O que é SEO

O que é SEO: o guia completo para você entender o conceito e executar sua estratégia

SEO significa Search Engine Optimization (Otimização para mecanismos de busca). É um conjunto de técnicas de otimização para sites, blogs e páginas na web. Essas otimizações visam alcançar bons rankings orgânicos gerando tráfego e autoridade para um site ou blog.

Uma das maiores ambições das empresas que investem em Marketing Digital é alcançar as primeiras posições nos mecanismos de busca — afinal, quem não quer cliques gratuitos e mais visitantes em seu site?

No entanto, estar na internet não é o suficiente para garantir que seu site, e-commerce ou blog consigam um lugar na primeira página do Google: é preciso investir em uma estratégia específica para otimizar os resultados e garantir que sua empresa alcance um bom posicionamento.

Afinal a concorrência pelas posições nos buscadores está cada vez maior com as empresas vivenciando esse período de transformação digital.

Alcançar bons rankings nas páginas de resultados, porém, pode estar mais ao seu alcance do que você imagina. Existe uma série de otimizações que você pode fazer no seu site e nos seus conteúdos visando melhorar a experiência do seu leitor e se tornar um resultado excelente aos olhos dos motores de busca.

São essas otimização que chamamos de SEO!

Nesse post você aprenderá tudo que é necessário para otimizar as suas presenças online e conquistar bons posicionamentos orgânicos (que não são anúncios pagos):

  • O que é SEO
  • Quais são os fatores que influenciam o rankeamento
  • Como criar e executar uma estratégia de SEO

Confira!

O que é SEO (Search Engine Optimization)?

SEO significa Search Engine Optimization (Otimização para mecanismos de busca). É um conjunto de técnicas de otimização para sites, blogs e páginas na web. Essas otimizações visam alcançar bons rankings orgânicos gerando tráfego e autoridade para um site ou blog.

Essa estratégia é fundamental para sua empresa ganhar destaque, visibilidade no mundo digital e, por consequência, mais leads, clientes e faturamento para o seu negócio.

Como?

Com a otimização de site e blogs com o uso de técnicas para melhorar o rankeamento destas páginas e posicionando a sua empresa nos primeiros resultados do Google, por exemplo, aumentam (e muito) suas oportunidades de negócio, já que 90% das pessoas que fazem pesquisas no Google clicam apenas em resultados que aparecem na primeira página do mecanismo.

O principal objetivo do SEO, então, é aumentar o volume do tráfego orgânico e garantir mais visibilidade para as páginas na web.

Bacana né?

Vamos explicar a você agora, passo a passo, os conceitos mais importantes de SEO e vamos ensinar as estratégias que usamos para atingir os primeiros lugares do Google..

E tudo começa quando o usuário faz uma busca.

A psicologia da busca e os três tipos de busca

A psicologia da busca gira em torno do usuário: suas necessidades, sua forma de buscar por respostas, os resultados que ele espera ao buscar algo e etc.

De forma resumida, a psique humana frente aos mecanismos de busca passa pela necessidade de suprir um desejo específico, que pode se manifestar de formas diversas, e é papel das empresas que investem em Marketing Digital responder de forma objetiva a todas essas dúvidas e necessidades.

Por isso, quando pensamos no entendimento dos processos de pesquisa, é preciso sempre se colocar no lugar desse usuário que está buscando por alguma informação em um mecanismo de pesquisa como o Google.

E um dos primeiros passos para entender a busca do usuário é conhecer a intenção de pesquisa. Conhecer essa intenção é fundamental para conseguir atrair o público correto para o seu site.

Portanto vamos explicar para você o que leva o usuário ao Google. Existem três tipos de busca:

1. Pesquisa ou busca navegacional

Este tipo de pesquisa — também conhecida como pesquisa de atalho — é realizada quando o usuário já sabe para qual site gostaria de ir, mas talvez não se lembre da URL completa ou esteja com preguiça de digitar.

Por exemplo, se o usuário busca por “Rock Content” ou “blog da Rock Content” para encontrar nossos conteúdos, sua intenção de pesquisa é clara e, por isso, são poucas as chances deste usuário mudar seu destino final na web — essa pessoa já sabe o que procura.

o que é seo

2. Pesquisa  ou busca informacional

Como o próprio nome diz, na busca informacional o usuário busca por informações, seja por meio de notícias, releases de algum produto ou artigos explicativos.

Ao contrário da pesquisa navegacional, nesse caso o usuário não sabe exatamente em qual site chegará para encontrar o conteúdo que procura, pois não é possível identificar claramente sua intenção de busca.

Por isso é tão importante que as empresas tenham um bom rankeamento no Google.

Por não saber exatamente qual site quer visitar, o usuário tende a utilizar os resultados orgânicos para procurar a solução da sua dúvida ou necessidade, e é nesse momento que o bom posicionamento do seu blog ou site é algo vantajoso para os negócios. Veja um exemplo de pesquisa informacional:

o que é seo

3. Pesquisa ou busca transacional

Nesse tipo de pesquisa o usuário está buscando executar uma transação. Seja comprar diretamente um produto, encontrar uma loja, ou fazer qualquer outro tipo de transação online.

Esse tipo de pesquisa é extremamente valiosa, especialmente para e-commerces.

Agora que você já entendeu os 3 tipos de busca, no próximo tópico vamos explicar como funciona o maior mecanismo de buscas do mundo, o Google.

o que é seo

Como funciona o Google?

É fundamental entender como o Google funciona para elaborar uma estratégia assertiva de SEO.

As buscas nesse mecanismo são divididas em dois grupos: resultados orgânicos (gratuitos) e resultados pagos.

o que é seo

Os resultados pagos (dentro da caixa vermelha) aparecem no topo da página, sinalizados por uma marcação verde com o texto “Ad” ou “anúncio”. Para ocupar esses espaços, as empresas pagam por clique através de uma ferramenta do próprio Google chamada Google Adwords.

Abaixo desses resultados pagos encontram-se os orgânicos (marcados com um quadrado azul).

Esses sites das primeiras posições de busca são definidos pelos robôs do Google de acordo com o nível de relevância e autoridade que apresentam — sempre focando na qualidade de experiência do usuário.

O que é e como funciona o Google Bot

Os robôs do Google funcionam como rastreadores. Eles buscam todas as páginas na internet, entram em cada um dos links e leem tudo o que aquelas páginas têm para oferecer, salvando tudo o que encontrarem nos servidores do Google.

Dessa forma, todo o conteúdo fica organizado e bem segmentado para oferecer os melhores resultados para as pesquisas realizadas pelos usuários a respeito de um termo específico.

Para entender melhor, imagine uma biblioteca. Quando estamos buscando, por exemplo, por um livro sobre SEO, nós não precisamos ir de prateleira a prateleira para buscar por esse conteúdo — nós recebemos orientações sobre o local específico onde as informações sobre SEO se encontram, o que torna mais prático e fácil o acesso aos livros e às informações contidas nele.

Os servidores do Google funcionam da mesma forma: organizando os conteúdos para auxiliar o usuário, sempre apresentando os sites mais relevantes e com conteúdo mais completo para responder a dúvida ou necessidade que originou a busca.

Como o Google enxerga um site — e o que ele não consegue ler

Apesar do que muitas pessoas acreditam, o Google não enxerga sites da mesma forma que o usuário.

Quando pensamos na visibilidade para os mecanismos de busca, precisamos nos lembrar de que, ao contrário dos usuários, os robôs que leem o site não conseguem visualizar javascript e imagens, apenas texto e código.

Sendo assim, quando fizermos a estrutura de um site ou blog post com imagens, é fundamental trabalhar bem em cima do texto alternativo (alt text) de cada uma delas, colocando uma descrição completa que auxiliará os robôs a entenderem do que se trata aquela figura.

Quando não trabalhamos o texto alternativo das imagens, o Google acaba vendo estes espaços como furos no site. É como se toda esta área das imagens fosse um fundo branco, sem conteúdo relevante para os leitores.

Vale lembrar que um bom texto alternativo em imagens ajuda em questões de SEO e rankeamento!

Como chegar ao topo – Os principais fatores de rankeamento do Google

Atualmente, quando falamos em fatores de rankeamento, sabemos que existem mais de 200 fatores que realmente impactam nos resultados de uma SERP.

Aqui entraremos em alguns detalhes mais básicos, mas caso você queira ver a lista completa com todos os fatores que influenciam o SEO da sua página, confira o nosso artigo sobre o assunto.

On Page

Os fatores on page são aqueles que devem ser trabalhados dentro do próprio site ou página, e são fundamentais para que os mecanismos de busca percebam que seu conteúdo está relacionado aos termos buscados pelos usuários.

Os principais fatores On Page são:

Qualidade do conteúdo

Existem dois fatores principais para o rankeamento no Google: Link Building (que veremos mais à frente) e a qualidade do conteúdo.

Desde o lançamento do Google Panda, o algoritmo procura identificar conteúdos de baixa qualidade para otimizar os resultados para o público.

Ou seja, quanto melhor for o seu conteúdo, melhores as chances de você figurar nas primeiras posições nas SERPs.

Tamanho do conteúdo

O tamanho influencia diretamente nos rankings do Google. Em uma pesquisa feita pela  Search IQ, a média de tamanho dos conteúdos que figuram nas primeiras posições era de aproximadamente 2.500 palavras.

Isto porque o Google procura os conteúdos mais completos, que esclareçam as dúvidas dos leitores.

Mas isso não é uma regra! Tudo depende de como a sua persona reage ao tamanho dos seus conteúdos e, principalmente, o seu conteúdo responde de maneira completa a dúvida que levou à sua persona até ele?

Independente do tamanho do texto, a persona precisa ler o seu conteúdo e ter todas as suas dúvidas resolvidas. Caso contrário, procurará outro texto que esclareça melhor os seus questionamentos.

o que é seo

Imagem: SerpIQ

Título interno

O title tag é o título interno do seu blog, aquele que o leitor verá quando já tiver acessado o seu conteúdo. É muito importante destacar que ele deve ser diferente do seu SEO title, que será um fator externo e deverá levar o leitor ao seu texto.

Para entender melhor, veja um exemplo de título interno de um dos nossos posts:

o que é seo

Os dois títulos possuem funções diferentes. A função do título interno é fazer com que o leitor que já acessou o seu post tenha ainda mais interesse em ler o conteúdo.

A liberdade quanto ao uso de caracteres e à posição das palavras-chave permitirá títulos mais criativos e que aumentem o desejo  o no leitor de consumir o conteúdo.

Você deve gastar o maior tempo possível para elaborar um bom título, afinal ele é a primeira impressão que o leitor tem do seu texto.

Os principais fatores de atenção em um título On Page:

  • Deve despertar a curiosidade do leitor;
  • Apresentar benefícios da leitura;
  • Fazer uma promessa (que será cumprida);
  • Precisa ter a palavra-chave (não obrigatório estar totalmente à esquerda como no SEO Title);
  • Não possui limite de caracteres.

SEO Title

O SEO Title é o título que aparece nas SERPs e possui a função de levar o leitor até o seu conteúdo.

Como exemplo de SEO Title, usamos o mesmo post que mostramos acima para que você consiga entender com clareza as diferenças entre o título interno e o SEO Title:

o que é seo

Ele é um dos fatores mais importantes tanto para rankeamento quanto para garantir uma alta taxa de cliques (CTR) no seu conteúdo.

Os principais fatores para um ótimo SEO Title são:

  • Precisa ter aproximadamente 55 caracteres;
  • Palavra-chave à esquerda;
  • Título mais objetivo.

URLs amigáveis

As URLs são um fator direto de rankeamento. O Google também identifica o uso das palavras-chave no endereço da sua página.

Além disso, quanto mais amigável ela for, mais fácil para os leitores clicarem e serem direcionados para a sua página.

Um exemplo de URL amigável:

o que é seo

Quanto menos elementos além da palavra-chave tiver na sua URL, melhor. É importante evitar o uso de números em listas, por exemplo.

Caso você atualize e amplie aquela lista, você terá um número errado na sua URL. E uma das principais regras de SEO é: nunca atualize a sua URL depois do conteúdo ser indexado.

As melhores práticas para se fazer uma URL amigável são:

  • Conter a palavra-chave;
  • Ter no máximo um subdomínio;
  • Ser curta e facilmente interpretável;
  • Conter hifens para separar as palavras(o Google não lê espaços);
  • Ser relacionada ao título do post.

O que você deve evitar:

  • URLs que não fazem nenhum sentido para o leitor;
  • úmeros nas URLs;
  • URLs enormes;
  • Caracteres indevidos (pontos, letras maiúsculas, etc.);
  • Abusar de subdomínios (ex.: seusite.com/blog/conteudos/marketing).

Heading Tags

As headings são fundamentais para identificar a prioridade dos conteúdos existentes na página. No código, é possível observar até seis headings, apresentando o conteúdo mais importante (H1) e seus subtítulos (H2 a H6).

Dessa forma, o Google identificará a hierarquia das informações do seu conteúdo.

A importância da hierarquia:

  • Mostra para o Google as informações mais importantes do seu texto;
  • Facilita a interpretação dos crawlers;
  • Buscadores definirão os principais temas abordados no post;
  • Otimiza a leitura dos textos (escaneabilidade).

Como fazer:

  • Utilizar H1, H2 e H3 no seu conteúdo;
  • Palavra-chave SEMPRE no H1 e se possível em um H2;
  • Utilizar long tails nos intertítulos;
  • Usar apenas UM H1 por página;
  • H4 para frente são estéticos.

Para entender melhor, veja um fragmento de um dos nossos posts. O H2 aqui é o título “Visão geral de uma estratégia de conteúdo” e os outros subtítulos “Planejamento” e “Execução” são H3.

o que é seo

LSI: o uso da palavra-chave

O uso das palavras-chave mudou bastante desde o lançamento do hummingbird.

Antes:

  • Keyword stuffing funcionava;
  • Conteúdo de baixa qualidade rankeava;
  • Foco na palavra-chave exata.

Depois:

  • Análise semântica;
  • Qualidade do conteúdo;
  • Foco na intenção do leitor.

Desta forma, é importante saber fazer um bom uso das suas palavras-chave dentro do conteúdo. É importante usá-las no H1 title page e, sempre que possível, em pelo menos um H2.

É importante que a sua palavra apareça no princípio do conteúdo para os crawlers do Google logo verem que aquela página está falando do tema proposto.

Não existe um número exato de vezes que a palavra-chave deve aparecer no conteúdo. O importante é evitar forçar com que ela apareça muitas vezes. O uso deve acontecer de forma natural.

Atualmente o Google faz uma análise semântica dos textos, chamado LSI (Latex Semantic Index), fazendo com que seja importante para o rankeamento da sua página que o Google encontre palavras relacionadas ao tema que você está falando. Como no exemplo abaixo:

o que é seo

Além disso é mais importante usar variações daquela palavra-chave do que fazer um uso estrito da mesma. Segue o exemplo:

o que é seo

Tempo de permanência na página

O tempo de permanência na página é um dos principais fatores de rankeamento do Google, afinal é uma forma de mostrar ao buscador que aquele conteúdo é de boa qualidade.

Quanto mais tempo o leitor permanece na página, com mais eficiência o Google interpreta que aquele conteúdo responde a dúvida da persona. Caso o leitor entre e imediatamente saia da página, o Google entende que este texto não agrada ao público (caso isso se repita constantemente).

Como ampliar o tempo de permanência na sua página:

  • Conteúdo de qualidade;
  • Faça uma boa introdução – que funciona para convencer o leitor a permanecer até o final do texto, apresentando os benefícios que ele terá com essa leitura;
  • Use frases de conexão – usar frases e perguntas que mantenham a curiosidade do leitor durante a leitura: “e não é tudo”, “e tem mais”, “quer saber o que mais você pode conseguir?”
  • Intertítulos que apresentem benefícios claros.

Otimização de imagens para SEO

Como nós já comentamos, o Google não enxerga imagens da mesma forma que o usuário. Ele precisa de elementos textuais para entender do que se trata aquela imagem e apresentá-la como resultado em alguma busca. Por isso, é preciso que, ao subir uma imagem para o seu blog ou site, você se atente a 3 elementos:

O nome do arquivo

Deve ser a palavra-chave separada por hifens. Como já falamos, o Google não lerá os espaços.

Evite salvar imagens com o nome “794743.jpg”.

O texto alternativo (alt text)

O alt text é o principal fator para um imagem. Ele é importante não só para apresentar ao Google do que se trata aquela imagem, mas também para estes casos:

  • Leitores de tela – leitores de tela são muito utilizados por pessoas com deficiência visual. Com imagens, o leitor lê e recita o alt text para o usuário;
  • Descrição em imagens quebradas – se a imagem estiver quebrada no blog, o alt text será exibido no lugar;
  • Descrição das imagens nas buscas do Google.

Muitos especialistas alegam que o alt text deve ser uma descrição literal da imagem (pensando nos leitores de tela e nas descrições no Google e imagens quebradas). Outros afirmam que o ideal é que o alt text seja a sua palavra-chave.

Aconselhamos que você siga as duas opções. Faça uma descrição da imagem utilizando a palavra-chave.

Tamanho da imagem

Imagens muito pesadas podem comprometer o carregamento da sua página. O tempo de carregamento é outro fator importante para o Google.

Linkagem interna

A linkagem interna é fundamental para o Google. A partir dela, os crawlers vão analisar a experiência do usuário nos seus posts e para quais outros conteúdos você está enviando o seu leitor.

Além disso, quanto mais links internos um conteúdo específico receber, maior será a relevância que o Google interpretará que você dá para aquela páginas. É como se você dissesse: “Google, essas são as páginas mais importantes do meu site/blog”.

Design Responsivo

Como vimos na linha do tempo, o Google prioriza sites mobile friendly no momento de definir o posicionamento das páginas.

Se a sua página não está otimizada para aparecer bem em aparelhos mobiles, você pode perder muitas posições no buscador.

Tempo de carregamento

A altíssima velocidade que possuímos hoje na internet levou o público a ser um pouco impaciente. Hoje em dia você não quer esperar mais do que 3 ou 4 segundos para uma página carregar.

O Google leva isso em consideração e o tempo de carregamento é fundamental para um bom rankeamento. Páginas que demoram a carregar tendem a ter um tempo de permanência na página muito pequeno.

Meta Description

Apesar de não ser um fator que influencia diretamente no rankeamento daquela página, a meta description é um código que tem como função explicar para o usuário qual é o conteúdo abordado naquela página e, com isso, atraí-lo para a leitura do conteúdo.

Pensando em meta description, este é um fator que influencia consideravelmente na taxa de cliques do seu site — por isso é fundamental que ela siga algumas particularidades recomendadas para atingir bons resultados:

  • Usar a palavra-chave – aparece em negrito nas SERPs;
  • Resumir e induzir o leitor a ler o seu conteúdo (benefícios);
  • Aproximadamente 150 caracteres;
  • Não usar um pedaço da introdução;
  • Não enganar os leitores.

Botões de Compartilhamento

Assim como as meta descrições, os botões de compartilhamento não serão diretamente um fator de rankeamento. Porém é uma prática fundamental para você ter uma página totalmente otimizada.

Você, assim como o Google, deve sempre pensar na experiência do seu usuário, e botões de compartilhamento visíveis e bem localizados podem facilitar bastante a vida do seu leitor.

Off Page:

Os fatores off page são aqueles externos ao seu site.

O Google valoriza bastante esses quesitos, pois eles representam a autoridade do seu conteúdo/site e como as pessoas têm sido beneficiadas com ele: quanto melhor o conteúdo disponível, mais as pessoas falam sobre ele e mais backlinks você recebe.

Os backlinks são links de outros sites voltados para o seu. Para o Google, quanto maior a quantidade de sites externos de relevância apontando para o seu site, mais autoridade você tem em relação aquele assunto e melhor seu rankeamento nos mecanismos de busca.

Os sinais sociais são o número de menções e compartilhamentos da sua marca nas redes sociais. Eles também têm uma influência grande nos resultados da sua marca na busca orgânica.

Não deixe de utilizar botões de compartilhamento em redes sociais no seu site, como já falamos. Outro fator importante é o volume de menções à sua marca na web e fora dela. Quanto mais as pessoas falam de você — online ou offline — mais credibilidade você inspira. E este e é um fator que pode aumentar a taxa de cliques do seus resultados orgânicos.

Principais fatores de rankeamento Off Page:

Link Building

O Link Building é a parte mais importante do SEO off page. É a parte que garantirá a autoridade da sua página e do seu domínio e se destacará como uma grande referência para o Google.

Ele funciona como indicações. Todo site que linka para você está te indicando como um bom conteúdo. Quanto mais indicações você receber, maior será a sua relevância.

Quanto maior a relevância do link que te apontou tem, mais respeito você receberá por parte do buscador. Ainda assim, receber links de domínios com relevância inferior à sua é muito positivo.

É importante também receber links de sites que tenham autoridade no tema que você está falando. Caso você receba links de um site que fale de temas que não têm nada a ver com os seus, a relevância deste link não será tão grande.

O Link Building é um fator tão importante que poderíamos continuar nesse artigo falando apenas disso. Para não perder o foco no assunto principal, vou deixar o link para o artigo do nosso blog sobre link building.

Autoridade

O principal fator para conquistar autoridade é o Link Building, mas não é só disso que vive a autoridade de um domínio.

Domínios mais antigos possuem uma autoridade maior que domínios muito recentes.

A quantidade de conteúdos que um domínio posta também influenciará diretamente na sua autoridade.

Localidade

A localidade é um fator que influencia diretamente no SEO. O Google procura apresentar resultados de acordo com a sua localidade.

Por exemplo: se você está em São Paulo e fizer uma busca para comprar alguma coisa, o Google apresentará nos resultados lojas em São Paulo.

Ele identifica o seu posicionamento e sempre procurará trazer os resultados mais acessíveis para você.

Social

O engajamento e menções nas redes sociais também influenciarão os rankings do seu site. O Google está de olho em como as pessoas têm engajado com o seu conteúdo.

Desta forma, você ganha autoridade e o Google verá que o seu post agrada aos usuários. Como ele sempre quer dar a melhor experiência para eles, o seu conteúdo poderá ser melhor posicionado.

No próximo capítulo vamos te explicar tudo sobre Link Building!

Como planejar e executar uma estratégia de SEO

Passo #1: Pesquisa de palavras-chave

Ufa! Aprendemos muitos conceitos até agora. Chegou a hora de botar a mão na massa!

Para obter o tráfego orgânico que você tanto deseja, é essencial que o conteúdo publicado em seu blog seja relevante para alguém. Até aí você já sabe, mas como é que as pessoas encontrarão o seu conteúdo? Por meio da consulta nos motores de busca que são realizadas através de palavras-chave.

Sim, estamos engatinhando até chegar no ponto.

Antes de você obter o acesso em sua página, um usuário deve ter uma dúvida ou problema que anseia sanar, esteja ele procurando a resposta a uma dúvida boba sobre diferenças entre serviços, guias práticos para realizar uma determinada tarefa ou até mesmo fazendo uma busca detalhada para compreender um conceito a fundo.

Como é que você consegue encontrar os termos mais buscados pelo seu público-alvo?

Temos duas respostas para este questionamento:

  • Conheça muito bem as personas do seu negócio;
  • Realize uma pesquisa de palavras-chave para encontrar as melhores oportunidades para o seu nicho.

Neste momento não entraremos em detalhes sobre personas, mas você precisa compreender o quão importante é a criação, definição e conhecimento de quem é seu público-alvo (personas). Uma vez que você conhece o perfil do seu cliente ideal, a missão de prever o seu comportamento de busca e identificar quais são seus principais problemas torna-se uma tarefa mais simples.

Por que estamos dizendo isso? Para realizar uma pesquisa de palavras-chave que faça sentido é essencial que você saiba tudo sobre seu cliente. Afinal, essa pesquisa nada mais é que uma definição de quais temas são mais interessantes para o seu público em termos de palavras-chave e quais delas têm o melhor volume de buscas.

Ou seja, a pesquisa de palavras-chave é a principal maneira de encontrar as melhores oportunidades para atacar em um blog.

Qual é a importância da pesquisa

Como você está lendo este nosso material, certamente você é uma pessoa interessada em marketing de conteúdo e SEO. Apesar disso, podemos estar enganados e você está em busca das primeiras informações sobre o assunto.

Em quaisquer situações existem alguns pontos sobre a produção de conteúdo que devem ser ressaltados:

  • Quem produz conteúdo apenas por produzir nunca obterá resultado algum;
  • Um blog nunca alcançará seu potencial máximo sem que exista um planejamento por trás da produção daquele conteúdo.

Seguindo em diante, encontramos alguns pontos de convergência nas frases acima. Ficou claro que sem definição de objetivos e um planejamento ideal, um blog nunca te auxiliará a criar novas oportunidades de negócio, se tornar uma autoridade no assunto ou educar o mercado.

A pesquisa de palavra-chave é fundamental para o sucesso em qualquer tipo de blog.

Sem ela, seus conteúdos possivelmente nunca alcançarão os resultados esperados. Possivelmente porque esse tipo de afirmação é forte demais. Em uma situação de extrema sorte algum de seus posts pode ter uma palavra-chave que seja relevante para seu público.

Para um pouco e pense: não seria fenomenal se você conseguisse fazer com que todos os conteúdos do seu blog fossem capazes de obter bons resultados? Não ter que depender da sorte e parar de dar tiros no escuro é o que você precisa, caso deseje ter um blog que sirva como a principal ferramenta de atração para sua marca ou negócio.

Principais objetivos

Esperamos que os motivos que justificam a importância da pesquisa de palavras-chave tenham ficado claros para você. Caso você ainda não tenha compreendido, sugiro que volte e recomece a ler essa sessão! Sem entender a real necessidade de começar a usar essa ferramenta, você nunca conseguirá alcançar o potencial máximo de sua estratégia de marketing de conteúdo!

Chega de terrorismo!

O objetivo mais comum — em quase 100% dos casos — é o aumento do tráfego orgânico de um blog. Vamos nos ater a esse objetivo no momento.

Para aumentar o tráfego orgânico de um blog existem duas formas distintas, porém bem semelhantes, de atacar as oportunidades. Ambas envolvem palavras-chave, obviamente, mas cada uma delas apresenta uma particularidade única:

  • Palavras-chave head tail – Head tail;
  • Palavras-chave de cauda longa – Long tail keywords.

Complicou?

Calma, agora você entenderá mais sobre os dois tipos de palavras-chave que existem e que devem ser levados em consideração na hora de escolher o objetivo de sua estratégia.

Tipos de palavras-chave

Se você já se indagou: “Ahn? Existe mais de um tipo de palavra-chave?!”, sentimos lhe informar que sim, existe, mas fique tranquilo. A diferença é facilmente compreendida e, uma vez que você entender o conceito, até mesmo o trabalho de realizar a pesquisa ficará mais fácil.

Head tail keyword

As head tail keywords são as palavras-chave que possuem o maior volume de buscas mensal para um determinado nicho. Um exemplo desse tipo de keyword é “marketing”, com mais de 70 mil buscas mensais nos motores de busca. Você consegue imaginar o volume de tráfego orgânico que um conteúdo bem rankeado para esta palavra-chave pode conseguir?

Apesar do grande volume, o problema deste tipo de palavra-chave é que a concorrência é monstruosa! Estamos falando de milhares de conteúdos, sites e todo tipo de material possível rankeando para apenas uma palavra-chave extremamente abrangente.

Afinal, se pararmos para pensar rapidamente, acompanhe a enorme variação do termo “marketing” que podemos encontrar:

  • Marketing;
  • Marketing pessoal;
  • Marketing digital;
  • Marketing empresarial;
  • Marketing tradicional.

E assim por diante.

Logo, o que deve ser levado em consideração na hora de focar em head tail keywords na sua pesquisa de palavras-chave:

  • A oportunidade é incrível. O volume de tráfego sempre é maior, mas a concorrência também acompanha esse enorme volume.
  • A grande concorrência aumenta a necessidade de conteúdos muito trabalhados, completos e nada superficiais.
  • Necessidade extrema de uma estratégia de Link Building muito forte para conseguir melhorar o rankeamento
  • A necessidade de monitoramento do conteúdo é constante. Apenas postar e esquecer um artigo certamente não trará retorno algum. Os conteúdos e sites que ocupam as primeiras colocações estão fazendo atualizações diárias para permanecer nessas posições.
  • Apesar do grande volume de tráfego orgânico, ele costuma ser menos qualificado, já que qualquer tipo de pessoa que procure por um determinado termo pode parar na sua página.
  • Essas palavras-chave são genéricas.

Long tail keyword

No extremo oposto da sala nós encontramos as palavras-chave de cauda longa, também conhecidas como long tail keywords. Conhecidas como o pote de ouro do marketing de conteúdo, essas palavras-chave são longas e muito mais específicas e rankear bem para uma dessas palavras-chave é uma tarefa um pouco mais simples.

Onde está a beleza nisso?

Imagine que você possui um blog de moda masculina e está criando um conteúdo fenomenal sobre camisetas polo listradas. Certamente existe um público fiel desse tipo de camisa que sempre está em busca de novas oportunidades e promoções para comprar mais um modelo. Como você é espertinho, dentro do seu conteúdo existe um link para uma oferta em um e-commerce de que você é parceiro. Logo, de cada venda proveniente do link da sua página, algum cascalho ($) sobra para você.

Se ao criar este post a palavra-chave for apenas camisa (head tail), o volume de buscas será enorme, bem como a concorrência. Já explicamos isso, mas estou retomando para que você compreenda perfeitamente aonde quero chegar. Imagine que seu post está rankeando muito bem, está na primeira página, e você está conseguindo um mar de acessos orgânicos diariamente.

Apesar disso, os resultados não estão acompanhando o número de acessos. Em um mês a sua página recebeu 10.000 acessos orgânicos, mas apenas 10 pessoas clicaram no CTA (call-to-action) da sua oferta. Apenas 1% de todo o acesso que seu post recebeu foi convertido na sua oferta. Isso é ruim, mas pode ser melhorado.

Como isso é possível? Long tail keywords!

Após analisar as oportunidades, você mudou a palavra-chave do conteúdo para “camiseta polo listrada”. O tráfego orgânico sofreu drasticamente e foi para 1.000 acessos mensais. Apesar disso, o número de conversões permaneceu o mesmo, mas, na conta das proporções, você está ganhando mais! 10% de todos os acessos estão convertendo e você começa a ganhar mais dinheiro com seu anúncio.

Apesar da história longa, acreditamos que a diferença entre long tail e head tail keywords tenha ficado clara.

Confira as principais características desse tipo de palavra-chave:

  • Menor volume de tráfego, mas extremamente qualificado.
  • Conteúdos mais direcionados a um determinado ponto específico.
  • Melhores para esclarecer dúvidas do usuário rapidamente.

Agora que você compreendeu detalhadamente o conceito por trás de uma pesquisa de palavra-chave e as especificidades de cada tipo de palavra-chave, vamos te explicar como executar a sua própria pesquisa.

Como fazer a sua própria pesquisa

Chegou a hora de colocar a mão na massa. Agora vamos colocar em prática tudo o que foi dito até o momento para que você consiga estruturar uma boa pesquisa de palavra-chave a fim de descobrir quais são os melhores termos para a sua produção de conteúdo.

1º passo: Compreenda quem é a persona e quem é o foco do seu conteúdo

Começaremos pelo ponto que vai direcionar a pesquisa. Aqui na Rock Content todos os conteúdos que são produzidos possuem uma particularidade em comum: sempre são direcionados para uma persona específica.

Atualmente, possuímos quatro personas. Apesar disso, não conseguimos criar um conteúdo que seja interessante para duas delas ao mesmo tempo. Cada uma de nossas personas é única e possui interesses, dificuldades e se comunica de forma diferente. E é por essa razão que devemos compreender a importância de realizar a pesquisa de palavra-chave com este foco.

Uma vez que isso esteja claro, vamos em diante.

O primeiro passo para uma pesquisa de palavra-chave de sucesso é identificar com qual persona você quer se comunicar. Todas as informações sobre sua persona serão relevantes para que seu futuro conteúdo seja um sucesso.

2º passo: Definindo o tema

Agora que já identificamos quem é a persona em foco da nossa pesquisa de palavra-chave, podemos dar continuidade ao processo.

Existem várias formas de começar uma pesquisa. Ela pode ser baseada em conhecer o que os concorrentes estão fazendo, pode ser uma busca por palavras-chave ainda não trabalhadas e também pode ser guiada pela escolha de um tema específico.

Neste nosso exemplo focaremos nesta última opção. A pesquisa de palavra-chave com foco em um tema específico. Isto nos auxiliará a encontrar quem são os players do mercado e também nos permitirá focar em certas palavras-chave essenciais para um determinado nicho.

Guiaremos a sua pesquisa como se estivéssemos criando uma para nosso blog, marketingdeconteudo.com.

Neste exemplo, definimos que o tema foco do mês é marketing digital.

3º passo: Escolhendo as ferramentas

Atualmente, existe uma infinidade de ferramentas de SEO que podem ser utilizadas a seu favor. Mais adiante neste conteúdo, nós apresentamos uma lista de ferramentas que poderão te auxiliar neste trabalho.

Para o nosso assunto utilizaremos três em especial:

  • Keyword planner (planejador de palavras-chave do Google);
  • SEMRush;
  • Keywordtool.io.

Todas as ferramentas serão essenciais para a busca, identificação e análise de termos que possam representar boas oportunidades para o tema que escolhemos.

Agora utilizaremos cada uma das três para encontrar palavras-chave sobre marketing digital:

3º passo: Utilizando as ferramentas – A pesquisa

Keyword planner

Ao utilizar a ferramenta do Google Adwords, você pode encontrar não apenas ideias de palavras-chave, mas também o volume de buscas mensal de cada uma das variações disponíveis.

Após acessar a tela inicial do Adwords, clique em Ferramentas e selecione o Planejador de palavras-chave. A seguir, você será redirecionado a seguinte página:

o que é seo

As duas primeiras opções da sessão “Encontrar novas palavras-chave” são onde você focará seus esforços.

Ao clicar na primeira das opções, a de procurar por novas palavras-chave utilizando uma frase, você preencherá uma série de campos que, após serem analisados, auxiliarão a ferramenta a encontrar as palavras-chave que fazem sentido para seu negócio.

o que é seo

Quanto maior o número de informações e campos preenchidos, mais exata será a análise dos dados.

No print a seguir você poderá ver a outra aba com os resultados da pesquisa que foi feita na imagem anterior.

o que é seo

Caso você não possua uma campanha de Google Adwords ativa, a ferramenta não te dará informações precisas. Você poderá analisar resultados estimados de volume e CPC.

No caso acima, a palavra-chave “marketing digital” tem um grande volume de buscas mensais, que pode variar de 10 mil a 100 mil. Além disso, a concorrência é extremamente alta. Se lembra das head tail keywords? Este é um exemplo perfeito.

o que é seo

Rolando a página para baixo você encontra ideias de palavras-chaves que são relevantes e sobre o mesmo tema.

Agora já sabemos que uma das possíveis head tails para a nossa produção será “marketing digital”. E foi assim que concluímos a primeira parte da pesquisa.

Keywordtool.io

Aqui na Rock Content nós utilizamos o Keywordtool.io para encontrar variações de uma determinada palavra-chave. Atualmente, arriscamos afirmar, essa é uma das melhores ferramentas para a tarefa.

o que é seo

Após inserir o termo cujas variações você deseja receber na tela principal do site, basta selecionar o motor de busca que você deseja analisado, bem como a língua da busca. No nosso caso, escolhemos o Google em português do Brasil.

No print seguinte você verá a primeira aba da página de resultados.

o que é seo

Como você pode observar, a ferramenta encontrou 543 variações únicas da palavra-chave marketing digital. O keywordtool.io realiza uma pesquisa minuciosa por todas as variáveis que tenham um volume de busca significativo e que incluam long tails.

