pessoalidade-na-automacao-de-marketing

Como manter a pessoalidade com automação de marketing

A automação de marketing é uma incrível maneira de economizar tempo e esforço na hora de comunicar com os seus contatos. Mas usar um software para disparar emails não é nenhuma razão para ter mensagens que parecem ter sido escritas por robôs. A pessoalidade é chave em marketing digital, e isso é particularmente verdade sobre email marketing.

Ter uma mensagem com um toque pessoal tem um grande impacto em qualquer campanha de marketing digital.

Em um estudo feito pelo Institute of Direct and Digital Marketing em 2016, 82% dos profissionais de marketing concordam que ter assuntos personalizados levam a um aumento na taxa de abertura. A sua taxa de abertura é uma estatística vital para entender se você está falando a língua dos seus contatos — de quê adianta ter lindas newsletters que nunca são lidas?

Confira os outros maiores benefícios ser pessoal com os seus contatos, de acordo com o estudo, abaixo.

gráfico da pesquisa

Embora automatizar o seu marketing sirva para economizar horas de trabalho enviando emails, isso requer certo trabalho para ter certeza de que a mensagem é feita de maneira pessoal, e que o conteúdo seja de importância para o destinatário. Leve em mente que apenas 1% dos profissionais de marketing, demonstrados no estudo, dizem que ser pessoal não tem nenhum impacto na sua campanha de email marketing!

Difícil, até pode ser, mas certamente não é impossível! Conseguir ser pessoal e ter campanhas personalizadas andam de mãos dadas, pois tem o mesmo efeito. O cliente não se sente apenas como o contato #23454 e sim como um indivíduo importante para você e para a sua marca.

Para mostrar que automação de marketing pode coexistir com a pessoalidade, confira as seguintes dicas.

5 dicas para fazer campanhas de automação de marketing pessoais

01. Segmentação é chave

Sim, é provável que os seus contatos tenham algo em comum — afinal todos eles se inscreveram para receber as suas mensagens. Mas a segmentação é absolutamente necessária para separar os seus destinatários em grupos mais pequenos — tudo vai depender da sua habilidade de segmentar a sua base de dados. Afinal, nem a melhor campanha de marketing não vai conseguir vender comida de gato para quem tem cachorro.

Na hora de segmentar, crie personas — pessoas hipotéticas que são uma representação de um grupo dentro dos seus contatos. É importante lembrar que entre os seus leitores, haverá pessoas em diferentes estágios do funil de vendas e cada estado do funil vem com certas necessidades ou expectativas por parte do contato.

Uma pessoa que está no topo do funil ainda não está interessada em saber preços ou usos concretos, mas sim informação geral sobre o benefício do seu produto. Em contraste, uma pessoa no final do funil já não precisa de conteúdo geral e sim específico: onde se pode comprar, quanto custa, o que outras pessoas acharam do produto.

Use o seu software de automação de marketing para tomar nota do que os seus contatos fazem no seu site (que posts ou páginas eles visitam?) e nos seus emails (no quê eles clicam?).

É o seu trabalho se assegurar que os seus emails vão responder às essas expectativas e necessidades — o que é simplesmente impossível sem segmentar o banco de dados. Uma grande vantagem ter um software de automação de marketing é que o próprio software pode notar em qual estágio do funil cada internauta está e classificar todos eles de acordo com o seu comportamento.

Com isso, você pode saber exatamente que tipo de conteúdo esse grupo quer ver, ou qual temas abordar na sua próxima newsletter. E isso nos leva à segunda dica – conteúdo, conteúdo e conteúdo!

02. Ofereça conteúdo de valor

Uma vez que você tenha a segmentação dos seus contatos, use isso para te guiar na escolha de conteúdo. Com certas personas em mente e o seu estágio no funil de vendas, fica muito mais fácil oferecer aos seus contatos um conteúdo que foi juntado especificamente para aquela pessoa, fazendo com que a mensagem fique muito mais pessoal.

É a hora de pensar no comportamento do usuário no passado: uma pessoa que fez o download do seu e-book sobre como usar o Google Drive provavelmente vai estar aberto para receber conteúdo que explica o Google Analytics ou como conectar o Google Analytics ao WordPress.

Guia Completo do Google Analytics

Ter conteúdo que seja relevante para os seus contatos também é parte de ser pessoal — mostra que você presta atenção aos gostos e preferência do cliente. Uma pessoa que visita o seu site para ler mais sobre as viagens que você vende para a China provavelmente não vai se interessar muito por conteúdo que fale do Canadá.

Se ela receber muitos emails que falam de um destino tão aleatório, é muito provável que essa pessoa cancele a sua inscrição à sua base de dados.

Uma vez que uma pessoa abre o seu email e vê um sapato que ela já comprou na semana passada, a sensação de pessoalidade se evapora: essa pessoa sabe que esse email foi feito por um software, que provavelmente foi enviado a todos os destinatários e já não causa proximidade entre a pessoa e a marca.

03. Use campos de personalização

Com o tipo de conteúdo que aquele segmento gosta de ver, é importante inserir campos dinâmicos de personalização. Coisas como o primeiro nome, idade, localização geográfica, etc. Esses são dados que vão te ajudar a dar um toque muito mais pessoal ao seu email.

Um exemplo muito usado na indústria de marketing digital é a linha de assunto. Como mencionado antes, a taxa de abertura da sua campanha vai depender da sua linha de assunto — e personalizar a linha de assunto traz resultados muito mais positivos!

Enquanto os seus contatos recebem muitos e mails todos os dias, poucos desses e mails terão um assunto de “Feliz dia do amigo, Lúcia!”. Ao ver o nosso nome no assunto, temos um impulso imediato de abrir o email e ver o que a mensagem contém.

Assim, você utiliza a informação que o usuário te deu quando ele se inscreveu para receber as suas campanhas, e eleva o desempenho das suas campanhas de automação de marketing.

Com isso dito, temos algumas advertências sobre campos de personalização. Primeiramente, se você tem a intenção de usar os dados que os contatos te deram na hora da inscrição, é absolutamente vital que você mantenha a sua base de dados organizada! Cada coluna tem uma função, erros e trocas de dados podem resultar em gafes.

Segundamente, apenas ter o nome da pessoa no email não é o suficiente. O que realmente mostra que você se importa é a luta por enviar conteúdo que cada um dos seus contatos queiram ver.

04. Use uma pessoa de verdade como remetente

Um email como contato@empresa.com já não serve. O que você realmente quer com a automação de marketing é ter menos trabalho, menos esforço. Mas tudo isso pode ter um impacto decepcionante se os seus contatos não conseguem ter um nome — uma pessoa que está enviando esses emails. Nós não queremos emails frios e distantes de entidades como uma empresa.

Use o nome de alguém — se essa pessoa realmente existir, melhor! — para ser o remetente. Com o passar do tempo, os seus contatos vão se familiarizar com aquele nome e associá-lo com a sua marca.

Algumas empresas usam o nome de uma pessoa com um cargo alto dentro da marca, como o CEO. Outras usam o nomes de representantes de vendas, para que os leads possam se sentir mais próximos ao time de vendas quando chegarem no fundo do funil. Isso dá um nome e cara à sua marca, e faz o cliente se sentir apreciado.

Quando chegar no dia de receber o email, os destinatários vão ver um nome conhecido na caixa de entrada. Isso adiciona um elemento muito pessoal nas suas campanhas de automação de marketing. Todos nós preferimos abrir mensagens de remetentes conhecidos, então permita que os seus contatos se familiarizem com o nome do remetente, e resista o impulso de trocar o nome!

05. Sempre, sempre confira as respostas

A sua empresa precisa estar disposta a receber as opiniões e comentários ou dúvidas dos contatos para passar uma sensação de pessoalidade nas suas campanhas de automação de marketing. Ninguém gosta de ser ignorado!

A além disso, se você não vê as mensagens que o contato te envia, o contato vai começar ignorar os emails que você envia. O objetivo final da automação de marketing é manter um canal de comunicação constante com o cliente, e a comunicação tem ir e vir para ser efetiva.

Assim que veja o que os seus contatos te enviam mensagens, sempre responda aos emails — não há nada mais pessoal do que receber uma resposta a um email dentro de um período de tempo aceitável. Receber um email de volta que responde a todas as preocupações expressadas anteriormente, resolvendo qualquer problema — isso é incrivelmente satisfatório para qualquer cliente.

Se você estiver preocupado com o volume de respostas que cada campanha pode ter, saiba que isso é um medo real. Mas infelizmente, há pouco que você possa fazer para evitar essa situação. Uma ação prática seria programar no seu provedor de email filtros para a sua caixa de entrada — como emails automáticos de “Estou fora do escritório” ou “De férias até a semana que vem”.

E claro, que usar um email no-reply não é uma boa idéia. Se você usa o email para se comunicar com o cliente, é bem lógico que o cliente escolha se comunicar com você por email também. Na hora de ter qualquer contato com o cliente, é crucial lembrar que a comunicação é uma via de dois sentidos — você tem que permitir ao cliente que fale o que tem a dizer.

Um email no-reply passa a imagem que a sua empresa não se importa em ouvir o que os clientes têm a dizer, com um toque frio e distante. Isso é o contrário do que você quer causar com a sua campanha de marketing automatizado!

Filtros de spam também vêm emails no-reply como suspeitos, aumentando as chances da sua campanha acabar com o lixo eletrônico.

E aí? Você está pronto para usar estas dicas para melhorar ainda mais as suas campanhas de automação de marketing?

Continue aprendendo com nosso conteúdo sobre entregabilidade de email e sua importância!

Conteúdo produzido pela equipe da Mailify!

ebook email marketing

100.000 pessoas não podem estar enganadas
Deixe seu email e receba conteúdos antes de todo mundo