão cada vez mais capitalista do esporte. E a verdade é que o marketing também não é só uma estratégia para aumentar as vendas!

Tanto futebol quanto marketing têm uma capacidade enorme de provocar emoções que fidelizam.

Se no futebol existem métricas para medir a eficiência no passe, o tempo de posse de bola e também participação em jogadas decisivas e dribles de efeito moral, no marketing é possível medir número de leads gerados e taxa de conversão de vendas, mas também engajamento nas redes sociais e fidelização.

Ou seja, “não são só conversões“.

Por isso, fizemos este post para falar destas duas paixões e como táticas, esquemas de jogo e estratégias de atração podem se juntar e serem otimizadas com métricas de performance que não tiram a beleza do jogo, mas permitem que treinadores e gestores busquem melhores resultados.

Se você está adorando o clima dos jogos do maior evento de futebol do mundo e também está de olho nas suas vendas, continue sua leitura!

Entendendo sobre esquema tático de jogo e estratégias de canais

Defesa, meio de campo e ataque: um resumo das funções do futebol que podem ter milhares de configurações para um mesmo time.

Além dos esquemas 4-3-3, 3-5-2 e 4-5-1 que definem a formação e posicionamento dos jogadores em campo, existe também uma estratégia para a forma com que eles devem interagir e, claro, para extrair o melhor das habilidades individuais dos jogadores.

É o caso do tike-taka espanhol, uma forma de conduzir a bola com passes curtos e movimentações em toda a área do campo.

Foi sucesso absoluto nos anos passados, mas hoje, as chamadas triangulações têm sido mais eficientes na conversão de gols. Elas concentram o jogo em três jogadores e permitem que os demais se posicionem na área de ataque para identificar novas oportunidades de penetração ao mesmo tempo em que distraem o time adversário.

Estratégias de canais de marketing também podem ser igualmente emocionantes e interessantes de se elaborar, já que têm como objetivos principais a garantia da entrega do produto ao consumidor final e a experiência vivida nesse processo.

Atacado, varejo, e-commerce, distribuidoras e outros canais integram o time que o marketing tem disponível para elaborar uma estratégia em direção a conversão de gols, ou melhor, de vendas.

Cada um deles tem suas habilidades e formas de contribuir para o sucesso do negócio.

Para isso, porém, é fundamental conhecer bem as personas e as jornadas que elas mais utilizam para adquirir seus produtos. Além disso, com as novas tecnologias para integração de canais, as “triangulações” que podem ser feitas entre eles em benefício da experiência são magníficas.

É o caso de empresas que possuem o e-commerce e lojas físicas como seus canais de marketing.

Criar estratégias para otimizá-los é essencial, mas nesse processo é preciso considerar também que os clientes podem ir de um para outro. Assim, zelar por uma transição sem dificuldades ou até mesmo promover maneiras de um complementar o outro é fundamental.

Colocando as métricas de performance em campo

No futebol tem-se o time, o talento individual dos jogadores, seus fatores emocionais, o time adversário, o esquema tático para o jogo e até mesmo o clima do dia interferindo no desempenho dos atletas. No marketing, tem-se as diferentes personas, suas jornadas nos canais, a concorrência, e muito mais.

São variáveis que afetam os resultados e muita coisa importante em jogo, seja para os times, seja para as empresas.

Assim, gerenciar o desempenho exclusivamente por feeling é depositar uma boa parcela do sucesso no acaso, enquanto usar métricas de performance é uma forma de minimizar falhas na tomada de decisão.

Nesse gerenciamento é possível ter sucesso em, por exemplo:

  • extrair o melhor desempenho das peças que estão em jogo;
  • fazer alterações na estratégia com foco em melhorias; e
  • adquirir novas soluções que complementem o quadro atual.

Tecnologias utilizadas na recuperação física de um jogador podem constatar que o tipo de chuteira utilizada pode prejudicar seu desempenho na corrida ou aumentar o desgaste de determinado músculo da perna.

Já a Inteligência Artificial (IA), empregada para analisar dados de cada canal, pode indicar que é preciso intensificar as ações digitais para atrair potenciais clientes mais qualificados para o negócio. Mas, quais os indicadores e métricas podem dar essa visão estratégica para tecnologias e IA?