A lista é extensa e é claro que existirão variações que não são tão relevantes. De qualquer forma, vale a pena exportar a lista com todos os termos encontrados, jogá-los no planejador de palavras-chave do Google (na opção de inserir uma lista de palavras) e observar o volume de busca de cada uma delas.

Vale lembrar que o Keywordtool.io é uma ferramenta gratuita e, por isso, as informações que recebemos nessa análise são superficiais e não incluem os valores do volume de busca. Caso você deseje assinar o plano pago da ferramenta, todas as informações serão divulgadas na página principal da busca.

SEMRush

Antes de começarmos a falar dessa incrível ferramenta, precisamos avisá-los que o SEMRush é pago. Apesar disso, ele tem um limite de 5 consultas por dia de palavras-chave ou sites, totalmente gratuito.

Para concluir a etapa das ferramentas, a equipe de marketing da Rock Content utiliza o SEMRush. Além de nos entregar uma análise completa de palavras-chave, variações e termos relacionados, a ferramenta também fornece uma opção que nos possibilita dar aquela espiadinha na concorrência.

Agora vamos com calma. Confira o passo a passo no SEMRush.

o que é seo

o que é seo

Após acessar a ferramenta e pesquisar pelo determinado termo desejado — continuaremos com o exemplo do marketing digital — você vai encontrar um relatório completo sobre aquela palavra-chave:

  • Volume de pesquisa mensal;
  • Número de resultados;
  • Palavras-chave relacionadas (Relatório completo a parte);
  • Variações da palavra-chave (Relatório completo a parte);
  • Lista com os 20 primeiros colocados no Google;
  • Gráfico de tendência de crescimento no volume da busca;
  • Lista com variações de Adwords para a palavra-chave

Nesse momento, vamos dar atenção ao relatório de correspondência de palavras-chave.

o que é seo

Utilizamos as informações desse relatório para encontrar as variações da palavra-chave pesquisada que representem boas oportunidades.

Alto volume de buscas e concorrência aceitável costumam ser as principais características que procuramos neste momento. Vale ressaltar que aqui encontramos uma série de long tail keywords excelentes para abordarmos conteúdos que serão utilizados para linkar a um artigo cuja a palavra-chave é uma head tail — no caso, marketing digital.

4º passo: selecionar as oportunidades e finalizar a pesquisa

Pronto! Chegamos ao final da pesquisa de palavras-chave e agora tudo o que precisamos fazer é criar um relatório com os melhores resultados e oportunidades que encontramos em todas as ferramentas que utilizamos.

o que é seo

Acima encontramos quatro termos que valem a pena e que representam boas oportunidades em uma estratégia de SEO voltada para marketing digital. Os resultados são os seguintes:

  • Keyword: Marketing Digital — Volume: 18.100 mensal
  • Keyword: Agência de Marketing Digital — Volume: 1.000 mensal
  • Keyword: O que é Marketing Digital — Volume: 1.000 mensal
  • Keyword: Marketing Digital conceito — Volume: 720 mensal

Dentre as quatro opções que selecionei acima, a palavra-chave “O que é marketing digital” é o melhor termo em que podemos focar para o tema.

Você não está entendendo o motivo pelo qual optei por uma long tail com 1.000 buscas mensais, em vez da head tail “marketing digital” com quase 18 mil buscas mensais?

Um post completíssimo sobre o assunto pode englobar muitas variações da palavra-chave em questão. No caso, “o que é marketing digital” é uma palavra-chave porque, além do volume, ela tem inúmeras variações relevantes e, quando pensamos na maneira como o usuário realiza a busca nos motores, é exatamente os termos que a grande maioria irá usar.

Outro ponto que devemos levar muito em consideração na hora de tomar essas decisões é a própria dificuldade de rankeamento que cada uma dessas palavras-chave possui. O SEMrush também nos dá essa informação extremamente valiosa e é outro argumento que utilizamos para justificar a escolha de uma palavra-chave.

o que é seo

Quando analisamos isoladamente apenas essas duas palavras-chave, esta diferença fica ainda mais clara.

A métrica de concorrência diz respeito à dificuldade de rankeamento de cada palavra-chave e esta medida vai de 0 a 1. Quanto mais próximo de 1, mais difícil será o trabalho para chegar no topo das buscas com um resultado.

  • Marketing Digital – 0.92 de dificuldade de rankeamento
  • O que é Marketing Digital – 0.30 de dificuldade de rankeamento

Sem a devida criação e busca por palavras-chave que façam sentido para o seu negócio, é muito complicado obter o resultado positivo que tanto se deseja. Espero que você consiga compreender este guia rápido que produzimos sobre pesquisa de palavras-chave.

Passo #2: Análise da página de resultados do Google para a palavra-chave principal

Agora que sabemos de onde estamos partindo, precisamos começar a entender com quem estamos concorrendo para entramos na luta para ganhar. Entrar em uma luta sem conhecer seu adversário é começar perdendo.

Por mais que tenhamos muitas palavras-chave para otimizar, sempre teremos aquela principal, com maior volume de busca e mais valor.

Por mais que as long tails sejam o foco atual da maioria das estratégias de SEO, ter uma palavra-chave principal é recomendado. Geralmente ela é a que mais pode impactar nos seus resultados e por isso merece uma maior atenção.

Uma das análises que visa ajudar o planejamento de SEO é analisar a página de resultados para uma pesquisa, ou SERP (Search Engine Results Page).

Para analisar a SERP, recomendamos o uso da ferramenta da Moz de Keyword Difficulty. Com ela você tem acesso à várias métricas importantes, além da dificuldade da palavra-chave.

Ela faz uma análise de comparação entre todos os 10 primeiros resultados e é bem intuitiva, te mostrando onde você deve direcionar seu foco para melhorar seu posicionamento.

O único problema é que ela é paga e, caso você não assine a Moz, você pode usar a Mozbar.

Se você tem habilidades avançadas no Excel, consegue fazer uma análise completa da SERP apenas exportando os dados para um CSV. Essa é uma das funções da Mozbar que mais apreciamos.

O que nós fazemos é colocar as seguintes métricas em uma planilha:

  • Links;
  • Domain Authority;
  • Page Authority;
  • Trust Flow;
  • Citation Flow;
  • Domínios diferentes linkando.

Com essas métricas em uma planilha, conseguimos analisar os concorrentes e também é possível tirar insights de onde devemos focar a nossa estratégia.

Passo #3: Análise dos concorrentes

Quando se trata de planejamento, quanto mais tempo gasto em conhecer seus concorrentes, mais confiante você ficará  para montar sua estratégia.

Quando analisamos uma SERP, nós avaliamos os 10 primeiros resultados e pegamos as métricas mais superficiais.

Quando é uma palavra-chave muito concorrida devemos focar a análise mais profunda dos 3 primeiros resultados.

Nessa análise deve-se fazer uma avaliação SWOT. Além disso também é importante:

  • Erros Onpage
    • Eles possuem muitos erros onpage? (Utilizamos ferramentas como o WooRank para isso)
    • A URL é amigável?
    • Eles usam corretamente a Title Tag e a Meta Description?
    • O que ele está deixando de fazer?
  • Conteúdo
    • Eles utilizam a palavra-chave corretamente ao longo do conteúdo?
    • É um conteúdo estático ou dinâmico?
    • Eles atualizam com certa frequência?
    • Qual tipo de conteúdo eles não utilizam? (Ex: vídeos, infográficos e etc.)
  • Redes Sociais
    • Eles têm muitos compartilhamentos?
    • São ativos nas redes sociais?
    • O site tem botões de compartilhamento?
  • Links
    • Qual a principal fonte de aquisição de links deles?
    • Consigo aproveitar dessa fonte também?
    • Como está a distribuição dos textos âncoras?
    • Utilizam táticas que podem punir eles?

Com todas essas perguntas feitas e respondidas, mesmo que em mente ou documentado, você está mais preparado para iniciar um planejamento de SEO.

Agora que já analisamos nossos concorrentes e conhecemos seus pontos fortes e fracos é hora de analisar nosso próprio site.

Passo #4: Análise On Page

Quando se trata do seu site, a análise tem que ser minuciosa e de alta qualidade.

Analisar o On Page do seu site é crucial para sua estratégia de SEO, pois tudo que você identificar de problemas e possíveis melhorias poderão ser resolvidos por você. Algumas vezes você pode depender do programador ou da empresa que desenvolveu o site, mas ainda assim, você tem mais controle sobre isso do que na aquisição de Links de qualidade, por exemplo, que é algo que depende de fatores externos.

Uma análise On Page é algo que pode demorar muito tempo e sites com muitas páginas tendem a dar mais trabalho nessa etapa. Já falamos da maioria dos fatores On Page no nosso capítulo sobre fatores de rankeamento do Google.

Aqui, vamos falar de novos fatores, que ainda não foram citados:

  • URL Canônica

O Google considera cada URL do site separadamente. Um erro básico de muitos sites é a página inicial poder ser acessada com o www (www.site.com.br) e também sem o www (site.com.br).

Isto divide a força da sua página inicial, e quando você não faz o redirecionamento 301 para o modelo que você escolher, acaba perdendo um pouco da força dos links, que vão para a forma que você não escolheu.

Para corrigir isso, você precisa fazer um redirecionamento 301 do site.com.br para o www.site.com.br ou vice e versa. Caso não seja possível fazer o redirecionamento, você pode colocar a tag canonical para informar ao Google qual é a URL que você quer privilegiar.

  • Sitemap

Você aprendeu aqui como o Google funciona e viu que a primeira etapa de um trabalho de SEO é fazer com que o Google indexe seu site.

O sitemap é uma forma de informar ao Google quais páginas existem no seu site e facilitar a indexação de todas elas.

Alguns plugins de SEO já possuem essa funcionalidade. Após você gerar um sitemap.xml, você precisa enviar ele ao Google através do Google Search Console

  • Erros 404

Algo muito comum é um site ter uma página com link errado ou alguém linkar seu site para uma página que não existe. Quando isso acontece, o usuário vai cair em uma página com a informação de que aquela página não existe.

Isso não é bom pra ninguém e você precisa corrigir esses erros rapidamente.

O Google Search Console tem uma funcionalidade que informa esse tipo de erro e onde ele está ocorrendo.

O que você deve fazer ao analisar tudo isso é documentar todos os erros que você encontrou e todas as melhorias possíveis que identificou.

O On Page é uma etapa essencial de análises que você deve fazer para planejar uma campanha de SEO.

Passo #5: Análise de Links

Aqui é a hora de analisar nossos links e identificar onde precisamos focar nossos esforços.

O que você precisa analisar nessa etapa:

  • Número de Links;
  • Número de domínios linkando;
  • Texto âncora dos links que você tem;
  • Domain Authority;
  • Page Authority;
  • Citation Flow;
  • Trust Flow;
  • Tipos de links que você tem. Aqui contam links de texto, imagens ou outras formas.

Tendo todas essas informações com a análise que fez de links dos concorrentes, você terá uma boa base para planejar sua estratégia de Link Building.

Passo #6: Monitoramento e acompanhamento

Além de planejar, pesquisar, produzir conteúdo e links, uma parte essencial para acompanhar a performance da sua campanha de SEO é o monitoramento de performance.

Nós recomendamos que você acompanhe as métricas definidas no relatório da situação inicial e compare sempre de acordo com o período definido para avaliação. Ele deve se tornar uma rotina, e ocorrer pelo menos mensalmente. Aqui na Rock Content, toda sexta feira é dia de revisarmos nossos erros e acertos para seguir crescendo.

Métricas e KPIs de SEO são tão importantes que separamos o próximo capítulo apenas para te explicar isso!

Conclusão e bônus

Como você pôde perceber, SEO é um assunto extremamente importante para quem está em busca de visibilidade online.

Levamos o SEO muito a sério aqui na Rock Content e também gostamos muito do assunto, por isso eu preparei uma pequena lista com conteúdos relacionados que você pode se interessar:

Caso você ainda tenha alguma dúvida sobre o assunto, nossa equipe também produziu um ebook com mais de 50 páginas que aprofunda em diversos pontos que falamos aqui nesse post.

o que é seo

Se alguma de suas dúvidas não foi respondida ou você gostaria de dar um feedback sobre nosso conteúdo, não deixe de deixar seu comentário abaixo!