Escolhendo as métricas de performance mais adequadas

Não há dúvidas de que as métricas de performance devem ser escolhidas de acordo com seu negócio e a realidade do mercado. Considerando o fator global do futebol e das aplicações do marketing, até mesmo questões comportamentais dos leads podem determinar quais são as melhores métricas e indicadores para serem acompanhados.

Porém, algumas delas merecem destaque.

No futebol

Duas métricas são essenciais para definir o sucesso de um time:

Eficiência Tática

A eficiência tática basicamente consiste em avaliar o quanto o time correspondeu a estratégia proposta, assim como os efeitos de substituições de jogadores em prol do resultado. Algumas métricas nesse quesito são:

  • chutes diretos ao gol, que mostram eficiência no posicionamento do jogador;
  • faltas cometidas e recebidas;
  • tempo de posse de bola; e
  • packing e impect.

Essas duas últimas merecem explicação, pois tiveram papel importante na estratégia alemã contra o Brasil na última copa do mundo (sim, estamos falando do fatídico 7X1).

Packing contabilizam passes e dribles que ultrapassam as linhas adversárias, ou seja, eficiência rumo ao gol, enquanto a impect diz respeito ao ato de transpor tais linhas menos ou mais próximos do objetivo de marcar.

Parecem iguais, mas não são. Tocar a bola no meio de campo indefinidamente ultrapassa a linha adversária, mas não de forma evolutiva para o gol.

Conversão

Além da eficiência, métricas de conversão também compõem tal análise:

  • chutes ao gol do adversário e do time;
  • escanteios obtidos e cedidos;
  • pênaltis cometidos e recebidos;
  • pênaltis convertidos e defendidos; e
  • gols marcados e recebidos.

Note que todas as métricas tem abordagem defensiva e de ataque. Afinal de contas, o time deve ter suas posições em equilíbrio para ter um resultado favorável.

E como podemos pensar nas métricas de performance no marketing? Bom, vamos ver a seguir:

No marketing

É assinalado como pênalti a falta dentro da área, ou seja, uma oportunidade iminente de marcar e o jogador foi impedido pelo adversário de uma forma fora das regras do jogo.

No marketing existem muitas abordagens e estratégias chamadas Black Hat, que visam enganar os mecanismos de busca, por exemplo. Mas aqui nosso foco está nas métricas, então, vamos as principais:

Engajamento

O engajamento consiste no volume de interações que os leads têm com a empresa e pode definir quantas oportunidades reais de negócio podem ser trabalhadas. Algumas das principais métricas de engajamento são:

  • comentários, compartilhamento e menções nas redes sociais;
  • interação com o conteúdo;
  • tempo médio de visitas no site ou blog da empresa.

Conversão de vendas

Para as conversões, podemos citar:

  • volume de leads gerados;
  • custo por lead;
  • leads qualificados como ótimos;
  • contatos realizados;
  • vendas convertidas; e
  • Return On Investment (ROI).

Tais métricas de performance podem indicar a eficiência das estratégias não só nos canais, mas para toda a companha de marketing, pois dão uma visão dos valores investidos e obtidos em cada ação proposta.

Guia Completo do Google Analytics

Parafraseando um comentarista famoso, a verdade é que a regra do jogo é clara: é preciso trabalhar bem as jogadas e conduzir a bola rumo a conversão do gol fazendo os ajustes necessários.

Defesa, laterais, meio-campistas e centroavantes são como canais de marketing que atraem potenciais clientes, qualificam e os convertem em vendas.

Nesse processo, várias métricas de performance podem indicar se o desempenho está conforme o planejado ou se substituições devem ser feitas, como a melhoria de tecnologias empregadas, táticas de jogo ou até mesmo a troca do treinador, escalando uma empresa especialista em marketing para dar uma nova cara às estratégias utilizadas.

Se você é fã de futebol, certamente já ouviu falar de seleções imortais, como o Carrossel Holandês, time vice-campeão de 1974 com um estilo de jogo chamado Futebol Total que consistia em não ter posições fixas para seus jogadores.

Também já ouviu termos como “falso camisa 9” e “WM”, que são formações táticas que ganharam campeonatos mundiais, marcando o nome de seus idealizadores na história.

Nós aqui da Rock Content desenvolvemos nossa própria metodologia de Marketing de Conteúdo, e foi com ela que chegamos onde estamos e elaboramos estratégias de sucesso para nossos clientes. Conheça a Metodologia Rock Content agora mesmo!

 

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo